E tudo por conta da alergia ao sol! Não sou só eu, mas recomendo a leitura de todo o artigo.

alergia ao sol

Alergias – Cada vez mais portugueses têm intolerância…
Buraco do ozono faz disparar casos de alergia ao sol

por CATARINA CRISTÃO

Chega o Verão e o problema regressa. Nesta altura do ano, Margarida Canas, de 20 anos, já sabe que tem de se proteger ou então as borbulhas na pele e a comichão voltam a atacá-la, sobretudo nos dias em que for à praia. “Nas férias do ano passado fiquei com o peito, as costas, os cotovelos e as pernas cheios de urticária. Hoje em dia, o protector solar é o meu grande aliado”, garante a estudante de Enfermagem. Como ela, também Andreia de Jesus, de 28 anos, Hugo Miguel, de 6, e Ana Rita, de 21, são alérgicos ao sol. Cada vez mais portugueses sofrem deste problema, embora não existam números oficiais.

“A minha sensibilidade e experiência dizem-me que, de ano para ano, aparecem cada vez mais pessoas com esta insensibilidade ao sol”, sublinha o dermatologista Miguel Trincheiras, que garante receber, no Verão, dois a três casos por dia no seu consultório. “São reacções inflamatórias cutâneas cada vez mais frequentes à exposição ao sol e aos raios ultravioletas. Se o buraco na camada de ozono continuar a crescer, o número de casos também vai aumentar”, alerta o especialista.

A alergologista Paula Leiria Pinto assina por baixo: “As alergias são reacções de defesa do nosso sistema imunológico às agressões solares”, explica a médica. O aparecimento de vermelhidão na pele, com babas ou bolhas (vesículas) e comichão ou sensação de queimadura são os sinais de alerta e poderão indicar um episódio de alergia ao sol.

“Este problema surge mais com mais frequência nas mulheres jovens e de pele mais clara”, por passarem mais tempo ao ar livre, explica Paula Leiria Pinto. Mas o aparecimento de reacções alérgicas ao sol pode estar associado a outros factores: “Produtos químicos, como perfumes, cosméticos, cremes, alguns medicamentos e os próprios protectores solares podem potenciar a alergia, com reacções muito exuberantes.”

Foi o que aconteceu a Andreia de Jesus. No início de Junho deste ano, quando regressaram os dias de maior calor, aplicou, depois do banho, um óleo corporal em vez do creme hidratante habitual. “Fiquei com muitas borbulhinhas debaixo das axilas e na zona do peito, com uma comichão terrível”, conta a assistente social. “Provoca um desconforto enorme, mesmo durante a noite. Quando isto me acontece, costumo aplicar uma pomada à base de corticóides para aliviar o ardor até passar.” Para evitar estas situações, Hugo Miguel usa sempre T-shirt na praia, está quase sempre debaixo do chapéu-de-sol e nunca fica depois do meio-dia, garante a mãe, Carla Martins. Ana Rita, por outro lado, usa protector solar factor 50 e um gel com aloé vera, para refrescar a pele durante o Verão. Os médicos garantem que a prevenção é o melhor remédio: manter a pele hidratada e protegida com protector solar e fazer uma exposição progressiva e moderada ao sol são essenciais.

14 comments on “Hoje no DN – Alergia ao Sol”

  1. Ritinha: Ora bolas, e não tiveste direito a foto? 😐 Fiquei muito triste com uma coisa, eles não referem os blogues nem por nada 🙁

    Beijinho

  2. a minha mae tem, e ela não tem a pele muito clara. e uma amiga minha com pele escura mesmo tb tem nas maos e no pescoço. a minha mae entao não consegue conduzir durante o verao sem meter protector.

  3. Eu nunca apanhei um escaldão, pareço um conguito neste momento e mesmo assim estou com uma alergia gigante. De ontem para hoje alastrou imenso! Felizmente, nas mãos ainda não tenho. É que nas mãos a alergia é bem pior! Fico com dermatite de tal forma que nem consigo mexer os dedos convenientemente. Há, definitivamente, coisas piores do que a alergia ao sol. Mesmo assim, não deixa de ser um aborrecimento.

Deixar uma resposta