78796_350_B

Le Comptoir Scandinave

Já que estamos numa de calçado controverso e de novidades que de novas nada têm, contem-me: o que é feito das socas?

São confortáveis, existem desde sempre e de quando em vez lá voltam à ribalta. De há dois anos para cá, têm reaparecido. Para meu deleite, devo dizer, que as adoro. Mas, ah, parecem Crocs. Ena, quem calça isso são as peixeiras. Não, não e não!  A única coisa que é denominador comum entre as socas e outro calçado pouco engraçado é o conforto. E isso, minhas amigas, é um ponto a favor das benditas.

As socas lembram-me a minha infância. Quem cresceu nos anos 90, ou antes, saberá do que falo. Bem me lembro das correrias anuais às sapatarias, pela Primavera, para encontrar umas socas novas bonitas e à maneira. Geralmente, as socas eram lisas e havia várias cores disponíveis. Algumas eram pirosas e cheias de tachas redondas prateadas. Nunca tive umas dessas. As minhas eram sempre lisas e pretas.

A tradição das socas manteve-se e tenho uns quantos pares, hoje em dia até já é possível encontrar socas com padrões bem giros mas cujo modelo é fiel aos clássicos de antigamente. Calculem vocês, até tenho um par preto que já pertenceu à minha mãe há muitos, muitos anos atrás.

Para minha felicidade, hoje em dia até já há botas cuja sola e a biqueira lembram socas. No próximo Inverno, vou querer umas para mim.

Deixar uma resposta