Categoria: Saúde

Açúcar na Papa

Estou longe de ser a pessoa mais fundamentalista com a alimentação da minha filha. Tal como tudo na vida, o equilíbrio é um bom princípio. Ainda assim, preocupo-me muito com a saúde dela e sei que é importante ter cuidado com o que lhe ponho no prato.

Mantivemos o aleitamento materno exclusivo até aos 4 meses. Depois disso, apesar de não ter sido muito rígida, fui introduzindo a sopa e a fruta no regime alimentar da Teresa. Poderia (e deveria, talvez) ter mantido a amamentação exclusiva até aos 6 meses, mas angustiava-me ver a pequenina toda interessada em ver-nos comer e ficar triste por não poder comer nada. Parecia que queria saltar da cadeira e fazia (e faz, ainda faz…) caretas quando via talheres ou copos a passar à frente dela.

Sem stress nenhum, decidimos avançar com a introdução dos alimentos e foi um sucesso. Adora tudo o que lhe damos. Como sempre teve uma óptima progressão de peso, ainda não lhe dei a conhecer as papas. Achei que não faria sentido algum introduzir farinhas tão cedo. Porém, com o aproximar dos 6 meses, planeio dar-lhe mais alimentos novos e, finalmente, experimentar as papas. Preferencialmente feitas em casa!

Repito, não sou fundamentalista com a alimentação da Teresa. Sei bem que, fora de casa, pode ser necessário recorrer a um desses malfadados produtos de compra, pré feitos. Não estou assustada com essa parte e eu própria faço questão que ela coma de tudo. O problema para mim é que, segundo a indústria alimentar, o que deveria ser uma excepção transformou-se na regra.

papa bebé
Constituição de uma papa à venda no mercado, para bebés a partir dos 4 meses.

Na consulta dos 4 meses, quando discuti a introdução dos alimentos com a enfermeira que nos acompanha, foi-me dito que poderia apostar em papas de compra adequadas à idade da bebé. Infelizmente, pasmem-se, também se fala assim nas escolas. Ora bolas, poder até posso! Mas quem é que, no seu perfeito juízo e preocupação, sabendo ler um rótulo e interpretar a informação que tem à sua frente vai encharcar um bebé com açúcar e óleos da treta sem que haja um bom motivo (não vejo motivos, mas…)? Eu não!

É mesmo uma questão de desinformação, porque nem o argumento da disponibilidade económica é válido – sai muito mais barato comprar os ingredientes e fazer as papas em casa, como deve ser. Ainda não sei bem para onde me virar, mas o que não falta actualmente (porque é um assunto cada vez mais debatido, felizmente) são manuais e sítios com receitas para bebés.

Fica no ar a questão: como se admite às marcas que, em pleno século XXI e após décadas de lutas neste domínio, continuem a lucrar com a disseminação de informações erróneas e produtos que não fazem, de todo, bem à saúde dos nossos bebés? Eles adoram-nas, sem dúvida, são tão doces! Raríssimas são as marcas no mercado que disponibilizam papas com uma constituição minimamente decente.

E olhem que vos escreve uma pessoa que adora toda a espécie de papas doces…

Bebé A Caminho – 37 Semanas

Onde é que tinha ficado na história da minha gravidez?

Gravidez 36 Semanas
Fotografia tirada às 36 semanas + 6 dias.

Já passaram quase 10 semanas desde que fiz o último post deste género. Na verdade, a minha ausência foi predominante aqui pelo blog, mas foi por uma boa causa – finalmente, entrámos no processo de mudança de casa e no meio de obras, restauros, desarrumos e arrumos (mais tarde, falarei melhor deste processo), não tenho tido tempo para escrever. De todo! Nem Internet, mais ou menos. As velocidades são uma treta e por vezes nem sequer consigo dar aquele olá básico nas redes sociais, que ajuda a deixar toda a gente mais descansada. Mais uns dias, mais uns dias e parece-me que tudo volta a entrar nos eixos. Por quanto tempo? Não sei.

Ora, está tudo muito longe de estar pronto e a minha filhota estará aqui connosco a qualquer momento. Dizem que as últimas semanas são as que mais demoram a passar, mas a mim parece-me que o tempo continua a voar.

Tendo em conta todos os sintomas e queixas habituais desta fase, deixem-me que vos diga que tenho vivido uma gravidez santa: nada de enjoos, há várias semanas que não sei o que é a azia, nada de incontinência e durmo na maior, com excepção feita a algumas cãibras (que já eram minhas conhecidas anteriormente) e viagens à casa de banho.

Ecografia 3º Trimestre
Imagem da ecografia do último trimestre, às 32 semanas.

Sabem que mais? Das 33 semanas para agora, até perdi peso e volume. Ainda assim, não consegui escapar ao edema de que vos falei. Agravou-se, e embora tenha algum controlo, os meus pés parecem paiolas.

Com a miss Teresa, também não há muitas novidades.

Não, ainda não nasceu. Assim que acontecer, estejam descansad@s, eu aviso! Continua a mexer-se muito, é uma crescida (na ecografia das 32 semanas, tinha uma estimativa de peso de 2130g), está posicionada nos conformes para nascer e tem umas grandes bochechas, tal mãe, tal pai. CTG? Só para depois das 38 semanas.

O quarto dela não está pronto, nem perto disso. Não estou muito preocupada porque, quando ela nascer, não é lá que dorme. A cómoda está pronta e arrumada, o ovo a jeito e o saco pronto. O dela! O meu ainda está a ser arrumado.

Gravidez 35 Semanas
Fotografia tirada às 35 semanas + 4 dias.

Contrariamente ao que podem pensar pelas fotos, se fiz 3 horinhas de piscina este ano, já foi muito. Gostava de ter tempo para mais, que a água fresca sabe que nem ginjas!

Estou a atravessar um dilema: por um lado, o calor é insuportável e começo a sentir alguns entraves à mobilidade habitual. Por outro, dava mesmo muito jeito que a miúda se mantivesse cá dentro, no seu T0 amniótico, até às 40 semanas.

Pés de Balão

Ora, contei-vos que estava a conseguir controlar bem o edema dos membros inferiores, não foi? Partilhei um montão de dicas preciosas sobre o assunto e até vos falei das meias que tenho utilizado e que se revelam muito eficazes.

Edema Pés

Imaginem, então, se não tivesse o menor cuidado. A rondar os 8 meses de gestação, posso dizer que ostento umas belíssimas paiolas no lugar dos pés. Diziam vocês, grávidas e mães de serviço, que a coisa só se tolera com chinelos Havaianas? Balelas, não tenho outra forma de vos responder. São do mais desconfortável que se pode calçar nesta fase, por serem tão rasos.

Só estou bem com uns ténis Adidas Zx Flux que comprei há uns meses, mas não posso calçar sempre a mesma coisa e muito menos passar estes dias escaldantes com os pés fechados.

Tinha esperança que os meus pés aumentassem, efectivamente, um tamanho. Aliás, tenho sido salva por modelitos no tamanho acima do habitual que tinha na colecção (com palmilhas ou porque sim, mesmo não calçando), que continuam a ser compridos de mais. Tenho pés maiores, sim, mas só para cima e para os lados! Ao ponto de, adivinhem – algumas das minhas Havaianas nem sequer servirem!

Impera o desespero e o desconforto, e seja o que Deus quiser durante o próximo mês. Já falta pouco, é o que vale.

Bebé A Caminho – 28 Semanas

Gravidez 28 Semanas
Fotografia tirada às 28 semanas + 2 dias.

É muito esquisito pensar que, neste momento, faltam menos de 12 semanas para chegar ao fim desta aventura e ter a minha Teresinha cá fora comigo. Não sei bem se continuo a achar que o tempo passa depressa demais (que passa!), se me parece que Julho nunca mais chega porque o último trimestre de gestação chegou com grande pompa e circunstância.

Tem sido um martírio tentar dormir: não encontro uma posição confortável, estou sempre a destilar e perco a conta às viagens ao quarto de banho. E as litradas de água que bebo por dia? A isto, juntem os pontapés da madame, que começam a ser muito pouco simpáticos.

Fora esta parte menos boa, tudo corre bem. Finalmente, o tempo tem dado chances de sair de roupa mais fresca sem parecer doente, praticamente deixei de inchar que nem um balão desde que fiz das meias compressivas as minhas melhores amigas, mantive o peso e sinto-me gira com este barrigão muito redondo.

Gravidez 28 Semanas
Fotografia tirada às 28 semanas + 2 dias.

O L. tem sido impecável, como é costume, atura as minhas macacadas todas e está sempre presente para tudo e mais alguma coisa. Podia ter pedido mais ou melhor? Nem pensar! A nossa Teresa concorda comigo e já reage, e bem, à presença do pai.

Vejam bem, eu que sou uma pessoa extremamente nervosa e ansiosa, até me tenho portado muito bem perante a lentidão do processo de mudanças e com a possibilidade de ter um problema de saúde mais ou menos complexo. Não sei onde fui buscar tanta calma, mas espero permanecer assim, serena, e que para a semana já esteja tudo resolvido e pelo melhor!

Segreta – Collants 5 Estrelas

Collants Segreta Meias Compressão

Como o prometido é de vidro, perdão, devido, siga um complemento à questão da prevenção do edema dos membros inferiores. Tinha-vos falado da utilização de meias compressivas enquanto medida muito eficaz, na minha opinião, e está na hora de falar melhor da minha experiência.

Deixem-me que vos diga que, durante muito tempo, não tratei as minhas pernas como deve ser. Quem tem profissões ou realiza estágios em que se passa muito tempo de pé, sabe bem como estão as pernas no final do dia. Pesadas, inchadas, por vezes dolorosas e, em casos mais extremos (acontecia-me muito após turnos de noite!) até é difícil voltar a caber nas calças. Negligenciei o problema, fiquei com alguns pequenos derrames e ignorei a existência das meias de compressão. Porquê? Porque eram feias e desconfortáveis. Apertavam de mais, pareciam redes de pesca microscópicas, provocavam calor e passado dois ou três dias seguidos a usá-las começava a ficar com algumas irritações cutâneas. Creio que me foi aconselhado um produto desadequado para o que pretendia, e o facto é que acabei por nem sequer lhe dar o uso devido.

Collants Segreta Meias Compressão
Malha das meias e collants Segreta. Nada com ar de “pós-operatório”!

Mais recentemente, comecei a ouvir falar da Segreta, uma marca italiana de meias e collants compressivos. Falaram-me de como as meias deles não tinham nada a ver com a típica meia de compressão que associamos ao pós-operatório ou doenças venosas. Disseram-me que tinham um aspecto de collants normais, havendo modelos e cores (com grande incidência nos tons neutros e creio que nesta matéria quase dava para viver só de meias pretas e transparentes) para todos os gostos e exigências no que toca à prevenção do edema dos membros inferiores. Até meias para homem a Segreta disponibiliza!

Collants Segreta Maman Meias Compressão
Detalhe do modelo Maman, feito para proporcionar o maior conforto durante a gravidez.

Quando comecei a sentir as pernas mais inchadas durante a gravidez, soube que estava na hora de descobrir se era verdade o que se apregoava sobre as meias Segreta, tratei de me informar e muni-me de alguns modelos para experimentar. É possível consultar o catálogo online. Algumas das minhas escolhas servirão para mais tarde (já que se tornam desconfortáveis na barriga), mas as linhas Maman e Stay Up (estas últimas são como as meias ligas normais, até ao meio da coxa) têm sido as minhas melhores amigas. Eis o que tenho a dizer sobre elas:

  • Sim, é um bocadinho chato vesti-las logo pela manhã porque exigem um pouco mais de tempo e esforço que vestir meias normais. Só assim é que é possível deixar tudo esticadinho, direitinho e no sítio.
  • São muito, mas mesmo muito mais resistente que collants normais, embora tenham um aspecto muito semelhante quando vestidos. Esqueçam as malhas puxadas, que com estas meias não acontecem.
  • Não provocam calor nas pernas, pelo que até podem vesti-las por baixo de calças sem quaisquer problemas.
  • O conforto que proporcionam é impagável! Já não sabia o que era chegar ao fim do dia com as pernas impecáveis, sem parecerem autênticos salpicões, há algum tempo. Da mesma forma, sinto que também tolero melhor os longos períodos de pé, quando acontecem.
  • Dilemas entre modelos: por um lado, adoro o resguardo que as Maman dão à barriga. Fica tudo aninhadinho, sem pressão, e eu gosto. Ainda assim, se passar muito tempo sentada, começo a sentir a pressão da malha contra a pele nas nádegas e eu gosto de me esquecer que estou a usar collants. Então, também sou uma grande fã das Stay Up.

Dentro das diversas linhas disponíveis, existem várias classes de compressão: a 70 (11/14mmHg), a 140 (18/22mmHg) e 280 (23/27mmHg – para quem já tem um problema mais exacerbado instalado). À excepção de um modelito de outra linha que não as mencionadas acima, as minhas escolhas recaem sempre em modelos de compressão 140. Escolher os tamanhos é fácil a partir do catálogo, já que vem tudo explicadinho. A lavagem é do mais simples que há, sendo que o mais adequado é lavar à mão.

É preciso ter atenção na hora de vestir: convém que seja logo ao acordar, ou após um bom período com os membros inferiores elevados, para prevenir a retenção de líquidos. Caso contrário, se já temos as pernas edemaciadas, vestir meias compressivas não só não ajuda como pode agravar o problema.

Por fim, onde é que se pode encontrar Segreta à venda? Em farmácias e estabelecimentos semelhantes, embora também já tenha visto em lojas online.

Se eu tivesse a oportunidade de vos oferecer alguns pares, gostavam?

Whey – O que é e para que serve?

Está na hora de falar um bocadinho sobre alimentação e suplementação. Porquê? Porque há muitos mitos e porque já estou farta, fartinha de ouvir coisas como “cuidado com essas porcarias que andas a tomar” ou “isso é daquelas drogas que os tipos dos ginásios tomam” cada vez que a whey calha na conversa.


Atenção: não sou nutricionista, não pesco um atum de desporto, pelo que neste artigo verão informação básica e acessível para a pessoa comum. Não se esqueçam da importância de um regime alimentar diversificado e da prática de estilos de vida saudáveis.


batido whey

Infelizmente, apesar de vivermos numa época em que temos toda a informação que quisermos ao nosso alcance, há muitas pessoas que ainda não se dão ao trabalho de pesquisar. E, meus amigos e minhas amigas, quando desconhecemos algum assunto, o melhor é mesmo aprender. Não se sintam culpad@s em demasia, que estamos cá para nos ajudarmos uns aos outros e tenho a dizer-vos que mesmo dentro da área da saúde, há muitos profissionais que não sabem o que é a whey. Na verdade, nem sequer há muitos estudos conclusivos (que eu tenha encontrado) sobre o consumo e os efeitos da whey nalgumas situações específicas (a gravidez é uma delas).

Por mim falo, gosto muito de saber o que estou a ingerir, mas o facto é que há muitas pessoas que utilizam este suplemento e nunca, sequer, se questionaram sobre o que é e para que serve. A whey é proteína do soro do leite. O soro do leite é o líquido excedente da transformação do leite em queijos e caseína. Até ganhar a forma de “farinha” que nos é familiar e utilizado como suplemento, é processado:

  • É desidratado
  • Pode ou não ser-lhe conferido algum sabor
  • Pode levar outros aditivos

E é aqui que podem existir reticências. Nem sempre é fácil aferir a qualidade de uma determinada marca ou tipo de whey. Muitas vezes, sem que o consumidor se aperceba, foram adicionadas farinhas e derivados de ovos e afins, e não é o que se pretende. Desconfiem sempre do que é muito barato.

Porém, quando se trata de um produto de boa qualidade, o seu consumo pode ser benéfico. Existem vários tipos de whey, conforme podem perceber (se não sabem já!) pelas diferentes embalagens nos diferentes sítios que a comercializam, e que se adequam a diferentes finalidades/necessidades:

  • Há a isolada (que é a que consumo), que é a mais “simples”. É quase toda ela proteína, sem hidratos de carbono ou outros açúcares.
  • Há a hidrolisada, efectivamente mais conhecida/utilizada por desportistas já que passou por um processo que transformou em peptídeos mais pequenos e, consequentemente, absorvidos mais facilmente e de forma mais rápida.
  • Há a concentrada, que é mais calórica e contém uma série de hidratos de carbono, dos quais boa parte se resume a lactose.

whey

Há que salientar a importância dos alimentos “simples”, essenciais e por si só suficientes para darem estrutura a um bom regime alimentar. Contudo, como noutras coisas, existem “alavancas”, ferramentas que nos podem ajudar a alcançar ou manter um determinado resultado. É aqui que entram os suplementos como a whey. Tem calorias, como tudo o que ingerimos. É uma proteína, as proteínas são essenciais na estrutura dos nossos tecidos, são usadas na produção de tecido muscular e reparação de tecidos danificados.

Há situações em que necessitamos de um maior aporte proteico – como a gravidez e a amamentação, para além da prática desportiva. É desta última que surge a fama da whey enquanto suplemento na manutenção da massa magra, ainda que seja também é um auxiliar importante nalguns regimes alimentares – em especial os que potenciam a perda de peso, embora também possa ajudar muito no processo inverso, quando o objectivo é “engordar”.

O que é que a whey tem de tão fantástico? Promove a saciedade e ajuda na tal questão da manutenção estrutural dos tecidos do corpo. Quando aliada à prática de exercício físico, ajuda a perder massa gorda e ganhar massa magra (músculo), ajuda a acelerar o metabolismo, dá energia e ajuda a evitar o cansaço e alguns transtornos associados.

A forma mais comum de a consumir é em batido, mas pode ser utilizada em 1001 receitas diferentes (se tiverem por aí alguma daquelas bem boas que merecem ser partilhadas, façam favor!).

Não consumo whey há muito tempo, confesso: desde ouvir falar (que também desconhecia do que se tratava) a experimentar, passaram tempos valentes e só há pouco mais de meio ano é que a integrei no meu regime alimentar. Depois de saber que estou grávida, fiz questão de esclarecer que não seria maléfico e adaptei dentro do que já comia. Por que haveria de excluir uma fonte tão boa de proteína se, ainda por cima, estou numa fase em que preciso tanto dela?

Mas façam o que eu digo, não façam o que eu faço: estou só a tentar desmistificar a whey e quem vos pode ajudar a decidir melhor sobre o seu consumo são os profissionais de saúde que vos acompanham habitualmente, nomeadamente os nutricionistas.

Não se esqueçam que tudo o que é de mais faz mal! O consumo excessivo de proteínas potencia o risco de formação de cálculos renais e doenças cardiovasculares, entre outros problemas. Para além disso, e se o vosso propósito é perder peso, não se esqueçam: as calorias estão lá na mesma e continuam a ter de equilibrar e variar o que ingerem, para além de que não se deve investir numa dieta hiperproteica por longos períodos de tempo nem desvalorizar a prática de exercício físico.

Gravidez 101 – Edema

peixe balão

Falemos sobre coisas sérias e chatas, que na gravidez nem tudo é um mar de rosas. Sem dúvida que é uma fase linda, mas também tem os seus inconvenientes. Bem que se ouve falar deles, mas nunca lhes damos valor até os sentirmos na pele. Hoje é dia de falar sobre o edema, que é o nome correcto daquilo a que vulgarmente chamamos inchaço.

Não é um problema exclusivo das grávidas, mas durante a gestação é mais frequente terminarmos o dia com as pernas e os pés mais inchados, desconfortáveis e por vezes dolorosos. Nalgumas situações, o edema é generalizado. Há motivos para que isto aconteça: durante a gravidez, há uma maior produção de fluidos para que o corpo se possa preparar para o bebé que se está a desenvolver. Assim sendo, é mais fácil que estes fluidos se acumulem mais facilmente nos tecidos, em especial nas extremidades. Isto faz, também, com que os factores que já ajudavam a desencadear o edema (calor, esforço físico em demasia ou permanecer muito tempo de pé/sentada, excesso de sal, cafeína) o façam ainda com mais facilidade.

edema

Ser frequente não significa que é bom nem que devemos ignorar, já que se é desconfortável é um problema (o nosso corpo é bom a comunicar!) e, a longo prazo, o edema pode trazer muitas complicações. Nalgumas situações é, aliás, uma consequência de problemas graves (quando é muito repentino ou exacerbado, quando se manifesta apenas numa perna e eventualmente até é doloroso, é aconselhável procurar ajuda médica com alguma urgência!). Já todas ouviram falar das inestéticas, dolorosas e perigosas varizes, certo? Não queremos que aconteçam connosco, portanto mais vale prevenir do que remediar. Eis algumas medidas que podem ajudar a diminuir o edema dos membros inferiores durante a gestação:

  • Hidratação! Não se esqueçam de assegurar que estão a beber água suficiente, cerca de 2l por dia.
  • Massagem dos pés e das pernas. É muito simples e não se metam em aventuras: quando aplicarem o hidratante depois do banho ou, caso prefiram, um gel refrescante, exerçam alguma pressão em direcção ascendente, dos pés para o cimo da perna. Querem melhor? Peçam aos vossos companheiros que vos façam a massagem.
  • Evitem permanecer paradas de pé muito tempo, ou sentadas. Invistam em caminhadas! O movimento ajuda a promover a circulação e evitar a estase de fluidos nos tecidos.
  • Utilizem calçado confortável. Já falei deste assunto aqui. Evitem, também, as roupas demasiado justas/apertadas.
  • Repousem com as pernas ligeiramente elevadas, para facilitar o retorno venoso.
  • Minimizem o consumo de sal e cafeína.
  • Não tomem medicação sem prescrição médica, por inofensiva que pareça.
  • Se possível, utilizem meias de compressão. Contrariamente ao que possam imaginar, hoje em dia há modelos que se confundem com as meias e collants habituais e que em nada se assemelham ao estereótipo das meias à velhota, muito frequentes no pós-operatório e em situações de doença venosa. É o exemplo da Segreta, que tem uma gama bastante ampla de meias compressivas para todos os gostos e até tem a linha Maman para as grávidas, com costuras especiais que não aplicam qualquer desconforto sobre a barriga.

Quanto a este último ponto, garanto-vos, faz uma diferença enorme nas pernas! Irei dedicar-lhe um post. Se é chato perder coisa de 5 minutos a vestir uns collants? É, mas compensa pelo conforto que ganhamos ao longo do dia, e olhem que a diferença no volume é enorme à vista, mesmo de relance.

Portanto, que o post já vai longe: protejam as vossas pernas e a vossa saúde!

Mantenham-se atentas, que logo falo melhor sobre as meias de compressão, que são tão nossas amigas mas toda a gente desconfia delas. Se tiverem alguma dúvida ou sugestão sobre o tema do post, por favor, entrem em contacto.

Encomenda Myprotein

Encomenda Myprotein Portugal

Desengane-se quem pensa que só os atletas, desportistas e pessoas que fazem dietas especiais é que procuram determinados tipos de alimentos e suplementos. Pessoalmente, não gosto de restrições nem sacrifícios. Desconfio que ainda não sou uma bola autêntica porque sou niquenta. Não gosto de muitas das comidas que fazem mal (especialmente as que são doces) e que, no geral, são adoradas. Também não sou propriamente adepta de suminhos e saladinhas, nem de coisas light, nem sequer me apanham nas tramas das paleo coisas. Adoro comer, de tudo um pouco.

Durante a gravidez, procuro ter mais cuidado com a minha alimentação mas não abdiquei de nada do que comia antes. Apenas modero quantidades, horários e procuro fazer algumas trocas e substituições em determinados alimentos. Acreditem que não há aqui marosca, até porque tenho algumas restrições na prática de exercício físico e estou mais lontra do que nunca.

Há uns tempos, a Myprotein desafiou-me a experimentar alguns dos seus produtos e eu aceitei. Quando recebi a minha encomenda, mostrei-a no Instagram e fiz questão de experimentar tudo como deve ser para agora poder falar com segurança das minhas escolhas. Preciso de destacar:

  • Fiquei surpreendida por descobrir que a loja disponibiliza muito mais para além dos típicos suplementos para quem pratica desporto. Há uma grande oferta de produtos para quem procura, simplesmente, ter uma alimentação mais saudável;
  • Li tudo o que pude antes de escolher o que quer que fosse, pois quis ter a certeza que se tratavam de produtos de grande qualidade e que não trariam riscos para a minha saúde ou da Teresinha;
  • Ainda assim, caso tenham dúvidas, esclareçam-nas junto da loja e/ou informem-se junto de profissionais de saúde antes de consumir algo que transcende o vosso regime alimentar habitual. Não sou nutricionista e muito menos conheço os vossos estilos de vida ou historial clínico, e com a saúde não se brinca!

Postos estes três pontos, passemos ao que interessa, que são as minhas escolhas:

Whey Protein Isolado de Chocolate

whey chocolate

Antes que perguntem: não há muitos estudos sobre o consumo de whey na gravidez e as opiniões dos profissionais de saúde sobre esta matéria podem variar. A whey é proteína do soro do leite, que sofre alguns processos (para se adequar a diversas finalidades e ter diversos sabores, essencialmente) até chegar a nós. Prometo que em breve sai um post com tudo o que sei sobre whey e como utilizo.

Não faço um consumo regular, mas utilizo em substituição/complemento de outros alimentos nutricionalmente menos interessantes para mim (mais calóricos e absurdamente ricos em hidratos de carbono), como já fazia antes. Neste caso, trata-se de whey isolada, “limpinha”, sem mixórdias, com a melhor relação qualidade/preço do mercado, com óptimo feedback por parte de outros consumidores e de proveniência segura. Há sem sabor, há com uma variedade infinita de sabores e eu escolhi chocolate. Porquê? Porque sou doida por chocolate.

Adorei, satisfaz bem o desejo por chocolate e é fácil de preparar (não cria tantos grumos como produtos semelhantes de outras marcas). Não verifiquei qualquer efeito indesejado, portanto, fui cativada!

Chocolate Quente Proteico

whey chocolate

Mais uma vez, whey. Uma adaptação de achocolatado óptima que é mesmo para ser bebida quente. Já disse que sou doida por chocolate? Um dos meus lanches de eleição é mesmo o chocolate quente, mas não me parece boa política bebê-lo todos os dias na sua forma tradicional. O achocolatado que utilizamos habitualmente é excessivamente açucarado e calórico. Este produto é uma óptima alternativa!

Docinho, pode ser preparado com água a ferver (juro que fica delicioso na mesma) ou leite e sempre é menos mau que a bomba do leite com chocolate tradicional.

Mybar Zero

whey barrinhas chocolate

Sejamos francos: dizer que estas barrinhas proteicas são tão prazerosas de comer como um chocolate ou barra de cereais típica com chocolate, carregada de açúcar, seria mentir. Não é a mesma coisa mas engana bem.

Mais uma vez, escolhi… Chocolate! Imaginem uma barrinha de snack com sabor doce, que efectivamente lembra o chocolate (sem aquela carga intensa habitual) e com textura de caramelo. É isto. Tive de partilhar com várias amigas e é consensual: não são chocolates, mas são bem boas e fazem um jeitaço na mala, para as emergências!

Manteiga de Amendoim

manteiga-amendoim

Na mesma medida que deliro com chocolate, deliro com amendoim. Quanto à manteiga de amendoim, bom, tendo a evitar as que habitualmente encontramos no supermercado. Estão pejadas de componentes desnecessários, são super calóricas e – porquêeeeee? – têm muito açúcar. Não entendo a lógica, sou fã de doces com manteiga de amendoim (há que dizer que raramente está por “diluir” sob estas apresentações), mas dispenso as artificialidades em frasco.

Imaginem agora um balde de 1kg de manteiga de amendoim, só amendoim triturado sem mais nada a 5.99€. Invistam! Já ouvi dizer que há quem estranhe o sabor tão puro do amendoim sem o sal e o doce habituais, mas por aqui foi uma transição maravilhosa. Tem um truque: à temperatura ambiente, pode ficar menos consistente. Para que fique mais “rija”, aconselho que a guardem no frigorífico.

Escusado será dizer que fiquei fã da Myprotein e farei compras por lá, até porque é muito frequente terem promoções bem catita (para juntar aos preços imbatíveis que já têm habitualmente). A título de curiosidade, sabiam que a Myprotein comercializa frutos secos em melhores condições de acondicionamento e a preços mais baixos que os mercados habituais?

Bebé A Caminho – 27 Semanas

Gravidez 27 Semanas
Fotografia tirada às 27 semanas + 4 dias. Por favor, ignorem a juba molhada, que a preguiça e o calor não deixam fazer melhor.

Eu sei, é inacreditável, mas estou a entrar no último trimestre da aventura da gestação. Sim, já passaram seis meses e foi tudo rápido de mais. Medo! Sabem o que é pior? Ainda não ter tratado de nada. Não há quarto pronto (nem pouco mais ou menos), ainda falta comprar muita coisa, ainda não há baby shower organizado nem eu pensei em organizar as minhas coisas para o Dia T.

Continuo serena e tudo decorre dentro da normalidade. Mas pensam que normalidade significa tudo de bom? Nah, nem pensar. Estou num estado de permanente calor, as dores lombares são mais persistentes e o meu padrão de sono está completamente alterado. Já aprendi a lidar melhor com a questão da retenção de líquidos (que, felizmente, não agravou!) e creio que as oscilações de humor não têm sido tão grandes nem frequentes. O peso: até agora já cá cantam cerca de 8kg face ao normal antes da gravidez e, curiosamente, apesar de a barriga ter crescido muito, não me parece que tenha sido um aumento tão grande face a outros momentos.

Gravidez 27 Semanas
Fotografia tirada às 27 semanas + 4 dias.

A Teresa mantém-se no seu registo normal: com muito movimento! Já responde a estímulos exteriores (é vê-la aos pontapés quando lhe apontamos uma lanterna ou colocamos música) e creio que até já tem algumas preferências musicais. A actividade dela é visível, a barriga mexe-se, e gostava muito de conseguir filmar este fenómeno mas ainda não consegui porque a madame é refinada e assim que lhe apontamos a câmara, pára de se mexer. Que mais? Por esta altura, desconfio que tem um guarda-roupa mais composto que o meu!

Por ora, não há muito mais a relatar. Ainda estou a ganhar coragem para ir buscar o saco dos biquinis, a ver se vamos dar um mergulho num destes dias próximos em que haja sol e calor.

Gestação Gravidez
Montagem com fotografias tiradas entre as 6 e as 27 semanas.

10 Factos da Gravidez

Pontapés Bebé Gravidez
Imagem de origem desconhecida.

Aquelas coisas incógnitas que só percebemos quando as vivenciamos.

Estando eu a meio do sexto mês de gestação, já passei por alguns altos e baixos neste grande mistério da concepção. Entre as vivências próprias, as leituras e o que se ouve dizer, há aquelas verdades e mentiras que pairam no ar. Como devem calcular (tendo em conta a minha área de formação académica), já sabia muitas informações sobre o fenómeno da gravidez.

Sabem que mais? Afinal, não sabia nada. É mesmo tudo novo. Na minha perspectiva, há 10 factos (alguns podem ser bizarros!) que têm de conhecer sobre a Gravidez:

  1. Não há duas gestações iguais, é a verdade mais verdadinha que podem descobrir. Podem ler o que quiserem, ouvir quem quiserem, que mesmo assim vão existir experiências únicas relatadas por todas as grávidas.
  2. Assim sendo, nem todas as grávidas têm enjoos. Eu não tive, nem tenho. Pelo contrário, tive sempre imensa fome. Só não consigo comer tanto de cada vez.
  3. Os apetites estranhos acontecem mesmo. Esqueçam aqueles cravings da treta que conheciam, possivelmente associados à TPM. Vão mesmo ter apetites surreais, a horas estranhas, por coisas (coisas, não necessariamente alimentos) ainda mais bizarras.
  4. Por falar em apetites, a libido aumenta. As grávidas podem sentir-se cansadas e algo desgastadas, podem haver oscilações de desejo, mas… Quando a chama acende, acende. Não tem mal (a menos que haja alguma condição clínica que o contradiga). Há hormonas aos saltos, estamos mais atraentes (a pele está linda e maravilhosa e ainda por cima estamos mais curvy and sexy com mamonas em crescimento!) e… Olhem, é de aproveitar.
  5. O cabelo cresce mais rápido. E as unhas também. E ficam mais resistentes. Tem sido um festim, este segundo trimestre, com várias pessoas a quererem saber qual é o segredo para o cabelo crescer tanto em tão pouco tempo.
  6. Ah, voltando aos apetites, o paladar muda. Juro! Eu, que já nem era grande fã de doces, agora estou pior porque tudo me parece ainda mais doce. Mil vezes mais doce. E o que já era intragável, tornou-se ainda mais intragável. Como o ananás, que ainda por cima pica a boca toda. Blhec!
  7. Factos GravidezO peso também muda, de forma diferente em cada grávida. E nem sempre é fácil/possível controlar as oscilações. Eu, por exemplo, aumentei logo 5kg ao início e há quase 10 semanas que mantenho o mesmo peso. Não como mais do que antes e tento comer de forma mais saudável. Em caso de dúvida, nada como consultar um nutricionista.
  8. O padrão de eliminação muda completamente e vão emitir gases, muitos gases. Esqueçam o que conheciam das vossas idas à casa de banho antes da gravidez. Podem ficar completamente obstipadas, também podem cair no extremo oposto… Uma coisa é certa: vão ser afrontadas pela miséria dos gases. E vão fazer muito, muito xixi e não vale a pena aguentarem-se e contorcerem-se em longas esperas porque só faz mal.
  9. Falei do peito lá atrás? As mamas crescem muito, ficam doridas e com auréolas e mamilos super escurecidos. Podem ficar sensíveis ao toque, de tal forma que até fazem hematoma. Com um bocadinho de sorte (ou não), algures pelas 20 semanas começarão a ter mamilos pegajosos. Diz que é colostro, é normal e é uma pequena, mínima, microscópica amostra do que se espera que seja a produção de leite quando o bebé nascer.
  10. A depilação torna-se numa odisseia, e vão aparecer pêlos em sítios que não lembram ao diabo. Na barriga, ao redor das auréolas das maminhas, eles podem e vão aparecer só para vos chatear. Não se incomodem muito, que na maior parte dos casos não é nada dramático, é normal e depois passa. O pior é mesmo quererem depilar os sítios do costume (até porque os métodos mais eficazes podem estar contra-indicados) e não verem nada do que estão a fazer, ou nem se conseguirem mexer devidamente.

Factos Gravidez

Por ora, é isto. Acreditem que vos vou manter a par das descobertas à medida que forem acontecendo. Ah, e não se assustem, há coisas muito estranhas na gravidez mas o balanço global é totalmente positivo!