vestidos

1. Brigitte Bardot | 2. Cream | 3. Cream | 4. Derhy | 5. Derhy

Mas se mos quiserem oferecer todos, também não digo que não. Eu deveria ser proibida de ver lojas, porque depois quero tudo, e é uma angústia andar a matutar em coisas bonitas que não vou ter porque, em boa verdade, não me fazem falta. Acho que um dos vestidos da Derhy ainda há-de vir morar comigo, mas para já deixai-os ficar quietinhos fora do meu alcance.

O problema de ter roupa a mais (como se fosse um problema, pensam vocês) é que começamos a ser mais exigentes e até podemos não perder a cabeça com muita coisa (que perdemos, eu perco, vá), mas quando perdemos… Espera lá aí, Brigitte, que já dou quase 400€ por um vestido. Não é sustentável! Não sou snob, e desculpem lá qualquer rasgo de futilidade que possa andar por aqui à solta, mas é saudável, aqui entre nós, e aposto que não sou a única a ter momentos destes. Fico cada vez mais determinada a pensar que o melhor é mesmo apurar os dotes de costureira, que é um dom para a vida e sempre sai mais barato fazer roupa bonita e ganham-se peças únicas, à medida.

Mas, relembro, ficava mesmo feliz se um destes vestidos viesse parar ao meu roupeiro. Não são todos lindos de viver? O último anda a sorrir para mim há demasiado tempo…

1 comment on “Pode ser só um,

Deixar uma resposta