Ou era uma vez uma história sobre cabelos. Sobre os meus cabelos.

Vá-se lá entender, obras da genética, quando era bebé tinha muitos, muitos caracolinhos. Tinha uma espécie de carapinha que, segundo consta, levava as pessoas que não conheciam a família a perguntar se tinha ascendência africana.

Não tardou muito para que, por volta dos três anos, os caracóis fugissem todos e ficasse com o cabelo liso. Pela foto não adivinham, não tenho outra para mostrar agora, mas ficou liso que nem o das índias. Ou das indianas!

Passou por uma fase em que não era nem carne, nem peixe. Era terrível. Era forte, era muito e eu não sabia o que lhe fazer. Cheguei a tê-lo até ao fundo das costas, mas graças à minha negligência e ao meu desconhecimento sobre o assunto dos cabelos, aos treze anos tive de o cortar curtinho. Não muito curto. Vá, como se cortava nos anos 20. Sem franja! Ficou muito bonito quando saiu do cabeleireiro, esticado e imaculado, mas depois o resultado foi o medonho cabelo-vassoura. Nem mostro fotografias dessa mesma época que é para não vos assustar mais…

Só aos quinze anos é que tive tréguas e os caracóis voltaram. Mimei-os muito por vários anos. Até que…

… Quis mudar. Decidi que queria uma franja, e fi-la em casa. Arrependi-me tanto! Quem tem cabelo encaracolado, vai entender o desgosto.

Depois, quis ter o cabelo muuuito comprido. Chegava quase ao fundo das costas, tive de o cortar abaixo do peito por causa das pontas espigadas e ficou como vos mostrei há muito tempo neste post.

Descontente, agora queria o cabelo mais curto. E comecei a cortar. Também vos mostrei como ficou.

E continuei a cortar, a cortar… Chegou a dar pelo nariz em Dezembro de 2010. Felizmente, que eu conheça, não há registos desta fase!

E resolvi que queria o cabelo liso. E chegou a era do ferro de alisar.

Depois, decidi que queria cabelo comprido. Enquanto cresce, nada como usar extensões.

E franja? Claro que estava fora de questão cortar uma franja, mas não descansei enquanto não encontrei extensões de franja.

Em Novembro, fazia mais de dois anos que não visitava o cabeleireiro. Fazia tudo em casa, mas não estava muito satisfeita. E eis que o cabelo foi todo escalado.

Desde então, tem crescido mais ou menos em paz. Pinto-o de preto e adoro. Não tenho usado extensões porque a ver bem o meu cabelo está tão comprido como elas. Não tenho usado franja porque não me apetece.

Mas continuo a queixar-me muito porque: se deixo o cabelo ao natural, encaracolado, passo frio e tenho que usar alguns produtos para que seja possível domar a juba. Tenho muito cabelo e é seco, e desta forma tenho de o lavar todos os dias para o pentear. Faz mal e é desagradável. Se decido alisar o cabelo (já ponderei e está mesmo excluída a hipótese de fazer um alisamento definitivo), começa a ser uma espécie de tortura porque começa a ficar mesmo, mesmo comprido.

Sei que sou uma sortuda com o cabelo que tenho, mas já lá dizia o ditado que Deus dá nozes a quem não tem dentes.

32 comments on “Dá Deus nozes a quem não tem dentes”

  1. eu fui ao contrário,nasci com o cabelo liso e com seis meses cortaram o meu cabelo,ficou uma juba!até hoje tenho tanto cabelo que podera doar cabelo,mas infelizmente como tenho cabelo encaracolado,tenho ele no meio das costas,quando molhado e nos ombros quando seco,dá-me tanta raiva!

    • A minha mãe queixa-se quase do mesmo. Acho que a minha avó teve a infeliz ideia de lho cortar muuuito curto quando era bebé e o cabelo ganhou uma força descomunal. Eu queixo-me, mas bem sei que a minha mãe (ela sim!) tem cabelo complicado. É assim uma espécie de cabelo africano. E o mais engraçado é que sou eu que trato dele! Imagina o tempo que preciso para que fique todo esticadinho.

      Conheço o drama do comprimento, o meu ao natural mal passa dos ombros e esticado também já está a meio das costas. O que vale é que o meu cresce muito rápido!

      Beijinho

  2. Pois é, Guida… Eu conheço essas história muito bem! Quando tinha 1 ano viraram-se para a minha mãe e disseram “aiii um pretinho!!”. Queres imaginar a cara de horror da minha mãe? (visto que não tenho quaisquer ligações africanas) Exato. Eu também tive esse cabelo carapinha que.. lá para os 5/6 anos ficou liso liso liso! Depois aos 10 ganhou um volume descomunal e só depois é que encaracolou! Também tive uma fase de insatisfação, queria-o liso, mas agora vejo que o meu cabelo até que é bem bonito! Tento lavá-lo de 2 em 2 dias e ponho um leave in e ele lá se aguenta mais ou menos..

    Beijinhos!

    • Era tão mais fácil que o cabelo se mantivesse apresentável sempre e sem qualquer esforço! Como dizes, caracóis são bem bonitos. Depois, somos bombardeadas por uma sociedade que quase exige cabelo liso. Já viste que não há tutorial de cabelos que comece sem que o primeiro passo seja alisar todo o cabelo? Há uns dias lembrei-me de uma ideia boa a esse respeito. Logo mostro!

      Beijinho

  3. Guida,
    o teu cabelo é mais ou menos como o meu, mas ao contrário de ti eu adoro-o:) ! Trato dele como não trato de mais nenhuma parte do corpo! Dou-lhe tudo o que necessita; máscara, amaciador, shampoo, espuma e secador mas com difusor! Sou, e o meu cabelo também, absolutamente contra ferros de alisar,primeiro porque detesto o meu cabelo liso e depois porque é um dos factores que mais prejudica o cabelo! Ah e só lavo dia sim dia não 🙂 Trata-o bem com bons produtos que o teu grau de satisfação vai aumentar 🙂
    Beijinhos

    • Não, não, fui mal interpretada! 🙂 Eu amo o meu cabelo, não gosto nada é de ter de perder eternidades a tratar dele. De ter de o lavar todos os dias (com todos esses cuidados que referes, tirando a espuma e o secador com difusor que só uso muuuito de vez em quando). Eu estou satisfeita, mas gostava que o cabelo fosse mais cooperante por vezes. De momento até atravesso uma boa fase: lavo, penteio, deixo secar e aplico um pouco de laca só para não desandar. E estou pronta! Mesmo abusando do ferro de alisar, da pintura e de montes de produtos, o meu cabelo conserva-se forte e bonito. Em resumo, é a tal história de volta e meia não conseguir fazer nada dele e ainda agravar coisas um pouco piores que cabelo indomável (a minha psoríase, por exemplo, não gosta nada de levar sequer com água em cima todos os dias!).

      Beijinho e boas caracoletas!

  4. LOl faz-me lembrar a nossa conversa de sexta, disseste-me que tiveste muitas fases mas não sabia que eram tantas, minha nossa :O

    Mas olha, se o seu é assim tão versáteis, há produtos para pentear à seco, e podes sempre recorrer aos borrifadores, sem molhar a raiz que assim não faz mal..

    Eu já tentei, o meu não alisa, uma vez tentei fazer uma espécie de permanente para ficar com os caracóis maiores e a única coisa que aconteceu é que fiquei com os caracóis mais relaxados, menos definidos (antes parecia mesmo aqueles cabos dos telefones antigos) e com menos volume, era suposto ficar assim com uns caracóis mais abertos como o teu mas nada.. eu desistti, ele é assim e pronto lol

    • Os borrifadores fazem parte da família, sim, mas com os produtos de pentear a seco não me entendo. Mesmo com os borrifadores nunca fico totalmente satisfeita porque no fim parece-me que o cabelo fica com uma textura estranha com os produtos que vou acumulando por não lavar completamente. Nós que temos caracóis bem sabemos o que é o abuso de produto, porque tem mesmo de ser. Agora estou numa fase boa, para ficar com o cabelo como na sexta-feira basta aplicar alguma laca depois de seco ao natural e estou óptima! O problema é que tenho de o lavar à mesma, porque não dá para pentear (o pente/escova não passa mesmo!) e quando dá, fica uma valente caca.

      O teu cabelo é LINDO! Não faças asneiras 😀 O meu namorado tinha-o assim como dizes, como os cabos dos telefones, e ainda hoje se arrepende de o ter cortado 🙁 Ele fica bem das duas maneiras, mas os caracóis dele eram preciosos! Ele chegou a ter o cabelo até à cintura, encaracolado. Imagina se esticasse!

      Beijinho

  5. ahahah, como eu me ri com este post.
    então vejamos, o meu cabelo molhado ganha canudos, canudos PERFEITOS e se o deixo secar assim fica lindo.
    Quando depois o penteio ganha ondas/jeitos que são bonitinhas desde que o cabelo esteja hidratado e com um corte bem escadeado (sn fico c cabelo a mais e estraga tudo).
    Se usar espuma fico com caracois completamente definidos como se eles existissem todos os dias no meu cabelo.
    Se secar com o secador, assim tipo passagem rápida sem mariquices, fica um liso super natural como se eu tivesse nascido assim e por fim se uso um ferro de alisar ele fica liso liso liso sem ter de perder mais de 20 min e isto já eu a ser mt paciente porque em geral 10 min e tá bom.

    o problema é que ele nem sempre tá escadeado e nem sempre está hidratado (especialmente quando testo merd*s no cabelo) o que faz com que as ondas dele nem sempre me agradem por isso eu gostava de ter nascido com um cabelo liso liso liso.. portanto.. eu tenho o cabelo perfeito que dá para fazer absolutamente tudo sem trabalho quase nenhum, mas mesmo assim n sou completamente “feliz” com ele..

    resumindo.. dá Deus nozes a quem não tem dentes 😀

    Ps – adorooooooo a foto da franja que tas encostada a arvore.

    • Ena, obrigada! 🙂

      Sim, nem vale a pena falar dos produtos de tratamento. Agora nem me posso queixar, se o deixar secar ao natural está óptimo para sair. Basta usar alguma laca para não desandar tudo 🙂 Nunca tive problemas com cortes (tirando a franja) ou produtos, porque o meu cabelo é muito, muito forte. Estou a atravessar uma boa fase capilar eheh ainda assim custa-me muito ter de o lavar todos os dias para o conseguir pentear.

      Beijinho

  6. Estou a ver que sofremos todas do mesmo. Nunca estamos contente com o que temos … enquanto que todos dizem que o meu cabelo é muito bonito porque tem jeitos e tal eu gostaria de o ter liso 😀
    beijinho

  7. Que post tão giro. Adoro estas viagens no tempo. Tem graça, há dias lembrei-me de fazer algo parecido, mas com as mudanças de cor do meu cabelo (antes de o pintar, porque então tínhamos aí o arco íris). Ao longo da minha vida, a cor natural da minha cabeleira variou entre o castanho claro, louro e acobreado. Confusões da genética…agora mantenho-o o mais natural possível (um strawberry blonde escuro, que parece ruivo)mas tive verdadeiras crises de identidade durante anos!

    • O meu sempre foi quase preto. Experimentei henna e não fez grande coisa. Experimentei tinta roxa e também não deu em quase nada. Recusei-me sempre a usar descolorante! Agora, pinto-o de preto. Posso ter raízes gigantes porque não se nota quase nada, mas prefiro pintá-lo. Adoro como brilha ao sol sendo mesmo, mesmo preto.

      Beijinho

  8. Oh como te entendo….Já tive o cabelo pingão, depois algo indomável,que nem era liso nem ondulado (era uma juba,) depois rapei-o…e ele começou a crescer encaracolado, deixei-o crescer e fui perdendo os caracois…agora voltei a ter a juba….
    Já pensei em voltar a rapar, e qualquer dia é isso mesmo que faço.

  9. Como te entendo! Passei por essas fases todas, agora quero-o encaracolado, mas tenho tanto cabelo e tão pouco jeito para o domar que rara vez fico satisfeita com o resultado. Bom post!

  10. Olá Guida ! tambem estou a ponderar fazer alisamento, e acho mesmo que o vou fazer, até porque cortei o cabelo mesmo curto e tou pior que vassoura ! o que me vale é o alisador mas com esta humidade nao com dá com nada 🙁
    queria perguntar-te como poes essas extensoes que tinhas nas fotos e onde as compraste? onde arranjaste a franja? tou mesmo curiosa, beijinhooos !

  11. aiii como eu compreendo o teu drama.. eu basta dormir sobre o meu cabelo e puff vira uma juba incontrolavel.. depois tenho de lavar.. e lá está acordar cedo pra lavar o cabelo como deve de ser tds os dias.. de vez enquando recorro ao ferro mas dá cá um trabalhão.. é k tenho muiiito cabelo e fico na boa mais de 1h a faze-lo.. estou mesmo a ponderar um alisamento progressivo.. o meu medo é se estraga ou algo assim..

  12. A verdade é que os teus caracóis são lindos e , apesar da trabalheira que devem dar, têm-se aguentado (mesmo depois de tanta tinta , pois ainda falta a parte das colorações) e vão sobrevivendo 😛
    Os meus, apesar de mais finos, muito mais, também são dos que, sem “chicote” se tornam uma juba estranha e descontrolada mas na verdade eu só quero que cresça e pode ser que, com o peso, fiquem mais domesticados.
    Beeejus

  13. sinceramente? acho que pensas muito no assunto! Devias deixas o cabelo em paz eheh a sério é a melhor política, eu por exemplo tenho um cabelo espetacular MAS quando me ponho a pensar muito acho que está uma porcaria!!! NOT! Depois volto a mim 🙂 e vejo que tinha era tempo livre a mais eheh

Deixar uma resposta