The Break Up

Há dias, recebi o email de uma leitora a propor que escrevesse um post sobre etiqueta com ex-namorados, para uma pessoa que lhe é próxima e querida e que está a atravessar uma fase bicuda (ai, saudades do meu tempo de Secundário…).

Não sou especialista no assunto (ufa!), mas sei qualquer coisinha para poder dar a minha opinião. No entanto, como nem sempre a nossa visão da história é a mesma que a dos moços, decidi pedir ajuda ao meu namorado para dar uma achega ao post.

  • Em primeiro lugar, e relativamente aos tempos. Não sei que relevância lhes dá ou se acredita que até podem dar bons resultados. Para mim, quem gosta a sério não precisa de tempo. Por isso, se o seu amor lhe pedir um tempo… É porque não quer ser mais o seu amor! Os tempos só servem para enganar uma das partes na medida em que se espera que, com a distância, esta se desapegue de nós.

Palavra de homem: Sem dúvida, se um rapaz pede um tempo, pode esquecer. E se por algum motivo ele quiser voltar foi porque os planos que tinha em mente (provavelmente havia outra lady na mira) não deram certo.

  • Namoro terminado, nada de andar a atazanar o juízo do ex, com mensagens/telefonemas/emails, seja o que for a dizer o quanto o ama e que está farta de choramingar. É que, por esta hora, não há nada mais ridículo do que se rebaixar ainda mais. Para ele, nem sequer interessa se existe ou não, e quanto mais distância… Melhor!

Palavra de homem: Quantas mais mensagens/telefonemas/emails enviar, mais lhe alimenta o ego e mais oportunidades lhe dá para gozar com a sua cara.

  • Posto o ponto acima, é lógico que também não vale a pena criarem intenções de continuarem bons amigos de imediato. Até pode ser possível um dia mais tarde (é possível!), mas no fim de um namoro ainda está tudo muito quente para que consigam sequer relacionar-se. Nesta altura, o melhor é mesmo desligar as antenas.

Palavra de homem: Se ele quiser afastar-se é porque se sente incomodado por estar ao pé de si não sendo namorado e muito provavelmente ainda não ultrapassou tudo o que se passou no relacionamento.

  • Se, por acaso, até saiu do namoro com um bom relacionamento amigável, há que saber perceber que não vale a pena continuar a imaginar um conto de fadas nas vossas cabeças. Isto é, não vale a pena ter esperanças, até porque se insistir há duas hipóteses: continua a ser as boba da festa porque o seu ex sabe que pode fazer de si gato-sapato – e aí, amiga, vai doer mais!, ou ele até tinha muito boas intenções e queria mesmo manter uma amizade mas assim só conseguiu enxotá-lo.

Palavra de homem: Se o rapaz em questão não se importar de ficar seu amigo significa que estar perto de si não o incomoda, logo há poucas possibilidades de ainda gostar de si.

  • Procure transmitir que está bem, feliz e contente, bem acompanhada. Saia com as amigas, faça passeios, divirta-se. Tente ignorar o ex-namorado. Até a imagem de exibição do messenger diz muito, por isso toca a escolher fotos de momentos alegres com as amigas.

Palavra de homem: O melhor é não mas tratar o ex como qualquer outro rapaz com quem fala normalmente, senão pode correr o risco de dar a entender que ele ainda a afecta.

  • No entanto, não se meta noutro relacionamento nem invente histórias só para provocar ciumite, porque para além do seu ex estar nas tintas para o que você faz ou com quem você anda, só vai transmitir fraqueza. Esta atitude só alimenta o ego do lorde, que se vai julgar bastante importante com toda a sua vida a girar em torno dele e condicionada por ele.

Palavra de homem: Principalmente se ele já tiver uma nova namorada, estas cenas não vão funcionar.

  • Se a sua vida andou para a frente e encontrou alguém que merece todo o seu amor, lembre-se: nunca, jamais, faça comparações entre ele e o ex.

Palavra de homem: Este é um ponto muito importante, não falar de ex-namorados sem o actual namorado perguntar! Fale só do estritamente necessário.

  • Mesmo que, um dia mais tarde, volte a reencontrar o seu ex-namorado e até se dêem muito bem e sentimentos do passado venham à tona, não se esqueça dos motivos pelos quais terminaram e que, por esse mesmo motivo, as probabilidades de vir a dar certo desta vez são muito reduzidas. Não querendo generalizar, muitas destas reaproximações acontecem por desespero da parte dele. Mesmo que lhe diga que ainda tem os seus presentes/cartas, que pensa em si, que tem saudades suas, pense: tretas.

Palavra de homem: Se não funcionou à primeira não, vai funcionar à segunda nem por aí fora.

Sexo fraco? Nunca na vida o seremos!

12 comments on “Quando o Bem Bom Acaba – Algumas Regras do Fim da Relação

  1. Cláudia, quando eu estava a escrever o post estava cá a pensar com os meus botões que a pessoa ideal para o escrever eras tu!

    Fico mais aliviada por saber que nem me saí assim tão mal, ufa! 🙂

    Beijinho

  2. Olá Joana (para mim, é difícil chamar-te Guida…)
    Fico estupefacta pela maturidade revelada no post! Sim senhora, minha menina, tens futuro nesta área! LOL!

    Bjinhos e aparece

  3. És um espectáculo!!!!!


    Tentar explicar a uma miúda de 15 anos que não se deve rebaixar e andar atrás de quem não a quer, não é tão simples como pode parecer num primeiro momento.

     

    Ganhaste uma fiel seguidora!

  4. relativamente ao último ponto nota-se que é dito com alguém com pouca experiência – isto porque conheço muitas segundas histórias felizes. Não ter funcionado à primeira não significa que não funcione à segunda. Passado algum tempo, as pessoas crescem, ficam mais maduras, mais tolerantes, com mais certezas do que querem, e isso pode ser o suficiente para funcionar.
    E não esquecer os motivos pelos quais se acabou da primeira vez, é um pouco controverso, ou pelo menos não deve ser tão literal. Sim, no início deve ser bem ponderado, mas depois de ponderado se se decidir avançar, então deve se esquecer porque relembra-lo não nos vai fazer seguir em frente na relação, não vai deixá-la amadurecer nem seguir por outros caminhos.
    Relativamente aos outros pontos, parece-me mui bien!

  5. Guidita não pude deixar de comentar este post, boas dicas claro como sempre (es a maior :P) mas lá está depende de pessoa para pessoa etc. Apesar de estar há 6 anos com o meu namorado ( e ultrapassadas as diferenças de altura que tu bem es testemunha :P) ainda me ficam na memoria algumas coisas más com o meu ex, e se o meu namorado tem alguma atitude semelhante isso ainda tem uma repercusão mais negativa, mas pronto isso deve-se a má experiência que tive claro, que digamos foi um pouco traumatizante… Acho que por mais conselhos que nos dêm em certas alturas pouco adiantam, pois a cegueira é tal… Bom vou partilhar o que fiz (o meu ex acabava dps keria voltar etc e eu caia spr) então tive de cortar o mal pela raiz, então apaguei nº telefone blokiei do msn cortei completamente relações, arranjei namorado em coisa de 1 mes e meio mas nem foi de propósito, aconteceu por isso se conhecerem alguém borrifem se para julgamentos alheios ou borrifem se para o medo de não dar certo, mas atenção não procurem alguém so para esquecer o anterior isso não resulta, e caso se metam numa relação tenham a certeza de não haverem sentimentos pelo ex. Em relação a não falar no ex, bom eu contei logo tudo ao meu actual namorado, sei que é dificil mas achei que ele como meu amigo além de namorado teria de ter conhecimento o que passei etc p nao achar estranhas certas atitudes, por isso lá esta varia muito de pessoa para pessoa…
    bjs

  6. Linda tens mesmo razão e não vai adiantar de nada eu sei porque passei por isso com 16 e ele acabava dps queria voltar ate k claro fartei-me e pimba cortei relações por completo, mas olha não adianta dizeres nada a ela, eu também recebia concelhos etc, ela e que tem de ver sozinha se não não adianta 

Deixar uma resposta