Alguns de vós já devem saber que por esta altura ando a estagiar num lar de idosos. Pormenores à parte, tenho adorado a experiência e conhecer os nossos idosos é algo que me agrada imenso. Conseguimos ter outras perspectivas da vida, aprender coisas novas e de vez em quando ainda há espaço para brincar.
Tenho ao meu encargo uma senhora de quase 90 anos, chamemos-lhe dona Maria. Está boa das ideias e nem sequer precisa de grandes ajudas nas tarefas do dia-a-dia. A D. Maria tem um amigo (que hipoteticamente passa a chamar-se Manel) lá no lar de quem gosta muito, até lhe descasca frutinha e corta às fatias. Coisa romântica!
Hoje, na sala de estar, a conversa comigo era esta:
“Ai, menina, tenho muitas dores, muitas dores… São tantas dores que às vezes bem vou lá acima ao quarto descansar um bocadinho. Volta e meia até aparece lá o senhor Manel para me dar um beijinho. As outras velhas de cá ficam invejosas, pensam que vai lá fazer mais qualquer coisa. Mas eu não deixo, é só beijinhos. Não há mais nada aqui do pescoço para baixo. Ainda temos muito tempo! Ele bem que quer mais, e até já me disse “qualquer dia ainda hei-de entrar nessa pachachinha!”, mas eu não deixo.”

Ah, gente gaiteira! Mas a conversa não ficou por aqui. Mais tarde, à hora de almoço, cá vai o que a D. Maria disse a uma das funcionárias que serve as refeições:
“Veja só! Sabe que hoje esta menina esteve a pesar-me e passei dos 64kg para os 56kg! Sabe do que é isto? É da pinocada toda com o Sr. Manel. É só festa! Não, estou a brincar. Mas bem que não me importava…”
Quanto mais velhos, mais sacaninhas ficamos. É o que concluo com isto. Estou sempre a ser surpreendida neste estágio, que vem a seguir?

16 comments on “Lar”

  1. Olá Guida!!!
    Espera que ainda há mais para vir…. Há histórias engraçadíssimas com idosos, trabalhar com eles não é deprimente ao contrário do que muitas pessoas possam pensar. Digo isto porque também estagiei na área da terceira idade e hoje em dia estou afecta a duas respostas sociais destinadas a idosos.
    Gostei mesmo muito do post:)
    Beijinhos

  2. Ai o que eu já me ri! Os velhotes são o máximo! A minha avó e a da Barbie também é assim gaiteira, só não lhe dá é para o romance, que o meu avô pelos vistos foi o único e grande amor da vida dela. Ainda que tenha ficado viuva cedo, não quis saber de mais nenhum homem e acredito que não lhe tenham faltado pretendentes!E volta e meia lá nos surpreende com um comentário picante do altos dos seus 90 anos!

    xoxo
    cindy

  3. É uma das áreas na qual também posso trabalhar, mas não me sinto à vontade! Na defesa de uma colega ela contou que durante o seu estágio faleceu uma das senhoras, e eu nao me consigo a imaginar nessa situação, sinto um aperto só de olhar para os idosos e tenho receio de não saber lidar com eles!
    Durante todo o curso virei-me mais para o desporto e infância, apesar de nos trabalhos de campo bem que andava sempre nas festas com os idosos bailaricos e jogos tradicionais lá estava eu a levar uma abada!
    Eles têm imensas histórias de vida para contar e tanta mas tanta coisa para ensinar que eu fico fascinada, mas sinto uma vazio por nao saber muitas vezes como lidar!

    Mas bom vais ter umas belas tardes com a Dona Maria 😉

  4. Ola 🙂
    gostei muito do post, estou a tirar educação social e este ano tenho estágio de intervenção e ainda não sei muito bem o que escolher… ano passado estive em observação no ex centro de atendimento ao toxicodependente actual CRI, tou a ponderar escolher um estágio com idosos este ano 🙂

    Posso saber qual o curso que estás a tirar?

    Bjo*

Deixar uma resposta