Categoria: Tecnologia

Magalhães – Caneta Digital

caneta magalhãesDiz que esta foi a melhor compra dos últimos tempos!

Magalhães ou não Magalhães, estava a precisar de qualquer coisa mais jeitosa que um rato que me permitisse fazer uns rabiscos cá pelas folhas de desenho virtuais que o Paint, Photoshop e afins nos dão.

Se estão na mesma situação e não querem nada muito XPTO (tablets incluídas), esta é uma boa opção.

Vale os vinte e tal Euros que custa, encontram as drivers sem problemas (contactem-me se for preciso) e conseguem fazer coisas bem engraçadas.

Claro está que os traços no computador não ficam iguais aos que desenhamos na folha, mas com jeitinho e paciência tudo se resolve.

Já alguém experimentou esta caneta por aí?

O que vestir amanhã?

modaÀs vezes sinto que alguém no mundo me lê as ideias.

Quando me meto a pensar em algo que não consigo resolver, parece que mesmo que não vá à procura de respostas elas vêm ter comigo. E isso também acontece nos blogues do costume!

Há uns dias, questionei-me sobre a maneira de organizar o vestuário dos meus tios e cheguei à conclusão que, apesar de dar muito jeito no quotidiano, a forma deles de fazer as coisas leva muito tempo e paciência!

Eles tiram fotos de todas as peças que tem e juntam uma lista das possíveis combinações a fazer.

Desta forma, conseguem visualizar melhor tudo o que têm e criar novos conjuntos que nunca imaginariam com tudo arrumado dentro do roupeiro. Pensei, cá para mim, que devia existir um site ou programa onde pudéssemos fazer estas coisas todas sem metade do trabalho. E não é que há mesmo?

Descobri no Chata de Galocha que existe o My Fashion Plate.

E que site é este?

Ao fazer o registo no My Fashion Plate, podemos fazer o upload das nossas roupas, acessórios e sapatos previamente fotografados (esta é a parte que dá mais trabalho e ainda estou a ganhar coragem para tirar fotos a tudo o que tenho no roupeiro! Fica para as próximas arrumações), catalogá-las e posteriormente conjugá-las a nosso gosto.

Também dá para pesquisar noutros sites, à la Polyvore, e adicionar itens à nossa wishlist. Catita, não? Esperem que ainda há mais!

No MFP também podem visitar os roupeiros de outras pessoas e dar sugestões ou classificar peças, e as pessoas podem fazer o mesmo com o nosso roupeiro. Podem ver quais são as tendências de moda actuais, pedir ajuda de estilistas que nos aconselham sobre o que nos fica melhor, são só coisas boas!

Da próxima vez que forem esvaziar o roupeiro para escolher o que vão vestir, pensem duas vezes. Não é tão mais fácil ver o que vestir em dois ou três cliques?

StumbleUpon

stumbleupon

Hoje apetece-me falar de uma das coisas que mais gosto na Internet. Provavelmente, este assunto já não é novo para muit@s de vós.

Tenho a certeza de que a maioria das pessoas que me lêem nunca ouviram falar do StumbleUpon.

E o que é o StumbleUpon?

É uma espécie de canivete suíço na rede. Isto para não dizer que é a melhor rede social de todas! E não quero com isto assustar-vos, porque é uma rede social de qualidade em que cada pessoa coloca os seus sites preferidos sobre os mais diversos assuntos e lhes atribui o tema (ou temas) adequados.

Posteriormente, os outros utilizadores podem pesquisar sobre os temas que quiserem e encontrar as respectivas páginas. Por exemplo, imaginem que a Maria viu um site de culinária de que gostou e deu-lhe um thumbs up (é a maneira de “favoritar” no SU).

Mais tarde, o Zé que vai impressionar a mulher dele ao jantar decide ir procurar páginas de culinária no SU e a dada altura vai encontrar a página que a Maria submeteu. E pode continuar a pesquisar nesse tema ou ir ao perfil da Maria ver os favoritos dela e até mesmo adicioná-la como amiga e trocar mensagens.

Eu, que já pertenço à tal rede desde 2005, já não passo sem o SU por dois grandes motivos.

Em primeiro lugar, é muito mais fácil encontrar conteúdo filtrado e de qualidade do que no Google ou outros motores de busca, visto que passa pelas mãos de outras pessoas.

Assim, se temos um problema para resolver e queremos uma solução, é bem provável que haja um utilizador que já tenha passado pelo mesmo antes e já nos tenha feito a papa.

Por outro lado, o SU também é uma bela maneira de nos entretermos quando não temos nada para fazer.

Ficaram com as antenas no ar? Vão à página principal e criem a vossa conta, toda pipizinha com os vossos dados, interesses e por aí fora. Há-de chegar uma parte em que escolhem os temas a pesquisar, há montes deles! É um mundo sem fim de grandes sites.

Depois, têm que instalar a barra de ferramentas (que não tem nada de malicioso, eu prometo!) no vosso browser, em qualquer sistema operativo.

Se forem em frente, dêem uma espreitadela no meu perfil e adicionem-me!

Telemóveis

telemóveis

Antes de mais, quero agradecer à alminha peregrina que fez o favor de me estragar uma bela e longa manhã de sono com um telefonema às nove e picos da manhã.

Se és o desgraçado do 91 em causa, agradece por não ter atendido e não te ter mandado para sítios muito feios!

Detesto telefones, telemóveis e todos os programas impessoais tipo Skype ou o mais que banalizado messenger que nos permitem falar sem que vejamos a cara das pessoas. Não é assim tão grave quando não conhecemos as pessoas, mas detesto falar com quem conheço e já vi por estes meios.

No entanto, gosto de escrever emails e manter blogues.

A diferença reside no facto de gostar de escrever textos ou artigos sobre o que quer que seja, ou “cartas”, sem que estas se transformem numa conversa.

As pessoas que me conhecem sabem que raramente carrego o telemóvel (penso que estou há mais de três meses sem saldo) porque não sinto necessidade de o utilizar e tenho preguiça de passar numa payshop, sabem que em tempo algum vou atender anónimos ou números que não conheço, a menos que me mandem mensagem previamente a identificarem-se.

Sou o tipo de pessoa que já se fartou de publicidade, de contactos por parte das operadoras, que já inventou as desculpas mais esfarrapadas para despachar essa gentinha parva que quer impingir serviços à força toda (até já disse que a senhora Margarida, a minha pessoa, se tinha reformado e emigrado!) e que a partir daqui qualquer tentativa dessas vai resultar em troca de galhardetes.

Também não tenho sempre o telemóvel comigo, e quando tenho o mais provável é não ter som. Por isso, quando olho para ele há sempre chamadas não atendidas e mensagens do século passado.

E a que se deve esta repulsa por tais bichos?

Tal como já referi, não gosto de meios impessoais de falar com as pessoas. Gosto de ver a cara e as expressões das pessoas com quem estou a conversar e já está mais do que provado que isto das redes sociais, chats e programas da mesma família normalmente fomentam confusões.

Quanto aos telefones, isso não muda. Eu até me assusto quando tocam! E detesto escrever mensagens, tanto como detesto telemóveis novos todos xpto com câmaras fotográficas, jogos e mais não sei o quê. Tanto quanto sei, os telefones e telemóveis foram feitos para permitir às pessoas comunicar quando estão longe umas das outras. Para que é que fazem tanta mariquice?

Eu sei que os tempos mudam. Mas eu ainda faço parte de uma geração que se habituou a acampar desde os cinco anos com escuteiros sem uma única chamada dos pais! Era impossível comunicar e eu achava um espectáculo porque tinha acesso a uma liberdade que me faltava em casa. Uns anos mais tarde, os animadores começaram a ter telemóveis e à noite lá ligavam os papás todos preocupados a fazer uma série de recomendações aos filhos. Foi um estrago!

Comecei a ter amigos com telemóvel e nem percebia qual era a necessidade de os ter. Era fixe?

Tive o meu primeiro telemóvel quando passei para o oitavo ano, quando tinha treze anos. Só mo ofereceram porque tinha mudado para uma escola pública num sítio relativamente problemático e os meus avós não podiam cuidar de mim quando não tinha aulas.

Dois anos depois, ofereceram-me um telemóvel novo porque o primeiro estava a dar problemas e diga-se de passagem que o tal Nokia 7260 dos anúncios era lindo! Ainda funciona, cinco anos depois. Apesar disso, tenho outro telemóvel porque mudei de operadora.

Afinal, o que é que trouxeram os telemóveis?

Chatices. Se antes podíamos andar à vontade, hoje temos as pessoas que se preocupam connosco a controlar-nos, literalmente. Se recebemos menos de três chamadas por dia a perguntar como estamos ou o que andamos a fazer, é pouco.

Também nos trouxeram noites mal dormidas quando nos esquecemos de os desligar! Há sempre uma alma penada que se lembra de mandar mensagens, toques ou mesmo telefonar nas horas mais impróprias. E são sempre aquelas pessoas de quem não queremos saber!

É o ex-namorado com mensagens sobre a vida amorosa dele justamente quando estamos bem acompanhados e a fazer coisas interessantes, é aquela colega parva a quem demos o número numa altura em que perdemos a cabeça a perguntar onde é a aula x ou qual é o trabalho de casa da disciplina y, é a operadora com aquelas mensagens maravilha sobre serviços e promoções ou avisos feios de carregamento, e poderia continuar a lista.

No fim disto tudo, os telemóveis nunca funcionam quando precisamos deles.

Quem já esteve em sarilhos sabe como é: ou não há bateria, na volta não há rede, o saldo foge ou o destinatário não atende (se for uma pessoa como eu!). A minha mãe farta-se de me dar nas orelhas mas raramente atende quando preciso dela!

Já estive mais longe de deixar o telemóvel de lado. Graças a todos os obstáculos à comunicação, à invasão da privacidade, aos anónimos, às fuinhas que ligam a horas desengraçadas e às trafulhices das operadoras.
E ninguém vai conseguir mudar a minha opinião quanto a este assunto!

Gostam de Brincar com Fotos? Cá Vai Uma Sugestão.

Tenho quase a certeza que a maior parte das pessoas que me lêem gostam de pegar em fotografias e torná-las mais bonitas, de uma forma ou de outra.

Sei também que há muita gente que não sabe mexer em programas de edição de imagem muito complexos, quanto mais fazer grandes acrobacias! A juntar a este grupo, existem ainda as pessoas que não gostam de fazer downloads ilegais e que, por isso, gostam de programas gratuitos.

Para resolver estes problemas, hoje venho falar-vos do Photoscape, que é um programa coreano (estejam descansad@s que tem várias opções de línguas!) muito intuitivo e espectacular para obter efeitos muito bonitos em pouco tempo.

Tem de tudo, desde filtros a molduras, é possível fazer uma série de coisas sem se ser um profissional (dá para ver alguns exemplos no site)! Ah, tenho a certeza que quem gosta de dar um aspecto antigo às fotos vai amar o Photoscape! Querem melhor? É gratuíto e muito leve em relação a outros programas!

Experimentem e vão ver que o que vos digo é a mais pura das verdades!

O que É que a Guida Traz na Mala? #2

Minha Mala What's In My Purse

1. Ah, a mala! Esta é grande e preta, de vinil, não a conseguem ver toda mas dá para imaginar. Era da minha avó, veio dos Porfírios. A sério!
2. A minha necessaire. Este veio da secção infantil da Zara Home há coisa de um ano.
3. Óculos de sol da H&M, porque o sol que apanho ainda não justifica o uso de uns óculos de sol como deve ser.
4. A minha máquina fotográfica digital. Anda sempre comigo!
5. “Coraline e a Porta Secreta” – porque depois de ver o filme, fiquei com vontade de ler o livro.
6. A minha carteira da Hello Kitty.
7. O meu porta-moedas da Lanidor.
8. O meu telemóvel.
9. A minha agenda da Hello Kitty com a esferográfica Agatha Ruiz de La Prada.
10. O meu MP3.
11. Lenços de papel.
12. A minha pen.
13. A minha esferográfica Hello Kitty.
14. O meu bloco de notas zebra.
15. O creme das mãos Aseptine Cire.
16. Porque as constipações dão cabo da gente, Halls!
17. A caixinha do batom do cieiro, com o batom lá dentro.
18. Revista Artes Decorativas de Feltro e Trapilho.