Bolas, é que a treta das mulheres reais estarem na moda já cansa. Mulheres reais? Onde?
Antes que se juntem em massa para me degolarem, passo a explicar.

O que aparece na televisão, revistas, Internet e por aí fora é uma parvoíce: ou é oito ou é oitenta, e isso é algo que me aborrece. Actualmente, tem-se visto em tudo o que é editoriais de moda e desfiles muitas modelos/manequins gordinhas. Parece que o tal tamanho 0 ficou um pouco para trás, e eu acho muito bem que tal tenha acontecido. No entanto, está a ser divulgada uma imagem de mulher real que, a meu ver, continua a ser distorcida. Isto é, será que afinal não há mulheres naturalmente muito magras, será que vestimos todas mais do que tamanho 40? Seja para mais ou para menos. Minhas caras e meus caros, pois quer-me parecer que não. Nem todas somos altas! E se a mulher real é, naturalmente, a Beth Ditto, alto lá! Nesse caso o mundo está num muito mau caminho.

Não quero parecer preconceituosa, mas se a “mulher real” é assim, obesa, está tão mal quanto a anorética. E essa não é a mulher que vejo à minha volta.

À minha volta vejo mulheres lindas, sim. Umas baixas, outras altas. Umas magras, outras mais fortes. Umas saudáveis, outras nem tanto. Umas com curvas, outras mais esguias. E nem sempre isso quer dizer que a mais cheinha tem mais curvas e que a mais magra é um espeto. Há as pretas, as brancas. Com diferentes estilos e diferentes gostos. Todas elas especiais.

Não sei se me fiz entender. É que, para mim, Beleza é variedade e diferença, não uma cambada de ovelhas moldadas para corresponder ao que meia dúzia de parvalhões querem vender.

Querem fazer uma revolução? Escolham modelos distintas que não correspondam a um padrão de moda parvo. Não escolham só as magras, não escolham só as junkies, não escolham só as bonitas, não escolham só as feias, não escolham só as nórdicas, não escolham só as afro-americanas, não escolham só as asiáticas, não escolham só as gordas. Escolham-nas todas, pensem nas mulheres que vêem todos os dias por onde passam e vão ver que o mundo da moda se torna muito mais interessante.

Será que eu, cá de baixo, do meu mísero metro e cinquenta e pouco, com os meus cinquenta quilos, meia amarelada, nem gorda nem magra, com o aspecto que tenho (seja lá o que for que isso quer dizer) não sou uma mulher real? Será que a mulher que me lê, com todos os seus defeitos e qualidades não é uma mulher real? Só porque nos querem fazer ver uma imagem distorcida do que as coisas são? Não queremos nem o 8 nem o 80, queremos o 8, o 80 e o meio termo.

P.S. – Não, vestir 40 não é sinónimo de obesidade e ninguém disse tal coisa. Antes que venha mais algum anónimozinho parvo, fica o desenho feito.

TRANSLATION

Real women? Let’s talk about it

I’m bummed. That stupid thing of real women being fashion they’re trying to sell us is annoying. Real women? Where?
Before you all try to kill me, I’ll explain.

What we watch on tv, magazines, Internet and so on is stupid: they only show us the extremes, and that bothers me. Nowadays, I noticed, in fashion magazines, that larger models/mannequins are hot. Size 0 isn’t so fashionable, and I really think it’s a good thing. However, I keep thinking they’re trying to show us a distorted picture of what real women are. I mean, aren’t there any naturally thin women? Do we all wear size 12 or something like that? Well, I think we don’t. We might be slimmer or fatter. We aren’t all tall! And if Beth Ditto is “the real woman” we’re going through a really bad way.

I don’t want to look like a closed mind, but if the “real woman” is this way, overweight, it is as unhealthy as someone who has anorexy. And that’s not the woman I see around me.

I can see I’m surrounded by lots of beautiful women, yes. Some of them are short, others are tall. They can be skinny or large. Ones are healthier than the rest. There are curvy and thiner women. It doesn’t mean the fattest ones are curvier or that the slimmest are skinnier. There is black and white. They all have different styles and tastes. They all are special.

I don’t want to be missunderstood. For me, Beauty is difference and variety, not a bunch of sheep formated to look like some stupid bastards want to sell.

Do you want to make a revolution? Pick different models who won’t fit in a silly fashion patter. Don’t pick only who’s thin, not only the junkies, not only beauty queens, not only who’s uggly, not only northern people, not only afro-american, not only asian, not only who’s fat. Pick them all, think about the women you see everywhere you go and you’ll see the world of fashion becoming way more interesting.

Is it that I, from my meter and a few more than a half, weighting fifty kilos, yellowish, in between slim and fat, with my very own aspect (whatever that means) am not a real woman? It it that the woman who’s reading me, with all her defects and qualities isn’t a real woman? Only because someone’s trying to make us see a distorted image of what things are in reality? We don’t want 8 or 80 neither. We want the 8, the 80 and the middle term.

16 comments on “Mulheres Reais? Vamos Lá Pôr os Pontos nos Ís

  1. Realmente eu concordo totalmente contigo. Tentam passar uma imagem da mulher real bastante errada: ou magríssima ou que vista acima de 40. E sim, mais uma vez concordo contigo: todos os dias, à minha volta, vejo dezenas/centenas de mulheres, todas bonitas à sua maneira, umas altas, outras baixas, umas magras, outras não tão magras, umas mais esguias, outras com mais curvas. Não concordo que tentem generalizar o que não é para ser generalizado e é isso que vejo fazerem constantemente com a figura feminina: ou é 8 ou é 80!

  2. Concordooo plenamente!
    Grande Texto 🙂
    Infelizmente é assim, mas acho que ser magra é sempre bom para esta sociadade, eu digo por mim que sou gordinha e ate nas lojas se nota isso.
    Enfim 🙂 do teu texto o que mais gostei foi que realmente todas as mulheres sao bonitas, cada uma á sua maneira:)

    beijinho da Abelha 😉

  3. Estou de acordo com o nem oito nem oitenta. Mas olha, não me pareces amarela, então 🙂

    tens, como dizem os franceses "bonne mine"! 🙂

    Beijo meu ♥,

    A Elite

  4. há mulheres naturalmente magras, sim. mas 1 – nao tanto como nas revistas de moda de alta-costura, por exemplo e 2 – em muito menos proporção do que aquelas que vestem de 38 para cima. e as modelos plus-size não são obesas (algumas sim,outras são simplesmente a tal 'mulher real', como as desse anuncio da Dove)

  5. Cláudia: Claro, depois há as manequins tipo Victoria's Secret, que dizem que são plus size e o que eu vejo são mulheres normais. Essas e as da suposta colecção plus size da Beth Ditto: querem mesmo fazer-me engolir que a senhora tem um arzinho tão belo e saudável como as modelos? Nah. Nisso tens razão, mas é só mais lenha para a fogueira, porque apesar de estarem na medida "certa", as marcas querem-nos fazer crer que elas são gorduchas.

    Beijinho

  6. Leia então O mito da beleza. O problema está em colocar um padrão inatingível. E quem lida com publicidade sabe muito bem como deixar as mulheres inseguras.
    O livro é de Naomy Wolf, dá para baixar gratuito de diversos sites. Vais entender de “moda” mais do que ninguém. E saber por que é 8 e 80.

  7. Eu concordo com aquilo que escreveste mas,dando como exemplo o anúncio que referiste e a foto que mostras,não vejo em que é que seja diferente daquilo que disseste.
    Estão lá morenas,pretas,loiras,umas mais altas,outras mais baixas,umas mais elegantes e outras com barriguita.
    Citando-te “Não quero parecer preconceituosa, mas se a “mulher real” é assim, obesa, está tão mal quanto a anorética”,gostava de te perguntar onde é que vês obesidade nessa foto?
    É que estas mulheres nem sequer são gordas…Só não são os palitos com que a indústria da moda normalmente nos brinda.
    Seja como for,colocando para trás este anúncio,continuas a ter razão na medida em que o diferente significa mais uma coisa igual.
    Eu também sou baixinha,tenho 1,53m para ser precisa,e como tal ando sempre atenta ás novidades para o mundo das baixitas.Ora,no mundo da moda são todas trolls gigantes (sem querer ofender ninguém) mas ultimamente já vão dando oportunidade ás mais baixas.
    Porém não é o que se pensa.Mais baixas significa que de 1,70m podem passar a ter 1,65m ou 1,62m.E mesmo já sendo uma diferença,continua a não abranger realmente as baixinhas.Isso significaria que eu,com o meu 1,53m ou a Mariazinha com o seu 1,45m poderíamos ser tão modelos como uma de 1,80m.
    O facto é que,apesar de tudo,isto já não é mau.

    • Olá, não falei em obesidade em relação às senhoras da foto 🙂 Escolhi essa imagem da Dove precisamente por expressar a normalidade. Acho que a indústria da moda só tinha a ganhar se se virasse para medidas mais “normais”, cá em Portugal passaria de certeza por pensarem em nós, baixinhas!

      Beijinho

      Beijinho

    • As modelos são modelos, têm de ter mais do que 1.70/1.72m porque esse é um dos requisitos da indústria da moda. Todas as profissões têm requisitos, ponto final.
      Get over it. Assim como as ginastas ou as bailarinas são baixas, as modelos são altas.

Deixar uma resposta