Categoria: Tecnologia

Compras do Ebay

anéis ebay

Sou pequenina, tenho as mãos pequenas e os dedos pequenos. É dificílimo encontrar anéis para mim, e foi por isso que já há algum tempo decidi começar a recorrer ao Ebay para adquirir a preços bem baixinhos.

Garanto-vos que dei menos de $5 por cada um deles.

O primeiro, da caveira, foi dos mais baratuchos.

Por sinal, já o vi numa loja online que supostamente desenvolve as suas colecções em Portugal mas que a ver bem manda vir tudo de lojas online chinesas. Uma cujo o nome lembra Coelhinhos Bonitos. Lá, o mesmo anel custa 8,50€. Não comprem coelho por lebre!

Tenho muita coisa para vos mostrar, foi tudo chegando e eu sem me lembrar de partilhar.

O Ebay é mesmo o mundo! Costumam fazer compras por lá?

Facebook Kids

facebook criançasOntem descobri que as minhas primas de dez anos têm perfis no Facebook.

Os pais têm conhecimento, é certo, mas mesmo assim não deixa de ser medonho.

Ambas têm fotografias. Uma delas nem sequer deixa adicionar amigos, o que me deixa um nadinha mais aliviada. A outra, tem o mural à mercê de quem passa, pois nem sequer controla a visibilidade do que escreve.

Bem sei que as coisas mudam e que quando eu tinha a idade delas mal havia Internet.

Tive o meu primeiro blog aos doze anos. Nessa altura, ninguém pensava em redes sociais. Havia os chats, o mIRC ainda tinha algum peso e era por lá que se conversava.

Mas numa época em que quase ninguém tinha câmaras digitais e os telemóveis só serviam para telefonar e mandar mensagens, não havia essa preocupação. Até porque o mais provável era utilizar um nickname hoje, outro amanhã e por aí fora.

Sou sincera, criança minha não teria autorização para criar um perfil na Internet tão cedo.

Em primeiro lugar, os miúdos são novos de mais para andarem agarrados a computadores. Nem sequer falando na saúde deles, acho que é desde cedo que se aprendem os valores importantes da vida.

Como é possível esperar que tenham força de vontade e que sejam seres amigáveis se têm a liberdade de alapar em frente ao monitor? Acho que aos dez anos socializar significa algo mais do que passear pelo Facebook.

No meu tempo, saltava-se à corda, andava-se de bicicleta, brincava-se. Também se jogava no Gameboy e na Playstation, mas enjoávamos de tudo isso muito depressa. Hoje em dia, joga-se no Farmville, Cityville e outros villes.

Na minha escolinha, teríamos gosto por ter uma horta num canteiro algures. Já estes miúdos, ficam contentes por ter uma horta virtual. Pergunto-me se sabem que o leite vem da vaca e que os morangos não vêm das árvores.

Depois, há a questão da segurança.

Não me venham dizer que os pais controlam, porque não acredito que algum pai tenha controlo total sobre os seus filhos durante todos os minutos do dia. Não me enganem, todos passámos por lá, todos sabemos o que a casa gasta.

E os azares acontecem, muitas vezes porque damos abébias.

Se há coisas em que acredito que quanto mais cedo lidarmos com elas, melhor, esta não é uma delas. Sabem, vejo muitos adultos que deviam ser proibidos de estar em redes sociais pelas atitudes que têm.

Não se apercebem de que qualquer pessoa pode ver o que escrevem e por vezes dizem as maiores barbaridades. Sim, temos liberdade de expressão. Mas também é verdade que a nossa liberdade termina onde começa a dos outros, e muita gente não se apercebe dos limites.

Se é este o exemplo que as pessoas grandes dão, como esperam que os mais novos tenham bom senso? Nem falo dos falsos perfis de adultos mal intencionados.

Falo de pessoas relativamente influentes, que sabem que há malta miúda a vê-las e que ainda assim jogam muitos palavrões para o ar, a par de afirmações grotescas (como pessoa tal que há tempos afirmava que quando as jovens se vestem de forma “provocatória” merecem o assédio de que sofrem por vezes).

É que, a meu ver, grande parte da nossa formação humana vem dos exemplos que tivemos. Por vezes, não conseguimos distinguir o exemplo bom do exemplo mau.

Chamem-me forreta, mas a isto eu faço “não gosto”.

Guida Hackada

É verdade, parece que três anos sem chatices de gente ruim estavam a ser bons de mais.

De tal forma que ontem quando estava a preparar-me para entrar no blogue e vir dar um ar da minha graça, deparo-me com um WordPress cheio de erros e viroses, virado do avesso.

Se entrei em pânico? Não senhores! Vá, só um bocadinho, que isto de andar por aí a espalhar bichos maus pelos computadores alheios é uma coisa muito feia e eu espero não ter prejudicado ninguém.

Felizmente, faço sempre backup de tudo e por isso foi fácil deixar tudo direito novamente.

Ainda assim, fica o alerta para quem tem blogue no WordPress (e não só):

  • Mudem regularmente as vossas passwords e chaves secretas
  • Façam backups regulares de TUDO nos blogues
  • Instalem sempre as últimas actualizações do WordPress e dos plugins
  • Cuidado quando fazem login em computadores onde acedem várias pessoas

Estou de volta em força!

Complexos Blogosféricos

Juro que me sinto aliviada por a maior parte das pessoas não querer saber ou não se preocupar com isto dos blogs.

Não quero parecer pretensiosa nem quero o peixe todo só para mim, não senhora.

Simplesmente reconheço que, apesar de saber bem andar por aqui e de gostar de saber o que os bloggers têm para dizer e eventualmente bisbilhotar um ou outro pormenor das suas vidas, pode não ser muito saudável gastar horas e horas de volta deste mundo.

Podia ocupar-me com os outros hobbies, aprofundar estudos, ir passear. Vá-se lá entender, quando posso, prefiro ficar de volta dos blogs.

Como em tudo nesta vida, há opiniões de toda a espécie que surgem da boca de cada um. Nem sempre com conhecimento de causa.

Relativamente aos blogs, quem os tem será sempre confrontado com questões do tipo:

Vais contar isto que aconteceu?

Ou

Não te sentes incomodado por expor a tua vida lá?

Cada um sabe de si e do que publica, mas isto que se pergunta sobre os blogues mostra algum preconceito e ignorância. Basta pensar.

Em primeiro lugar, a nossa vida só é exposta até onde nós queremos, se quisermos. Basta dedicar 5 minutos à procura de blogues e o que não falta são pessoas anónimas com blogs.

Em muitos casos, há também blogues bem conhecidos cujos autores pouco ou nada expõem das suas vidas. E, a expor, é claro que temos plena consciência do que fizemos (deixemos os adolescentes para outro post) e não, não nos incomoda.

É verdade que os primeiros blogs a aparecer não mais eram que diários dos seus autores, com detalhes de actividades das suas vidas diárias. A moda pegou e a tendência foi esta por vários anos.

Felizmente, o Homem é um ser criativo e embora a vertente pessoal continue a existir na maior parte dos casos, a blogosfera cresceu e é possível encontrar quem escreva sobre tudo e mais alguma coisa por estas bandas.

Já a ideia de quem não está a par deste universo, bom, em muitos casos ficou parada no tempo e o blogue continuou a ser “o diário”. E quando não é isto, é pior.

Tens um blog sobre determinado tema? Então, a tua vida só roda em torno desse tema.

Ai falas de moda e beleza? Então és fútil!

E qualquer expressão de inteligência é uma surpresa e mereces aplausos. Sobre isto, nem há comentário ou post possível a fazer…

Até nunca mais*

Qual é rede, qual é ela que tem um atendimento fofinho, tarifários fofinhos e serviços fofinhos?

Leiam tudo num tom muuuito irónico.

É a rede do até já.

Adeus, TMN, até nunca mais. Obrigada pelos tarifários caros e enganosos, pelo mau atendimento, pelos maus serviços.

É assim que perdem clientes que, por mês, vos pagam mais de 50€ (Internet móvel, telefone fixo, telemóvel com pré-carregamento, telemóvel com pagamento por factura…) por serviços dos quais não conseguem usufruir.

Tudo graças à vossa incompetência.

Até domingo, continua a não haver muita Guida.

Isto porque o plafond de Internet móvel foi atingido, não consigo carregar (diz que o número do cartão não existe!) e os senhores do apoio ao cliente não só não apresentam uma alternativa como ainda são mal educadinhos.

Querem fazer do consumidor parvo.

Então, amores da minha vida (sim, leitor@s, pois claro!), contem-me de vossa justiça: qual o melhor fornecedor de Internet móvel do momento?

Estava a pagar 18,95€/mês por 2GB de tráfego na TMN. Pretendo algo mais amigável, de preferência com bom apoio para quando é necessário.

*Não, nem pensem que vai deixar de haver Guida!

Quando o portátil come canja

Computador Avariado
Imagem de fonte desconhecida

Ou A Guida Matou o Portátil, também é um bom título para este post.

É só, só para começar 2011 em grande!

Sim, toda a gente sabe que não se deve comer nem beber ao pé de computadores. No entanto, os computadores portáteis são isso mesmo, portáteis, e as pessoas levam este conceito a peito e presumem que se é portátil, é à prova de tudo.

Não sou excepção.

Estava sentada na cama com o netbook numa perna e a tigela da canja na outra e li algo que me distraiu. O resultado foi um autêntico banho de canja ao meu pequeno amigo que, fazendo bem as contas, durou um ano nas minhas mãos.

Sobreviveu a algumas quedas e a um removedor de verniz manhoso que supostamente não tinha acetona – devia ter algo pior que me corroeu as teclas todas…

Regressando ao acidente. Limitei-me a tentar secá-lo com um pano. Até que começaram a falhar as teclas. Aí decidi desligá-lo, mas o Eee PC 1008ha tem a bateria integrada. E eu fazia lá ideia de como a tirar!

Virei o portátil de pernas para o ar (parva²) na esperança de que o líquido escorresse para fora e não para as entranhas do bicho e encontrei um tutorial que mostrava como desmontar tudo. Segui-o à risca e tentei secar a inundação.

Ele ligava (mas quem é a aventesma que se lembra de ligar o que quer que seja que não está completamente seco?), mas nada de teclado. Ok, nada de pânico. No final da semana, aparece cá em casa o tio que resolve tudo.

E o Eee PC lá ficou uns dias valentes a arejar, desmontado. Ontem lá andámos a ver se o problema era grave, e era mesmo:

  • O teclado não funciona.
  • O disco queimou.
  • Tenho uma autêntica árvore de natal com leds que ligam mas não desligam.

Como é lógico, a garantia serve de nada. Podia comprar um disco e teclado novos e ver se tudo funcionava, mas não sei se há mais problemas (o que é muito provável e seria caro de mais para o preço do equipamento) e não quero mandar dinheiro ao lixo.

Isto significa que estou sem computador próprio. E vou precisar da vossa ajuda! Para quê? Leiam:

  • Por sorte, no dia anterior recebi um disco externo e fiz backup de quase tudo. Infelizmente, os marcadores do Firefox foram ao ar.
  • Assim, ficava muito feliz se me ajudassem a recuperar as listas jeitosas que tinha de blogues, sites de culinária (e receitas específicas, mesmo!), sites de artesanato e lojas online. O email é o do costume: aguidaequesabe -at- gmail -ponto- com, gostava muito que partilhassem as vossas listas!
  • Podia ir a correr comprar um portátil novo, mas prefiro esperar. Adorei este Eee PC, e quero algo na mesma onda. Não quero nada a menos que o meu 1008ha. Não vou gastar muito mais de 300€ num netbook.
  • Alguém sugere marcas e modelos de netbooks? Qual o motivo da preferência?
  • Não faço ideia de tudo o que se estragou no portátil, sei que o display está bom e o resto só experimentando. Alguém sabe se há sítios que comprem peças para aproveitar? Não sei nada destes assuntos e custa-me mandar tudo para o lixo de imediato.

Juro que aprendi a lição, não dou mais canja a computador nenhum, mas isto é um aborrecimento gigante!

P.S. – Ah, nesta altura é que eu gostava de ter uma cunha da ASUS ou qualquer outro fabricante de computadores, sabia que nem ginjas, sabia… Segundo consegui saber, até pelo orçamento cobram!

Magalhães – Caneta Digital

caneta magalhãesDiz que esta foi a melhor compra dos últimos tempos!

Magalhães ou não Magalhães, estava a precisar de qualquer coisa mais jeitosa que um rato que me permitisse fazer uns rabiscos cá pelas folhas de desenho virtuais que o Paint, Photoshop e afins nos dão.

Se estão na mesma situação e não querem nada muito XPTO (tablets incluídas), esta é uma boa opção.

Vale os vinte e tal Euros que custa, encontram as drivers sem problemas (contactem-me se for preciso) e conseguem fazer coisas bem engraçadas.

Claro está que os traços no computador não ficam iguais aos que desenhamos na folha, mas com jeitinho e paciência tudo se resolve.

Já alguém experimentou esta caneta por aí?

O que vestir amanhã?

modaÀs vezes sinto que alguém no mundo me lê as ideias.

Quando me meto a pensar em algo que não consigo resolver, parece que mesmo que não vá à procura de respostas elas vêm ter comigo. E isso também acontece nos blogues do costume!

Há uns dias, questionei-me sobre a maneira de organizar o vestuário dos meus tios e cheguei à conclusão que, apesar de dar muito jeito no quotidiano, a forma deles de fazer as coisas leva muito tempo e paciência!

Eles tiram fotos de todas as peças que tem e juntam uma lista das possíveis combinações a fazer.

Desta forma, conseguem visualizar melhor tudo o que têm e criar novos conjuntos que nunca imaginariam com tudo arrumado dentro do roupeiro. Pensei, cá para mim, que devia existir um site ou programa onde pudéssemos fazer estas coisas todas sem metade do trabalho. E não é que há mesmo?

Descobri no Chata de Galocha que existe o My Fashion Plate.

E que site é este?

Ao fazer o registo no My Fashion Plate, podemos fazer o upload das nossas roupas, acessórios e sapatos previamente fotografados (esta é a parte que dá mais trabalho e ainda estou a ganhar coragem para tirar fotos a tudo o que tenho no roupeiro! Fica para as próximas arrumações), catalogá-las e posteriormente conjugá-las a nosso gosto.

Também dá para pesquisar noutros sites, à la Polyvore, e adicionar itens à nossa wishlist. Catita, não? Esperem que ainda há mais!

No MFP também podem visitar os roupeiros de outras pessoas e dar sugestões ou classificar peças, e as pessoas podem fazer o mesmo com o nosso roupeiro. Podem ver quais são as tendências de moda actuais, pedir ajuda de estilistas que nos aconselham sobre o que nos fica melhor, são só coisas boas!

Da próxima vez que forem esvaziar o roupeiro para escolher o que vão vestir, pensem duas vezes. Não é tão mais fácil ver o que vestir em dois ou três cliques?

StumbleUpon

stumbleupon

Hoje apetece-me falar de uma das coisas que mais gosto na Internet. Provavelmente, este assunto já não é novo para muit@s de vós.

Tenho a certeza de que a maioria das pessoas que me lêem nunca ouviram falar do StumbleUpon.

E o que é o StumbleUpon?

É uma espécie de canivete suíço na rede. Isto para não dizer que é a melhor rede social de todas! E não quero com isto assustar-vos, porque é uma rede social de qualidade em que cada pessoa coloca os seus sites preferidos sobre os mais diversos assuntos e lhes atribui o tema (ou temas) adequados.

Posteriormente, os outros utilizadores podem pesquisar sobre os temas que quiserem e encontrar as respectivas páginas. Por exemplo, imaginem que a Maria viu um site de culinária de que gostou e deu-lhe um thumbs up (é a maneira de “favoritar” no SU).

Mais tarde, o Zé que vai impressionar a mulher dele ao jantar decide ir procurar páginas de culinária no SU e a dada altura vai encontrar a página que a Maria submeteu. E pode continuar a pesquisar nesse tema ou ir ao perfil da Maria ver os favoritos dela e até mesmo adicioná-la como amiga e trocar mensagens.

Eu, que já pertenço à tal rede desde 2005, já não passo sem o SU por dois grandes motivos.

Em primeiro lugar, é muito mais fácil encontrar conteúdo filtrado e de qualidade do que no Google ou outros motores de busca, visto que passa pelas mãos de outras pessoas.

Assim, se temos um problema para resolver e queremos uma solução, é bem provável que haja um utilizador que já tenha passado pelo mesmo antes e já nos tenha feito a papa.

Por outro lado, o SU também é uma bela maneira de nos entretermos quando não temos nada para fazer.

Ficaram com as antenas no ar? Vão à página principal e criem a vossa conta, toda pipizinha com os vossos dados, interesses e por aí fora. Há-de chegar uma parte em que escolhem os temas a pesquisar, há montes deles! É um mundo sem fim de grandes sites.

Depois, têm que instalar a barra de ferramentas (que não tem nada de malicioso, eu prometo!) no vosso browser, em qualquer sistema operativo.

Se forem em frente, dêem uma espreitadela no meu perfil e adicionem-me!