Cá por casa, gabamo-nos de estimar muito tudo o que temos. Gostamos de artigos com qualidade, reciclamos muito e só deitamos algo fora quando já não tem conserto possível. É o que parece estar a acontecer a algumas das malas de viagem que temos. É importante mencionar que, as que precisam de reforma, duram há mais de 20 anos e que não somos propriamente simpáticos com as benditas na hora de as apetrechar para as férias.

Já que é para haver uma reforma, na minha opinião, há vários factores a ter em conta para decidir uma compra: não quero nada demasiado caro, mas tem de ter qualidade. Não gosto de malas rígidas, e os fechos têm de ser resistentes. Para mim, quero uma mala gigante. E, de preferência, bonita, que farta de malas feias (castanhas, pretas, azuis enfadonhas à velhão) já eu tive de usar durante anos. Serviram perfeitamente para viajar, mas se posso escolher malas novas à maneira…

231719_1200_A

Começámos a fazer contas à vida, e até já temos analisado algumas opções em lojas físicas. Pessoalmente, e creio que muita gente concorda comigo, tenho a Eastpak em boa conta no que toca à resistência das malas e mochilas. Tive a mesma mochila do 5º ao 10º ano, sempre pesadíssima, e deixei de a usar não porque estava estragada mas porque arranjei outra mais gira e dei essa a quem dela precisava.

Nem sabia que a marca tinha malas de viagem, mas fiquei encantada quando descobri que para além de existirem, há algumas tão fofinhas, floridas, como a da imagem. Será que sim, será que não?

Deixar uma resposta