Iniciemos aqui uma série de 3 ou 4 posts. É frequente receber emails das leitoras com cabelos parecidos com os meus e de forma a simplificar a resposta a todas e para que tudo fique visível e acessível, achei por bem partilhar tintim por tintim o que faço com a minha juba leónica para a manter apresentável.

Como uma boa manutenção é meio caminho andado para ter cabelos bonitos e saudáveis, é por aqui que começo – pelo tratamento do cabelo no dia-a-dia. Há mais de dois anos, aqui, partilhei as minhas dicas para manter o cabelo encaracolado bonito e “praticável”. Hoje em dia, existem algumas diferenças. Vou falar do que mudou no meu cabelo, explicar como o trato e com que produtos.

Hoje em dia, opto por alisar o cabelo algumas vezes. Para além disso, tenho o cabelo pintado de preto (mais tarde falarei de coloração). Assim, tenho tido a preocupação de utilizar produtos adequados a minha condição de forma a manter o cabelo saudável e preservar a cor.

A frequência da lavagem do cabelo, para mim, depende do que pretendo fazer a seguir: se o vou manter natural, encaracolado, é quase inevitável ter de fazer uma lavagem diária pois é impossível penteá-lo devidamente quando está seco, o que pode ser uma sentença de morte para o cabelo quando está muito comprido. Quando o vou alisar, visto ser naturalmente seco (mesmo na raiz), só é necessária lavagem a cada 4 dias.

Já tenho dito algumas vezes cá no blogue que sou super sensível a champôs, por isso tento optar por um champô de bebé sempre que possível (especialmente quando vou manter o cabelo natural e, consequentemente, recorrer a lavagens diárias) ou então uso champô “de gente grande” em quantidades mesmo, mesmo mínimas. De momento, estou a testar a linha de Equilíbrio dos Fios Nativa Spa d’O Boticário, com fórmula sem sal, especial para cabelos sujeitos a tratamentos agressivos (ó para mim com coloração e ferro de alisar!) e que ajuda a manter o alisamento. Por ora estou bastante satisfeita porque não fiz alergia e não fiquei com o cabelo ressecado – pelo contrário, tem estado macio e levezinho! Para além do mais, o cheiro a mirtilos é divino!

O uso de condicionador é indispensável em todas as lavagens, e tenho utilizado o condicionador da mesma linha. O cabelo fica bem hidratado e parece-me que este condicionador tem intervindo também na diminuição do frizz natural do cabelo, pois desde que uso esta linha tenho a sensação que o cabelo assenta com mais facilidade. Por norma, tento utilizar sempre o condicionador da mesma linha que o champô que uso.

Uma vez por semana, sinto a necessidade de utilizar uma máscara de hidratação para ajudar a manter o cabelo hidratado, macio e saudável. Vou alternando entre a Lama Negra da Skala (especial para cabelos escuros) e a Activação da Cor Nativa Spa d’O Boticário. No imediato, considero que a d’O Boticário confere mais brilho e hidratação. Por outro lado, a da Skala tem um preço bastante mais acessível e vem em maior quantidade (a da Skala tem 1kg e custa menos de 4€, a d’O Boticário tem 250g e custa 10,90€). Então, como tenho feito? Uma ou duas vezes por mês, opto por dedicar mais tempo à hidratação do cabelo: aplico uma quantidade generosa da Skala Lama Negra em todo o cabelo e deixo-a actuar no meu cabelo por cerca de meia hora.

Depois da lavagem e ainda com os cabelos húmidos, gosto de aplicar um leave-in. É aqui que sou uma verdadeira Boti fã. Antes de conhecer os produtos, utilizava qualquer um que me facilitasse a tarefa de pentear o cabelo. Agora, uso três leave-ins diferentes consoante o que pretendo e não os troco por nada: são super cheirosos, têm óptima textura e asseguram bons resultados. Comecei por experimentar o Condicionamento e Maciez e adorei acima de tudo a fluidez da textura e o cheiro (amora e sândalo, segundo a embalagem). É difícil errar na aplicação, porque aposto que mesmo que abusasse na quantidade, nunca deixaria o cabelo com resíduos desnecessários de produto. Mais tarde, descobri o azulinho, que ajuda a definir os caracóis. É mais pesadote, mas ajuda meeesmo a deixar os caracóis no sítio e quando o uso dispenso a espuma para finalizar. No Verão passado, surgiu o leave-in para a protecção dos fios, com cheiro docinho a Verão e que promete ajudar a proteger do sol, do mar e da poluição. Pois é o que mais uso desde que o sol começou a espreitar!

Quando deixo o cabelo ao natural, actualmente é raríssimo usar espuma pois era uma agressão que se tornou desnecessária depois de encontrar o leave-in azul Algodão Nativa Spa.

Em dias de correria, quando tenho o cabelo ao natural e estou sem tempo para o lavar, pentear e deixar tudo bonito e apresentável, tenho um spray com água e costumo pulverizar de forma a ter alguma humidade superficial. Depois, é só espalhar um pouco (mínimo, mínimo!) de leave-in em todo o cabelo.

Quando o aliso…

… Bem, fica para amanhã porque tenho tantas coisas para mostrar que merece um post isolado!

Espero ter ajudado algumas pessoas com esta minha rotina.

8 comments on “O Cabelo da Guida #1 – O Tratamento

  1. Olá Guida,
    Adorei o post, apesar de não termos cabelos semelhantes em termos de condições. Devo confessar que nunca usei nada d’ O Boticário para o cabelo.
    Fiquei com algumas dúvidas sobre os leave in… e eles não deixam o cabelo mais oleoso?
    Tenho o cabelo normal, mas com alguma tendência para a oleosidade.
    XOXo

    • O que vale é que as linhas capilares deles são algo versáteis 😀 Eu acho que esta nova azul foi super bem conseguida e parece-me que não a largo mais. Os leave-ins não deixam o cabelo mais oleoso, só há que ter cuidado para não espalhar na raiz 🙂 O de amora e sândalo é muuuito fluido, é óptimo e acho que dificilmente alguém erraria com ele. O de protecção dos fios acaba por ter uma textura mais consistente, mas olha: a nossa Marta tem cabelo oleoso e adora este leave-in 😛

      Beijinho

    • Aqui também há produtos à tonelada! 😛 Alguns acabam por ser despachados, outros vão resistindo até ao fim da embalagem. O que me dá gosto ver é quando acabo por comprar produtos iguais aos que terminei, significa que gostei meeesmo do que usei! É o que tem acontecido em particular com os leave-ins d’O Boticário e com as máscaras da Skala, especialmente esta Lama Negra.

      Beijinho

    • Até agora adorei todas as que experimentei, mas volto sempre à Lama Negra! Há uma outra daquelas que tem mistura de duas cores, verde e amarelo, Teen, para o frizz, que também adoro e tem um cheiro divino mas nem sempre a encontro à venda.

      Beijinho

  2. Olá Guida,
    Sou seguidora do teu blog já há algum tempo 🙂
    Queria saber: onde posso comprar essa máscara da Skala? Não me lembro de a ver à venda em lado nenhum…

    • Existe em alguns Intermarché, Pingo Doce, lojas brasileiras… Eu vi-as pela primeira vez na Petrocoop (um supermercado que há em Santo André) e desde então vou vendo um pouco por todo o lado.

      Beijinho

Deixar uma resposta