A Carlinha é que Sabe, e a Guida Aprova![:en]Carlinha Knows Best and Guida Approves!

Foto por Carlinha

A dica que vos trago hoje funciona mesmo e foi dada pela Carlinha do Retalho de Lua.
Ao invés de usarmos esponjas e géis de banho que, para além de muitas vezes serem um grande desperdício e acabarem por ir parar ao lixo as esponjas ou puffs velhos, muitas vezes feitos de derivados do petróleo, bem como as embalagens gastas de gel de banho, o que nos é proposto é que metamos um sabonete num saquinho de tule. Simples, não é? O efeito vai ser exactamente o mesmo que o dos puffs e, se o tule for grossinho, até dá um bom esfoliante. Perfeito, não é? Para mim, ainda há outra grande vantagem. É que sou alérgica à maior parte dos géis de banho e, por esse motivo, sou forçada a usar sabonete grande parte das vezes. Com esta ideia do saquinho do tule, ainda ganho outras vantagens!

As pessoas cá de casa andam cépticas, mas eu creio que vão mudar de ideias rapidamente!

Obrigada, Carlinha!

 

TRANSLATION

Carlinha Knows Best and Guida Approves!

Today’s trick really works and was given by Carlinha from Retalho de Lua.
Instead of using sponges and shower gels, which are huge wastes (even old sponges and puffs usually go to trash!) and almost always derivate from petroleum, Carlinha tells us to store a soap in a bag made from rough fabrics like the one in the picture. Easy, isn’t it? It will be as good as a puff and if the fabric is thick you’ll even get a good scrub. Perfect, no? There’s even another advantage for me. I’m allergic to lots of shower gels and for that reason I almost always use soap. This way, it’s easier to grab my soaps.

People at home aren’t convinced yet, but I think they’ll change ideas soon!

Thank you, Carlinha!

[:en]

Foto por Carlinha

Today’s trick really works and was given by Carlinha from Retalho de Lua.
Instead of using sponges and shower gels, which are huge wastes (even old sponges and puffs usually go to trash!) and almost always derivate from petroleum, Carlinha tells us to store a soap in a bag made from rough fabrics like the one in the picture. Easy, isn’t it? It will be as good as a puff and if the fabric is thick you’ll even get a good scrub. Perfect, no? There’s even another advantage for me. I’m allergic to lots of shower gels and for that reason I almost always use soap. This way, it’s easier to grab my soaps.

People at home aren’t convinced yet, but I think they’ll change ideas soon!

Thank you, Carlinha!

A Guida Recomenda A Outra Face da Lua


Sendo eu uma amante declarada do Vintage, penso que até já venho atrasada na minha sentença à Outra Face da Lua. Para quem não conhece, A Outra Face da Lua fica na Rua da Assunção, na baixa de Lisboa, e é um espaço que tem um café com esplanada bastante agradável e uma loja de artigos vintage muito bonitos e a preços bem acessíveis!

Não perdem nada em ir lá fazer uma visitinha, ou várias! E aproveitem, porque estão a decorrer as promoções especiais de Natal, onde podem encontrar miminhos para vocês e para aqueles que vos são queridos!

Boas compras!

A Elite é que sabe… E a Guida Aprova![:en]Elite Knows Best… And Guida Approves!

Há já algum tempo que andava a ganhar coragem para dispensar um tempinho todas as manhãs para pôr base na cara. Acontece que não me apetecia nem ficar com cara de boneca de cera nem perder uns 15 ou 20 minutos do meu precioso tempo de ronha na cama! Pois então não é que me lembrei que a Elite aqui há uns tempos publicou uma dica preciosa no que toca a bases na cara e correrias pela manhã?

Ao que parece, se misturarmos um pouco de base e outro tanto (eu uso um pouco mais de) creme hidratante na mão é bastante mais fácil aplicar a dita base na cara, com os dedos. Que must!

Obrigada, Elite!

[:en]

I must confess I was trying to find some time to apply foundation on my face every morning, but I didn’t really want to look like a doll or losing 15 or 20 minutes of precious time I could have spent lying in bed! That’s when I remembered Elite published this great trick about foundation and maratons in the morning some time ago.

It seems that, if we mix a part of foundation and other part of hydrating cream on the back of our hand it’s way much easier to apply it with our fingers.

Thank you, Elite!

O Complexo do Arafat[:en]The Arafat Complex

Hoje venho falar-vos de um assunto que já tem dado pano para muitas mangas, ou babetes, e que tem enchido os ouvidos das pessoas que me conhecem.

De há uns tempos para cá, verifico que toda a gente passou a usar aquilo a que vulgarmente chamamos lenços à Arafat desmesuradamente, sem qualquer preocupação alguma sobre a forma como o colocam ou se se adequa ao tipo de roupa que trazem vestida. Não quero parecer snob com o que vou comentar neste post. Acontece que estou farta de ver tanta poluição visual. Sim, eu gostava (e continuo a gostar!) de ver os ditos arafats (ou keffiehs) nos senhores palestinianos (política de lado, quando se pensa em Palestina pensa-se em senhores com keffiehs!) e aplicados ao vestuário do resto da população mundial… Quando são devidamente utilizados!

Caros leitores, sobre o uso dos arafats e semelhantes lencinhos mal utilizados (na minha humilde opinião!) tenho a dizer que:

1. Usar um arafat sem saber a história do mesmo só mostra (muita) ignorância por parte de quem o usa. É verdade, estes lenços começaram por ser usados pelos beduínos para que pudessem ser identificados como elementos da mesma comunidade, e era extremamente útil porque os protegia das tempestades de areia, típicas do deserto, e de outros fenómenos meteorológicos. Nos dias que correm, os keffiehs são símbolos nacionalistas da Palestina.

2. A sério, se o item acima não vos faz mudar de opinião, pelo amor de Deus, (e penso que esta parte é mais importante para as meninas ou mulheres) digam-me onde é que fica o encanto de um vestido, por exemplo, com o lencinho à volta do pescoço a estragar a “paisagem”. Sim, a moda somos nós que a fazemos, mas os arafats com vestuário feminino não me entram pelos olhos dentro. Desculpem!

3. Por último, e não menos importante, não há coisa pior do que ver os lencinhos mal-enjorcados à volta do pescoço. Se ninguém disse isto antes, digo eu: esses lenços xadrez que as pessoas, principalmente os jovens, gostam tanto, parecem umas toalhas de piquenique ou babetes! Provavelmente, a nossa sociedade está a tornar-se tão activa que, para perder ainda menos tempo com mariquices, principalmente à hora da refeição, anda de babete a tempo inteiro!

SOCORRO, tirem-me deste filme e ponham-me num desenho animado, porque os meus olhos não suportam tamanha desgraça! É como acordar e ver o mundo de pernas para o ar!
P.S. – Com este post, não pretendo, de forma alguma, ofender ninguém com crenças e opiniões diferentes da minha! Pelo contrário, gosto do debate e se têm algo diferente do que aqui escrevi para dizer, o botão dos comentários fica mesmo aqui por baixo!

[:en]

For a while now, I have been watching everybody wearing what we usually call Arafat scarves without even bothering how they wear them and if they match with the clothes they wear. I do not want to sound snob with what I am going to say on this post. Happens I am tired of all this sight pollution. Yes, I loved (and I still enjoy!) to see those keffiehs being worn by old palestinian men (politics appart, when you think of Palestine you think about men wearing keffiehs!).

Dear readers, I must say this about the use of keffiehs and similar scarves you insist on wearing:

  1. Wearing a keffieh without knowing its history only shows your ignorance. The truth is these scarves started being used by beduines so that they could be identified as members of the same comunity, and it was extremely useful because this way they got protected from sandstorms and other weather conditions. Nowadays, keffiehs are nationalist symbols of Palestine.
  2. Really, if the first point did not change your opinion, for God’s sake (and I think this is the most important part for little and not so little ladies), tell me where is the charm of a dress, for example, with that scarf around your neck spoiling the entire picture. Yes, fashion is made by us, but keffiehs with feminine clothes are something I do not really like. I am sorry!
  3. At last, but not least, did anyone tell you keffiehs look like picnic towells? I understand the theory, our society is so active that we now wear keffiehs to replace napkins when we have a meal.

Somebody please HELP ME, take me out of this movie and put me in some cartoons, because my eyes cannot stand such a crime! It is like waking up and seeing the world upside down!

 P.S. – With this post I do not want, in any way, to offend any of you who has different beliefs and opinions than mine!

Conta-me Como Foi

E é já no dia 12 de Janeiro de 2009 que estreia a 3ª temporada da série mais maravilhosa de sempre, na RTP1! Estou em pulgas, estou em pulgas!!!

Para quem não conhece, o “Conta-me Como Foi” é uma série que os nossos amigos da RTP decidiram adaptar da série espanhola “Cuéntame Cómo Pasó” e que tenta retratar a vida dos portugueses no final dos anos 60 do século XX. Novamente, para quem não conhece, esta série é divina! Posso parecer suspeita, mas as pessoas que me conhecem sabem que eu gosto destas secções da História: gosto de saber da vida das pessoas, dos costumes, das modas, dos valores e da cultura.

Vale a pena acompanhar o dia-a-dia da família Lopes, relatado pelo Carlitos (o filho mais novo) que, actualmente, terá quase 50 anos!
Dêem uma vista de olhos no artigo da Wikipedia e na página da série no site da RTP.

TRANSLATION

Tell Me How it Was

This post is about the launching of the third season of my favorite portuguese serie, “Tell Me How it Was”, which shows the story of a portuguese family in the end of 60’s/beginning of 70’s.

‘Bora Fazer Greve? Ah, Espera, Começa por G mas é Gazeta…

Espero vir a tempo de discutir o que aconteceu no passado dia 5 de Novembro, quarta-feira. Se bem se lembram, esse dia foi marcado pela suposta greve dos alunos do Ensino Secundário. Segundo as informações que me chegaram aos ouvidos, a dita greve deveu-se ao descontentamento dos estudantes em relação ao novo estatuto do aluno e ao regime de faltas (basta pesquisar no site do Ministério da Educação para descobrir as mudanças). Provavelmente, alguns de vocês vão ficar surpreendidos com a posição que tomei em relação a tal assunto: eu, que sou contestatária e gosto de lutar pelos meus direitos, não me manifestei.

É verdade que não concordo com o que se está a passar no nosso país ao nível das escolas, tanto ao nível que me afecta directamente enquanto aluna, como ao nível dos professores. Por outro lado, também sou contra as manifestações mal feitas. Digo que este foi um protesto furado porque, em primeiro lugar, os motivos da greve não foram assim tão bem divulgados quanto isso e cheguei, inclusive, a ouvir respostas inconclusivas (como “hum, pois, fazemos greve porque isto está mal!”) quando tentei esclarecer-me. Depois, houve outra coisa que me surpreendeu pela negativa: muitos dos meus colegas que disseram ser contra o novo regime de faltas nem sequer sabiam quais eram as alterações mais notáveis em relação ao regime de faltas anterior. Custou-me ver, por exemplo, na televisão, alunos que se queixavam quanto ao facto de não poderem ir, sequer, ao funeral de um familiar, quando isso não é verdade, visto que uma das excepções à contagem das faltas é o falecimento de parentes (bem como o nascimento de filhos ou irmãos, comparecimentos no tribunal ou actividades onde se esteja a representar o país). Por último, não gosto de constatar que a maior parte dos alunos fez greve simplesmente para faltar às aulas! E que muitas das pessoas que não queriam manifestar-se desta forma, apesar de mostrarem igual desagrado pelo polémico estatuto do aluno, foram “obrigadas” a ficar fora das escolas porque estas foram, em muitos casos, fechadas a cadeado.

É claro que não estou de acordo com estas medidas ridículas do nosso governo, é claro que não concordo com o facto de um atestado médico que, caso se lembrem, pode servir para que os trabalhadores fiquem de baixa médica em casa (dada a importância que tem!), não sirva de impedimento para que os alunos tenham que fazer provas de recuperação e sejam sujeitos a medidas correctivas por parte da escola assim que lá regressem quando, afinal, ficaram em casa doentes durante um período de tempo mais ou menos longo. Mas, para mim, manifestar-me contra o regime de faltas… Faltando? Desculpem, esta forma de protesto não pega comigo (e note-se que nesse dia nem sequer tive aulas, visto que às quartas-feiras nunca tenho aulas).

Teria custado muito se os alunos se tivessem juntado aos professores na manifestação do passado sábado? Juntamente com os encarregados de educação? Acreditem que tal atitude teria feito um impacto muito maior junto daqueles que nos governam! Mas custa muito levantar o rabo da cama ao sábado, quando ainda por cima nem sequer há aulas…

Meta Vaselina![:en]Use Vaseline

Lips 2 por Fatima Camiloza

Como o Inverno já bate à porta e nesta altura é muito importante ter cuidado com a hidratação da pele (e não só), falemos da vaselina! Novamente, e porque a crise mete as carteiras de toda a gente a fazer dieta, esta é uma opção económica para resolver alguns problemas:

1. Passe um pouco nos lábios para que evitar a secura e a pele gretada. Para além de ser um bom hidratante, a vaselina vai também dar um brilho espectacular aos lábios.

2. Pés e mãos secos? Esfregue um pouco de vaselina de manhã e à noite e verá que em menos de nada consegue ter uma pele de seda!

3. Tem dificuldade em colocar brincos ou piercings porque a pele secou e está irritada? Basta um pouco de vaselina no local dos furos e metê-los no sítio será uma tarefa fácil e indolor!

4. Os bichinhos também têm direito à vida, e a veterinária aconselhou-me a aplicar vaselina em redor dos olhos da minha Nina (que é uma cadela caniche) para evitar as manchas escuras que se formam por causa das lágrimas típicas dos canídeos.

5. As sobrancelhas rebeldes são um mal que, decerto, afecta alguns dos leitores. Experimente passar um pouco de vaselina. Vai ver, as sobrancelhas vão ficar penteadinhas durante todo o dia!

6. Vai tirar fotos e quer um sorriso digno de revista? Ora aplique um pouco de vaselina nos dentes, com o dedo. Os lábios não vão agarrar aos dentes, que vão ter um super brilho.

7. A querida leitora é daquelas mulheres que parece que enfiaram as mãos ou os pés num balde de tinta quando pintam as unhas? Aplique vaselina nas peles em torno das unhas e o verniz não irá aderir à pele. Por outro lado, a vaselina irá hidratar e amolecer as cutículas! Espectacular, não é?

8. Leitores com eczemas: a minha dermatologista sugeriu-me o uso de vaselina nas zonas afectadas por este problema desagradável. E comigo resulta!

9. Tem dificuldade em retirar um anel dum dedo? Com um pouco de vaselina, o anel deslizará na perfeição!

10. Por último, mas não menos importante, a vaselina ajuda a que as alças de silicone dos soutiens não adiram à pele, causando irritação.

Espero ter-vos sido útil, partilhem as vossas dicas e aguardem por mais!

 [:en]

Lips 2 por Fatima Camiloza

Winter is almost here and by now we must be really careful with our skin, so let’s talk about petroleum jelly! Here go some cheap options to solve you some problems:

  1. Dab a bit of it on your lips to avoid dry skin. You get moisturised and glossy lips at the same time.
  2. Dry hands and feet? Use petroleum jelly every morning and before you go to sleep and soon you will have silky skin.
  3. Are you having trouble wearing your earrings or piercings because your skin got dry and swollen? Just dab a bit of petroleum jelly on the holes.
  4. Animals also have the right to be pretty, healthy and comfortable, and the vet told me to dab some vaseline around my dog’s eyes to avoid dark stains (she’s a poodle).
  5. Rebel eyebrows suck. Try brushing them with vaseline, they will keep in place for the entire day
  6. You are taking pictures and want a perfect smile? dab a bit of petroleum jelly on your teeth, with your finger. Your lips will not stick to the teeth and they will look super bright.
  7. Dab a bit of it around your nails when you are doing the manicure to avoid nail polish all over your fingers! Vaseline will also moisturise the cuticles, wonderful, no?
  8. If you have eczema on your body, use petrolleum jelly on the affected areas. It works!
  9. If you are having trouble taking a ring out of your finger, yep, try vaseline.
  10. At last, it helps silicone bra straps not to irritate your skin.

I hope these tricks were useful, share yours and wait for more!

 

Três Simples Passos II

Falemos de uma rotina que deve ser criada desde cedo. Este artigo é destinado, no mínimo, às pessoas que, como eu, têm pele sensível e com tendência para o aparecimento de acne, se bem que @s restantes leitor@s também podem experimentar este ritual.

Esta é uma das situações onde menos é mais, em todos os sentidos: com menos de 5€, obtemos produtos super simples e de óptima qualidade, como confirmam as pessoas de há umas gerações atrás. Não gosto nem posso gastar muito dinheiro com produtos cosméticos, e portanto tento sempre ter em conta a relação qualidade/preço. Falemos da minha escolha:

1. Está mais que provado que o sabão azul e branco é um dos melhores desinfectantes que podemos encontrar no mundo dos produtos de higiene, prevenindo a proliferação de bactérias que provocam o aparecimento do acne. Por outro lado, acaba por sair ao preço da chuva mijona, visto que uma barra de 400g não chega nem a 1€ e dura eternidades (e não, não é por isso que o sabão azul e branco é frequentemente encontrado em lavabos públicos! Insistindo, este sabão não só não é rasca como é melhor que muitos sabonetes desinfectantes, incluindo aqueles que estão à venda nas farmácias!). Podem existir pessoas que não gostam do aspecto nem do cheiro deste espécime, eu não me queixo! O sabão azul e branco tem um aspecto agradável e o cheiro recorda-me os tempos que passava em casa da minha avó;

2. Não há melhor tónico que a água de rosas! Desde pequena que incutiram em mim o hábito de limpar os olhinhos com água de rosas, e a verdade é que continuo a fazê-lo (para quem tem cães, principalmente raças como os caniches, a água de rosas não é agressiva para a limpeza dos olhos!) todos os dias e estendi o seu uso a toda a cara. Cá está, este é outro produto baratíssimo e que dura muito tempo. Ah, e para as pessoas que não acharam piada ao item anterior (sim, o sabão azul e branco!) por causa do cheiro, deixem-me referir que depois da água de rosas não fica vestígio algum do cheiro do sabão;

3. Não é por acaso que a Nally continua a fabricar o creme Benamôr: se este creme não fosse bom e se tantas pessoas ao longo de várias gerações não tivessem boas críticas a fazer, ele já não existiria. É bastante importante hidratar a pele, até porque nos dias que correm a poluição é mais que muita e quanto mais pudermos proteger a nossa pele do contacto com as substâncias nocivas que pairam no ar, melhor! Este creme é um dos poucos que não deixa a minha pele empastada, e ainda tem a vantagem de cobrir ligeiramente imperfeições como pequenos vermelhões e pontos negros e dá uma ajudinha na fixação da maquilhagem, para que aguente impecável por mais tempo. Juntem-lhe o cheirinho único e a embalagem perfeita com o requinte dos tempos antigos, e garanto-vos que nunca mais pensam em usar outro creme!


Vamos pensar em fazer uma (grande) poupança? Têm outros hábitos como este, à base de produtos do tempo dos avós? Partilhem-nos!