Etiqueta: Collants

Segreta – Collants 5 Estrelas

Collants Segreta Meias Compressão

Como o prometido é de vidro, perdão, devido, siga um complemento à questão da prevenção do edema dos membros inferiores. Tinha-vos falado da utilização de meias compressivas enquanto medida muito eficaz, na minha opinião, e está na hora de falar melhor da minha experiência.

Deixem-me que vos diga que, durante muito tempo, não tratei as minhas pernas como deve ser. Quem tem profissões ou realiza estágios em que se passa muito tempo de pé, sabe bem como estão as pernas no final do dia. Pesadas, inchadas, por vezes dolorosas e, em casos mais extremos (acontecia-me muito após turnos de noite!) até é difícil voltar a caber nas calças. Negligenciei o problema, fiquei com alguns pequenos derrames e ignorei a existência das meias de compressão. Porquê? Porque eram feias e desconfortáveis. Apertavam de mais, pareciam redes de pesca microscópicas, provocavam calor e passado dois ou três dias seguidos a usá-las começava a ficar com algumas irritações cutâneas. Creio que me foi aconselhado um produto desadequado para o que pretendia, e o facto é que acabei por nem sequer lhe dar o uso devido.

Collants Segreta Meias Compressão
Malha das meias e collants Segreta. Nada com ar de “pós-operatório”!

Mais recentemente, comecei a ouvir falar da Segreta, uma marca italiana de meias e collants compressivos. Falaram-me de como as meias deles não tinham nada a ver com a típica meia de compressão que associamos ao pós-operatório ou doenças venosas. Disseram-me que tinham um aspecto de collants normais, havendo modelos e cores (com grande incidência nos tons neutros e creio que nesta matéria quase dava para viver só de meias pretas e transparentes) para todos os gostos e exigências no que toca à prevenção do edema dos membros inferiores. Até meias para homem a Segreta disponibiliza!

Collants Segreta Maman Meias Compressão
Detalhe do modelo Maman, feito para proporcionar o maior conforto durante a gravidez.

Quando comecei a sentir as pernas mais inchadas durante a gravidez, soube que estava na hora de descobrir se era verdade o que se apregoava sobre as meias Segreta, tratei de me informar e muni-me de alguns modelos para experimentar. É possível consultar o catálogo online. Algumas das minhas escolhas servirão para mais tarde (já que se tornam desconfortáveis na barriga), mas as linhas Maman e Stay Up (estas últimas são como as meias ligas normais, até ao meio da coxa) têm sido as minhas melhores amigas. Eis o que tenho a dizer sobre elas:

  • Sim, é um bocadinho chato vesti-las logo pela manhã porque exigem um pouco mais de tempo e esforço que vestir meias normais. Só assim é que é possível deixar tudo esticadinho, direitinho e no sítio.
  • São muito, mas mesmo muito mais resistente que collants normais, embora tenham um aspecto muito semelhante quando vestidos. Esqueçam as malhas puxadas, que com estas meias não acontecem.
  • Não provocam calor nas pernas, pelo que até podem vesti-las por baixo de calças sem quaisquer problemas.
  • O conforto que proporcionam é impagável! Já não sabia o que era chegar ao fim do dia com as pernas impecáveis, sem parecerem autênticos salpicões, há algum tempo. Da mesma forma, sinto que também tolero melhor os longos períodos de pé, quando acontecem.
  • Dilemas entre modelos: por um lado, adoro o resguardo que as Maman dão à barriga. Fica tudo aninhadinho, sem pressão, e eu gosto. Ainda assim, se passar muito tempo sentada, começo a sentir a pressão da malha contra a pele nas nádegas e eu gosto de me esquecer que estou a usar collants. Então, também sou uma grande fã das Stay Up.

Dentro das diversas linhas disponíveis, existem várias classes de compressão: a 70 (11/14mmHg), a 140 (18/22mmHg) e 280 (23/27mmHg – para quem já tem um problema mais exacerbado instalado). À excepção de um modelito de outra linha que não as mencionadas acima, as minhas escolhas recaem sempre em modelos de compressão 140. Escolher os tamanhos é fácil a partir do catálogo, já que vem tudo explicadinho. A lavagem é do mais simples que há, sendo que o mais adequado é lavar à mão.

É preciso ter atenção na hora de vestir: convém que seja logo ao acordar, ou após um bom período com os membros inferiores elevados, para prevenir a retenção de líquidos. Caso contrário, se já temos as pernas edemaciadas, vestir meias compressivas não só não ajuda como pode agravar o problema.

Por fim, onde é que se pode encontrar Segreta à venda? Em farmácias e estabelecimentos semelhantes, embora também já tenha visto em lojas online.

Se eu tivesse a oportunidade de vos oferecer alguns pares, gostavam?

Gravidez 101 – Edema

peixe balão

Falemos sobre coisas sérias e chatas, que na gravidez nem tudo é um mar de rosas. Sem dúvida que é uma fase linda, mas também tem os seus inconvenientes. Bem que se ouve falar deles, mas nunca lhes damos valor até os sentirmos na pele. Hoje é dia de falar sobre o edema, que é o nome correcto daquilo a que vulgarmente chamamos inchaço.

Não é um problema exclusivo das grávidas, mas durante a gestação é mais frequente terminarmos o dia com as pernas e os pés mais inchados, desconfortáveis e por vezes dolorosos. Nalgumas situações, o edema é generalizado. Há motivos para que isto aconteça: durante a gravidez, há uma maior produção de fluidos para que o corpo se possa preparar para o bebé que se está a desenvolver. Assim sendo, é mais fácil que estes fluidos se acumulem mais facilmente nos tecidos, em especial nas extremidades. Isto faz, também, com que os factores que já ajudavam a desencadear o edema (calor, esforço físico em demasia ou permanecer muito tempo de pé/sentada, excesso de sal, cafeína) o façam ainda com mais facilidade.

edema

Ser frequente não significa que é bom nem que devemos ignorar, já que se é desconfortável é um problema (o nosso corpo é bom a comunicar!) e, a longo prazo, o edema pode trazer muitas complicações. Nalgumas situações é, aliás, uma consequência de problemas graves (quando é muito repentino ou exacerbado, quando se manifesta apenas numa perna e eventualmente até é doloroso, é aconselhável procurar ajuda médica com alguma urgência!). Já todas ouviram falar das inestéticas, dolorosas e perigosas varizes, certo? Não queremos que aconteçam connosco, portanto mais vale prevenir do que remediar. Eis algumas medidas que podem ajudar a diminuir o edema dos membros inferiores durante a gestação:

  • Hidratação! Não se esqueçam de assegurar que estão a beber água suficiente, cerca de 2l por dia.
  • Massagem dos pés e das pernas. É muito simples e não se metam em aventuras: quando aplicarem o hidratante depois do banho ou, caso prefiram, um gel refrescante, exerçam alguma pressão em direcção ascendente, dos pés para o cimo da perna. Querem melhor? Peçam aos vossos companheiros que vos façam a massagem.
  • Evitem permanecer paradas de pé muito tempo, ou sentadas. Invistam em caminhadas! O movimento ajuda a promover a circulação e evitar a estase de fluidos nos tecidos.
  • Utilizem calçado confortável. Já falei deste assunto aqui. Evitem, também, as roupas demasiado justas/apertadas.
  • Repousem com as pernas ligeiramente elevadas, para facilitar o retorno venoso.
  • Minimizem o consumo de sal e cafeína.
  • Não tomem medicação sem prescrição médica, por inofensiva que pareça.
  • Se possível, utilizem meias de compressão. Contrariamente ao que possam imaginar, hoje em dia há modelos que se confundem com as meias e collants habituais e que em nada se assemelham ao estereótipo das meias à velhota, muito frequentes no pós-operatório e em situações de doença venosa. É o exemplo da Segreta, que tem uma gama bastante ampla de meias compressivas para todos os gostos e até tem a linha Maman para as grávidas, com costuras especiais que não aplicam qualquer desconforto sobre a barriga.

Quanto a este último ponto, garanto-vos, faz uma diferença enorme nas pernas! Irei dedicar-lhe um post. Se é chato perder coisa de 5 minutos a vestir uns collants? É, mas compensa pelo conforto que ganhamos ao longo do dia, e olhem que a diferença no volume é enorme à vista, mesmo de relance.

Portanto, que o post já vai longe: protejam as vossas pernas e a vossa saúde!

Mantenham-se atentas, que logo falo melhor sobre as meias de compressão, que são tão nossas amigas mas toda a gente desconfia delas. Se tiverem alguma dúvida ou sugestão sobre o tema do post, por favor, entrem em contacto.

Fatiota da noite

2013

Perdoem a falta de glamour, que isto do frio nas Beiras é coisa para uma pessoa evitar vestidos, sapatos e afins. Esqueci-me que a casa do meu reveillon tem aquecimento central, de tal forma que a última noite de 2012 e a entrada em 2013 foi feita assim: com roupa que podia perfeitamente vestir no dia-a-dia. Na minha terra, o melhor é ficar por aqui.

Muito sinceramente, digam-me: fui muito mal ou é perdoável?

Espero que a vossa passagem de ano tenha sido tão boa quanto a minha!

Sweater – Ebay
Saia – Stryiah
Collants – Calzedonia
Botas – StylistClick

Já Vos Disse que Detesto Meias de Vidro?

É que detesto mesmo! É inegável que fazem um pernão bem jeitoso e que deixam tudo no sítio. Mas, falo por mim, são incómodas, são mesmo bastante desconfortáveis. Depois, são extremamente frágeis e não podem tocar em nada (e não me venham com a história dos truques e das lacas, porque não funcionam!) que ficam logo todas esburacadas. Como se não bastasse, são frias para o Inverno e quentes para o Verão.

Por isso, é raro usá-las. Para além de não ser algo sustentável, não me parece que façam uma diferença assim tão grande nas minhas pernas: ainda vão estando no sítio e não são muito brancas.

As meias de vidro são tipo apêndice inflamado! Meias? Ou são meias a sério, ou não vale a pena.

TRANSLATION

Have I told you I hate pantyhose?

I really hate them! I can’t say they don’t make our legs look better, it’s true. But, well, at least for me, they’re not comfortable. And they’re really fragile and you can’t touch them with anything (oh really, don’t tell me about tricks and hairsprays, they don’t work!) because they’ll immediately have more holes than a watering can. As if it wasn’t enough, they’re too cold for Winter and too hot for Summer.

And that’s why I rarely use them. It’s not sustainable and I don’t think they really make the difference about my legs: I think my legs are ok and look good, and they’re not white as walls.

Pantyhose are like infected appendixes! Socks or anything from that family? If they don’t do their work, why wearing them?

Esticar Cabelos como no Antigamente

No tempo dos nossos avós não havia acesso aos secadores (em muitos casos nem sequer havia electricidade em casa) nem aos ferros de alisar. Hoje temos tudo ao nosso alcance e em menos de três tempos conseguimos ter o cabelo tão esticado como uma nipónica. No entanto, sempre abominei secadores, não só porque adoro o meu cabelo encaracolado (de vez em quando gosto de o esticar para desenjoar) mas também porque o calor excessivo estraga o nosso cabelo de uma maneira irremediável. Meninas dos ferros de alisar, tenho razão ou não?

Face à dificuldade que as pessoas de cabeleira rebelde apresentavam em ter cabelos lisinhos, os nossos tios, avós e familiares mais velhos tiveram que descobrir uma solução satisfatória. E eu garanto que funciona!

Querem experimentar? Utilizem umas meias de vidro ou mousse velhas. Se forem collants, um tanto melhor, basta que cortem à medida de uma meia. Dêem um nó na ponta da vossa meia. Depois, penteiem o cabelo muito esticadinho (não é necessário, mas podem usar um creme de pentear) e apanhem-no, enrolando à volta da cabeça. Quanto menos jeitos derem ao cabelo, melhor. Assim que tiverem o cabelo todo apanhadinho, enfiem a meia na cabeça. Convém que durmam com ela, mas se não puder ser, deixem-na estar por pelo menos duas horas.

Como é lógico, e dependendo do grau de ondulação e do vosso tipo de cabelo, este método não vos vai dar o mesmo resultado que um brushing. Mas posso dizer que o meu cabelo fica muito menos ondulado, quase liso! Para completar, dá sempre para usar um ferro de alisar. Neste caso, será muito menos agressivo pois não tem que ficar tanto tempo em contacto com o cabelo.

Vamos lá poupar a electricidade e os nossos cabelos!