Tenta-se uma marcação de consulta urgente para o médico de família, porque já não há CATUS. Não se consegue uma consulta, até porque os telefones do serviço servem só para enfeitar. “Temos muitos doentes à segunda-feira e o tempo que sobra é para lanchar”, diz quem atende ao fim de muita insistência com quem está no telefone geral. Pessoa essa que pede para não a aborrecer muito, que se enerva, que não tem nada a ver com os telefones dos serviços. Bom, pode ser que eu me enerve também e vá lá quando estiver melhor para pedir o livro vermelho.

“Para hoje já não há consultas urgentes, pode ser amanhã? Esteja cá às oito da manhã!” – então não estou? Estou com 38,3ºC de febre, desde sábado que não estou bem. Afinal, qual é o conceito de urgente que me está a escapar? Bom, fiz-me à subextensão das urgências e por lá fiquei até agora. Com uma bruta otite, cheia de frio, dores de cabeça, garganta e barriga. “Ah, 37,8ºC, baixou. Tomou alguma coisa, não foi?”, tufas, já almoçaste uma pulseira verde.

E o melhor é que pelo caminho há sempre uns pacóvios que teimam em meter o bedelho em vida alheia. Então estão mal porque estamos a escrever, porque estamos a escrever a cor de rosa.

No fim da história: cá estou, com dois antibióticos, anti-inflamatório, cortisona e xarope para a tosse. Ah, e recomendação de uns três diazinhos em casa a descansar.

Bonito.

So, in a few words, our beautiful national health system has had better days. I am sick since last saturday, today I had to see a doctor and I spent the entire day waiting for my turn to go. In the end of the story, here I am with lots of medicines to take and with a recomendation to stay at home resting for the next three days.

6 comments on “É assim quando se precisa de um médicoIt is just like this when you need a doctor

    • Um bocadinho, só, eventualmente. Curiosamente apanho sempre enfermeiros patós. E médicos patós. Já hoje tive de voltar, desta feita consegui na médica de família, porque o senhor doutor me prescreveu um inalador que deu cabo de tudo. Mas sim, desde que deixou de haver CATUS é sempre Santo António, é mesmo aqui ao lado.

      Beijinho

Deixar uma resposta