Categoria: Vintage

Verão Rio Sixties

10506783_10202423821256228_4870181522512007530_o

IMG_0892

Apesar de este ano o Verão estar bastante tímido por terras lusas, não podia ter começado de melhor forma que em companhia de grandes amigos, num óptimo dia de convívio. O que pode ser melhor do que uma grande festa de celebração do Verão e da beleza em modo sixties, com tanta gente que comunga do mesmo interesse?

BeFunky_null_3.jpg

Foi assim que começou a minha estação do ano preferida, nas Portas do Sol (café/bar super fancy!), a convite d’O Boticário. Na ordem dos trabalhos, se é que me entendem, esteve a apresentação/demonstração da linha Make B Rio Sixties pelo grande Fernando Torquatto, maquilhador responsável pela criação de toda a linha Make B e consultor da rede Globo.

IMG_0833

IMG_0837

A linha de maquilhagem em si já chegou a Portugal há mais tempo, mas nem por isso ficou descontextualizada, já que é inspirada no calçadão do Rio de Janeiro e nas tendências dos anos 60, pelo que é a cara do Verão. Foram feitas demonstrações de looks de maquilhagem na Vanessa Martins (actriz), na Margarida Almeida (blog Style it Up) e, oh yeah, na vossa Guida. Euzinha mesma! Já posso gabar-me de ter sido maquilhada pelo super maquilhador das estrelas, e ainda tirámos uma selfie. Foi um grande privilégio, e apesar de eu ter ido vestida e maquilhada a preceito para a ocasião, as sombras utilizadas no meu look foram a cereja no topo do bolo.

10444567_10202430293258024_8344534124786231829_n

10333752_10202436353049515_4270020196222622852_o

Entre conversa, abraços, e muita diversão, seguiu-se um almoço bastante descontraído. Deu para rever tantas amigas e matar saudades, que já se sabe que nem sempre a correria do dia-a-dia e a distância (sim, as giraças do Porto também vieram!) nos permitem ver as pessoas de quem tanto gostamos com frequência. A família O Boticário cresce, mas nem por isso se perdem os bons hábitos típicos de quem cultiva sempre o carinho e a beleza nas pessoas. Duvidam? Ora vejam o vídeo abaixo, mas não me responsabilizo se depois desejarem ter lá estado.

Vêem por que é que gosto tanto desta família?

Vestido – Vintage, feito pela minha avó

Sandálias – Mel

Brincos – Vintage

10341452_10203111943612886_4785078022478303828_n

Rosalface

rosalface

Dos hábitos que nasceram comigo, consta o sabonete tradicional. Há muito tempo que não falo desta preferência. Vou-me rendendo aos géis de banho e sabonetes líquidos, que fazem muita espuma e têm aromas e texturas muito apelativos, mas não há conforto e limpeza como na velhice dos sabonetes em barra. O Rosalface da Ach Brito, porém, não é o meu favorito para a higiene. É muito bom, sim, mas tem características que o colocam numa categoria especial.

Considero que o Rosalface é delicado de mais para ter morte imediata numa qualquer saboneteira do quarto de banho. Há anos que vários irmãos desta família habitam as caixas e gavetas cá de casa, porque a fragrância rosa-talco é duradoura e cai bem nos têxteis. Existe um factor determinante no encaminhamento para esta função especial: é um sabonete que não se desfaz em óleos e gorduras ao longo do tempo. Embora não haja grandes detalhes ou desenhos para manter intactos, tenho pena que o Rosalface se desintegre nas lavagens de mãos, o que faz com que só esporadicamente apareça um perto do lavatório.

A Ach Brito fez o favor de nos lembrar que existe, e eu sou totalmente a favor do uso do sabonete tradicional nesta era de modernidade. Foi um transtorno muito grande, há uns anos, querer encontrar relíquias destas e serem raros os sítios que as disponibilizavam. Só havia uma vantagem: os preços eram substancialmente mais agradáveis do que o que se tem verificado de há um ou dois anos para cá. Ainda assim, os sabonetes continuam a ser mais económicos que os géis de banho, no geral. Na minha opinião, há hábitos antigos que são impagáveis e não se deviam perder.

Lisbon Blinner – Impressões

Lisbon Blinner Blog Meeting
A fotografia de grupo

Cá está o post que já devia ter saído há 500 anos sobre o evento mais mediático dos últimos tempos. Especialmente para quem não pôde ir, deixem-me que vos faça pirraça. Ainda não tinha dito grande coisa sobre o Lisbon Blinner – The Pinup Edition porque para além de andar a correr, ocupada com uma panóplia de assuntos que tiveram de ocupar um plano prioritário na minha vida, confesso: estava à espera das fotografias oficiais do jantar, e das restantes que foram sendo tiradas um pouco por toda a gente… Menos eu! Gosto tanto de viver os momentos que me esqueço de dar uso às máquinas fotográficas. Por isso, e para que fique já tudo esclarecido, podem clicar em cima das fotografias deste post para serem redireccionadas para as autoras.

Lisbon Blinner Blog Meeting
As organizadoras: Jael (Coquette à Portuguesa), Joana (Joana Arêde Cotovio Makeup Artist) e eu. Falta a Patrícia!

Em primeiro lugar, digo-vos que a escassos dias do grande jantar andei a stressar com receio que algo não corresse bem. Felizmente, correu tudo às mil maravilhas não só graças ao esforço das restantes organizadoras (a Jael, a Joana e a Patrícia) mas também porque tivemos a Joana sempre ao nosso lado, disponível para ajudar com tudo. Mesmo não fazendo parte da organização, acabou por fazer. Teve um papel fulcral. Foram todas incansáveis! É claro que ter presente no Blinner um grupo de bloggers de alta categoria, todas lindas, simpáticas e super acessíveis e compreensivas também foi essencial para o sucesso do evento.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Eu e a Ana Rita (Let’s Talk About Beauty), que é família!
Lisbon Blinner Blog Meeting
E a Sara (Eighteen and a Life) e eu, que tenho pena que ela more lá longe porque gosto muito dela, também

A ideia das pinups foi do melhor, porque deu perfeitamente para identificar (quase) toda a gente do nosso grupo só pelo batom vermelho. Enchemos o The Great American Disaster de mulheres bonitas! Gostei muito de conhecer umas quantas caras novas e pôr a conversa em dia com outras tantas. Vejam bem, até do Porto vieram algumas amigas! E de Leiria, e de outros locais relativamente distantes de Lisboa. É importante mencionar este facto para que quem nos vê de fora perceba como este tipo de encontros são relevantes.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Ana Rita (Let’s Talk About Beauty), Tânia (Makeup Pt), eu, Joana Cardoso (The Paper and Ink) e Giselle Limirio (Unique by Gi). O Porto veio até nós!

O jantar demorou muito tempo a ser servido, mas foi compreensível porque houve alguns atrasos e também faltas de presença das quais não tivemos conhecimento em antemão. Ficámos aborrecidas, mas quem perde foi quem não compareceu. Tivemos pena porque o número de vagas era limitado e poderíamos ter dado uma oportunidade a outras pessoas. À parte deste detalhe, tudo estava impecável. Creio que toda a gente adorou e ficou satisfeita com tudo o que aconteceu.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Os sorteios durante o jantar! Ah, a loiraça mais gira é a Joana Sousa, a nossa fotógrafa-maravilha!

Como eventos de bloggers não o são sem goodies dos bons para trazer para casa, experimentar e divulgar, toda a gente levou para casa um saco recheadíssimo (e mega pesado, imaginem quem foram as quatro malucas que alombaram com eles até ao carro, e do carro para o restaurante…), para além de um prémio aleatório atribuído por sorteio. Durante o jantar, também tivemos direito a massagens de mãos oferecidas pela Lush e pudemos brincar com algumas máquinas instantâneas da Fujifilm. Espero que tenha correspondido às expectativas!

Lisbon Blinner Blog Meeting
A sobremesa especial feita pela Valorfúchsia.

Deixo-vos abaixo uma lista dos blogs participantes nesta edição do Lisbon Blinner e uma lista das marcas que tão amavelmente colaboraram connosco. Muito obrigada, do fundo do coração!

Lisbon Blinner Blog Meeting
Na converseta com a Maria Inês (Mantinha de Retalhos) e com a Tânia Argent (Makeup Pt).

Em breve, no que depender de nós, haverá uma nova edição. Não fiquem já ansiosas, que a seu tempo divulgarei tudo. Até lá, contem com umas quantas reviews de novidades recebidas durante o jantar.

Blogs

Coquette à Portuguesa | Joana Arêde Cotovio Makeup Artist | Makeup Lover | Mantinha de Retalhos | Chocopink | Fabiana Words | Vinte e Três | Makeup Pt | Making Up Colours | Drawing Dreaming | Love Your Style | O Blog da Susy | White Cat Under the Sun | Eighteen and a Life | Let´s Talk About Beauty | Beauty Magpie | V’Blogue | The Unknown Pearly Girl | Nobre Sonho | Unique by Gi | Beauty Roots | Luxurious Skin | Cheap Friday | Neuza Mariano | Sara Lima Makeup Artist | The Paper and Ink | Carla Cunha Makeup Artist | My Fashion Choices | JS Photography | With Love from B. | O Armário da Beatriz | Best Curvy Fashion | Luana Davis | Vanessa Makes | Diary of Fashion 

Marcas

ValorFuchsia | Ach Brito | Revlon Portugal MakeUp | FunMacia | Cheyenne | Essie Portugal | Argent Makeup | Bell Cosmetics Portugal | Lush Portugal Boom Bap | Corine de Farme Portugal | Kitchen Makeup Boutique | Bioderma Portugal | Magia Pura | MI Vintage Hairstylist | Cosmopolitan Portugal | Makeup Pt Loja | The Secret Bag | Spartoo | JS Photography | Joana Arêde Cotovio Make Up | Fujifilm

Lisbon Blinner Blog Meeting

1535494_651506978242139_378137144_n

Eis um evento pelo qual muitas bloggers aguardavam desde 2012, quando aconteceram as duas primeiras edições do Lisbon Blinner: a terceira edição deste convívio maravilhoso. Acabou-se a espera, ou quase, porque o projecto já está sobre rodas e é já no próximo dia 1 de Março, no restaurante Great American Disaster (Marquês de Pombal, Lisboa) que tudo vai acontecer. Desta feita, vai ser em modo pinup!

As edições anteriores foram organizadas pela The Juicy Glambition, que se encontra agora a viver no Reino Unido. Para que não se perdesse esta iniciativa tão bonita, tinha de haver alguém em território nacional que ajudasse a concretizar as ideias, pelo que eu, a Coquette à Portuguesa e a Joana Arêde Cotovio nos juntámos à organização do jantar.

À semelhança do que já acontecia, podem comparecer ao jantar bloggers de moda e/ou beleza. Já que o restaurante se adequa à temática, para tornar tudo ainda mais divertido e familiar, cada participante deverá levar detalhes pinup (pode ser no vestuário, maquilhagem, acessórios, …). Foi criado um evento no Facebook com mais detalhes sobre o Lisbon Blinner, mas está restrito às pessoas convidadas por questões de controlo de privacidade e para facilitar o controlo das informações que vão sendo escritas. Caso não tenham conhecimento sobre o mesmo e pretendam ser adicionad@s, contactem comigo ou enviem um email para lisbonblinner@gmail.com. As inscrições podem ser efectuadas até ao dia 10 de Fevereiro.

Não se esqueçam, não percam esta oportunidade! Garanto-vos que vai ser bastante divertido e que vão haver imensas surpresas

image002

Tomo a liberdade de partilhar convosco uma linha de maquilhagem com cara de Guida. Falo da linha Peeptoes & Petticoat da Make Up Factory, inspirada nas maquilhagens dos anos 50, nos peeptoes e nas saias rodadas, o New Look de Christian Dior. Não que me vista a preceito mas, na maquilhagem, esta edição poderia ser a minha necessaire de todos os dias. Não tem nada que enganar: eyeliner, rímel, um produto para preencher as sobrancelhas, sombras muito simples (quase sempre taupe ou champagne, esbatidas com outra sombra mais escura) mas que fazem a diferença e batom vermelho. Ou rosa, discreto, só para dizer que realmente usei algo nos lábios. E também há alguns bónus!

muf

Este é o tipo de colecção que, não trazendo nada de novo ao meu arsenal, faz sempre as minhas delícias. Para quem tem lacunas nos produtos básicos de maquilhagem e quer apostar neste estilo retro pinup, não tenho dúvidas de que encontram nesta linha tudo aquilo de que necessitam. A Make Up Factory é uma marca que me tem encantado desde que a conheci porque para além da qualidade profissional a preços acessíveis, tem investido em diversas colecções que lembram o antigamente. Aliás, mesmo na linha permanente é possível encontrar cores alusivas a outras épocas que dificilmente encontramos noutros sítios. Se eu tiver de escolher um item preferido da edição Peeptoes & Petticoat? Acho que não consigo porque, relembro, toda a colecção é composta pelos produtos que considero essenciais na minha necessaire.

reversefrench

Após os estágios desde ano, fiquei com vontade de fazer uma série de experiências nas minhas unhas. A de hoje, foi o que podem ver na fotografia: manicure francesa ao contrário. Penso que é este o nome!

Já há algum tempo que queria tentar fazer algo do género, mas faltavam-me os recursos (leia-se umas quantas “bolinhas” autocolantes de remendar folhas de dossier). Ontem, quando fui às compras, lembrei-me de passar pela secção de papelaria e trouxe o que precisava. As tais “bolinhas” permitem-nos deixar as meias-luas das unhas por pintar com muita facilidade.

Como quero que as minhas unhas permaneçam com a pintura intacta por uns dias, utilizei os produtos de qualidade do costume: o primer Primetime, a base Bonder e o topcoat Sec’nDry (ainda não falei dele com detalhe, mas não tardo a publicar a minha opinião!) da Orly. O verniz vermelho é o Colorstay da Revlon na cor Delicious.

As pessoas com quem lido no dia-a-dia têm-me perguntado o que é que fiz às unhas para estarem tão crescidas (costumo tê-las rentes), especialmente depois de ter utilizado verniz gel. É muito simples: em primeiro lugar, não é suposto o verniz gel danificar as unhas. Depois, não fiz nada de especial. Não apliquei nenhum produto (não tive paciência para tal) e só tenho o cuidado de limar as unhas semanalmente e manter as mãos e cutículas hidratadas.

Ainda não sei qual vai ser a próxima fase: se me mantenho com unhas naturais ou se experimento acrílico; que cores/efeitos utilizo.

Aceitam-se sugestões!

benamor

Por mais hidratantes de rosto que utilize, existe um que acabo sempre por recuperar. Quando tudo o resto falha, existe uma bisnaga que faz milagres como nenhum outro produto, independentemente do estado da minha pele. Confesso que nem sempre lhe dou a atenção merecida com tantas novidades e tantos hidratantes que acabo por experimentar, mas existe sempre um bom stock deste produto lá em casa. Falo do Benamôr, da Nally, velhinho português que era usado pelas nossas avós e continua a fazer sucesso entre as gerações mais jovens. Com tantas tecnologias, tem mesmo de haver motivos fortes para o Benamôr continuar a ser utilizado. Eu já falei dos meus há muito tempo, e gostava que quem chegou aqui ao blog há menos tempo fosse espreitar a tag:

  •  http://aguidaequesabe.com/tag/benamor/

O único senão, para mim, continua a ser o facto de não ter FPS. Como, de qualquer forma, tenho de aplicar sempre protector solar, não é por causa disto que eu e o Benamôr deixamos de ser bons amigos.

peitorais

Tinha eu dito, quando recebi os rebuçados S. Xavier aqui há uns dias atrás, que cá por casa estamos mais habituados a comprar os rebuçados Peitorais. Manias nossas, que nos habituámos ao sabor e ao conforto deles quando o nariz e a garganta decidem pedir alívio.

Calculem vocês que o S. Xavier lê a Guida e hoje, quando fui ver o correio, tinha estes meninos todos à minha espera.

E ainda há quem não acredite em santos nem milagres…

Alerta vermelho – preciso de ajuda!

Whistles-Carrie-skirt-LP

Lembrei-me agora que tenho uma saia plissada vermelha, toda catita, como a da imagem. É velhinha, já deve ter 30 anos (ou mais!) em cima. Nunca sei muito bem com o que é que posso/devo combiná-la. Gostava muito de poder utilizá-la frequentemente, mas tenho os meus complexos. Em primeiro lugar, sou baixinha e o comprimento da saia é perigoso. Fica a meio da barriga da perna. Depois, não sou um palito sem curvas, ao contrário do que é frequente encontrar em imagens quando procuro por possibilidades de utilização de saias plissadas.

Acabo por usar a minha saia sempre da mesma forma, como a minha mãe (ou mesmo a minha avó) teriam vestido. Não me queixo, nada disso, pelo contrário, mas gostava de ter mais possibilidades de a vestir.

Meninas, se fossem vocês, como é que iriam vestir uma saia deste género?

rebucados

… Não sou a única a querer rebuçado!

Foi isto que se passou no início da semana na página dos Rebuçados S. Xavier: eles começaram a cantoria e eu e mais umas quantas fãs respondemos à letra. Acho estas trocas de comentários bastante engraçadas e gosto de participar, quando dou por elas. Surpresa das surpresas, fomos presenteadas com rebuçados. Gosto destes gestos e achei tanta piada que tive de partilhar convosco.

Os meus rebuçados chegaram hoje e bem que vieram em boa altura. Há Mentol e Eucalipto e a variante com sabor a limão. Não é preciso haver um motivo especial para gostar de rebuçados, mas em tempo de constipações e dores de garganta os S. Xavier são essenciais. Normalmente, os que entram cá em casa são os Peitorais.

Muito obrigada pelo miminho, Rebuçados S. Xavier!