Categoria: Pessoal

Bebé A Caminho

gravidez gestação gestante baby blog família filhos antes dos 30

Tenho uma notícia para vos dar: vou ser mãe!

Não imaginam como tive de me conter para não gritar logo ao mundo inteiro que tenho um bebé na barriga. Agora, já se pode dizer. É certo e, à partida, está tudo bem.

Há quem prefira aguardar um pouco mais, mas a verdade é que não há um guião de como fazer tudo nesta altura, muito menos sobre como transmitir notícias destas.

Por agora, estou a passar por um turbilhão de emoções e não vos consigo dizer muitas coisas. Ainda não há ecografia, estima-se que gestação esteja nas 6 semanas e 6 dias. Soube que estava grávida na semana passada.

Não era um objectivo a curto prazo, mas vai acontecer e estamos felizes. Este vai ser o maior desafio da minha vida, espero estar à altura e fazer tudo direitinho.

gravidez gestação gestante baby blog família filhos antes dos 30

Não sei onde vai parar esta barriga, que já se faz notar.

A minha roupa ainda me serve, e espero que assim continue. Não tive enjoos até agora, mas também não tenho apetites especiais. Transtorna-me que o acesso a determinados chás que adoro esteja limitado.

Tenho mais sono que nunca. Para já, estamos muito bem. Espero que, até Julho, decorra tudo calmamente e dentro da normalidade.

Não quero que este blog se transforme num baby blog, mas é claro que vou partilhar algumas coisas convosco. Contem com, pelo menos, um post semanal sobre a gravidez e a maternidade.

E, já sabem, conto com as vossas partilhas e opiniões!

Das aventuras no Porto

expocosmética inbeauty exponor blogs

Se algum dia duvidarem do amor que vos tenho, considerem o sacrifício que é postar via iPad.

Mas nem eu posso ficar mais tempo inactiva nem vocês merecem o meu silêncio e muito menos que eu deixe passar em branco este episódio de há uns dias atrás.

Antes de entrar em domínios mais delicados, tenho de agradecer à Expocosmética pelo convite que me dirigiu nesta edição, a propósito da realização de um Bloggers Event.

Já há alguns anos que faço questão de me dirigir a este evento (e outros semelhantes) para conhecer novidades e fazer compras, e sabe bem ter direito a bilhetes de transportes oferecidos.

O problema é que, no meu entender, o Bloggers Event terminou por aí.

A desorganização nos contactos esteve presente desde o primeiro email, sendo que necessitei de esclarecer várias dúvidas a saca-rolhas e pude constatar que a informação não era consensual entre bloggers. Entretanto, à medida que se foram desvendando alguns mistérios, também me apercebi que os convites não eram todos iguais. Adiante.

Chegado o dia da visita à feira, começou tudo muito mal. No terminal de autocarros, bem antes da hora de terminar o check in, já não havia lugares. Não sei de quem foi a culpa, gerou-se imensa confusão e finalmente surgiu um terceiro autocarro… Preparado para viagens de curta distância. Isso, íamos chegando marrecas e de rabo quadrado ao Porto.

É de salientar que ninguém fez chamadas, ninguém confirmou bilhetes e apurei que algumas pessoas tinham previsto no seu bilhete uma viagem para o dia seguinte, detalhe que só saltou à vista durante a viagem porque… Foram induzidas em erro pela organização. Detalhes.

Para mim, o dito Bloggers Event só pode ter ocorrido dentro do autocarro, porque foi onde a maior parte do convívio aconteceu.

Quando chegámos à Exponor, poucas foram as indicações, ouvimos diversas informações de diferentes fontes e ninguém nos recebeu. No balcão de check in, apercebemo-nos, mais uma vez, das distinções entre bloggers.

Já no recinto da feira, não nos apercebemos que houvesse um espaço especial para algum evento, visto que, repito, ninguém se apresentou nem nos recebeu, e as áreas pelas quais passámos eram acessíveis a qualquer visitante. Falaram de um cocktail de recepção, mas só visualizei três tabuleiros de pequenos queques que desapareceram em menos de um fósforo.

Já que a minha principal intenção era fazer compras, foi a isso que me dediquei e fiquei satisfeita porque trouxe quase tudo o que tinha em mente.

Não recebi (nem eu nem as bloggers com quem conversei) quaisquer goodies que qualquer outra blogger sem convite não pudesse receber. Pude, também, rever algumas amizades e ver, pela primeira vez, outras tantas. Maravilhas do mundo digital!

expocosmética inbeauty exponor blogs

No final da feira, juntámo-nos para falar com a organização e expressar o nosso desagrado com tudo o que não correu bem. Não quisemos parecer ingratas, pelo contrário, sabemos que o nosso feedback é importante para que, futuramente, erros destes não se repitam.

Pessoalmente, sinto que, espremendo a fruta, poderia ter saído muito mais sumo desta iniciativa. Foi-nos explicado que o Bloggers Event foi planeado, inicialmente, para um grupo muito mais pequeno de bloggers e que decidiram abraçar um número muito maior de nós. A intenção foi boa, sim, mas convinha que a dedicação e os recursos fossem canalizados de forma a abarcar toda a gente e não só meia dúzia.

Fico muito feliz que um determinado grupo tenha tido a oportunidade de permanecer mais tempo e com outras condições, foi-nos dito que esse grupo derivou de sugestões de expositores (podia ser de ponderar uma avaliação dos blogs sugeridos, digo eu, que até pesco algumas coisas do assunto), mas se assim foi creio que as regalias deveriam ter sido proporcionadas por esses expositores e que a organização deveria ter sido clara e imparcial com todas as bloggers desde o início, tratando-as de igual forma.

No fim das contas, faço um balanço positivo… Do bom convívio que tive com as minhas amigas durante o dia e da atenção prestada pelos stands todos que visitei.

Espero que este tipo de iniciativas não termine e que seja possível melhorar, tendo sido detectados e comunicados os erros na óptica das participantes. Com ou sem convite, lá estarei nas próximas edições.

Lisbon Blinner – Impressões

Lisbon Blinner Blog Meeting
A fotografia de grupo

Cá está o post sobre o evento mais mediático dos últimos tempos.

Especialmente para quem não pôde ir, deixem-me que vos faça pirraça. Ainda não tinha dito grande coisa sobre o Lisbon Blinner – The Pinup Edition porque para além de andar a correr, ocupada com uma panóplia de assuntos que tiveram de ocupar um plano prioritário na minha vida, confesso: estava à espera das fotografias oficiais do jantar, e das restantes que foram sendo tiradas um pouco por toda a gente… Menos eu!

Gosto tanto de viver os momentos que me esqueço de dar uso às máquinas fotográficas. Por isso, e para que fique já tudo esclarecido, podem clicar em cima das fotografias deste post para serem redireccionadas para as autoras.

Lisbon Blinner Blog Meeting
As organizadoras: Jael (Coquette à Portuguesa), Joana (Joana Arêde Cotovio Makeup Artist) e eu. Falta a Patrícia!

Em primeiro lugar, digo-vos que a escassos dias do grande jantar andei a stressar com receio que algo não corresse bem.

Felizmente, correu tudo às mil maravilhas não só graças ao esforço das restantes organizadoras (a Jael, a Joana e a Patrícia) mas também porque tivemos a Joana sempre ao nosso lado, disponível para ajudar com tudo. Mesmo não fazendo parte da organização, acabou por fazer. Teve um papel fulcral.

Foram todas incansáveis! É claro que ter presente no Blinner um grupo de bloggers de alta categoria, todas lindas, simpáticas e super acessíveis e compreensivas também foi essencial para o sucesso do evento.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Eu e a Ana Rita (Let’s Talk About Beauty), que é família!
Lisbon Blinner Blog Meeting
E a Sara (Eighteen and a Life) e eu, que tenho pena que ela more lá longe porque gosto muito dela, também

A ideia das pinups foi do melhor, porque deu perfeitamente para identificar (quase) toda a gente do nosso grupo só pelo batom vermelho. Enchemos o The Great American Disaster de mulheres bonitas! Gostei muito de conhecer umas quantas caras novas e pôr a conversa em dia com outras tantas. Vejam bem, até do Porto vieram algumas amigas! E de Leiria, e de outros locais relativamente distantes de Lisboa. É importante mencionar este facto para que quem nos vê de fora perceba como este tipo de encontros são relevantes.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Ana Rita (Let’s Talk About Beauty), Tânia (Makeup Pt), eu, Joana Cardoso (The Paper and Ink) e Giselle Limirio (Unique by Gi). O Porto veio até nós!

O jantar demorou muito tempo a ser servido, mas foi compreensível porque houve alguns atrasos e também faltas de presença das quais não tivemos conhecimento em antemão.

Ficámos aborrecidas, mas quem perde foi quem não compareceu. Tivemos pena porque o número de vagas era limitado e poderíamos ter dado uma oportunidade a outras pessoas.

À parte deste detalhe, tudo estava impecável. Creio que toda a gente adorou e ficou satisfeita com tudo o que aconteceu.

Lisbon Blinner Blog Meeting
Os sorteios durante o jantar! Ah, a loiraça mais gira é a Joana Sousa, a nossa fotógrafa-maravilha!

Como eventos de bloggers não o são sem goodies dos bons para trazer para casa, experimentar e divulgar, toda a gente levou para casa um saco recheadíssimo (e mega pesado, imaginem quem foram as quatro malucas que alombaram com eles até ao carro, e do carro para o restaurante…), para além de um prémio aleatório atribuído por sorteio.

Durante o jantar, também tivemos direito a massagens de mãos oferecidas pela Lush e pudemos brincar com algumas máquinas instantâneas da Fujifilm. Espero que tenha correspondido às expectativas!

Lisbon Blinner Blog Meeting
A sobremesa especial feita pela Valorfúchsia.

Deixo-vos abaixo uma lista dos blogs participantes nesta edição do Lisbon Blinner e uma lista das marcas que tão amavelmente colaboraram connosco. Muito obrigada, do fundo do coração!

Lisbon Blinner Blog Meeting
Na converseta com a Maria Inês (Mantinha de Retalhos) e com a Tânia Argent (Makeup Pt).

Em breve, no que depender de nós, haverá uma nova edição. Não fiquem já ansiosas, que a seu tempo divulgarei tudo. Até lá, contem com umas quantas reviews de novidades recebidas durante o jantar.

Lisbon Blinner Blog Meeting

Obrigada, Papá!

dia do pai família postal

Já sabem que não ligo muito a estas datas cuja finalidade é mais comercial do que qualquer outra coisa produtiva.

As pessoas à minha volta não têm culpa do meu mau feitio e a verdade é que acabo por raramente deixar estes dias passarem sem qualquer tipo de comemoração.

Não me esqueço, porém, de fazer com que estas datas especiais sejam comemoradas todos os dias do ano.

Engracei com o facto de este ano estarem a aparecer muitos “pais” no Instagram e no Facebook, e não podia deixar de homenagear o meu.

As fotografias comuns, de pais arranjadinhos e de aspecto mais formal não condizem com o que o meu pai é para mim, e por isso tive de fazer uma montagem com fotografias mais descontraídas e divertidas.

Na brincadeira, costumo dizer que sou filha do Homer Simpson.

Ninguém acredita, mas aqui estão as provas. Digam o que disserem por aí, o melhor pai é o meu e agradeço-lhe por tudo, tudo, tudo. Sou uma sortuda pela família que tenho.

Não têm salamaleques, apoiam-me incondicionalmente, estragam-me com mimos e são o meu amparo quando algo não corre bem.

Se também têm a sorte de ter convosco os vossos pais, não se esqueçam de lhes dizer hoje (e sempre) como gostam deles e como eles são especiais!

Eu chamo-lhe bruxedo.

Bruxismo ranger dentes dentista goteira
Imagem de origem desconhecida.

Mas, afinal, diz que se chama bruxismo.

Ou ranger os dentes, para quem não gosta das palavras caras.

Este assunto não tem elegância, mas merece atenção (tal como tantas outras coisas do corpo humano sobre as quais temos de ir falando). Não gosto de tabus, e por isso está na hora de abrir a boca. Ah, que piada a minha!

Já estive para trazer para aqui o bruxismo há mais tempo mas, felizmente, tenho andado esquecida. Felizmente, porque (que eu saiba) já não me acontecia tal desgraça há algum tempo.

Até há pouco mais de um ano, recusei-me a acreditar que rangia os dentes durante o sono quando a minha mãe me contava sobre as tragédias nocturnas. Claro, se eu estou a dormir, não oiço o barulho agoniante que faço.

É uma sorte, dizem algumas pessoas que padecem do mesmo mal e que acordam consigo próprias a ranger os dentes. Só acreditei nisto quando terceiros se queixaram e acharam que eu ia partir os dentes, tal era a força furiosa exercida, e essa foi a única vez em que acordei com dores na mandíbula, curiosamente.

Vivo bem a ranger os dentes, mas acho que está na altura de pedir ajuda ao meu dentista.

Por agora, o maior problema é o facto de incomodar as pessoas à minha volta com o barulho. Futuramente, se não fizer nada, pode surgir uma série de problemas relacionados com o desgaste dos dentes, dores e anomalias nas articulações.

Não tenho os dentes (visivelmente) desgastados como algumas pessoas com o mesmo diagnóstico, por agora, mas mais vale prevenir que remediar.

Confesso que tenho algum receio dos incómodos da utilização de placas interoclusais (as típicas goteiras) durante o sono, e tal pode dever-se à desinformação. Já utilizei aparelhos nos dentes que me deixaram traumatizada com o desconforto.

Há por aí alguém a passar pelo mesmo drama, a querer partir os dentes involuntariamente durante o sono? Ou durante o dia? Já alguém tomou medidas para minimizar ou resolver o problema? Contem-me tudo, que eu quero saber como correu.

Que infeliz, Beatriz!

meetic badoo tinder encontros

Consta que anda por aí alguém, uma tal Beatriz, a fingir que é a minha pessoa.

Esquisito? Muito.

A notícia chegou-me à caixa de mensagens hoje de manhã através de um leitor fofinho. Ou eu teria um Alter ego chamado Beatriz e estava a meter conversa, ou então haveria alguém a usar as minhas fotografias indevidamente numa rede social de encontros.

Eu sei que estou sujeita a estas coisas a partir do momento em que mostro a cara publicamente e a Internet está infestada de fotografias minhas. Ainda assim, não deixa de ser incorrecto e ilegal.

Mas não é a minha consciência que fica pesada porque não sou eu que ando por aí a tomar a identidade dos outros como se fosse minha. E, sinceramente, tenho mais que fazer do que perder tempo com donzelas feias sem discernimento e educação.

Eu sei que sou muito gira, a sério.

E embora tenha conhecimento da existência dos sites de encontros online, nunca necessitei deles. Estou bem servida, obrigada, não precisam de me ajudar a encontrar namorado nenhum.

Quem quer que seja a hotbea87 do Meetic, fica aqui a sugestão de uma boa fotografia de perfil. És pouco macaca, és!…

Macaco
Imagem de origem desconhecida.

Complexos Blogosféricos

Juro que me sinto aliviada por a maior parte das pessoas não querer saber ou não se preocupar com isto dos blogs.

Não quero parecer pretensiosa nem quero o peixe todo só para mim, não senhora.

Simplesmente reconheço que, apesar de saber bem andar por aqui e de gostar de saber o que os bloggers têm para dizer e eventualmente bisbilhotar um ou outro pormenor das suas vidas, pode não ser muito saudável gastar horas e horas de volta deste mundo.

Podia ocupar-me com os outros hobbies, aprofundar estudos, ir passear. Vá-se lá entender, quando posso, prefiro ficar de volta dos blogs.

Como em tudo nesta vida, há opiniões de toda a espécie que surgem da boca de cada um. Nem sempre com conhecimento de causa.

Relativamente aos blogs, quem os tem será sempre confrontado com questões do tipo:

Vais contar isto que aconteceu?

Ou

Não te sentes incomodado por expor a tua vida lá?

Cada um sabe de si e do que publica, mas isto que se pergunta sobre os blogues mostra algum preconceito e ignorância. Basta pensar.

Em primeiro lugar, a nossa vida só é exposta até onde nós queremos, se quisermos. Basta dedicar 5 minutos à procura de blogues e o que não falta são pessoas anónimas com blogs.

Em muitos casos, há também blogues bem conhecidos cujos autores pouco ou nada expõem das suas vidas. E, a expor, é claro que temos plena consciência do que fizemos (deixemos os adolescentes para outro post) e não, não nos incomoda.

É verdade que os primeiros blogs a aparecer não mais eram que diários dos seus autores, com detalhes de actividades das suas vidas diárias. A moda pegou e a tendência foi esta por vários anos.

Felizmente, o Homem é um ser criativo e embora a vertente pessoal continue a existir na maior parte dos casos, a blogosfera cresceu e é possível encontrar quem escreva sobre tudo e mais alguma coisa por estas bandas.

Já a ideia de quem não está a par deste universo, bom, em muitos casos ficou parada no tempo e o blogue continuou a ser “o diário”. E quando não é isto, é pior.

Tens um blog sobre determinado tema? Então, a tua vida só roda em torno desse tema.

Ai falas de moda e beleza? Então és fútil!

E qualquer expressão de inteligência é uma surpresa e mereces aplausos. Sobre isto, nem há comentário ou post possível a fazer…

Tia das Ameixas

tia maria

Desde pequena que gosto de ameixas.

Apesar de não serem a minha fruta preferida, há alturas em que as devoro. Também há alturas em que me esqueço completamente delas, e é um frete gigante ter de as comer.

De agora para a frente, acho que vou passar a olhar para as ameixas de outra forma.

Tenho comigo uma caixa gigante, estou deliciada a comê-las (com alguma moderação, que isto dá dores de barriga!) e o melhor é que me lembram de boa parte da minha infância, lembram-me de quando a tia Maria nos dava ameixas do quintal dela.

Era a tia das ameixas.

Agora, as ameixas vêm com mais saudade. A tia das ameixas foi embora há dois dias, tinha 90 e muitos anos.

Para além de super nutritiva e saborosa, a ameixa passou a ser nostálgica.

Vinte e Um

bolo de aniversário

Foi um dia normalíssimo, com excepção aberta ao Facebook e ao telemóvel, nada parou.

Ah, e ao jantar! Família fofinha à mesa e bolo especial feito pela mamã.

Nada de velinhas com números e coisas afins, porque 21 já é um número que começa a pesar.

A propósito, já vos disse que não gosto de números ímpares?

aniversário

Os festejos propriamente ditos foram feitos ontem, com a amigalhada (quase) toda junta num jantar amigável.

Descobri que aos vinte e um já não temos presentes para abrir. Mentira! Recebi o vestido azul da minha vida (depois mostro, depois mostro), escolhido pelo primocas mais artista de todos. Da próxima só exijo que seja uma criação dele (jeitinho para isso teria ele!).

Dizia eu, aos vinte e um já não temos presentes para abrir. Não é preciso pensar muito para descobrir o motivo: é que aos vinte e um espera-se que sejamos grandinhos o suficiente para não necessitar de nada objectificável.

Têm toda a razão, neste momento não preciso de nada e já tenho todas as ferramentas para fazer caminho.

Aos vinte um, recebi os melhores presentes de todos: a companhia daqueles de quem gosto e que nem sempre é possível reunir e as palavras mais bonitas.