199369_1200_A

… Posso ir com um vestido assim. A sério. Não, não estou a brincar. Não fiquei sem juízo. Se alguém tem falta de juízo no que toca aos gastos feitos com casamentos não sou eu, com toda a certeza. Já que estamos em mês de noivas, falemos delas.

Boa parte do endividamento de muito boa gente neste país poderia ter sido evitado, não fossem os casamentos e os funerais.

Não concebo a ideia de vestir o que quer que seja apenas uma vez na vida. Se estivermos a falar de peças de roupa que são mais ou menos caras, o panorama piora.

Oiço tantas vezes o argumento de que o casamento é um evento único na vida de uma pessoa que cada vez mais me convenço que as pessoas têm a perspectiva errada. Precisamente por ser um evento único, será que dá para justificar os rios de dinheiro que a maior parte das pessoas investe? Eu cá ficaria mais feliz por ter uma festa humilde onde cada um dá o que pode sem ter de se comprometer em nome de uma sociedade que vive de aparências.

Se isso servisse de pretexto para comprar um conjunto todo catita que pudesse voltar a utilizar mais tarde, de forma completamente diferente, melhor ainda! Quero lá saber de véus, tiaras, e saias gigantes e incómodas. Penso que casava bem com um vestido como o da imagem. Se mo quiserem oferecer, é da Morgan. Só não consigo prometer guardá-lo por não sei quantos anos, se é que algum dia caso.

E vocês, digam-me: poupar ou esbanjar em casamentos? Como foram os casamentos mais originais/divertidos que já presenciaram?

10 comments on “”

  1. Não podia concordar mais. O argumento do “evento único” é embaraçoso de um modo geral, e principalmente porque não vivemos numa época que nos permite desprezar orçamentos. Eu casei com um vestido tipo cocktail, rosa pálido com um pequeno efeito de brilho. Lindo. Comprado numa dessas lojecas. E porque não? Porque há-de um preço baixo diminuir a beleza de uma peça? Não consigo entender estas cabecinhas.

    • Eu estou fartinha de dizer às pessoas amigas e familiares que, se algum dia casar, quero uma festa (qual cerimónia, qual quê!) apenas com as pessoas mais importantes e quero algo que seja divertido, agrade a toda a gente, e não dê cabo do orçamento de ninguém. Venha o churrasco eheh

      Beijinhos

  2. eu concordo contigo! acho absolutamente ridículo dar milhares de euros por um vestido que só vamos usar durante umas horas! tudo bem que eles são muito lindos, encantadores, irresistíveis e tudo mais, mas depois desse dia passam a ser inúteis – a menos que se queira fazer uma sessão fotográfia Trash The Dress o que, na minha opinião, é ainda mais ridículo.
    Mas adiante: quando for eu, não vou querer um vestido banal que possa usar noutros dias, por isso já pensei num bom meio termo: alugar um vestido de noiva.
    beijinhos *
    eighteen and a life

    • Alugar é uma boa opção, mas tenho cá as minhas reticências. Será que fica, mesmo, mesmo à nossa medida? Ok, é alugado, mas isso pode significar que continua a ser dispendioso. Será que não é melhor investir num vestido que, mesmo sendo caro, é nosso e dá para utilizar noutras ocasiões? E, sendo um dia inesquecível, será que conseguia abstrair-me do facto de, eventualmente aquele vestido já ter sido utilizado por umas quantas pessoas desconhecidas?

      Beijinhos

    • Wooow, que gira que foste! Que fotos bonitas! O vestido encosta a um canto todos os vestidos de noiva que estamos habituada a ver: brancos, pouco práticos e quase todos iguais. Beijinhos

  3. Ainda não fui a um único casamento, e também não me lembro de alguma vez sonhar com o enorme vestido branco. Quando e se casar, que seja com alguém que ame e me faça feliz! Tenho a certeza de que, quando recordar esse dia, a última coisa de que me vou lembrar é o que tinha a tapar o corpo. Resumindo, concordo 🙂

    • Dos que fui, em termos de cerimónia/festa, acho que há coisas mais interessantes para fazer na vida. Sinceramente, não perdes grande coisa xD No último, lembro-me de comentarem imenso o dinheiro que foi gasto com o vestido da noiva e com o fato do noivo e… Valha-me Deus! Não sei o que é que achei pior: o dinheiro desperdiçado ou o facto de haver quem divulgue estes detalhes. Não se preocupem, que comigo não hão-de ter despesas dessas. Para o bem e para o mal 😀

Deixar uma resposta