Após ter feito um alisamento progressivo há mais de dois meses (notícias em breve!), uma das maiores mudanças que tive de fazer foi na rotina de cuidados com o cabelo.

O cabelo que antes era super encaracolado e frisado, seco, que necessitava de lavagens diárias só para se manter apresentável, passou a estar imaculado por muito tempo, com uma ressalva: necessito de utilizar o secador depois da lavagem (se o cabelo seca ao natural, já fica bastante ondulado, ainda que sem o volume e frisado de antes). Não custa nada, porque o cabelo seca muito rapidamente e não preciso de grandes manhas.

Sucede que o couro cabeludo que antes era seco, agora tende a ficar oleoso ao fim de 4 ou 5 dias. Não é grave, nada grave, sei que há muita gente que deve estar a rogar-me pragas neste momento, que tantos dias é uma fartura e deveria dar-me por feliz e ir a correr lavar o cabelo ao fim desse tempo. Mas, senhoras, vejamos bem a cena: antes do alisamento, se esticasse o cabelo, passava mais de uma semana sem necessitar de lavar o cabelo. Sem problemas! E nem sempre há paciência para lavar e secar o cabelo agora. Nem tempo. E é aqui que o champô seco entra na minha vida.

batiste

Estava tentada a experimentar há algum tempo, fui lendo opiniões e procurando informação sobre marcas, até que se proporcionou partilhar uma encomenda na Maquillalia com a Ana Rita e lá mandei vir dois Batiste para experimentar. O melhor é que, nessa altura, cada um estava a 3€ e picos!

Encomendei as variedades Cherry e Cool & Crisp Fresh. A diferença é só o aroma, ambos são agradáveis e nada intensos. Uma lata destas é sensivelmente do tamanho de uma lata de laca (200ml), dura imenso. Não tem nada que saber: agita-se a embalagem, aplica-se o produto em direcção à raiz do cabelo, a cerca de 30cm de distância. Espalha-se bem o produto (é uma espécie de pó branco) no couro cabeludo com as pontas dos dedos, escova-se bem e está feito. Numa questão de segundos, temos o cabelo como novo, como se tivesse sido lavado pouco antes.

É claro que o champô seco não substitui a lavagem a sério, mas é um bom aliado entre lavagens. Não sei falar de outras marcas, comecei pela que dizem ser a melhor e não me arrependo. Sei que há quem se queixe de, com champôs secos de outras marcas, ficarem resíduos de produto no cabelo. A Batiste tem variedades com cor para os diferentes cabelos, mas nunca as experimentei nem sinto necessidade. Como sabem, tenho o cabelo preto e nunca tive quaisquer problemas desta ordem.

E vocês, já conheciam os champôs secos? Já experimentaram algum? Fica a dica!

9 comments on “Cabelos Limpos no Instante

  1. Já conhecia e uso o da Oriflame, aconselho mas quero experimentar essa marca por também ter conhecimento que é a melhor. E aconteceu-me o mesmo, fiz um alisamento purah, foi 5 estrelas mas passei a ficar com a raiz do cabelo mais oleosaaa também!

  2. Olá Guida!
    Também me vou render ao alisamento progressivo….o meu cabelo é ondulado, seco e cheio de manias….e perco tanto tempo a mantê-lo apresentável que vou arriscar numa mudança de visual, só espero não me arrepender!!!
    Tenho umas questões que gostaria muito que me desses umas “luzes”, pode ser!? ….qual o champô e amaciador que usas agora!? …hà necessidade de usar placa alisadora sempre!?
    o cabelo mantem o aspecto saudável após o alisamento!!??
    Obrigada 🙂

    • Olá Cláudia, fico feliz se puder ajudar 🙂 Comecei por usar o champô, condicionador e leave-in da Inoar, da linha para alisamentos progressivos. Falei deles há uns posts atrás, quando fiz o alisamento. Contudo, há mais linhas no mercado, de diferentes marcas. O que interessa é que o champô seja sem sal (sem sulfatos) e que os produtos que utilizamos para hidratar não contenham álcool. No meu caso, não foi difícil fazer a mudança, até porque por norma já utilizava champôs sem sal (dou preferência aos d’O Boticário, mas até no supermercado já há umas quantas opções).

      Já fiz o alisamento há três meses e só tenho maravilhas a apontar: o cabelo continua com aspecto saudável 🙂 Se o deixar secar ao natural, fica ondulado mas sem o volume monstruoso e frisado que tinha antes. Contudo, se o secar com o secador (sem grande jeito, mesmo!), fica quase liso, só com alguns jeitos nas pontas. Não é, de todo, necessário utilizar a placa. Só comecei a utilizá-la após o primeiro mês, e mesmo assim só o faço quando quero que o cabelo fique mesmo, mesmo, mesmo liso, e é uma tarefa na qual não demoro mais que 5 minutos (é de salientar que, neste momento, o meu cabelo já dá pelo peito).

      A ver se faço um ponto da situação com fotos e tudo 🙂

      Beijinhos

Deixar uma resposta