Escolher as melhores fraldas (e restantes produtos associados à muda) para os nossos bebés é um grande desafio.

Lembro-me que, quando estava grávida e pensava nas compras que tinha de fazer para a Teresa, as fraldas eram um dos produtos que maiores dúvidas levantava. Queremos aproveitar as promoções, mas por outro lado nunca sabemos quais são as melhores, nem se os bebés farão alergia ou quais os tamanhos a trazer.

Se vão ser mães pela primeira vez ou acabaram de dar à luz e ainda andam aos apalpões, deixem-me ajudar-vos com este post. Começo por vos dar um conselho de amiga (a sério, podem dizer-vos o contrário, mas isto é o que tenho verificado):

Não façam stocks de fraldas antes de os bebés nascerem.

A sério. Em primeiro lugar, não se deixem iludir pelas histórias de promoções e feiras de bebés. Salvo raríssimas excepções, não compensam. Vão ter os mesmos ou melhores descontos ao longo do resto do ano. Depois, já viram se investem tudo numa determinada marca e vai na volta o bebé é alérgico ou nem sequer gostam da marca? Não vale a pena fazer fretes. O que sugiro é que tenham 1 ou 2 pacotes de tamanho 1 a jeito para quando a criança nascer. Tenho quase a certeza que, numa aflição, o hospital (se for esta a vossa opção) onde nasce o bebé também vos fornece algumas fraldas. Referi o tamanho 1 porque é o que faz mais sentido na maior parte dos casos:

  • Abrange um leque de pesos que apanha a maior parte dos recém-nascidos;
  • Há marcas que já disponibilizam o tamanho 0 (para bebés abaixo dos 3kg), como as Dodot Sensitive – se necessitarem, dá perfeitamente para comprar já depois de o bebé nascer e assim não ficam com fraldas empatadas para os Nenucos;
  • Mesmo que tenham um bebé grande, acreditem que é provável darem conta de um pacote de fraldas T1 num instante. Os recém-nascidos tendem a ser muito cagõezinhos!

Stocks de fraldas só se fazem quando já conseguimos prever mais ou menos o crescimento dos nossos bebés. É o meu conselho de amiga!

Quanto a marcas, segue abaixo a minha crítica.

Comecemos por desmistificar o descartável vs pano. Até podem ter óptimas intenções para com o ambiente, mas quando começarem a ver as fraldas de pano/reutilizáveis todas feias e a ter de as lavar à velocidade da luz, vão desistir dessa ideia. Felizmente, hoje em dia o mercado oferece-nos opções de fraldas descartáveis para todos os gostos, ideologias e bolsos. Há que salientar que só posso falar das que conheço, pelo que fico à espera de ouvir outras opiniões nos comentários. Felizmente, a Teresa nunca fez alergia a coisíssima nenhuma e espero que assim se mantenha.

  • Bambino – eram as do hospital. Já as conhecia de outras andanças. São razoáveis. Não transbordam mas são muito “plásticas”.
  • Chicco Dry Fit Advanced – Foram as que comprei em primeiro lugar e foram as melhores. Estão frequentemente com 50% de desconto. São fofas, respiráveis, ajustam-se bem e não transbordam. Recomendo muito!
  • Continente – No que diz respeito às marcas brancas, são as que mais gostamos (e as que mais compramos). Não devem muito às da Chicco. Só não me parecem tão fofas e, consequentemente, um pouco menos absorventes. É frequente terem packs mensais a cerca de 11€. Querem melhor?
  • Lidl – Não são más, mas não se ajustam tão bem ao corpo do bebé. São muito “rígidas”. Se os cocós forem muito líquidos, estas fraldas transbordam especialmente pelas costas, já que o rebordo não tem elasticidade.
  • Libero – Fujam! A sério. Ouvi dizer muito bem delas, nem sei bem como. Transbordam, trespassam, são um horror. E o pior é que a humidade também se mantém à superfície. Resultado: muitos rabinhos assados.
  • Dodot Sensitive – Não percebo, também, o alarido feito em torno desta linha. As fraldas são boas. Mas poderiam ser melhores! Parecem-me muito “plastificadas” no interior. Têm uma espécie de rede. E retêm muita humidade nessa camada, o que resulta numa espécie de caldinho a refogar e acaba por originar o mesmo que as Libero.

Aparte: gostava muito de experimentar as Nunex, mas nunca calhou. São portuguesas e ouvi falar muito bem delas. Confere?

Passando ao capítulo da limpeza, impera o seguinte conceito (especialmente nos primeiros tempos de vida do bebé): façam-na da forma mais simples possível. O ideal é utilizar compressas com água, mas este formato nem sempre é o mais prático.

Por aqui, adoramos as Water Wipes (são toalhitas praticamente só com água). Com o passar do tempo, após verificarmos que não havia reacções adversas, começámos a intercalar com as Huggies Pure e com a Johnson’s Baby Gentle Cleansing. Já experimentámos todas as variedades da Dodot, marca branca Continente e Lidl, outras variedades de Huggies e todas elas tendem a deixar o rabinho da Teresa irritado.

Sei que há várias marcas no mercado que disponibilizam linimentos, mas eu diria que é um produto dispensável (de qualquer forma, gosto do da Uriage).

O que fica a faltar nesta conversa? Ah, os cremes da muda da fralda. Aqui tenho uma opinião muito vincada e uma experiência muito positiva com determinados produtos, pelo que me recuso a experimentar outros:

  • Quando a pele está íntegra, com bom aspecto, não aplico sempre creme. Aplico a pasta d’água da Bioderma uma ou duas vezes por dia e chega. Quando vejo que o rabinho está a ficar vermelho, siga deste belo produto em todas as mudas!
  • Quando a coisa é mais séria (muito xixi, cocós mais ácidos), aí recorro à pomada Nutraisdin ZN40 da Isdin. É do melhor que há neste mundo.
  • Uma boa dica caso por cima disto necessitem de um produto tipo talco para ajudar a “secar”: utilizem farinha Maizena. A sério, tal como se fosse pó de talco. Faz-se disto há séculos, está estudado e tem bom resultado.

Penso que não me esqueci de nada do que considero ser importante sobre a temática das fraldas, mas caso tenham dúvidas ou sugestões a fazer é só escrever. Espero ter ajudado alguém com a minha experiência!

8 comments on “Bebés 101: Escolher Fraldas”

  1. As fraldas podem ser boas ou más depende do bebé. Por exemplo eu adoro as da libero ao contrário do que disseste, não tem fugas, não tem cheiros e gosto muito do elástico mas costas. No meu 1o filho n me dei tão bem por exemplo e preferia a dodot. O conselho que costumo dar é experimentarem porque o que funciona no meu bebé pode não funcionar no teu 😉

  2. Tal como tu n fiz grande stock de fraldas…tinha um pacote 1 e um 2 dodot sensitive e comprei mais um 1 da chicco e um 2. Como sabia que o bebé era grande achei que n precisaria de muitas 1, mas desengane-se quem pensa isso porque as 1 dao imenso jeito a um recém-nascido. Não gostei das da chicco…deixaram muito a desejar! Má absorção, rabinho assado…cada muda era uma roupa lavada. Cheguei mesmo a ter de mudar lençóis durante a noite! A partir dai só dodot. As dodot azuis também não gosto…são demasiado plastico, da-me ideia de pouca respiração da pele. A partir do tamanho 3 temos usado sempre as dodot activity e sinceramente para mim são as melhores. São macias, têm boa absorção e é raríssimo o Duarte ter o rabinho assado. Quanto a toalhitas desde que experimentamos as huggies pure nunca mais compramos de outras. Quanto a creme da muda uso o da aderma e gosto bastante!

    • Parecendo que não, as 1 costumam ir bem até aos 5kg! Por acaso não tivemos essa experiência com a Chicco, mas cada bebé é um bebé. Também estamos a experimentar as Dodot Activity agora (irei acrescentar ao post!) e estou a adorar, contrariamente às restantes linhas (que eram usáveis, sim, mas nada de mais). Utilizámos vários produtos da A-Derma no banho, mas nunca usámos o creme de muda.

  3. Olá Guida,
    Por cá começamos com a Dodot Sensitive e Libero. Gostei muito das primeiras, pese que como só produzem até ao tamanho 3 atualmente já não as usemos.
    A Libero realmente criou-me mais situações de fuga, mas nem uma marca nem outra originaram situações de rabinhos assados (aliás, felizmente não passamos por isso fosse com qual marca fosse).
    Para já estamos a usar as Pingo Doce durante o dia, e Dodot Activity Extra durante a noite e temo-nos dado bem, pese que já tivemos umas quantas fugas noturnas, mesmo ainda antes das 12h de rabinho seco prometidas, mas tendo em conta a quantidade de xixi, não sei se marca alguma conseguiria reter.
    As Dodot Activity normais são sou fã, são bastante mais finas. As Laranja (basic) ofereceram-me um pacote e são medonhas, cheiro muito químico, finas que dói. As azuis também não granjearam a nossa atenção pq o meu bebé ficou com a pele ligeiramente irritada no fundo das costas junto à linha da fralda e nem acabei a embalagem.
    Toalhitas uso mesmo só nas saídas. Sensitive ou as Mustela que não raras vezes estão em promo tb.
    Huggies odeio de morte todas as gamas. Parece que de ”desfazem”, não sei explicar. Em casa usamos água morninha ou água de limpeza (que já fomos da Uriage à Mixa). Cremes só mesmo quando quer ficar mais vermelhito e aí vai de Halibut ou o bálsamo reparador da Mustela (que por ser mais denso, acho mais eficaz).

    • Aqui, agora, estou a experimentar as Dodot Activity (abri um pacote no dia em que publiquei o post, aproveitei uma promoção) e, contrariamente às outras linhas Dodot, estou a gostar mesmo muito! Havia, esporadicamente, situações de fuga com as que mais gostava anteriormente e que não têm acontecido com estas em contexto semelhante. Depois, tenho de cuscar as Extra.
      Nunca experimentei utilizar águas de limpeza na muda de fralda, mas adoro a da Mixa até quando é preciso alinhar os cabelitos que ficaram no ar. A propósito, há umas toalhitas da Mixa que (dizem eles) são embebidas na água de limpeza 🙂

  4. Eu uso para as duas fraldas da marca Dia. Sempre nos demos muito bem com elas e não devem muito às Dodot sensitive que usei até elas fazerem 2 meses.
    Toalhitas uso Dodot (um pacote laranja mais barato) mas também uso marca branca.
    Para o rabinho uso sempre eryplast, adoro e em caso de assadura passa num dia ou dois. Nem sequer uso sempre, só quando a pele está mais vermelhinha.

    • Nunca tive grande feedback das fraldas do Dia e agora fiquei curiosa! Não tenho nenhum Minipreço em caminho, mas quando vou à terra sempre é uma hipótese. Essas toalhitas laranja da Dodot são das que menos gostei, deixam a pele sensibilizada e o pior é que, inconscientemente, já nem me cheiram bem 🙁 Têm muuuita fragrância, adocicada ainda por cima, e comecei a associá-la a xixis e cocós, não é uma memória agradável. Dá para acreditar que tenho aqui 4 bisnagas de Eryplast fechadas, no meio desta história? Deram-me uma há duas semanas numa acção da Well’s e as outras 3 ofereceu-mas a minha mãe, que as apanhou numa promoção. Já ouvi dizer muito bem, mas sou tão fiel à pasta de água da Bioderma (em equipa que ganha não se mexe!) que tenho os meus receios. Um dia destes, experimento. É da maneira que até dá para deixar uma bisnaga nos avós, para uma emergência.

Deixar uma resposta