Fazer Bebés

Como é que se faz um bebé?

 lata ervilhas 

Os bebés não são mais do que ervilhas especiais que ficam tão grandes, tão grandes dentro da barriga da mamã, que o médico tem que as tirar lá de dentro. As mães não têm grande voto na matéria quando tratamos deste assunto. Quem manda aqui é o pai!

O pai sabe que os catálogos da La Redoute que a mãe recebe não têm só roupa: nos últimos molhinhos de páginas, é possível descobrir um universo de coisas sem utilidade nenhuma ou com funcionalidades a mais. E é por esse motivo que, quando a mãe se distrai, o pai, como sabe onde é que ela deixa o catálogo para ver mais tarde, corre a confiscá-lo. Como não é parvo, sabe que há-de encontrar, algures, uma lata com ervilhas especiais, daquelas que servem para fazer bebés. As latas enganam bem, no caso de terem que ficar na despensa, no meio das outras latas todas. Não se pode perceber que estas ervilhas são diferentes das ervilhas normais que se compram no supermercado para fazer jardineira! E encomenda-se, então, uma lata de ervilhas de fazer bebés. É do conhecimento das pessoas que a La Redoute é francesa e que, portanto, o armazém onde estão as coisas todas do catálogo fica em França, em Paris! E é aqui que a cegonha (que toda a gente nos diz que traz os bebés) toma um papel fundamental no aparecimento dos bebés.

As cegonhas são animais capazes de voar durante dias sem se queixarem, e não consomem muito combustível, o que é importante nos dias de hoje. Senão, arriscávamo-nos a assistir a um défice de nascimentos devido ao preço do barril de crude ou às greves de camionistas! No processo de fazer bebés, a cegonha contribui com o transporte das latas de ervilhas especiais de Paris para todos os outros pontos do mundo.

Quando a encomenda do pai chega à estação dos correios locais, é emitido um aviso que vai parar à sua caixa do correio, a avisar que tem uma encomenda para levantar num prazo de três dias úteis. O pai tem que trabalhar muito para ganhar o dinheirinho que põe a comida na mesa e paga a luz, o gás e as outras coisinhas todas que há lá em casa, e sai sempre muito tarde. Como sabe que tem que ir levantar as ervilhas aos correios, que fecham às seis da tarde, o pai pede ao chefe para sair mais cedo nesse dia. E lá vai ele buscar a lata de ervilhas de fazer bebés, que custa uma pipa de massa!

E as ervilhas vão parar à despensa, à espera que a mãe não consiga chegar a horas de fazer o jantar, um dia, e para o pai meter as mãos na massa. E esse dia não tarda a chegar, quando a mãe tem que fazer relatórios feios até mais tarde e telefona ao pai a pedir para fazer o jantar. O pai não sabe cozinhar, mas vai ao Google e procura a receita da jardineira, e tenta fazer tudo certinho para que a mãe jante e goste do jantar e repita o prato. E são, finalmente, horas de jantar: a mãe chegou a casa com muita, muita fome, e está capaz de comer um cavalo! Este momento é crucial na arte de fazer um bebé. É muito importante que a mãe coma tudo, que coma as ervilhas para que uma delas se implante na sua barriga e cresça. Se a mãe não gostar de ervilhas, o pai tem que ter um poder persuasivo muito grande para a fazer comer. A mãe não tem outro remédio senão comer o que o pai fez para o jantar, porque tem muita fome. É essa a sorte do pai. Come, e o pai insiste para que ela coma mais, e diz que ela está muito magrinha, e ela come, faz caretas de enjoo e tudo, porque não gosta de ervilhas nem dos cozinhados do pai, mas come. Quando acaba de comer, já tem muitas ervilhinhas na sua barriga a competirem para ser um bebé mais tarde!

E o tempo passa e há uma ervilha que está a transformar-se num bebé, lentamente, dentro da barriga da mãe. Esta, nos primeiros tempos, pensa que está a ficar gorda e que anda a comer coisas a mais, e que tem que fazer uma dieta. Até que tenta emagrecer, mas não consegue, e descobre assim que está grávida. Algumas mães ficam muito zangadas com os pais quando descobrem que estão grávidas, porque não queriam ter bebés. Outras há que ficam tão contentes que até se esquecem que um dia tiveram que comer jardineira!

E a mãe vai inchando, inchando. A ervilha, ou o bebé, vai crescendo, crescendo, cresce tanto que quase faz a mãe rebentar! Nesta altura, a mãe sente que é altura de chamar o médico. O pai chama o médico, ou leva a mãe para o hospital. Chegou o fim da gravidez. Nesta altura, o médico traz uma tesoura de podar especial e corta a barriga da mãe, para poder sair o bebé. É por este motivo que os bebés são feios. Não é por causa da tesoura de podar, é porque nascem das ervilhas.

É este longo processo compreendido entre a leitura do catálogo da La Redoute até ao corte da barriga da mãe, quando já está muito inchada, que dá origem aos bebés todos do mundo. Afinal, o que parecia ser uma coisa complicada para todos nós, não é mais do que a história simples que acabei de vos contar!

Comments

  1. Miss*Cat says:

    :O

    Terça-feira, Junho 17, 2008 8:21:00 PM

  2. VE*gan says:

    estou mesmo a ver a cena:
    uma cegonha a sobrevoar paris com a já habitual fralda de pano que leva… uma lata de conservaq de ervilhas!

    Muito fixe! ;D pró ano dou isso a prof de ciencias pra ela aprender mais um bocado! (ou não)

    Bjs

    P.S.: tens toda a razão, as ferias não duram pra sempre… mas a paciencias "tem de"! 😀

    Terça-feira, Junho 17, 2008 9:58:00 PM

  3. ilhéu says:

    Sinceramente, nunca tinha pensado na relação tão íntima entre a cegonha, as ervilhas, o jardineiro, a tesoura de podar e a revista la Redoute. Mas depois desta explicação vejo tudo com mais clareza…Bjos

    Quarta-feira, Junho 18, 2008 3:46:00 PM

  4. Maria says:

    Muito bom este texto, muito criativo, diverti-me imenso. E como diz o "ilhéu", agora é tudo claríssimo, não há qualquer dúvida sobre os mistérios da concepção!

    Bj

    Quinta-feira, Junho 19, 2008 1:25:00 AM

  5. Miss*Cat says:

    ah, ja sei a historia do canal 2
    :]

    Quinta-feira, Junho 19, 2008 8:56:00 AM

  6. Miss*Cat says:

    contou sim! acheii hilariante. só ele sabe o que eu me ri xD

    Sábado, Junho 21, 2008 1:40:00 AM

  7. Miss*Cat says:

    pobre alma atormentada :]

    Domingo, Junho 22, 2008 12:58:00 PM

  8. Jessi says:

    Meu Deus…sou uma ervilha. Sempre pensei que tinha nascido de um ovo (daqueles da Kinder). Isto explica muita coisa.

    Domingo, Junho 22, 2008 9:50:00 PM

  9. ilhéu says:

    Sabes, Charlie, The Sinner, ontem soube que há pelo menos mais duas pessoas minhas conhecidas que vêm aqui ao teu cantinho com regularidade, gostam muito do que escreves e se divertem imenso. Incentivei-as a deixarem mensagens e prometeram que o farão. Tens mesmo de continuar. Bjos

    Quinta-feira, Junho 26, 2008 11:24:00 AM

  10. ::::: says:

    Esta tua teoria é hilariante!
    E possível!!! 😀
    ………………..
    Eu sou uma das 2 pessoas de quem fala o Ilhéu.

    Ilhéu: Como prometido, aqui está o meu coment.

    Charlie: Vou voltar!

    Sábado, Junho 28, 2008 11:14:00 PM

  11. ♥ Guida says:

    Ah, caro ou cara :::::, muito obrigada pelo comentário!

    Volte sim, que o blog gosta de si!

    Domingo, Junho 29, 2008 11:44:00 PM

  12. JoanaRiita* says:

    as ervilhas nunca me enganaram +.+

    Quarta-feira, Agosto 19, 2009 7:19:00 PM

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *