Categoria: Obras

Silicone sem Manchas – Dica Fácil

juntas silicone remover manchas pattex mofo bolor humidade

Hoje o post é sobre juntas de azulejos.

Pode parecer um assunto aborrecido para quem não tem de se preocupar com os assuntos da manutenção da casa, mas para as restantes pessoas posso estar aqui a falar de algo importante.

Juntas horrorosas, encardidas, com manchas de humidade que nem a lixívia removeu.

Quem nunca? Quando mudei de casa, apesar de não ser tudo novinho por estrear, posso dizer que a casa de banho até nem estava em más condições. Estava suja (tratava-se de uma casa desabitada), mas as loiças e azulejos até nem são dos piores comparando com outros que tenho visto.

Tivemos sorte, que com uma boa limpeza ficou tudo impecável e nem sequer havia silicone – nem em bom nem em mau estado – para remover das juntas. Foi só aplicar em tudo o que necessitava e o trabalho ficou feito.

Posso dizer que sou cuidadosa com a limpeza, mas passado um ano, mesmo com boa ventilação, lixívia e boas esfregas, o silicone da banheira ganhou algumas manchas. É o que vêem na foto do Antes e já era o suficiente para eu ponderar arrancar tudo e reaplicar.

remover manchas humidade pattex re-new silicone juntas

Num destes dias, tomei conhecimento da existência dumas bisnagas que prometiam milagres – o produto chama-se Re-New Special Silicone e é da Pattex.

Estava céptica, mas por que não? O pior que podia acontecer (e que já estava mentalizada para fazer) era ter de remover mesmo o silicone. Assim, resolvi dar o benefício da dúvida.

Fiz como diz na embalagem:

  • Limpei tudo bem limpinho e deixei secar.
  • Depois, é só aplicar o produto, sem necessidade de remover o silicone antigo.

É só isto.

É mesmo muito fácil, até porque a ponta da cânula tem um formato amigável que impossibilita que a coisa dê asneira.

E a verdade é esta: funciona mesmo e o resultado está à vista. Assim se poupa tempo e dinheiro a resolver uma chatice comum de todas as casas.

Meia cá, meia lá.

casa nova vintage gravidez family blog

Querem um resumo dos meus últimos dias?

Ora, cá vai ele: eu e a Teresinha estamos bem, mas andamos envolvidas em grandes empreendimentos e a alta velocidade. Tento manter-me calma, mas nem sempre é fácil.

Faltam menos de 10 semanas para a madame nascer e só na sexta-feira passada é que iniciámos as limpezas e mudanças para o palácio. Imaginam o caos? Mais tarde, falarei melhor sobre esta odisseia.

Não me envolvo em esforços enormes, mas tenho de fazer o máximo dentro daquilo que ainda consigo e é claro que a família tem sido imprescindível e impecável ao longo do processo.

Ando cansada e toda marreca, mas também consigo dormir melhor.

E estou confiante e optimista, e sei que tudo estará nos conformes quando for altura de a Teresa nascer.

E se eu consigo, fica aqui o meu incentivo para quem está a passar por situações semelhantes (de voltas muito drásticas na vida que nos levam a questionar se somos capazes de dar conta do recado): vocês também conseguem, que com jeitinho e boa vontade tudo se compõe.

Força!

E é isto. Basicamente, o que vos queria transmitir é que está tudo bem mas que mal tenho tido tempo para escrever, concluir rascunhos, enfim… Dar conta do recado! Obrigada por estarem desse lado ♥

Na terra também andamos às compras

risqué

Não há assim tantos sítios onde gastar dinheiro por aqui, e no geral o que há é mais barato do que nos outros sítios. Não é nada mau!

Tivemos que ir comprar um produto para o bicho, e tintas, mas esquecemo-nos de olhar para o relógio e chegámos à loja antes de esta abrir depois do almoço. Vimos as poucas montras nos arredores e tudo estava fechado. Como a malta já está farta de saber, quem é que nunca fecha? Os chineses!

Lá fomos espreitar. Trouxemos algumas trinchas e espátulas que estavam em falta para as nossas obras, máscaras, encontrámos uns tapetes super fáceis de lavar e que podíamos ligar para fazer um tapete grande para a sala (e foram muito baratos!), por aí fora.

Lá trouxe umas quantas mariquices que não mostro porque a Internet não mo permite: uma caixa de bentos (para quem não sabe são as caixinhas onde os orientais, em especial os japoneses, levam as refeições para o trabalho) cor-de-rosa linda, um porta-chaves patinho que faz barulho e funciona como lanternazinha, os cinco vernizes que podem ver (acabou-se o meu verniz base e era isto que havia cá, acabei por trazer outros quatro) e uns leggings pretos.

Ah, e também trouxe uns quantos novelos de lã malhada que não encontrava noutros lados e precisava para acabar um trabalho!

Já experimentei vernizes. Não que seja como as crianças (por acaso sou pior!) que querem estrear logo tudo, mas ao trabalhar com diluente corroí as luvas sem querer e lá se foi o verniz que tinha.

Tenho então a dizer que este verniz base é bom e há-de ser enquanto não peganhar.

Pintei as unhas com o Havana (o vermelho). Adoro a cor, parece o Beijo, que não encontro em lado nenhum, com uma graaande diferença: a textura. É, enquanto o Beijo só precisa de uma camada para ficar lindo, o Havana levou três. Está tudo nos conformes, vamos lá ver agora o que sucede quando acordar amanhã… Como sabem, a Risqué para mim não é lá muito famosa.

Obras no Quarto

 

Há uns dias, recebi um comentário de uma leitora a pedir sugestões de decoração para o quarto da sua filha mais velha, de 11 anos.

Apesar de ter algumas coisas em mente, resolvi pensar melhor no assunto para organizar tudo e ter um leque mais vasto de ideias.

Já tinha falado do assunto aqui, e reforço a ideia de que nem sempre é preciso trocar a mobília toda para que a nossa divisão pareça nova em folha.

Não conheço o espaço nem sei que recursos estão disponíveis, nem conheço os gostos da menina. Mas vou tentar dar uma ajuda!

Não sei se ela gosta de cores fortes ou não, pelo que apostaria em tons pastel.

Ficam bem as combinações rosa-branco, rosa-verde, rosa-lilás, verde-azul, azul-branco, verde-lilás, por exemplo. No caso de se optar por uma cor (rosa, por exemplo) e branco, dá para trabalhar as paredes, mobília e roupas dentro da mesma cor, mas noutras tonalidades. Para isso, podem ser usados stencils ou mesmo desenhando ou colando motivos nas paredes.

Convém ter o cuidado de não “complicar” as paredes todas, ou o quarto ficará com um ar bastante pesado e talvez desarrumado.

A leitora disse que a nossa menina de 11 anos gosta dos actores Disney do momento, como o Zac Efron, e que “se for pela dela basta forrar o quarto com posteres”.

Não vamos cair em exageros, mas por que não criar um painel? Não gosto de paredes com posteres colados por todo o lado, mas neste caso não era mal pensado numa das paredes, a uma certa distância lateral de uma estante ou secretária, pintar uma faixa vertical com largura suficiente para colocar os posteres (ou postais, bilhetes, fotos) colados com bostik, como sugere a imagem.

Desta forma, a pequena poderá mudar os conteúdos da faixa sempre que lhe apetecer sem grandes complicações.

Como a faixa não ficará preenchida até ao chão, sugiro que se ocupe o espaço restante com uma pequena mesinha de gavetas (a da imagem é da IKEA), útil para guardar papelada, canetas, acessórios ou quaisquer outras coisas pequenas que não devam andar à solta.

Não deverá faltar um espaço de estudo, pelo que a secretária é uma peça essencial.

É preferível optar por uma que tenha espaço suficiente para o computador e seus periféricos e para os livros e cadernos. Novamente, a IKEA apresenta uma boa opção que não ocupa muito espaço: esta secretária tanto pode ser facilmente arrumada como ficar a tempo inteiro montada. Para além disso, oferece prateleiras óptimas para a arrumação de livros e outros materiais de estudo.

Não sei como é o roupeiro. Se for dos embutidos na parede, dá para fazer muita coisa: no caso de as portas serem de espelhos, podem ser feitos stencils ou colados autocolantes. Sugiro ainda que se faça outra coisa: os espelhos são óptimos para escrever apontamentos ou lembretes, ou para fazer desenhos, com marcadores daqueles que se usam nos quadros brancos.

Se as portas forem tipo portada, não se faz grande coisa, acho que já são bonitos assim. Se forem portas de correr de madeira lisas, dá para fazer decoupage ou pintar de cores a condizer com o resto do quarto. Se o roupeiro for dos normais, armário, pode ser pintado e pode ser feita decoupage.

Passemos à parte mais importante, a cama.

Esta é uma peça que, para mim, deve ser bem escolhida porque pode trazer bastante arrumação. Gosto das que têm espaço por baixo, para arrumar caixas. Ou então das que têm gavetas! Novamente, como se vê na imagem, a IKEA oferece uma super opção.

Escolhi toda a mobília em branco porque dá com qualquer cor que se escolha para a parede e com qualquer roupa de quarto.

E porquê a IKEA? Porque é barata e porque com os devidos cuidados a mobília pode durar imenso. Esta cama tem ainda a particularidade de dar para fazer algo da espécie da faixa dos posters na madeira em volta. Por baixo, sobra espaço colocar caixas que servem para arrumar sapatos, malas e outras coisas.

E, assim, estão tratadas as coisas básicas. Se sobrar espaço, sugeria a ocupação com uma ou outra estante ou puffs. Podem, também, ser feitas cortinas, tapete e colcha (e se der, forrar os candeeiros), com o mesmo tecido (os da foto são todos da retrosaria online Rosa Pomar).

Não sei se a menina gosta destas coisas, mas no futuro pode ser útil montar um espacinho para os cosméticos e maquilhagens dela. Não são difíceis de montar, e um exemplo de espaço bem conseguido é o da Rita.

O que se pretende é um espaço não muito grande, que dê apenas para a pessoa se mexer sem dificuldades, com boa iluminação (o espelho é essencial) e com tudo à mão. Dá até para montar a partir de uma tábua e de um suporte de mesas, gavetas pequenas mas em grande número, um espelho simples e um sistema de lâmpadas.

Espero ter conseguido ajudar, se for preciso mais qualquer coisinha é pedir e dar pormenores!

Hoje a Guida Quer Falar de Decoração

Hoje vamos falar de decoração.

Como sabem, a Guida ainda não tem casa. E como sabem, também, a Guida gosta de aproveitar o que existe e que está à mão em vez de comprar a papinha toda feita. Penso que as coisas são muito mais bonitas e têm muito mais valor quando somos nós a fazê-las. Como podem imaginar, quando tiver a minha casa, quero ser eu a decorá-la toda à minha maneira, com tempo. Quero pintar as paredes, aproveitar mobília antiga e fazer um monte de coisas giras que vão tornar a casa que eu escolher na MINHA casa.

Há bocado, estava eu a ler o mini-saia e descobri este post, onde havia leitoras com dilemas em renovar espaços, dando destaque às paredes. E a Mónica Lice sugeriu o uso de autocolantes decorativos. Até podem ser uma boa ideia, mas não são coisa que me agrade: comprar algo que sei que não é único. E até os podemos fazer (de milhentas formas diferentes) em casa, e é impossível inventar desculpas do tipo “eu não tenho tempo” ou “eu não tenho jeitinho nenhum”, porque são coisas relativamente fáceis de fazer, apenas requerem alguma paciência.

Uma das coisas onde dispenso mais tempo na Internet, são os sites de Artes e Design e já gastei muitas horas a navegar pelo Stumble Upon fora a ver sites de reciclagem e decoração. Assim, e como sei que há muitas pessoas que gostam de transformar as suas casas mas que ainda não tiveram um empurrãozinho para o fazerem por si próprias, venho mostrar-vos algumas ideias e as respectivas técnicas explicadinhas para vos inspirar (todas elas em inglês. Se precisarem de alguma tradução, avisem!).

Paredes com Cara Lavada

Por que não experimentar fazer uma parede de mosaicos? É fácil e barato, nem sequer precisam de pintar nada e quando se fartarem podem sempre removê-los facilmente. É questão de escolherem cartolinas, papel de lustro, papel com padrões, o papel que a vossa imaginação ditar. Até podem usar fotografias ou postais! Meçam a parede, definam as medidas dos quadrados e mãos à obra!

Em alternativa, podem sempre fazer uma decoupage (colagem, quero eu dizer!) no tecto, como sugere a imagem, ou nas paredes. É seguir o tutorial, é muito fácil também e fica bastante engraçado. Esta técnica também é boa para decorar portas, por exemplo, e nesse caso eu já escolheria motivos coloridos, sem os restringir a um único tom. Sabem o que é que é bom fazer? Recortar revistas, como eu faço há muito tempo. As imagens dão para aplicar em muitos sítios, é uma boa forma de reciclar em pouco tempo e de forma eficaz.

Quem tiver mais paciência pode sempre optar por transferir imagens ou desenhar directamente na parede e pintar, como nos ensinam aqui. Quem quiser ir mais longe, pode ainda combinar estas três técnicas e misturar tecidos, como se vê aqui e ali. E já que vão andar com as mãos na massa, perdão, na tinta, por que é que não criam formas geométricas? Que tal uma parede com losangos ou outras formas quaisquer, com relevos imitados, como se fosse papel de parede?

Mobílias Novas

Bem, quando o assunto é mobiliário, podem querer duas coisas: o arzinho que a mobília tinha quando era nova ou renová-la por completo. No primeiro caso, basta ir ao AKI ou lojas semelhantes que têm todos os produtos necessários para restauro e folhetos que explicam todo o processo. Depois disso, é precisa muita paciência, roupa velha e luvas. Caso estejam fartos da vossa mobília velha, podem sempre transformá-la:

Podem fazer decoupage em cadeiras, com posters ou outro papel ou tecido do vosso agrado, por exemplo.

Podem usar papel autocolante ou fazer colagens, novamente, mas apenas em algumas partes da peça em causa, como se vê aqui. Até o podem fazer em mobílias novas, mas que são muito simples. Encontram-nas facilmente na IKEA, muito barata (aproveito por dizer que estou extremamente feliz por ir ter uma loja destas praticamente aqui à porta de casa!).

Se acharem que as vossas secretárias, cómodas e por aí fora não tiverem recuperação possível mas as gavetas estiverem boas, podem aproveitá-las e fazer uma espécie de estante como esta moça experimentou. É uma ideia muito boa e podem sempre organizar as diferentes gavetas da forma que melhor entenderem! Se acharem que fica instável, é só aparafuzarem as gavetas umas às outras.

Aqui ensinam-nos a transformar por completo uma secretária e uma cadeira velhas e feias, pintando e forrando os puxadores com tecido e a cadeira com uma peça de tricô (e por que não aproveitar uma camisola velha?), e neste ponto posso acrescentar que é uma óptima maneira de renovarem as vossas cadeiras e bancos, por que não forrá-las com tecidos bonitos?

E voltando à decoupage, esta é uma maneira fácil para dar um ar novo a mobílias sem grandes esforços, basta pintá-las com apenas uma cor, ou nem sequer pintar, e aplicar os vossos motivos em mesas, portas, mesas de cabeceira, roupeiros, o que vos apetecer.

Uma ideia gira para camas (também pode ser aplicada a bancos e coisas do género, porque não?) é a da imagem, em que se optou por pintar o topo da cama na parede em vez de colocar um topo verdadeiro.

Ocupar os Espaços com Coisas Bonitas

Depois das paredes e das mobílias, temos que pensar no resto da decoração, que também é importante.

As flores e plantas deviam ser elementos essenciais em todas as casas, não só porque são bonitas mas também porque trazem vida ao lar e porque acabam por ser uma terapia: acreditem que após uns minutos de estarmos a cuidar delas, estamos super distraídos e entretidos com as meninas. Como muitos de nós moramos em casas pequenas, rentabilizar o espaço é importante e, felizmente, alguém teve esta ideia brilhante de empilhar os vasos. Mesmo que tenham espaço em casa, esta maneira de ter os vasos fica muito bonita! Também podem aproveitar lâmpadas estragadas como jarrinhos para flores.

Para que os casacos, chapéus, malas e chaves não andem à solta pela casa, existem cabides e chaveiros. Com técnicas de forragem e decoupage, existem opções excepcionais, na página que vos sugeri até aproveitam cabides desirmanados! Se houver meninas pequeninas aí em casa que tenham bonecas estragadas, por que é que não fazem como na imagem? Sim, é um pouco mórbido, mas é uma questão de usarem outras cores no painel de madeira!

Quanto a candeeiros, podem aproveitar candeeiros velhos e pintá-los com cores que gostem, fazer stencils em abat-jours velhos, fazer como na imagem e aproveitar caixas de ovos e luzinhas da árvore de natal, que tem esta variante que origina um candeeiro de tecto, podem inspirar-se na Cantina Baldracca e fazer candeeiros a partir de panelas, passadores, canecas e outras coisas da vossa cozinha, usar recipientes de iogurte, e outras coisas que tenham por aí.

Acham que o vosso espelho está tão simples que até vos dá um desgosto quando têm que olhar? Aqui há uma solução.

E nas cortinas, já alguém pensou? Colagens, carimbos de batata como na imagem (esta técnica também liga bem em toalhas, toalhas de mesa, lençóis, panos de cozinha e por aí fora. Se quiserem, até podem pintar os vossos motivos à mão com tintas de tecido), há uma série de opções que podem ter em conta se não quiserem costurar as vossas próprias cortinas. Se for esse o caso, a IKEA e a Feira dos Tecidos são bons sítios para encontrarem tecidos catitas!

Para as cozinhas e casas-de-banho, e talvez em alguns tipos de quarto, podem fazer tapetes em patchwork como o da imagem: são bonitos, fáceis de fazer, fáceis de lavar e ficam bem com qualquer tipo de decoração: basta escolher tecidos que se adequem!

Não têm espaço para os livros e revistas que andam aí pelo chão ou a arrastarem-se pelo sofá? Vejam esta solução muito prática e fácil de fazer.

Como é muito importante termos as fotografias daqueles de quem gostamos à mostra para vermos sempre que nos apetecer, e se não fizeram grandes acrobacias com as vossas paredes, pode ser engraçado pintarem ou colarem molduras, como no exemplo.

Para terminar a nossa conversa sobre decoração, é sempre bom darem uma vista de olhos a sites como o Makezine ou o Craftzine, que todos os dias têm montes de ideias giras para se entreterem a trabalhar (não falam só de decoração!) e se estiverem mesmo a planear uma redecoração da vossa casa existe o planificador da IKEA que podem instalar no computador e que dá um jeitão!