Etiqueta: Exercício Físico

A minha experiência Skin Fitness – Biotherm

biotherm youzz skin fitness body emulsion beleza refirmante

Hoje é dia de falar de um produto fornecido pela plataforma Youzz, que recebi para testar.

Se também querem ter a oportunidade de participar nestas campanhas, podem inscrever-se no site. Gostava muito que utilizassem o meu código de apadrinhamento: 74pbspobj8.

Código de apadrinhamento: 74pbspobj8

Não deve ser novidade para algumas de vós que esteve no ar uma campanha para testar a emulsão da linha Skin Fitness da Biotherm e eu fui seleccionada.

Antes de avançar, é importante dizer duas coisas:

  • Esta linha é composta por três produtos, mas só tive oportunidade de experimentar a Firming & Recovery Body Emulsion.
  • Não sou, de longe, a pessoa mais fit do mundo.

Consta que Skin Fitness é uma linha destinada à utilização na rotina de higiene e beleza após a prática de exercício físico, com o intuito de ajudar a pele a ganhar firmeza e repor hidratação.

Já toda a gente sabe que não há milagres e que se não mexermos o rabo não há cremes que nos valham.

Mesmo estando a atravessar um período de especial sedentarismo (bom, se correr atrás da Teresa for considerado exercício, aí talvez a coisa mude de figura!), tenho de atribuir mérito à bendita emulsão. Adorei utilizá-la!

  • Vi efeitos imediatos com a utilização do produto.
  • A fórmula é enriquecida com cânfora, sódio e magnésio de aplicação tópica.
  • Facto: é uma gostosura aplicar a emulsão pelo corpo todo!
  • É refrescante e não fica tudo pegajoso.
  • A textura lembra imenso os géis anti-celulíticos. Não é creme, não é oleoso, também não é bem um gel. 
  • A sensação após a aplicação é mesmo de relaxamento, com um ligeiro formigueiro bom.
  • Como o cheiro também conta e acredito que neste caso contribui para o sucesso do produto, há que dizer que tem um cheirinho ligeiramente cítrico e canforado em simultâneo, tão bom!

Resumindo e concluindo, se puderem, experimentem esta emulsão porque vale a pena.

O preço não é tão fofinho: dependendo dos sítios, oscila entre os 25€ e os 31€ – para um hidratante corporal, considero um pouco excessivo.

Whey – O que é e para que serve?

Está na hora de falar um bocadinho sobre alimentação e suplementação. Porquê? Porque há muitos mitos e porque já estou farta, fartinha de ouvir coisas como “cuidado com essas porcarias que andas a tomar” ou “isso é daquelas drogas que os tipos dos ginásios tomam” cada vez que a whey calha na conversa.


Atenção: não sou nutricionista, não pesco um atum de desporto, pelo que neste artigo verão informação básica e acessível para a pessoa comum. Não se esqueçam da importância de um regime alimentar diversificado e da prática de estilos de vida saudáveis.


batido whey

Infelizmente, apesar de vivermos numa época em que temos toda a informação que quisermos ao nosso alcance, há muitas pessoas que ainda não se dão ao trabalho de pesquisar. E, meus amigos e minhas amigas, quando desconhecemos algum assunto, o melhor é mesmo aprender. Não se sintam culpad@s em demasia, que estamos cá para nos ajudarmos uns aos outros e tenho a dizer-vos que mesmo dentro da área da saúde, há muitos profissionais que não sabem o que é a whey. Na verdade, nem sequer há muitos estudos conclusivos (que eu tenha encontrado) sobre o consumo e os efeitos da whey nalgumas situações específicas (a gravidez é uma delas).

Por mim falo, gosto muito de saber o que estou a ingerir, mas o facto é que há muitas pessoas que utilizam este suplemento e nunca, sequer, se questionaram sobre o que é e para que serve. A whey é proteína do soro do leite. O soro do leite é o líquido excedente da transformação do leite em queijos e caseína. Até ganhar a forma de “farinha” que nos é familiar e utilizado como suplemento, é processado:

  • É desidratado
  • Pode ou não ser-lhe conferido algum sabor
  • Pode levar outros aditivos

E é aqui que podem existir reticências. Nem sempre é fácil aferir a qualidade de uma determinada marca ou tipo de whey. Muitas vezes, sem que o consumidor se aperceba, foram adicionadas farinhas e derivados de ovos e afins, e não é o que se pretende. Desconfiem sempre do que é muito barato.

Porém, quando se trata de um produto de boa qualidade, o seu consumo pode ser benéfico. Existem vários tipos de whey, conforme podem perceber (se não sabem já!) pelas diferentes embalagens nos diferentes sítios que a comercializam, e que se adequam a diferentes finalidades/necessidades:

  • Há a isolada (que é a que consumo), que é a mais “simples”. É quase toda ela proteína, sem hidratos de carbono ou outros açúcares.
  • Há a hidrolisada, efectivamente mais conhecida/utilizada por desportistas já que passou por um processo que transformou em peptídeos mais pequenos e, consequentemente, absorvidos mais facilmente e de forma mais rápida.
  • Há a concentrada, que é mais calórica e contém uma série de hidratos de carbono, dos quais boa parte se resume a lactose.

whey

Há que salientar a importância dos alimentos “simples”, essenciais e por si só suficientes para darem estrutura a um bom regime alimentar. Contudo, como noutras coisas, existem “alavancas”, ferramentas que nos podem ajudar a alcançar ou manter um determinado resultado. É aqui que entram os suplementos como a whey. Tem calorias, como tudo o que ingerimos. É uma proteína, as proteínas são essenciais na estrutura dos nossos tecidos, são usadas na produção de tecido muscular e reparação de tecidos danificados.

Há situações em que necessitamos de um maior aporte proteico – como a gravidez e a amamentação, para além da prática desportiva. É desta última que surge a fama da whey enquanto suplemento na manutenção da massa magra, ainda que seja também é um auxiliar importante nalguns regimes alimentares – em especial os que potenciam a perda de peso, embora também possa ajudar muito no processo inverso, quando o objectivo é “engordar”.

O que é que a whey tem de tão fantástico? Promove a saciedade e ajuda na tal questão da manutenção estrutural dos tecidos do corpo. Quando aliada à prática de exercício físico, ajuda a perder massa gorda e ganhar massa magra (músculo), ajuda a acelerar o metabolismo, dá energia e ajuda a evitar o cansaço e alguns transtornos associados.

A forma mais comum de a consumir é em batido, mas pode ser utilizada em 1001 receitas diferentes (se tiverem por aí alguma daquelas bem boas que merecem ser partilhadas, façam favor!).

Não consumo whey há muito tempo, confesso: desde ouvir falar (que também desconhecia do que se tratava) a experimentar, passaram tempos valentes e só há pouco mais de meio ano é que a integrei no meu regime alimentar. Depois de saber que estou grávida, fiz questão de esclarecer que não seria maléfico e adaptei dentro do que já comia. Por que haveria de excluir uma fonte tão boa de proteína se, ainda por cima, estou numa fase em que preciso tanto dela?

Mas façam o que eu digo, não façam o que eu faço: estou só a tentar desmistificar a whey e quem vos pode ajudar a decidir melhor sobre o seu consumo são os profissionais de saúde que vos acompanham habitualmente, nomeadamente os nutricionistas.

Não se esqueçam que tudo o que é de mais faz mal! O consumo excessivo de proteínas potencia o risco de formação de cálculos renais e doenças cardiovasculares, entre outros problemas. Para além disso, e se o vosso propósito é perder peso, não se esqueçam: as calorias estão lá na mesma e continuam a ter de equilibrar e variar o que ingerem, para além de que não se deve investir numa dieta hiperproteica por longos períodos de tempo nem desvalorizar a prática de exercício físico.

Encomenda Myprotein

Encomenda Myprotein Portugal

Desengane-se quem pensa que só os atletas, desportistas e pessoas que fazem dietas especiais é que procuram determinados tipos de alimentos e suplementos. Pessoalmente, não gosto de restrições nem sacrifícios. Desconfio que ainda não sou uma bola autêntica porque sou niquenta. Não gosto de muitas das comidas que fazem mal (especialmente as que são doces) e que, no geral, são adoradas. Também não sou propriamente adepta de suminhos e saladinhas, nem de coisas light, nem sequer me apanham nas tramas das paleo coisas. Adoro comer, de tudo um pouco.

Durante a gravidez, procuro ter mais cuidado com a minha alimentação mas não abdiquei de nada do que comia antes. Apenas modero quantidades, horários e procuro fazer algumas trocas e substituições em determinados alimentos. Acreditem que não há aqui marosca, até porque tenho algumas restrições na prática de exercício físico e estou mais lontra do que nunca.

Há uns tempos, a Myprotein desafiou-me a experimentar alguns dos seus produtos e eu aceitei. Quando recebi a minha encomenda, mostrei-a no Instagram e fiz questão de experimentar tudo como deve ser para agora poder falar com segurança das minhas escolhas. Preciso de destacar:

  • Fiquei surpreendida por descobrir que a loja disponibiliza muito mais para além dos típicos suplementos para quem pratica desporto. Há uma grande oferta de produtos para quem procura, simplesmente, ter uma alimentação mais saudável;
  • Li tudo o que pude antes de escolher o que quer que fosse, pois quis ter a certeza que se tratavam de produtos de grande qualidade e que não trariam riscos para a minha saúde ou da Teresinha;
  • Ainda assim, caso tenham dúvidas, esclareçam-nas junto da loja e/ou informem-se junto de profissionais de saúde antes de consumir algo que transcende o vosso regime alimentar habitual. Não sou nutricionista e muito menos conheço os vossos estilos de vida ou historial clínico, e com a saúde não se brinca!

Postos estes três pontos, passemos ao que interessa, que são as minhas escolhas:

Whey Protein Isolado de Chocolate

whey chocolate

Antes que perguntem: não há muitos estudos sobre o consumo de whey na gravidez e as opiniões dos profissionais de saúde sobre esta matéria podem variar. A whey é proteína do soro do leite, que sofre alguns processos (para se adequar a diversas finalidades e ter diversos sabores, essencialmente) até chegar a nós. Prometo que em breve sai um post com tudo o que sei sobre whey e como utilizo.

Não faço um consumo regular, mas utilizo em substituição/complemento de outros alimentos nutricionalmente menos interessantes para mim (mais calóricos e absurdamente ricos em hidratos de carbono), como já fazia antes. Neste caso, trata-se de whey isolada, “limpinha”, sem mixórdias, com a melhor relação qualidade/preço do mercado, com óptimo feedback por parte de outros consumidores e de proveniência segura. Há sem sabor, há com uma variedade infinita de sabores e eu escolhi chocolate. Porquê? Porque sou doida por chocolate.

Adorei, satisfaz bem o desejo por chocolate e é fácil de preparar (não cria tantos grumos como produtos semelhantes de outras marcas). Não verifiquei qualquer efeito indesejado, portanto, fui cativada!

Chocolate Quente Proteico

whey chocolate

Mais uma vez, whey. Uma adaptação de achocolatado óptima que é mesmo para ser bebida quente. Já disse que sou doida por chocolate? Um dos meus lanches de eleição é mesmo o chocolate quente, mas não me parece boa política bebê-lo todos os dias na sua forma tradicional. O achocolatado que utilizamos habitualmente é excessivamente açucarado e calórico. Este produto é uma óptima alternativa!

Docinho, pode ser preparado com água a ferver (juro que fica delicioso na mesma) ou leite e sempre é menos mau que a bomba do leite com chocolate tradicional.

Mybar Zero

whey barrinhas chocolate

Sejamos francos: dizer que estas barrinhas proteicas são tão prazerosas de comer como um chocolate ou barra de cereais típica com chocolate, carregada de açúcar, seria mentir. Não é a mesma coisa mas engana bem.

Mais uma vez, escolhi… Chocolate! Imaginem uma barrinha de snack com sabor doce, que efectivamente lembra o chocolate (sem aquela carga intensa habitual) e com textura de caramelo. É isto. Tive de partilhar com várias amigas e é consensual: não são chocolates, mas são bem boas e fazem um jeitaço na mala, para as emergências!

Manteiga de Amendoim

manteiga-amendoim

Na mesma medida que deliro com chocolate, deliro com amendoim. Quanto à manteiga de amendoim, bom, tendo a evitar as que habitualmente encontramos no supermercado. Estão pejadas de componentes desnecessários, são super calóricas e – porquêeeeee? – têm muito açúcar. Não entendo a lógica, sou fã de doces com manteiga de amendoim (há que dizer que raramente está por “diluir” sob estas apresentações), mas dispenso as artificialidades em frasco.

Imaginem agora um balde de 1kg de manteiga de amendoim, só amendoim triturado sem mais nada a 5.99€. Invistam! Já ouvi dizer que há quem estranhe o sabor tão puro do amendoim sem o sal e o doce habituais, mas por aqui foi uma transição maravilhosa. Tem um truque: à temperatura ambiente, pode ficar menos consistente. Para que fique mais “rija”, aconselho que a guardem no frigorífico.

Escusado será dizer que fiquei fã da Myprotein e farei compras por lá, até porque é muito frequente terem promoções bem catita (para juntar aos preços imbatíveis que já têm habitualmente). A título de curiosidade, sabiam que a Myprotein comercializa frutos secos em melhores condições de acondicionamento e a preços mais baixos que os mercados habituais?

Sobremesa docinha e sem açúcar de quark + whey

quarkwhey

Quem diz sobremesa, também diz snack! Falei-vos, muito por alto, das mudanças que tenho feito na minha alimentação, que tenho feito algum exercício e que tenho recebido algumas ajudas. Tenho um longo caminho a percorrer, é certo, mas grandes mudanças requerem grandes adaptações. É melhor fazer as coisas com calma, para correr tudo bem.

Nunca fui muito gulosa por doces, mas agora que tenho tentado implementar mudanças, verifico que até faço mais asneiras do que gostaria de assumir. Não me martirizo muito com esse assunto, mas se posso melhorar alguma coisa (que as comidas gordas e os lanches e jantares fora continuam – sou muito comilona e não abdico de alguns comodismos!), por que não?

Depois de uma grande refeição de alarve, por que não evitar a gordura e o açúcar desnecessários da sobremesa? Não quer dizer que não se coma algo para servir de consolo. Andei a investigar maneiras de utilizar o whey de caramelo que recebi, e resolvi juntá-lo com queijo quark. Podem adquirir o whey na Zumbu, o queijo quark é do Lidl. Olhem, fica uma delícia e é muito fácil de fazer: é só juntar uma porção de whey (neste caso é de caramelo, mas pode ser de outros sabores) com 250g de queijo quark magro e juntar quatro ou cinco colheres de sopa de água, para ganhar uma consistência mais cremosa. E é isto. Sim, é assim tão simples!

Sei que estes alimentos podem suscitar algumas dúvidas, e em breve planeio falar mais e melhor sobre eles. Por isso, se tiverem alguma questão (ou sugestão, se tiverem receitas para partilhar, agradeço muito!), não se inibam e enviem-ma para que possa responder.

Snacks Fora de Casa

zumbu

Dei por mim, no fim das férias, a pensar que pareço uma foca. Digam o que disserem, tenho a perfeita consciência de que não estou pessimamente mal. Estou de bem comigo mesma e com a minha imagem. Mas sei que poderia estar melhor. Sei que poderia ser muito mais saudável!

Não gosto de fundamentalismo, seja este de que ordem for. A nossa passagem por este mundo é curta, pelo que deve ser optimizada. Cada um saberá melhor o que prefere para si próprio. Eu, se puder ser feliz, divertir-me e manter uma boa qualidade de vida – que inclua certos prazeres mas sem descurar a saúde, considero que estou no caminho certo.

Voltando ao meu descontentamento, há cerca de um ano e meio, comecei a mexer-me. Gosto de dar as minhas corriditas, sem grande rigor, que me fazem sentir muito bem. Modifiquei alguns hábitos alimentares. Não como tantas coisas más, e quando as como tento que seja em quantidades menores. Procurei estabelecer algumas rotinas.

O problema é quando temos aquela fome chata entre refeições e a preguiça é grande, sendo mais fácil pegar em snacks gordos que nos saltam à vista nos cafés e supermercados do que investir em lanchinhos saudáveis. Por que hei-de eu fazer sandes quando tenho barrinhas cheias de açúcar prontas a comer? E os batidos, não é tão fácil atirar com natas e chocolates para dentro da misturadora?

É claro que o resultado fica a vista: passado pouco tempo, lá volta a fome. O exercício não rende. A forma não melhora grande coisa. Comecei a ter mais atenção a estes detalhes. Leio rótulos com mais atenção e analiso bem o que cada alimento me fornece. Não sou extremista com esta medida, mas tento evitar certas gorduras e assegurar que tenho o aporte calórico e nutricional de que necessito para o meu estilo de vida. Tive uma ajuda importante: a Zumbu aliou-se ao blog e, para começar, enviou produtos (alguns deles são amostras, mas em bons tamanhos!) que estão a ser úteis neste meu percurso.

Tenho whey de caramelo e barritas de cereais e frutos vermelhos com alto teor de proteína. Gosto de dar preferência aos alimentos na sua forma original, mas como referi atrás, a preguiça impera, por vezes. E dá jeito ter estes elementos facilitadores por perto. Dão imenso jeito para lanches apressados ou imprevistos (gosto de ter estas barritas a jeito na mala). Especialmente se tiver em conta que são deliciosos (docinhos!) e, por isso, não sinto a menor diferença para as barritas habituais ou outros batidos. Se tiverem por aí receitas de sobremesas com whey, agradeço!

Uma coisa é certa: não se metam em dietas malucas e tenham atenção a tudo o que lêem. Reforço que estes snacks não substituem uma alimentação variada e equilibrada e devem ser consumidos, tal como em tudo, com moderação. Têm um elevado teor proteico, que pode ser útil a quem pratica exercício físico e/ou quer uma ajudinha na manutenção do peso, mas tanto o excesso de proteínas como o deficit de hidratos de carbono são prejudiciais para o nosso organismo.

Têm alguma dúvida ou dicas preciosas para dar? Por favor, contem-me tudo!

Contra-notícias

liz taylor classroom
Elizabeth Taylor,18, numa sala de aula na Hollywood’s University High School, no dia da sua formatura. Foto por Peter Stackpole. Hollywood, 19 de Janeiro de 1950

Um dia destes, saltou-me à vista na timeline do Facebook um cabeçalho de um artigo etiquetado como sendo de “outdoor e alimentação saudável” num conhecido site português. O título era Como a musa da Intimissimi perdeu 12 quilos em dois meses. Bonito! Só por aqui, já dava para adivinhar que vinha dali asneira. E veio.

Lê-se uma espécie de entrevista a uma rapariga que mede 1.66m e actualmente pesa 50kg, mas já pesou 62kg e considerava-se gorda. Está no seu legítimo direito. Creio que cada pessoa deve fazer por ficar bem consigo própria. Quem não está bem, deve mudar. Mas há cuidados a ter, e a imprensa deveria ter um papel activo neste processo de consciencialização. A ideia que o texto transmite é que, efectivamente, esta rapariga que mede 1.66m era gorda quando pesava 62kg, o que estava longe de ser verdade.

Há noções elementares quando se realiza uma entrevista, e uma delas é a imparcialidade. Isto aprende-se na escola. Era o mínimo que se pedia, já que o texto não tem, de todo, ponta por onde se possa pegar. Nesta entrevista, há julgamentos por todo o lado. Desde a primeira à última questão: “ganhou 12 quilos, sem ter muita noção”, “quando e como é que caiu em si?”, “os seus amigos e pais não a chamavam à atenção?” (adoro a formulação desta última questão, a sério).

As respostas que surgem de seguida são típicas de uma pessoa desinformada e nem deveriam ser transmitidas em modo de incentivo a que outras pessoas sigam o mesmo exemplo. No final da entrevista, lá surge um parênteses a desencorajar outras pessoas de seguirem o mesmo caminho, por parte da entrevistada. Mas no geral, é isto que temos: maus hábitos alimentares, dietas drásticas e nada aconselháveis, muitas falácias. A entrevistadora ainda pergunta à modelo se “tem orgulho e gosta de ser saudável”. Perder 12 quilos em 2 meses (recorrendo a uma alimentação que não se aconselha a ninguém) é ser saudável?

Ser saudável é aceitar-se sem cair em extremos, é comer de forma variada e dar ao nosso organismo toda a nutrição de que necessita (sim, isso inclui a ingestão de hidratos de carbono!), é praticar exercício físico, é conviver, é ser feliz, é não ter de ouvir, sequer, insinuações alheias e muito menos ter de dar satisfações por sermos assim ou assado.

Muito sinceramente, preocupa-me que o maldito artigo tenha potencial para chegar a tanta gente e que, infelizmente, possa causar transtornos a quem não vai, sequer, questionar o que leu. Não sei como esperam que se mudem mentalidades e que se acabe com problemas graves como os distúrbios alimentares e toda uma panóplia de doenças mentais associadas quando nos espetam com pérolas literárias destas no ecrã.

Muito se fala da autoestima e da autoimagem, muito se promove a aceitação da diferença, mas estamos em 2015 e ainda se permite que haja conteúdos perigosos em destaque sem que haja uma chamada de atenção. Por favor, tenham muito cuidado com a informação que vos é oferecida e não se deixem influenciar por tolices!

Haja Força

frases motivação desporto exercício físico dieta emagrecimento

Não só de vontade, mas também da outra.

Isto de querer ser uma pessoa mais saudável e activa tem muito que se lhe diga.

Decidi que queria correr.

Há muito tempo, há tempo de mais. É muito motivante ver as conquistas alheias, autênticos cachalotes humanos que se transformam em sereias, estados de saúde que melhoram drasticamente com a prática regular de exercício físico… É comovente ver o que se consegue com a determinação, e se os outros conseguem, que me falta a mim?

Tinha os recursos mínimos para embarcar nesta mudança fantástica de estilo de vida: não foi preciso gastar em apetrechos nem ginásios, que quaisquer ténis bastam e o país é rico em espaços minimamente compostos para a prática de exercícios exteriores, para além de que o melhor é aproveitar a juventude, quando as engenhocas do nosso corpo ainda funcionam em pleno, para apostar neste investimento a longo prazo.

Daí à prática, bom, faltava não sei o quê.

Só ontem é que me deu a tal pancada que é preciso para começar.

Não sei se foi a avalanche de vídeos de mudanças radicais com que me tenho deparado ultimamente, se os regimes alimentares interessantes (ou não) que tenho conhecido, se o facto de ter de me deslocar rapidamente a um local e não ter a menor paciência para esperar por autocarros que àquela hora eram coisa escassa pela zona. Quando dei por mim, estava de ténis calçados e com trajes pouco apelativos mas propícios à prática desportiva. E lá fui eu.

Ao princípio, mesmo, mesmo, ao princípio, pareceu fácil de mais.

Ena ‘pá, ainda sei correr, olhem para mim a ir vila abaixo de tal forma que até o Bolt ficaria invejoso. Nem dois minutos depois, achei que ia cair para o lado. Não foi um bom começo. Estou tão enferrujada, tão podre, que não consigo correr, seja a que velocidade for, por muito mais de um minuto.

Ok, vamos mudar de estratégia. Levava comigo o mp3, e decidi que ia correr música sim, música não. Missão falhada, pois claro, que os timings tramaram-me logo à partida. Eu não sou pessoa de desistir facilmente, mas tenho de reconhecer alguns limites, estabelecer prioridades e decidir o que é ou não razoável.

Por ora, pareceu-me sensato não abusar nem ficar desiludida. Consegui fazer 2,5km em menos de meia hora, entre corrida e caminhada. Não foi muito, mas foi muito mais do que o habitual para mim nos últimos anos. Senti-me toda partidinha, e pensei cá para mim que se me desse o piripaque, estava no sítio certo (visto que, por acaso, o meu destino era um estabelecimento de saúde).

frases motivação desporto exercício físico dieta emagrecimento

Mandem-me andar, que eu ando durante muito tempo sem me queixar.

Correr, correr é outra história! Pareço uma pata-choca e nunca gostei deste tipo de actividades, sempre fui a pior aluna a Educação Física, mas a verdade é que sinto certa falta delas. A idade não perdoa, e já lá vão cinco anos desde que terminei essas miseráveis aulas. Não quero envelhecer a lamentar-me pelos maus hábitos que fui adoptando e pelas suas consequências na minha saúde, e é agora que tenho de intervir por um futuro melhor.

Posso não fazer grandes proezas do exercício, mas com certeza melhorarei e farei sempre mais do que na vez anterior. Não tenho grandes ambições no que toca aos objectivos porque, tal como disse, o que importa é mudar para melhor e fazer mais do que ontem. Se isto servir para mandar uns quilos ao ar (não mais que cinco), também não me queixo.

Assim sendo, apesar da sensação de tortura, vou continuar a exercitar este corpinho de lontra que fui alimentando ao longo dos tempos. Fiquei com vontade de fazer mais, e preciso muito. Sinto que hoje até vou dormir melhor, e com menos stress. E, já sabem, vou partilhando por aqui o que achar relevante.

Se tiverem por aí dicas úteis ou se passaram pelo mesmo, gostava muito de ouvir o que têm para me dizer sobre o assunto. Se estão por aí parad@s e à espera que as galinhas ganhem dentes para mudar de vida, desafio-vos a vestirem roupa confortável, calçar os ténis e ir para a rua correr. Sem grandes expectativas.

Se vos apetecer ir agora, vão agora. Se for às cinco da manhã, vão na mesma. Vão, simplesmente, vão andando e correndo, que os passos de hoje transformam-se em quilómetros amanhã e mesmo que façam pouca coisa, vão ver que no fim é gratificante.

Nike Kinect Training – Xbox 360

ootd look do dia lotd kinect xbox 360 nike outfit

Ou a Guida foi apanhar uma sova à Microsoft.

Acho que tenho de ir investigar que aulas de ginástica é que o Centro de Dia aqui da minha zona tem destinadas à terceira idade, porque no estado em que estou parece-me que só nessas sessões é que me safo.

A convite da Microsoft, na semana passada fui conhecer o jogo Nike Kinect Training para a Xbox 360.

A ideia era passar um momento descontraído a experimentar os exercícios, mas ao fim de 2 minutos a mexer-me eu estava KO.

Não faz mal, alguém tem de ficar de fora a tirar fotografias (que havia mais pessoas) e eu assumi boa parte desse enooorme sacrifício.

ootd look do dia lotd kinect xbox 360 nike outfit

Nunca tinha prestado grande atenção ao Kinect porque apesar de saber que não há comandos necessários e que o sensor detecta os nossos movimentos, pensei que podia fazer batota como na Wii e assim tudo perdia a piada.

Senti no corpo o meu erro. Ó se senti!

O lado positivo disto é que fiquei a saber que ainda há maneira de estar entretida a mexer o meu rabo gordo em prol de um estilo de vida mais saudável sem estar sujeita a figuras tristes aos olhos de terceiros.

Atrevo-me a dizer que o pijama e os pantufos passam a ser vestuário mais do que adequado para as tarefas dos treinos físicos.

ootd look do dia lotd kinect xbox 360 nike outfit

O jogo foi criado em parceria com a Nike e tudo foi pensado ao detalhe:

  • Existem dois personal trainers da marca, o Alex e a Mary, que foram colocados no Kinect Training e logo à partida temos de escolher um deles para nos acompanhar ao longo das nossas sessões de exercício.
  • É feito um teste inicial com dados como a nossa altura e peso, regularidade com que praticamos exercício e quais são os nossos objectivos.
  • Depois, criamos um compromisso quanto à regularidade dos treinos.
  • Há exercícios para todos os gostos (força, cardio), com graus de dificuldade diferentes e com vários tempos de duração.

Nós escolhemos um treino de 15 minutos que mais pareceu uma eternidade e cada pessoa do grupo teve a sua oportunidade de tomar o lugar principal em frente ao Kinect (porque em casa é suposto treinarmos individualmente!).

A nossa PT foi a Mary e, olhem, ela é uma chata que nos dá nas orelhas se não fazemos tudo como deve ser. Esqueçam a batota!

ootd look do dia lotd kinect xbox 360 nike outfit

No final, tivemos direito ao merecido (ou não, que para a meia dúzia de calorias queimadas fomos logo à lambonice) lanche e um bom momento de conversa.

Eu que não gosto de desporto e sou a maior lontra de sofá fiquei com vontade de trazer a Xbox 360 e o Kinect comigo para poder jogar o Nike Kinect Training à vontade. Entre outra jogatana!

Calçado – Ninguém gosta, todos têm

Volta e meia, saímos à rua e vemos toda a gente com calçado pouco elegante e pensamos cá para nós que nunca calçaríamos coisas iguais.

Ora, se os sapatos são feios, tem de haver um motivo pelo qual agradam a gregos e troianos.

Creio que não se trata de serem meramente tendências que as pessoas seguem, tem de haver um motivo mais forte. A meu ver, trata-se de conforto e bem-estar. É isso que os distingue no grande mundo do calçado e que lhes confere tanto sucesso.

De que falo eu?

botas pantufa uggJá que estamos no Inverno, sinto-me obrigada a começar com as botas pantufa, vulgarmente conhecidas por Ugg.

  • Esta é certamente a marca que disseminou as pantufas por tudo o que é sítio, graças à Kate Moss.
  • Encontram-nas de todos os preços e não sei esclarecer se realmente existe uma diferença grande que justifique fazer um investimento mais elevado.
  • Acho que não teria coragem de sair de casa com umas pantufas, mas o facto é que são mesmo quentinhas e confortáveis, para além de conseguir encaixar quaisquer calças (de pijama, no meu caso) no cano.
  • Como sabem, nem sempre é fácil manter as calças encaixadas no cano das botas.

O meu segundo grande desgosto no que concerne ao calçado é relativo aos Crocs.

  • Sim, as belas das socas/chinelas de peixeira/hospital que toda a gente faz questão de calçar no verão. São feios que dói!
  • Felizmente, tive a oportunidade de ficar com um par e compreendo agora o por quê de as pessoas os calçarem mesmo assumindo que não são bonitos.
  • É que andar com eles garante quase que andamos sobre ar. Não sei explicar! São tão confortáveis, tão amigos do andar, ainda por cima têm o bónus de serem fáceis de limpar…
  • Ah, sobre Crocs tenho uma coisa engraçada para contar. A sensação de calçar uns genéricos ou Crocs originais é totalmente diferente.
  • O material dos que encontramos em lojas chinesas e afins é muito mais rijo e, pasmem-se, encolhe com o calor! Juro que vi acontecer. Mas encolhem uns valentes 5 números, não é brincadeira!

Não podia deixar de referir os chinelos Birkenstock.

  • Quaisquer uns. Imagino perfeitamente os camones todos com isto calçado, independentemente de ficar bem com a roupa que vestem ou não.
  • É claro que tem um motivo! Bem sabemos que quem está em viagem pode ter de andar imenso, pelo que há que optar por algo confortável e que ao mesmo tempo não faça os pés derreterem no Verão.
  • Birkenstock! Andamos, andamos, andamos, andamos… E os sapatos e os pés continuam em bom estado.

Para terminar, que dizem dos Shape Ups, MBT e afins?

  • Bem vos disse que estava a pensar em adquirir uns apesar de não estar bem a ver onde vou arranjar coragem para sair à rua com eles.
  • No entanto, há testes feitos (com os MBT) que comprovam os bons resultados e que lhes conferem a categoria de dispositivo médico de classe I.
  • Bem-estar, exercício e correcção postural num só par de sapatos? Acho que valem  a pena, mesmo que não sejam muito bonitos.

Felizmente, estas marcas já começaram a criar modelos de igual qualidade mas muito mais agradáveis à vista.