Ultimamente, verifico que andam no ar as polémicas com os compostos tóxicos dos nossos cosméticos e maquilhagem. Confesso que não me ralo muito com o assunto e que não sou nenhuma maníaca anti-parabenos e alumínios e outras coisas que tal (se puder evitar, é claro que o faço), mas saber que muitos dos batons que por aí andam têm chumbo (deste elemento já nós conhecemos perfeitamente os malefícios!) assusta-me, e muito.

Penso que no passado as pessoas (falo daquelas que viveram nas cidades e sempre foram mais vaidosas) andaram muito mais expostas a este tipo problemas do que nós na medida em que a Ciência ainda estava muito às escuras e usava-se tudo e mais alguma coisa sem ponderar os riscos que trariam no futuro e, ainda assim, nunca ouvi falar de ninguém a morrer por usar maquilhagem (falo de uma antiguidade moderna, dos batons de chumbo e não da galena que se usava para pintar os olhos, por exemplo).

Descobriu-se que o que era radioactivo afinal era letal, que o tabaco não fazia bem à saúde, que o amoníaco das tintas do cabelo é cancerígeno, entre outras coisas. Vejam bem, até os desodorizantes e os antiperspirantes causam polémica por terem compostos como o alumínio, mas destes tanto há estudos que dizem que os constituintes do produto estão directamente relacionados com o cancro como há estudos que dizem que não há provas suficientes para tirar conclusões a favor ou contra.

Prefiro não me alarmar com este tipo de coisas, até porque para que causem danos no organismo, este tipo de substâncias tem que estar numa concentração bastante elevada, e as autoridades responsáveis pela nossa saúde nem sequer permitem à partida que se exceda uma determinada quantidade de substância por produto. Para que haja, de facto, uma concentração elevada dos compostos dos nosso produtos no sangue são precisos anos, às vezes perto de um século, é se usarmos e abusarmos diariamente dos nossos produtos, o que definitivamente não é saudável – tod@s nós sabemos que menos é mais!

Se me preocupo com as minhas escolhas? Claro que sim. Maioritariamente por ser mais do que alérgica a uma série de coisas. Tento sempre escolher o mais simples e tento trazer para casa produtos que respeitam as peles sensíveis, que não trazem montes de porcaria na sua composição, que não sejam testados em animais (tema para outro post – há certas situações em que concordo com os testes em animais, embora ache mais justo que sejam testados em criminosos), que não resultem da destruição de florestas e por aí fora. Há males com que temos que arcar, mas se os podemos evitar, por que não?

Ora, este floreado todo serve para vos alertar e sensibilizar: leiam os rótulos e informem-se sobre as vossas compras. Isto aplica-se a todo o tipo de compras, embora esteja a falar especificamente da cosmética. Comparem produtos, testem e descubram o que é melhor para vocês.

Agora até há maquilhagem mineral, que não é tão má para a pele (dizem que até podemos dormir com ela porque não traz problemas, mas será que tem algum benefício? Não me parece) e que cada vez mais surge de todas as formas possíveis e imaginárias e promete ser banalizada e deixar para trás a maior parte da maquilhagem que usamos actualmente.

Há marcas que apregoam comercializar produtos verdes (e eu quero muito acreditar que não estão a mentir), sem tantas coisas más, e nem todas são caras! Sei que às vezes é complicado comprar por catálogo, pois algumas destas marcas só vendem desta forma. Experimentem, falem com quem já experimentou. De repente, lembro-me da Yves Rocher que sempre teve políticas a favor da Natureza e tem cada vez mais preocupações. Há muitas outras, esta é a que me é mais familiar: a qualidade é óptima e os preços também! Ah, e os batons não têm chumbo! Se estiverem interessad@s em comprar algum produto e não souberem bem como, contactem-me que eu dou um jeitinho.

Sem alarmismos, vamos tod@s prestar mais atenção àquilo que usamos e vamos tentar corrigir o que está mal nos nossos momentos de mimo e vaidade.

13 comments on “Conhecem o que Põem na Pele?

  1. Renata: Presta, sim! Mas sem pânico 😛 Não andas pelo Alentejo, cá para as bandas do litoral?

    Gisa: Eu ainda não os mandei para o galheiro porque não uso batons de côr com muita frequência (batons e namorados são incompatíveis :P) e porque me dá pena… Mas quando me ponho a pensar no veneno que são… 😐

    Beijinho

  2. Eu sou tento ser muito fiel a todos os produtos que utilizo no meu corpo e sinto-me mal quando mudo de marca, é como se tivesse a trair. Mas tenho um carinho muito especial pela Nivea. É a que está sempre em primeiro lugar nas minhas escolhas.

    beijinhos*

  3. A Guida sabe falar de assuntos importantes 😀 E realmente tens razão, devemos ter mais cuidado com aquilo que usamos.

    Eu já deixei de usar antitranspirante por cauda dessa polémica, apesar de não haver uma opinião unânime… mais vale prevenir 😛

    Beijinhos *

  4. A verdade é que eu não dou muita atenção a essas coisas mas… As vezes que me maquilho ou passo creme no meu corpo é mesmo raro… Sou muito preguiçosa, embora esteja a mudar de atitude!… E vir aqui ler-te dá vontade de passar um cremezinho… Uma cor nos olhos todos os dias, hehehe!… Até as unhas andam mais cuidadas, lol… Antes só viam o corta-unhas e muito raramente um verniz!…

    Beijinhos ;P

  5. Inês: É verdade, mas também gosto de experimentar coisas novas de quando em vez!

    Laçocorderosa: Eu sou mal cheirosa de mais para isso 😛 Já experimentei só desodorizante e sinceramente não deu muito resultado. E também já experimentei desodorizante feito em casa. Portanto…

    Su: Muito obrigada 🙂

    Libelinha: Fico feliz 😀

    Beijinho

  6. verdade, verdade, faz um tempo, mas ví certa reportagem sobre este mesmo assunto. Dos produtos que mais gosto, tem os da Natura, que envolvem além de preocupação com nós, com a natureza.

    beijinhos!

  7. Desi: Infelizmente, cá em Portugal não há essa Natura 🙁 Vocês falam muito bem dela e eu cá não posso experimentar!

    Cat: É, epá, não é preciso ralarmo-nos muito, mas coiso…

    Beijinho

Deixar uma resposta