sugestões de leitura ler livros marilyn monroe benefícios

Se há coisa que me aflige relativamente ao futuro da nossa sociedade, é o desinteresse pela leitura.

Compreendo que as pessoas têm gostos e interesses diferentes, mas fico sem esperança quando oiço coisas do tipo “Eu nunca li um livro!”, como se fosse motivo de orgulho.

Parece que, hoje em dia, ser estúpido é motivo de orgulho.

A cultura geral das pessoas é má. Acredito que, muitas vezes, as pessoas têm a mente fechada porque nunca deixaram que os livros lhes oferecessem horizontes mais largos.

Pensam que este problema é um exclusivo da minha geração? Desenganem-se, que conheço pessoas mais velhas (e mais novas, também) que se confinam à ignorância por opção.

Hoje em dia, não há pretextos para tal. Temos toda a informação possível ao nosso dispor.

Eu leio desde os três anos e não me imagino num mundo sem livros. As pessoas não têm curiosidade? Não querem saber mais, aprender coisas, ser melhores com a leitura?

As pessoas sabem, por exemplo, dizer que o Saramago não presta, que não sabe escrever. Alguma vez o leram? Sabem escrever melhor que ele? Se sabem, por que é que não o fazem?

Nem peço para lerem um livro a sério, leiam outra coisa qualquer. Jornais, blogs, até um Twilightzinho da vida serve. Já não é nada mau.

As pessoas deveriam dar o benefício da dúvida à leitura e criar o compromisso de ler um livro do princípio ao fim. Acredito que muito boa gente acabaria por descobrir que, afinal, ler é muito bom.

14 comments on “Leiam, por favor!”

  1. acredito que se houvessem mais pessoas a ler, não haveria tantos erros ortográficos (coisa que a mim me faz muita muita impressão).
    mas bem, eu não tenho moral para falar porque não sou muito dada a leituras de livros… eu gostava, mas tem de ser um que me agarre mesmo do início ao fim e esses parece que nunca encontro

    • É verdade, é uma consequência inevitável! Quando era mais nova, acontecia-me muito uma coisa engraçada: podia ler imensas vezes a mesma palavra “esquisita” e saber o seu significado, mas não saber como se pronunciava por nunca ter ouvido. Eu ficava muito curiosa com as preferências de pessoas que admirava, e só isso era o suficiente para ficar presa a um livro 🙂 Já que falei no Saramago, leste As Intermitências da Morte? Penso que podias gostar da história, é muito gira!

      • já ouvi falar mas não sei se me vou dar bem a ler José Saramago. tenho de estar sempre a pensar na pontuação que não existe e que era suposto existir para conseguir compreender melhor o que está escrito, ahah
        mas obrigada pela dica 🙂

  2. acho que o gosto pela leitura se cultiva desde cedo. Enquanto criança recebia sempre imensos livros infantis quando fazia anos ou era natal. No dia da criança é que recebia sempre algum brinquedo em detrimento de um livro. Hj, e apesar de não ter filhos ainda, perco-me com a variedade de livros infantis duma FNAC. Mas pelo que vejo com filhos de amigo e conhecidos, só recebem brinquedos e jogos de computador/consola e nada de livros. Não é de mim concerteza que os meus filhos vão receber presentes deste género. Nunca tive consolas, mt menos sei ou tenho paciência para jogar jogos de pc – vá, tirando os sims – e não morri por isso. AH, e nunca li clássicos.

    • Eu ainda guardo os meus livros infantis, alguns deles pertenceram à minha mãe. Ela é Educadora de Infância, o que ainda ajuda 🙂 Sou perdida por ilustrações infantis e histórias simples e bonitas, pelo que sou a maluca de 22 anos que compra livros de crianças só porque são bonitos. Empresto-os aos pequeninos que conheço, mas voltam sempre à respectiva dona. Tens razão, o papel dos pais no gosto pela leitura é muito importante. Se uma criança não tiver livros ou não ouvir histórias, provavelmente nunca terá curiosidade para ler. Eu tive muitas consolas e videojogos, mas fartava-me rapidamente. Contrariamente aos livros, cansavam-me muito a vista. E eu até às escuras lia (bastava a luz do corredor), quando já passava da hora de dormir 🙂

  3. Apoiado Guida, eu só tenho pena de não ter mais tempo e mais variedade, mas sobretudo tempo! No que depender de mim vou tentar passar esse hábito ao meu menino! Se bem que já deu para ver que ele é um pequeno preguiçoso haha

      • Isto até parece mau de dizer mas acreditas que eu nem desconfio onde se encontra uma biblioteca aqui? Provavelmente está ali ao virar da esquina haha mas com este tempo… Naah, não saio de casa, o frio aqui é bem pior que aí, eu saio para a rua e fico a pingar do nariz sem estar constipada 😛 por enquanto ainda vou tentando cá em casa com os livros que aqui temos ou que vão chegando 🙂 Thanks *

    • Quando era mais nova e os meus pais me perdiam de vista no supermercado, já sabiam que o mais certo era eu estar na secção dos livros. Antes de ir para a escola primária, eles não sabiam que eu sabia ler. Pensavam que eu memorizava as histórias. Houve uma certa confusão na altura 😀 Eles pensavam que a professora era muito exigente e a professora pensava que eles eram exigentes. A professora apercebeu-se logo que eu já sabia ler, escrever e fazer uma série de contas. Os meus pais só se aperceberam que eu sabia ler quando um dia, por acaso, comecei a ler o jornal em voz alta. Cada criança tem o seu tempo, o importante é que criem gosto pelas aprendizagens 🙂

      Beijinhos

  4. Ainda no outro dia estive a dizer algo do género. Fiquei super indignada quando vi alguém dizer, com orgulho, que não lia nada a não ser que fosse obrigado a tal…

  5. Não fui eu que escrevi este post, mas bem que podia ter sido! Subscrevo totalmente! Lembro-me de andar no ciclo e enquanto as minhas colegas estavam no polivalente a jogar às cartas eu estava sentada a ler Uma Aventura sem largar! Aproveitava os furos pra ler 😀 Tanto é que uma amiga minha ficou tão curiosa que começou a ler tb! Cheguei a colocar o livro por baixo dos cadernos nas aulas e lia quando a aula estava a ser uma seca! Agora que penso nisso, dá-me saudades desse tempo! 😀

Deixar uma resposta