Etiqueta: Garnier

10 do Momento

Comecei por ter um blog de beleza,

Embora considere que grande parte da essência do blog passe por aí mesmo. Só decidi que me daria à liberdade de escrever sobre o que quisesse e, às tantas, acabo por me esquecer que vocês gostam tanto quanto eu de saber das lides dos betumes e tintas. Verdade ou mentira?

Vai daí, desde Junho de 2015 que não faço um apanhado dos 10 cosméticos que mais tenho gostado ultimamente. Está na hora de partilhar convosco os meus aliados e desenganem-se se pensam que, com os tempos, se mudam todas as vontades. Só mudam algumas!

favoritos beleza
Os meus 10 favoritos actuais. Da esquerda para a direita, de cima para baixo.

Eis o meu top, sem ordem específica.

  • Bio Oil – Comecei a utilizar quando estava grávida e nunca mais o larguei. Até no rosto o utilizo, à laia de sérum. Nunca fui muito rigorosa (sei que há grávidas que têm todo um ritual de aplicação de cremes e mistelas 2 ou 3 vezes por dia, mas eu que sou preguiçosa tinha dias em que nem sequer utilizava nada), mas o facto é que a pele se mantém elástica, hidratada e sem estrias.
  • Quenching Serum SOS, Caudalíe – Não me canso de falar dele, se não se lembram podem espreitar o que já disse aquiaqui, aqui e aqui. Preciso de dizer mais alguma coisa?
  • BB Cream Beyond the Solution, Lioele – Não é novo e já falei dele neste post. Agora, mais que nunca, dou-lhe o devido valor. Muito boa cobertura, hidratante, não fica empoado tipo estuque mas também não me deixa com cara de fritadeira. Agora tenho menos tempo que antes para me arranjar, pelo que gosto de atalhar caminho no que diz respeito à preparação da pele para a maquilhagem.
  • Protector Solar SPF 50 gel-creme para peles oleosas, Youth Lab – Foi a Ana que mo deu a conhecer e nunca mais o larguei. Todos, mas todos os dias, faça chuva ou faça sol, utilizo protector solar. Se já tinha todo um historial de alergias ao sol, a gravidez deu-me a conhecer a realidade das manchas e rugas. Mais vale prevenir do que remediar, e este protector solar é o melhor do mundo para o rosto porque não pesa, não tem aquele cheiro a “sintético” a praia nem fica todo oleoso na cara. Como bónus, tem uma ligeira corzinha. Há dias em que acabo por nem aplicar mais nada no rosto.
  • Poudre de Riz de Java, Bourjois – É uma reedição do famoso produto da Bourjois, em comemoração dos seus 150 anos. É um pó solto translúcido com subtis cintilâncias que nos deixam o rosto com um ar polido e iluminado. Não acumula nem tende a ficar oleoso. A embalagem é prática, contendo uma patilha “doseadora” que não deixa que saia demasiado pó do compartimento. Esta parte é completamente secundária mas também tem de ser referida: tem um cheirinho tão bom!
  • Batom Color Sensational Vivid Matte, Maybelline – Eu sei que não tem uma durabilidade imaculada, que nem sequer fica mate e que só chegaram 4 cores a Portugal. Se procuram um daqueles batons líquidos mate à prova de tudo, esqueçam. Ainda assim, são dos que mais tenho usado, especialmente a cor 50 (Nude Thrill). A aplicação é super confortável, não resseca os lábios, efectivamente confere o conforto de um gloss sem ser pegajoso nem brilhante. E tem um sabor/aroma bastante agradável.
  • Blindagem Capilar, Novex – Já falei dela aqui e nem me vou alongar mais que isto: poupa-se muito tempo na secagem e preservação do penteado. Xô, humidade!
  • Emulsão de Banho, Anjinho – Só para contextualizar, a Anjinho/Angelito/Babyheart (há-de ter outros nomes noutros países) é a marca de produtos de higiene para bebé do Aldi e está muito subvalorizada. É mesmo muito boa e muito barata e volta e meia trago alguns produtos para a Teresa. A emulsão de banho é um deles e também a utilizo. Adoro! Não resseca a pele no banho, é um mimo. Se tiverem um Aldi por perto, não olhem para este produto (nem para o resto da marca) de lado!
  • Gel de Limpeza 2 em 1 Pure Active, Garnier – É para peles oleosas e surpreendeu-me muito porque é delicado. Não arde nem resseca a pele – palminhas por terem compreendido que as peles oleosas podem ser sensíveis e desidratadas e criarem um produto que respeita estas características! É eficaz, é prático e é económico (a embalagem é gigantesca para o que é habitual num gel de limpeza de rosto – tem 200ml).
  • Purelan, Medela – Este é aquele produto do qual possivelmente nunca ouviriam falar se não estivessem grávidas/fossem mães. O Purelan é um creme muito espesso e hidratante de lanolina pura. Tipicamente, utiliza-se nos mamilos quando estão gretados/sensibilizados pela amamentação. Mas também serve para muitas outras coisas! Para peles muito secas e sensíveis (como os lábios), garanto-vos que não há melhor que isto. Há quem gaste muito pouco, ao longo da amamentação. Eu já vou na segunda bisnaga à conta da função multi-usos.

E é o que tenho para dizer por agora. Pode parecer aborrecido, mas é mesmo o que mais tenho utilizado e que mais me tem surpreendido. E nem é necessário dizer que utilizo tudo exaustivamente, pois não?

Rotina de Verão #1

Tal como prometido, partilho convosco a rotina de utilização de cosméticos que funcionou comigo em tempo de férias. Vai ter de ser em duas partes, que tenho muito para dizer. Na primeira parte, vou falar um pouco dos produtos que utilizei para o cabelo e para o corpo. No próximo post, falarei dos produtos de rosto e da protecção solar.

Há que salientar que saí de Lisboa carregada de tralha e que nem tudo o que utilizei se revelou eficaz, houve estratégias que tiveram de ser repensadas muito rapidamente e o conteúdo deste post foi o que, efectivamente, utilizei e que me encheu as medidas.

Não acho descabido publicar esta espécie de review extensa em Setembro. Não só porque o Verão ainda decorre e há muita gente que está ou há-de ir de férias, mas também porque muitos destes produtos podem ser (ou serão mesmo) utilizados durante o resto do ano.

veraocabelo

A rotina dos cabelos foi aquela onde mais arrisquei. Sol, praia e água da rede super calcária são grandes inimigos da saúde capilar. Tenham em conta que o meu cabelo é super espesso, denso, seco e frisado, para além de o pintar com alguma frequência.

1. O champô escolhido para a temporada de praia foi o Ultra Suave Solar com Óleo de Monoi e Neroli, que é uma novidade no mercado e que não me desiludiu. Era o único produto que desconhecia totalmente deste grupo. Foi utilizado e aprovado por toda a família. Limpa o couro cabeludo sem ser agressivo e os cabelos ficam super macios, leves e bem cheirosos, sem ressecar. Não é muito consistente, embora produza muita espuma. É fácil de espalhar e enxaguar.

2. Esqueci-me de levar comigo quaisquer máscaras ou condicionadores e dentro da oferta disponível nos supermercados locais, optei pela máscara Adeus Danos da Fructis. Já sabem que tenho aversão aos champôs da marca, mas as máscaras, séruns e espumas têm sido uma agradável surpresa. Não tinha experimentado esta anteriormente, mas já conhecia outros produtos da mesma linha nos quais confio. É consistente e eficaz, super hidratante mas sem deixar o cabelo pegajoso. Um boião de 400ml custou cerca de 5€, utilizei o produto em todas as lavagens de cabelo, não recorri a condicionadores e ao final de mais de um mês ainda estou longe de ver o fundo da embalagem. É melhor, a milhas, que muitas máscaras de marcas profissionais.

3. Que disse eu de confiar na linha Adeus Danos da Fructis? Em equipa que ganha, não se mexe, e hei-de comprar e recomprar o sérum SOS Repair. É fluido, quase como um óleo, não pesa e a verdade é que deixa as pontas do cabelo bonitas, hidratadas e brilhantes. Com ar de cabelo novo, sabem? Do que há no supermercado, baratinho, este é dos melhores séruns, para mim.

4. Quem tem cabelo espesso, seco e encaracolado sabe que hidratar nunca é de mais, mesmo, mas que é preciso ter cuidado com os produtos que utilizamos depois da lavagem sob pena de o resultado ser uma mixórdia pesada e pegajosa. Privei-me de espumas e outros produtos muito elaborados, mas o leave-in é sempre essencial para uma caracoleta bonita e de aspecto saudável. Apostei no Nativa Spa Frutoterapia Ultra Hidratante Monoi e Argão, após o duche à noite, que é dos melhores produtos do género que já conheci para deixar os caracóis bem definidos mas soltos e leves (já para não falar no cheirinho delicioso). Durante o dia, por causa do sol (e por considerar que não seria de mais reforçar a hidratação), optei sempre por aplicar o Golden Plus Termoactivado, que já era um favorito da época balnear anterior e que mesmo sendo consistente e hidratante não pesa no cabelo depois de seco e ainda protege do sol e de outros agentes nocivos. Ambos os produtos são d’O Boticário.

veraocorpo

A questão dos produtos de duche é um pouco irrelevante e a escolha dos géis e sabonetes foi quase aleatória dentro de tudo o que consigo utilizar sem reacções alérgicas. Interessa a hidratação, e nesse aspecto tive uma super equipa comigo.

1. Ainda no duche, antes de sair, contei com o óleo Nativa Spa Monoi e Argão d’O Boticário. Tem truque, é para aplicar na pele molhada (e há quem passe por água, mesmo assim) porque é muito denso e hidratante. Só por si, já é um grande passo na hidratação corporal e… Confesso, nos dias de preguiça foi suficiente para que não ficasse a parecer um deserto em forma de gente. Não se atrevam a aplicá-lo na pele seca, que não será absorvido e ficam eternamente pegajosas.

2. Para não haver oportunidade de a pele das pernas começar a descamar (habitual por estas bandas), precisei mesmo de um produto que me garantisse toda a hidratação de que a minha pele necessita. Sou alérgica ao sol, como sabem, pelo que nesta época evito produtos com fragrâncias e outros aditivos irritantes que possam ajudar a criar situações desagradáveis. Contei com o Lipikar Lait da La Roche-Posay que é super consistente e hidratante, mas ainda assim fácil e agradável de utilizar. Rende imenso, para compensar o facto de não ser dos hidratantes mais baratos.

3. Apesar de o Lipikar Lait ser mais do que suficiente, eu ainda quero mais consistência nos primeiros dias de praia. Sou muito cautelosa, utilizo protector solar, mas quero mesmo assegurar-me que estou bem hidratada. O Bálsamo Intensivo Pós-solar da Oriflame é daqueles que se assemelha mesmo a uma manteiga, há quem considere um martírio utilizá-lo por ser mesmo muito, muito rico, mas garanto-vos que não há melhor para as áreas do nosso corpo que têm tendência a ficar mais secas e desidratadas. Acabei por utilizá-lo muito, também, nas maçãs do rosto, que sofrem sempre nesta temporada de sol e calor.

4. A loção Sesame Suntan da Lush é um bónus que recebi a tempo de testar nas férias e que adorei. É um capricho. A marca considera que é um protector solar, mas… Tem FPS 10! Big no no, mas como loção corporal naqueles dias em que saía do duche e ainda vinha para a rua com algum sol ao fim da tarde, foi um prazer utilizá-la. É muito fluida mas bastante hidratante e cheira a… Bom, cheira-me a manteiga de amendoim (óleo de sésamo, diz a Lush) e dá vontade de a comer. Sim, tive os meus receios que pudesse haver alguma alergia demoníaca, mas consta que a fragrância era mesmo a natural do óleo de sésamo e, à data, nunca tive problemas com este nem com nenhum dos restantes ingredientes (que podem conferir aqui) que compõem o produto.

Não se esqueçam, a seguir sairá um post com o resto desta rotina maravilhosa que não me deixou ficar mal, mesmo fora da minha zona de conforto.

Não será propriamente uma novidade fresquinha, fresquinha, mas já sabem que eu gosto de experimentar tudo como deve ser, de diversas formas e com todas as adversidades pelo meio antes de me pronunciar sobre produtos de beleza. E também não gosto de hypes e ondas, prefiro deixar que toda a gente fale das novidades e falar delas mais tarde, com calma e com a merecida atenção. Se fizesse este post há uns meses, possivelmente ninguém o teria lido.

alisadoroptico

No âmbito dos produtos recentes da Garnier que vale a pena experimentar, não podia deixar de destacar o Alisador Óptico 5 segundos. Segundo a marca, é um produto que corrige e preenche a pele de forma instantânea, para disfarçar rugas, irregularidades, poros dilatados e oleosidade. Trocando por miúdos, é um primer. Não é um produto de tratamento. Colocá-lo-ia no patamar dos produtos de maquilhagem. Dentro das tecnologias presentes na sua elaboração, há reflectores de luz e sílica. Nada que não seja novo dentro deste tipo de produto.

Pelas minhas experiências anteriores com primers deste tipo, esperava um produto bom mas não extraordinário. Costumam esfarelar (especialmente assim que entram em contacto com base) e ter um cheiro estranho. Fiquei surpreendida porque estes inconvenientes não acontecem com o Alisador Óptico, para além de que é muito leve e permite um controlo da oleosidade mais duradouro que muitos primers (a pele permanece sem brilhos indesejáveis e a maquilhagem fica intacta durante todo o dia)  de marcas conceituadas e substancialmente mais caros. Confiram o efeito pela fotografia acima!

Cada bisnaga de 30ml custa 14,49€ nos supermercados e, para mim, o Alisador Óptico entra para o pódio dos melhores primers para peles mistas/oleosas. Fazendo uma comparação óbvia, acho que este produto é muito melhor (mais leve, mais eficaz e mais duradouro) do que o Porefessional da Benefit, primer do qual sou (era) fã e que custa mais que o dobro do preço. Caso tivesse de escolher um deles, sem dúvidas nem preconceitos, optava pela versão low budget do supermercado. Bravo, Garnier!

manchas

Ontem fui conhecer uma série de novidades boas da Garnier. Numa das apresentações, havia cachorrinhos dálmata mega fofinhos e pudemos tirar fotografias com eles. Eram dois, sei que o da fotografia é uma menina. Não se preocupem, ninguém fez maldades aos dálmatas nem vem aí nenhum produto testado ou à base de dálmata, podem estar descansadas.

Saber esperar é uma virtude, e posso garantir-vos que em breve há novidades das boas!

Na passada terça-feira, a Guida deslocou-se ao Hotel Corinthia Lisboa a convite da Garnier para desvendar uma surpresa.

Em muito boa companhia, como é típico neste tipo de eventos, foi apresentada a coloração Castanho Violino 4.26 da linha Garnier Nutrisse, a cor escolhida pela actriz Diana Chaves que surpreendeu toda a gente com a sua aparição de cabelos morenos. Na minha opinião, fica mais favorecida assim do que loira. Mais jovem, talvez.

Tive de ir a correr experimentar. Este foi o pretexto ideal para assumir que já não estou de férias e que a cor do meu cabelo precisava de ser tratada (voltei ao cabelo preto quase a meio de Agosto, mas a cor saiu toda durante o tempo de praia). Confesso que tive receio de duas coisas: nunca tinha utilizado colorações de supermercado (à excepção de umas tintas temporárias quando tinha 15 anos) graças à fama pouco amigável que lhes atribuem e normalmente fujo de todas as tinhas cujo nome inclui “violino”. Roxo-avermelhado-acastanhado-rosado não é coisa para mim, dizia eu. Mas se tinha a prova viva de que a cor era amigável à minha frente, se ficava bem à Diana Chaves, por que é que não havia de resultar comigo (também, sou pouco ambiciosa, leia-se com litros de ironia!).

E lá me aventurei. Acredito que as instruções sejam semelhantes com outras tintas, pelo que não me vou alongar. Cumpri tudo à risca e não podia ter ficado mais satisfeita com o resultado inicial. A cor ficou brilhante e fiel ao que se pretendia. O cabelo ficou muito macio, leve e solto. Não notei que o processo tenha sido agressivo, muito pelo contrário. Na lavagem após a coloração, o cabelo não ficou mais áspero, o que costuma acontecer com outras colorações. O produto de nutrição do kit deu o toque final e quando saí do banho foi como se tivesse cabelo novo.

Mais logo, mostro o resultado para quem ainda não viu no Facebook.

Contei-vos aqui que tinha um kit de Alisamento Fructis para experimentar, e após ter lido uma série de relatos positivos de pessoas em quem confio, decidi seguir em frente pôr as mãos na massa. Ainda estou no início do teste e tenho coisas boas para vos contar, e é claro que posteriormente espero falar-vos do desenrolar desta minha experiência.

Para começar, e depois de tudo o que vos tenho contado sobre as minhas aventuras com o cabelo, não poderia avançar sem fazer um teste numa pequena madeixa. Eu sou pior que os miúdos, às vezes, tinha acabado de pintar o cabelo e não tive paciência para esperar uns dias. Assim, lá fiz o teste  e correu tudo bem. Estava na hora de aplicar o produto devidamente em todo o meu cabelo!

É importante referir que, na lavagem do cabelo, utilizei o champô e o condicionador Hidra Liso 72h, também da Fructis. Já os tinha utilizado anteriormente, sempre que pretendia alisar o cabelo, e notei que reduzem um pouco o frisado natural do cabelo.

Com o cabelo húmido, apliquei o passo 1 do kit, que é o Gel de Alisamento. É fluido o suficiente para que seja espalhado com facilidade por todo o cabelo, mas com uma certa consistência que não o deixa escorrer. Não cheira bem, cheira a enxofre por causa da cisteína que faz parte dos componentes, mas é suportável. Temos de deixar o produto actuar por 15 a 20 minutos. Depois, é hora de enxaguar o cabelo.

Por esta altura, o cheiro a enxofre desaparece quase completamente e o cabelo está super macio e nitidamente mais relaxado. Eis que se aplica o passo 2 do kit, que é o Cuidado Prolongador e Aperfeiçoador. Também é fácil de aplicar, tem a consistência de um condicionador. O cheiro é o típico dos produtos da Fructis, frutado e bastante agradável na minha opinião. A intenção é deixar o produto actuar por cerca de 10 minutos. O enxague é opcional, sendo que a recomendação é que quem tem cabelos mais espessos não o faça. Segui a recomendação e passei à fase seguinte, que é o passo de magia neste tratamento de alisamento: sequei o cabelo com o secador, sem escova, e depois alisei-o com o ferro. 

O resultado é o que podem ver na primeira foto do post: cabelo liso e sem jeitos. Em circunstâncias normais, ao fim de meia hora o meu cabelo teria ganho alguma ondulação e volume, especialmente na raiz. Com o kit de Alisamento Fructis, isso não aconteceu e o cabelo manteve-se perfeito todo o dia. E foi muito mais fácil alisá-lo! Demorei cerca de 1/3 do tempo normal (a contar pelos tracinhos do tempo de utilização do ferro) para conseguir este resultado.

Porém, houve um pequeno problema que não tinha acontecido no teste da madeixa e parece-me importante referir: arrependi-me de não ter enxaguado o cabelo depois do passo 2, porque o produto não foi totalmente absorvido nalgumas secções do cabelo e passado umas horas comecei a sentir um certo ardor no couro cabeludo.

Assim que cheguei a casa, lavei a cabeça normalmente e ficou tudo bem, não há quaisquer sinais de alergia ou irritação. Desta feita, já pude apurar mais conclusões acerca do kit. A ondulação natural do meu cabelo não desapareceu, felizmente (até porque a intenção do kit de Alisamento Fructis não é alisar o cabelo mas facilitar o processo de alisamento em casa), mas o cabelo continuou nitidamente relaxado e muito macio. Deixei que, desta vez, secasse ao natural e só depois é que o alisei com o ferro. Mais uma vez, demorei muito menos tempo do que era costume para atingir resultados perfeitos. Não utilizei qualquer produto anti-frizz. Já me submeti ao vapor típico da cozinha, e o meu cabelo está intacto. 

Com certeza, irei recorrer a este produto muitas vezes, especialmente no Inverno. Quem o inventou merece um prémio especial de corrida, porque esta é a solução para muitos cabelos rebeldes indomáveis. Considero que compensa os cerca de 15€ que custa no supermercado e parece-me que em breve vou ter de o dar a experimentar à minha mãe, que tem o cabelo muito mais espesso e frisado que o meu (mas estando ainda dentro dos tipos de cabelo que podem utilizar o produto) e cuja tarefa de o esticar sobra para mim. Será um alívio!

Ainda não vos tinha mostrado, mas recebi um kit de Alisamento Fácil e um conjunto Hidra Liso Fructis para experimentar.

Confesso que já utilizei o champô e o condicionador, um pouco a medo visto que tive más experiências passadas com os champôs Fructis (os condicionadores, máscaras, géis, cera e espuma uso sem qualquer problema), mas até à data tem corrido tudo bem e noto que há uma diminuição do frisado e que não ressecam o cabelo. A seu tempo, darei mais detalhes.

Estou super curiosa com o kit de alisamento, e gostava de saber se já alguém experimentou e o que acharam dos resultados. Ainda não o experimentei por vários motivos. Como sabem, há relativamente pouco tempo submeti o meu cabelo a decapagens e descolorações para conseguir tirar toda a tinta preta que tinha no cabelo e conseguir ficar ruiva. Apesar de o meu cabelo ser bastante forte, ressentiu-se um pouco. Já dei um corte valente, porque as pontas ficaram mesmo num estado miserável (especialmente depois de ter ido à praia…) e o assunto ficou resolvido, mas não quero abusar da minha sorte. Por outro lado, este tratamento não tem  a finalidade de deixar o cabelo totalmente liso só por si mas ajudar a facilitar o alisamento por cerca de três semanas, e consequentemente não será algo definitivo mas tenho um certo receio que altere os meus caracóis a longo prazo. Por fim, em temporada de calor e, eventualmente, praia e piscina não quero desperdiçar as potencialidades do produto.

Que me dizem sobre o assunto? Preciso mesmo de saber a vossa opinião!

Isto de uma pessoa ser vaidosa e querer usar maquilhagem diariamente pode ser complicado no tempo de maior calor. Usar sombras, batons, blush e afins não tem piada nenhuma se não prepararmos a pele e não tivermos uma tez uniforme. Existem bases em pó, e pós, mas nem sempre conseguem assegurar que a pele mantém um aspecto fresco e seco nestes dias. Nos casos mais extremos, como os últimos dias em que os termómetros roçam os 40ºC, há ainda a agravante de colocar o que quer que seja por cima do hidratante/protector solar ser um martírio autêntico. Aliás, tudo o que implique movimento é uma odisseia e a aplicação de maquilhagem não é excepção.

Vocês sabem que sou adepta de BB cremes, por condensarem uma série de qualidades num só produto (no meu caso, os pré-requisitos são hidratante, protector solar e cor) mas a minha pele não é imaculada e quando o tempo aquece dá o grito do Ipiranga e decide ficar oleosa como se não houvesse amanhã. Não fico cheia de borbulhas e outras coisas pouco bonitas, mas é difícil controlar o desastre e retocar a maquilhagem ao longo do dia não é algo que me agrade. E é complicadíssimo encontrar uma rotina de maquilhagem que funcione em dias de torrar, com temperaturas acima dos 30ºC. Eu ainda não tinha encontrado nada totalmente satisfatório, mas…

… Na semana passada, chegou cá a casa o novo BB Creme da Garnier. Já existia outra versão no mercado, para peles secas/normais. A novidade é que agora também existe uma fórmula para peles oleosas!

Confesso que inicialmente estava muito céptica. Os outros BB cremes que uso fazem promessas de contenção/prevenção do aparecimento da oleosidade e, verdade seja dita, são muito bons no tempo mais frio porque apesar de se portarem bem na zona T, também são compatíveis com a restante pele, que é seca.

Voltando ao novo BB Creme da Garnier, vou contar-vos a minha experiência desde o início. Já lá vão cinco dias!

  • Inicialmente, experimentei nas costas da mão. Em primeiro lugar, ele é muito fluido, quase líquido. É muito leve. Pareceu-me escuro para a minha pele e ainda por cima só está disponível no tom Medium. Bolas, pensei eu. Surpresa! O creme fundiu-se com a minha pele e ficou da mesma cor. Senti hidratação, mas o toque é seco. E o melhor é que cobriu boa parte das minhas veias.
  • Fiquei super entusiasmada e empolgada para o experimentar a sério. Apliquei-o no rosto e é o que tenho feito todos os dias.

Minhas amigas e meus amigos (que já ouvi dizer que o BB também é bom para os senhores vaidosos), tenho a dizer que desde então não voltei a usar base nem pó. Nem corrector, porque quase não tenho imperfeições e as que tenho ficam bem disfarçadas só com o BB Creme. Posso mostrar-vos como fica a aplicação, mas não é isso que interessa. Nos primeiros dois dias, descobri que mesmo no rosto a cor adaptou-se. Já não se coloca essa questão, visto que fui à praia e actualmente a cor do BB Creme é exactamente a minha cor. Ao fim do dia, o creme não só não desapareceu como a oleosidade é mínima e resume-se à zona T do rosto.

Ao que parece, para além de a fórmula ser oil free, existe uma componente chamada Perlite que é o grande truque no combate à oleosidade. Este mineral extraído de rochas vulcânicas tem um poder de absorção cinco vezes superior ao talco e consegue absorver 2,5 vezes o seu peso em humidade, o que lhe confere propriedades matificantes e anti-brilho. Na pele, a actuação da perlite contida no BB creme traduz-se na absorção imediata da oleosidade e na promoção da sua evaporação sem que os poros fiquem obstruidos.

Querem melhor do que um creme que hidrata e ilumina, tem cor e cobre as imperfeições do rosto de forma razoável e ainda disfarça os poros, matifica e ainda tem FPS 20? E que ainda por cima está à venda no supermercado por 10€? Eu fiquei rendida a este BB Creme da Garnier.

Questões de Marketing

batom

Tod@s tendemos a pensar que os produtos mais caros são os que têm melhor qualidade e a olhar de lado para o que é mais barato.

Este comportamento acontece com tudo, desde os bens de primeira necessidade até àquilo que eu chamo mariquices. É claro que há pessoas mais niquentas que outras e que com a nossa tão bem conhecida crise global temos vindo a mudar de atitude, quanto mais não seja porque a carteira encolheu e não nos deixa gastar como antes.

Com isto, temos vindo a descobrir que afinal a qualidade não tem que ser cara.

Escrevo este post porque já por diversas vezes ouvi gente céptica das minhas opiniões e escolhas quanto a cosméticos e maquilhagem, como já tive a oportunidade de falar cá no blogue. Já vos sugeri marcas e lojas que nos permitem ter bons produtos a preços muito acessíveis.

É provável que apanhemos alguns dissabores nas nossas aventuras com as comprinhas baratas, mas isso faz parte da aprendizagem e sempre que isso aconteça até é bom partilhar com o máximo de pessoas possível para que não cometam o mesmo erro.

Quando encontramos algo de que gostamos, temos que fazer a mesma coisa e divulgar a toda a gente. Neste aspecto, sou da opinião que os blogues, sites e fóruns pela Internet fora vieram dar uma grande ajuda, pois toda a gente pode divulgar a sua opinião, mostrar fotos com a aplicação dos produtos e divulgar massivamente a informação.

No entanto, continuamos a ser bombardead@s por anúncios que levam até a pessoa mais simples a desejar muito o produto xpto que faz maravilhas. E não, não pode ser de outra marca porque só o da marca xpto é que faz maravilhas! Os outros não. Ou assim pensamos!

Sabem que mais? No meio disto tudo, há cerca de meia dúzia de grandes empresas que possuem muitas outras mais pequenas.

Que significa isto? Significa que os produtos vêm muitas vezes da mesma fábrica mas têm embalagens, marcas e preços diferentes. Mas no fim vai tudo dar à mesma entidade e são sempre as mesmas pessoas a lucrar.

Não acreditam? Pois vejam:

  • A Louis Vuitton Moët Hennessy (LVMH) possui a Benefit, a Guerlain, a Givenchy, a Kenzo, a Lowe, a Sephora, a Dior, a Fresh, a MAKE UP FOR EVER, e a Acqua di Parma;
  • A L’Oréal é dona da Garnier, da Maybelline NY, da Kérastase, da Redken, da Mizani, da Shu Uemura, da Lâncome, da Biotherm, da Helena Rubinstein, da Kiehl’s, da Cacharel, da Diesel, da Yves Saint Laurent, da Vichy, da La Roche-Posay, da Innéov e da The Body Shop, entre outras marcas;
  • Já a Chanel tem a Bourjois;
  • À Estée Lauder pertencem a Clinique, a Prescriptives, a Origins, a MAC, a La Mer, a Bobbi Brown, a Tommy Hilfiger, a Aveda, a Jo Malone, a Bumble and Bumble, a Darphin, a Missoni, a Aramis, a Lab Series, a Kiton, a Donna Karan, a American Beauty, a Good Skin, a Flirt! e a Sean John;
  • A Coty é dona da Rimmel London, da Lancaster, da Davidoff, da Jil Sander, da Calvin Klein e umas poucas marcas de perfumes de artistas famosos;
  • O vosso dinheiro vai para a Proctor and Gamble se comprarem Max Factor, Covergirl, Aussie, Clairol, SK II, Olay, Braun, Gillette, Head and Shoulders, Herbal Essences, Pantene, Hugo Boss e outros perfumes;
  • Da Unilever são a Dove, a Rexona, a Axe, a Impulse, a Lux, a Ponds, a Sunsilk, a Vaseline/Vasenol e a Timotei;
  • A Beiersdorf é mãe da Eucerin, da Nivea, da Hansaplast, da Labello, da La Prairie e outras marcas.

É, ao que parece passamos séculos a revolver produtos que ao fim ao cabo são da mesma marca (serei eu ou os desodorizantes da Dove e da Rexona são iguais?) e a esmifrarmo-nos tod@s para trazer o mimo xpto que afinal até existia numa marca irmã mais barata.

Podíamos continuar a lista, mas são horas de pesquisa que vocês podem ir fazendo aos poucos: basta lerem os rótulos e pesquisarem.

Desviando para outro tema, ao lerem os rótulos também descobrem o tipo de porcarias que andam a meter na pele. Assunto para outros posts!

Cabe a cada um ler as críticas das outras pessoas, ler os rótulos, conferir os preços, experimentar, descobrir qual o produto que melhor se adequa à pessoa em si (e se não funcionar, na maior parte dos casos até dá para trocar na garantia. Se não der, em vez de o deixar a apodrecer numa gaveta qualquer dá-se a uma pessoa próxima que o utilize), vasculhar nos saldos, em outlets ou em sites do ramo se vamos mesmo optar pelo produto da marca xpto.

Sempre que possível, antes de comprar, peçam amostras! Eu juro que não é uma estratégia de pedinchões e eu faço-o muitas vezes. Tenham o cuidado de pedir amostras só quando querem realmente experimentar um produto. Muitas vezes, até as podem pedir na Internet, na parte dos contactos de cada empresa: sejam específicos e descrevam o que procuram. Não se esqueçam da morada e enviem feedback assim que experimentarem!

Afinal, nem tudo o que parece é e nos dias que correm temos que ter cada vez mais cuidado com o que nos entra pelos olhos e pelos ouvidos.