Anita livros martine anos 90 vintage leitura infantil plano nacional de leitura

Hoje é dia de trazer à ribalta outro clássico para quem cresceu nos anos 90, ou nas décadas anteriores.

Na verdade, ainda hoje as meninas deliram com os livros da Anita.

Ou Martine, como lhe quiseram chamar há uns tempos.

Bom, há que dar a mão à palmatória aqui: afinal, a Anita sempre se chamou Martine. As histórias originais, em francês, surgiram em 1954 pelas mãos de Gilbert Delahaye e Marcel Marlier (escritor e ilustrador das histórias).

Em Portugal, a Editorial Verbo foi responsável pela circulação dos livros a partir de 1966 e foi aqui que a protagonista das histórias mudou de nome para nos soar mais familiar.

livros anita vintage martine

No ano passado, a Zero a Oito decidiu devolver o nome original à menina das histórias e é claro que passados quase 50 anos ninguém achou piada à ideia.

É a Anita e não se fala mais nisso!

Devo ter dado muitos dos meus livros às minhas primas mais novas e fiquei com pena porque agora bem que gostava de os ter para a minha Teresinha.

O que vale é que, pelos vistos, ainda estão disponíveis sem a nhanha do nome “novo”, ainda que não sejam os livros antigos e bonitos (com capas e algumas ilustrações diferentes das de hoje em dia) a que estava acostumada.

E vocês, ainda guardam as aventuras da Anita?

6 comments on “Trouxe dos 90s – Anita”

  1. Se fores à Sinfonia da Av. de Roma, não só encontras os livros com as capas dos anos 90, como ainda alguns com as capas dos anos 70/80. Estavam na montra quando foi a polémica ‘Martine/Anita’.

  2. Infelizmente só tenho um ou dois livros da Anita mas adoro a coleção. As imagens são qualquer coisa de maravilhoso! E, claro, prefiro Anita. Mesmo que o original seja Martine, é muito mais simpático existir em cada país um nome que seja mais familiar.
    Se encontrar à venda livros da Anita em bom estado sou bem capaz de comprar a coleção toda, são simplesmente deliciosos mas algo me diz que devem estar um pouco inflacionados. 🙂

    • Daqui por uns anos, talvez! Agora, às vezes descubro cada clássico ao desbarato que acho que com jeitinho e em sítios improváveis deve dar para encontrar os livros da Anita à antiga 🙂

Deixar uma resposta