Eu sei que não tem nada a ver, mas apeteceu-me ser um bocadinho mete-nojo e colocar aqui esta montagem com fotos tiradas pela Ana Rita (http://www.lets-talk-about-beauty.com/).
Eu sei que não tem nada a ver, mas apeteceu-me ser um bocadinho mete-nojo e colocar aqui esta montagem com fotos tiradas pela Ana Rita (http://www.lets-talk-about-beauty.com/).

É uma grande falha não dedicar mais tempo a este assunto importante e que faz parte da minha existência. Afinal, há cada vez mais pessoas a sofrer de alergias solares e é dever de quem tem o dom da palavra alertar e ajudar nestas situações. Antes de escrever este post (esperem, que não vem daqui nenhum testamento… Por enquanto!), fui vasculhar o que já tinha escrito sobre o assunto aqui no blog e concluí que falei dele duas vezes, aqui e aqui.

Vou ter de preparar um post com tudo bem explicadinho. Hoje, quero só partilhar convosco um episódio chato e que poderia ter sido evitado. Nunca apanhei um escaldão. Bronzeio com muita facilidade. Contudo, nunca descurei a aplicação de protector solar. Aos 19 anos, passei a ter ainda mais cuidado, porque comecei a ter alergias com muita facilidade. Utilizo protector solar todos os dias, todo o ano, e quando estou exposta durante muito tempo (caso dos dias de praia e piscina – procurando sempre zonas de sombra nas horas críticas!), procuro reaplicar com alguma frequência. Consegui passar o Verão do ano passado sem transtornos, e este ano ia pelo mesmo caminho.

Ia! Ontem, coloquei a uso uma embalagem de protector solar do ano passado que estava guardada em boas condições. Toda a gente lê sobre a validade dos produtos e sobre a perda de propriedades e eficácia que têm, mas nem sempre temos o maior rigor na sua utilização. Cá para mim, pensei que o dito protector solar ainda estava em perfeitas condições, já que o cheiro, cor e textura se mantiveram como seria suposto. Tenho passado os dias desta semana na piscina.

Há coisas que os olhos não vêem, e hoje à tarde comecei a ficar com muita comichão e ardor generalizados. Quando me vi ao espelho, parecia um Ferrero Rocher com pernas! Bem conheço esta ladainha. Cá estou eu, com uma brutal alergia solar, com os anti-histamínicos (não se automediquem, procurem sempre ajuda dos profissionais de saúde!) do costume e a dar por terminada a minha época balnear de 2015. Moral da história: respeitem a validade do protector solar e façam pela vossa saúde.

Deixar uma resposta