Categoria: Moda

Cerimónias e Festas – Encontrar O Vestido

Vestidos Cerimónia
Vestidos de cerimónia. Imagem ilustrativa.

A Primavera costuma ser, por excelência, a época em que surgem as primeiras cerimónias. Espera-se que comece o tempo quente e o sol (ainda não vimos nada, parece que o Inverno não tem fim!), que costumam vir de mãos dadas com toda a espécie de cocktails, baptizados, casamentos, galas de fim de ano escolar, enfim: há muitos eventos no ar e nunca sabemos o que vestir.

Dentro da problemática da escolha do vestuário, diria que há dois pontos essenciais, e aposto que muitas de vós irão concordar comigo:

  • A roupa mais vistosa, de cerimónia, tende a ser mais cara. Especialmente se tivermos em conta que raramente será vestida (depende das opções e gostos de cada uma, eu sei);
  • Quando precisamos, nunca encontramos nada do que pretendemos ou que nos agrade nas lojas.
Vestidos Cerimónia
Vestidos de cerimónia. Imagem ilustrativa.

Acredito que a esta altura do campeonato já possa ser complicado encontrar O Vestido caso o vosso compromisso esteja agendado para breve, mas deixo-vos umas dicas que podem ser úteis (experiência própria!) neste processo:

  • Não deixem as vossas compras para a última da hora. Procurem com antecedência, e mesmo que não tenham nenhuma festa prevista para breve, caso vejam uma boa oportunidade de investimento (por exemplo, roupa de cerimónia intemporal do vosso agrado e a bom preço), não a deixem escapar.
  • Procurem dentro dos vossos roupeiros, ou nos das familiares e amigas próximas. É possível que tenham peças ou acessórios que formando um conjunto, combinadas com outros novos ou passando por pequenas modificações na costureira cumprem o propósito. E sempre magoam menos a carteira!
  • Alarguem a vossa procura e espreitem mesmo nas lojas mais improváveis. Não se esqueçam que existem lojas de comércio local com autênticas preciosidades que nunca encontrariam nos centros comerciais. Procurem também na Internet, que na actualidade é fundamental. Há sites como o OKdress que podem ser uma ajuda. Em caso de dúvida, pesquisem no Google e redes sociais sobre a qualidade dos serviços.
  • Se têm jeito para a costura, há revistas como a Burda (e sites) com moldes de vestidos giríssimos que podem fazer. Assim, ficam com uma peça única, totalmente ao vosso gosto e possivelmente mais barata que algo comprado numa loja.
  • Já pensaram em alugar o vestido? Pessoalmente, é uma opção que não me agrada muito, embora saiba que as peças passam por limpeza prévia. Sem dúvida, é possível poupar e hoje em dia há serviços bastante diversificados e personalizados dentro deste âmbito (se já tiverem experimentado algum, sintam-se à vontade para divulgar nos comentários).
  • Sintam-se confortáveis com as vossas escolhas. Não vale a pena espreitar em secções cheias de floreados e berloques, só com vestidos pomposos (ou calças, ou blusas) que não fazem o nosso género. Preferem algo mais simples? Crêem que podem encontrar a indumentária perfeita numa secção/loja mais informal? Sigam o vosso instinto, nunca se sabe o que pode surgir no caminho!

Espero ter ajudado alguém nesta odisseia dos vestidos de cerimónia, e caso tenham dicas para a troca, sintam-se à vontade para as partilhar nos comentários!

Este post foi patrocinado pela loja online OKdress.co.uk.

Slip-ons Victoria

No ano passado, publiquei este post onde pedi a vossa ajuda para escolher umas sapatilhas slip-on da Victoria. Na altura, não foi assim tão complicado decidir. Não havia um grande leque de opções e, a dado momento, as de glitter prateado já não estavam disponíveis no meu tamanho.

Slip On Victoria
Slip-ons em trança: os dourados já existiam, os restantes são novidade. Adoro os acobreados!

Optei pelas de malha dourada, sem arrependimentos. Ficaram muito bem nos meus pés, o número corresponde ao habitual, e são confortáveis e resistentes. Este ano, sei que vou continuar a utilizá-las. Nem que tenha de utilizar uma palmilha de reforço no calcanhar, já que são completamente rasas (o que, neste momento de barriga gigante, se torna desconfortável).

Slip On Victoria
Slip-ons com glitter: os pretos, aiii os pretos!

Sucede que a nova colecção da Victoria está de sonho e eu, mesmo não sendo fã de calçado mais descontraído e desportivo, derreto-me e quero tudo. Para além do entrançado dourado, há mais três cores. Todas têm acabamento metalizado. Quero muito as sapatilhas acobreadas, mas também adoro as pretas.

Na versão com glitter, há as pretas e as prateadas. Também são tão fofinhas! Já tenho umas sapatilhas da mesma marca com purpurinas pretas, mas não me importava de ter estas (a sola e o modelo são diferentes!) para lhes fazerem companhia.

Estou a ponderar comprar um par, mas não sei qual deles escolher. Socorro!

Gravidez 101 – O Calçado

Calçado Gravidez

Toda a gente sabe (mais não seja porque é visível) que a gravidez traz uma série de alterações corporais. O crescimento da barriga e do peito, bem como o alargamento das ancas obrigam a uma adaptação do guarda-roupa (logo vos explico o que tenho apurado com a minha experiência).

Porém, as pernas e os pés também podem requerer cuidados especiais nesta fase e é importante ter cuidado com o calçado. Resumidamente, por três motivos:

  • A postura – com todas as transformações do corpo, o centro de gravidade muda. Para além disso, um tamanho de salto incorrecto pode originar transtornos até ao nível da coluna;
  • O edema – nesta fase, as pernas e os pés tendem a inchar, o que pode fazer com que até o tamanho do calçado aumente;
  • O conforto – para além do que já foi referido anteriormente, podem haver outros factores que provoquem desconforto na gravidez (já me tenho queixado deles cá pelo blog), pelo que se pudermos evitar calçado desconfortável, melhor ainda.

Calçado Gravidez

Então, qual é o calçado mais adequado à gravidez? Bom, não é necessário investir em nada de especial (digo eu!), e cada mulher irá verificar por si própria o que funciona melhor. Contudo, existem algumas dicas que podem ajudar (e algumas podem parecer surpreendentes).

  • Evitem sapatos completamente rasos. Juro! Não imaginam o martírio que pode ser andar todo o dia com sapatilhas ou sabrinas de sola completamente plana. Ficamos com os pés feitos em papa e parece que a dor associada ao inchaço das pernas é maior. Justifica-se, essencialmente, com o facto de haver maior força implementada sobre os calcanhares;
  • Da mesma forma, evitem saltos altos. O ideal é optar por saltos médios, até cerca de 5cm, que sejam estáveis e confortáveis. Neste sentido, posso dizer que até me dou bem com botas altas (entenda-se, com saltos largos/cunhas até aos 10cm) ou sapatos de cunha, e é mesmo o que acaba por ser mais confortável de momento;
  • Contem com um possível aumento do tamanho dos vossos sapatos. Deve-se ao inchaço dos pés e pode ser permanente, pelo que não vale mesmo a pena martirizarem-se com calçado que aperta. Geralmente, acontece lá para o fim do segundo trimestre, ou no último. Por aqui, ainda não se verificou (aleluia!), mas é cedo para deitar foguetes.

Irei dedicar mais posts a aspectos importantes da gravidez, mas não se esqueçam que o repouso e uma hidratação correcta podem ajudar a prevenir ou atenuar muitos desconfortos, e o do calçado é um deles. Leitoras que já são mães ou que também estão nesta viagem, têm mais dicas no que toca ao calçado? Partilhem-nas todas!

Workshop de Iniciação à Costura

Costura Companhia das Agulhas

Há coisa de duas semanas, recebi um convite da Companhia das Agulhas para ir a um workshop de iniciação à costura. Calhou que nem ginjas: agora que estou em mudanças, estava à procura de algo semelhante porque, já que tenho máquina de costura, convém saber utilizá-la.

É claro que a mamã sabe e ajuda. Ela tem todos os conhecimentos e, por isso mesmo, pensa que há coisas que são tão básicas que toda a gente as sabe empiricamente. Consequentemente, não tem a paciência necessária e a simples tarefa de montar a máquina é uma odisseia neste domicílio.

Costura Companhia das Agulhas
Bloggers a aprender a costurar. Fotografia retirada do Facebook da Companhia das Agulhas.

Quero poder ser eu a arranjar as roupas na minha casa e, quem sabe, fazer projectos lindos completamente de raiz. Assim sendo, adorei a proposta e não podia dizer que não. Rumei à Companhia para, numa tarde, aprender os básicos da costura à máquina. Há coisas básicas (não sei como é que, hoje em dia, há quem não as saiba fazer!) das quais sei tratar à mão, como coser botões e bainhas, mas no demais não sei fazer nada. No total, éramos 5 bloggers sem grande experiência no assunto, e posso garantir que nos portámos todas muito bem.

Com a ajuda da Ju e da Sofia, conseguimos preparar e confeccionar um individual com espacinhos para os talheres bem giro e que, falo por mim, tem feito muito sucesso! Mas nem só de costura para nabiças é feita a Companhia: há cursos e workshops para todos os fins e dificuldades, aulas livres, cursos de malha…

Costura Companhia das Agulhas

Em jeito de conclusão: adorei a tarde e saí do workshop bastante motivada para aprender a trabalhar com a minha máquina. Há esperança. E posso dizer-vos que se eu consigo, vocês também conseguem! Com mais ou menos persistência, é preciso é ter vontade de aprender. Para saberem mais sobre a Companhia das Agulhas, é só consultarem o site que está lá tudo (modalidades, preços, morada e tudo o que possam imaginar).

E os bebés?

Vestuário Bebés

Eu sei que sou muito ingénua e que, vai na volta, este post até nem faz muito sentido. Mas faz! Um dos dramas de quem faz muitas compras online e até tem lojas da sua preferência é, perante a maternidade, verificar que os bebés são muitas vezes esquecidos.

Há lojas específicas e há lojas de “gente grande” que também têm montes de roupinhas, calçado e acessórios em tamanho miniatura, facto. Mas, e as outras? Tenho de colocar aqui uma ressalva: falo das que até têm uma secção infantil mas que não contemplam os bebés.

Tenho verificado um fenómeno curioso nas minhas compras para os tempos que se avizinham: há lojas físicas (como a Lanidor) que não têm peças para recém-nascidos, mas disponibilizam-nas na Internet. Compreendo que assim seja, devido ao tamanho das lojas e outros factores que, não sendo da minha conta, podem fazer todo o sentido.

Mas numa loja online, embora haja espaço do alojamento, é muito mais simples albergar uma maior variedade de artigos. Especialmente quando são comercializadas marcas que os disponibilizam.

O meu coração de futura mamã parte-se todo aos bocadinhos cada vez que descubro calçado fofinho de criança ou quando vejo catálogos de vestuário de marcas infantis presentes nos locais que refiro (o Spartoo que tanto adoro é um exemplo!) e depois quando se abre o separador dos artigos de bebé… Chapéu. Não há nada. Rien de rien para os bebés. Protesto!

Encomenda Dresslink

Dresslink Encomenda Order Compras

Já partilhei convosco, e quem já passou/está a passar pelo mesmo sabe, que estar grávida tem sido um desafio e pêras no que toca a escolher a indumentária no dia-a-dia: por um lado, há boa parte da nossa roupa que serve; por outro, não sabemos como a devemos vestir porque a outra parte, a que combinava, deixou de servir e temos, invariavelmente, de comprar roupa. Eis que surge outro problema. Queremos que a roupa dure, preferencialmente para depois da gravidez. Para além de a roupa de grávida ser, no geral, mais cara, não é tão versátil.

Decidi que compraria o mínimo indispensável adequado à minha condição. Até agora, comprei umas calças e, dependendo de como estiver no tempo quente, talvez compre uns calções para grávida. No demais, opto por roupa normalíssima, só que em modelos mais elásticos ou folgados, e como tenho visto o caso mal parado quanto ao aumento de peso, procuro não gastar muito dinheiro. Para além de não dar jeito nenhum (porque agora passei a ter mais despesas), tenho certo receio de mais tarde não caber na roupa que visto agora.

Após ver e ler uma série de críticas ao site Dresslink, optei por fazer uma encomenda. Com portes e tudo (com número de rastreio dos correios), não chegou aos $30. Inclusivamente, há uma secção de artigos a $0.01 (vingam-se nos portes) e outra com artigos cujos portes são oferecidos. É tudo barato de mais mesmo para o habitual deste tipo de lojas e outros sites como o Ebay ou Aliexpress e só arrisquei mediante duas observações:

  • Vi fotografias e vídeos, em blogs e canais do Youtube, de algumas peças e pareceram razoáveis;
  • O próprio site, dentro da página de cada artigo, tem uma secção de comentários onde é possível ver a opinião de quem comprou e fotos das respectivas peças. Assim, deu para me guiar nas minhas escolhas.

Dúvidas esclarecidas, tratei de encher o carrinho. Escolhi as cinco peças da imagem acima, sendo que sei que o vestido às riscas pode, na verdade, revelar-se uma camisola/túnica, e mandei vir em duas cores (daí aquela imagem à esquerda). De uma maneira ou de outra, a julgar pelas fotos de quem comprou, todas as peças tinham bom aspecto e, à partida, servir-me-ão mesmo com uma barriga gigante. Para quem se questiona, a maior parte das peças tem uma boa variedade de tamanhos à escolha e, a avaliar pelas fotografias, muitas vezes correspondem aos tamanhos ocidentais.

Assim que a minha encomenda chegar, mostro as peças todas e coloco aqui os respectivos links. Encomendei pela altura do Natal e, ao que parece, não tardará a chegar. Até lá, gostava que alguma de vós pudesse dar feedback: já compraram na Dresslink? A entrega foi rápida? Correu tudo bem? Esta história das compras online vindas do oriente é sempre um mistério.


Sale with 0.01 USD

Abertura CODE Telheiras

Loja de roupa CODE
Eu e a Graziela, carregadinhas de roupa nova!

Há algumas semanas, o Pingo Doce de Telheiras levou uma reforma de tal ordem que agora é um espaço novo e único dentro do género. Uma das (muitas) novidades foi a abertura de uma loja CODE no perímetro do centro comercial (antigamente era dentro do hipermercado, lembram-se?). Para celebrar, convidaram algumas bloggers para conhecer a colecção de Inverno e trazerem para casa as suas peças favoritas.

Devo dizer que fiquei agradavelmente surpreendida. Não conhecia bem as propostas da CODE, já que não era habitual entrar numa. O meu termo de comparação era a restante oferta das cadeias de supermercados, que deixa muito a desejar no geral. Habitualmente, as peças são caras para a qualidade que têm e não há variedade (quantas vezes procuramos algo que vimos num catálogo e não encontramos?).

Loja de roupa CODE

Na CODE, há modelitos para todos os gostos, idades e tamanhos, e o melhor é que os preços são mesmo muito acessíveis. Há de tudo, desde a roupa interior aos acessórios, e nalgumas lojas creio que até há roupa para a casa. Para complementar, é frequente haver promoções (neste dia, por exemplo, estava em vigor uma campanha de “leve 3, pague 2”). Uma dica para quem recebe o subsídio de alimentação em vales, que pode dar jeito: caso desejem, podem utilizá-los nesta loja.

Loja de roupa CODE
Eu, a Jael e a Maria Inês em amena cavaqueira enquanto apreciávamos a loja.

Fiquei com pena de ainda ser muito cedo e não saber o sexo do bebé, porque a secção infantil tinha peças lindas, lindas! Para mim, optei por trazer peças que já procurava há algum tempo e que não têm a utilização limitada pelo crescimento da minha barriga e alguns acessórios.

Estão curiosas para saber o que trouxe comigo? Mostro-vos tudo em breve, estejam atentas ao blog e ao Instagram. Deixo-vos com um vídeo que foi feito durante a tarde da abertura da CODE Telheiras.

CODE – Telheiras

Depois da festa, recordamos agora o primeiro passo da nossa CODE Telheiras. A música marcou o ritmo e as nossas bloggers convidadas marcaram as tendências da coleção Inverno 2015.Convidamo-la agora a conhecer o nosso espaço e a seguir as tendências ou a desafiá-las.Esperamos por si.bit.ly/code-inverno-2015Com Ana na Suécia, Vida de Desempregada, The Styland, Sweet Ideas, Coquette à Portuguesa, THE GLITTER DOOR, Macarons & Purpurinas, So Sweet, So Pink, A Guida É que Sabe, Mantinha de Retalhos, The pink lemonade, Dinastia da Moda, I love Fita Métrica e A Pipoca Mais Doce

Posted by CODE on Wednesday, December 16, 2015

A Minha Wishlist de Natal

Pensei muuuitas vezes antes de publicar este post, porque a verdade é que:

  1. Não há nada que me faça falta.
  2. Há um bebé a caminho e, já que olho para o meu umbigo, deveria ter uma visão mais profunda do que se avizinha.

Depois, lembrei-me que também sou filha de Deus e que as épocas festivas servem para sonhar e meditar em caprichos. Não tem mal nenhum, faz bem e felizmente o Pai Natal ainda não cobra para ler cartas!

Justificando muito rapidamente as minhas escolhas, já que na imagem têm tudo direitinho, é tudo muito simples:

  • Sim, o meu telemóvel precisa de um upgrade, experimentei o Huawei Mate S conforme vos contei aqui e aqui e fiquei apaixonada. Ainda por cima, na semana passada chegou a Portugal a versão Pink. Há como não querer? Não! Pai Natal, era meeesmo isto.
  • A musa Dita Von Teese lançou o seu livro de beleza Your Beauty Mark: The Ultimate Guide to Eccentric Glamour. Quero porque quero. Já agora, consta que anda por aí um batom da MAC de edição especial da mesma senhora, também podia vir morar comigo.
  • Já bati nesta questão e volto a dar-lhe destaque: ando a namorar esta placa alisadora da Philips há quinhentos anos. Ando. Porque é tudo de bom. É grande, segura e eficaz.
  • É óbviooo que não preciso de mais paletas de sombras. Mas gosto muito delas, são um presente que aprecio e faço olhinhos a estas três da imagem. Optaria pela Chocolate Bar Semi Sweet da Too Faced, é linda e cheirosa e sempre fazia companhia à mana, mas a Cocoa Blend da Zoeva é tão lindinha e acessível e a Nude Dude da The Balm faz pendant com as minhas meninas.
  • Botas de cano alto, acima do joelho. Por que é que é tão difícil encontrar o modelo perfeito? As da imagem são da Aldo, mas não me deixam totalmente satisfeita. É que as que tenho sofreram um pequeno acidente, mas apesar de terem arranjo, não sei quanto tempo de vida terão pela frente. As que vejo nas lojas actualmente são caríssimas e medíocres. Por que é que teimam em encher tudo de fivelas, buracos e utilizar tecidos reles (tipo neoprene, hello!) na parte traseira? É o medo.
  • Gosto de colorir livrinhos engraçados, gosto do Sherlock e… Quem é que resiste a um livro de colorir do Sherlock Holmes?

Não encarem os meus caprichos como esquisitice, até porque sou uma pessoa fácil de agradar e entreter com bugigangas. Se estão mesmo interessad@s nos meus desejos e querem mais pistas sobre o que poderiam oferecer à minha pessoa (ninguém oferece presentes a gente crescida, mas just in case…), aproveitem para me encher de collants e cuecas da avó, daquelas de algodãozinho que se fazem difíceis de encontrar hoje em dia (a sério!), túnicas e vestidos folgados.

Também não me vou ofender se decidirem encher-me o sapatinho de quinquilharias e bibelotes para a casa, hã? Como disse, sou muito fácil de contentar e sou pior que os miúdos: gosto mesmo é do mistério de desembrulhar os presentes.

E vocês, o que querem neste Natal?

7 Semanas e não sei o que vestir.

O que mais oiço nos últimos dias: "não pode ser tão pouco tempo! Se calhar, são gémeos!"
O que mais oiço nos últimos dias: “não pode ser tão pouco tempo! Se calhar, são gémeos!”

Há uns dias, mostrei-vos como estava a minha barriga. Bem sei que ainda não há ecografia para confirmar, mas é bem possível que esteja tudo certinho e que à corrente data a minha gestação vá nas 7 semanas + 2 dias. Há cerca de uma semana, ainda não eram visíveis as mudanças físicas.

Agora, estou em vias de não ter calças que me sirvam. Nas pernas, passa tudo como deve ser. O problema é fechar os botões. Ganhei peso, mas está tudo situado na barriga e no peito. Não como mais do que antes. Não tive enjoos até agora, mas também não tenho grandes apetites. Tenho, sim, muita sede.

Pelo andar da carruagem, creio que daqui a uns meses não ando: rebolo! Certamente, terei de comprar algumas peças de roupa. Há camisolas, blusas, túnicas e vestidos que servem perfeitamente, bem como alguns leggings. Não posso dar-me ao luxo de não caber na minha roupa, mas não vou aguentar-me só assim! Para já, necessito de comprar roupa interior e calças. A grande questão é: de que tamanho?

Alguém me consegue ajudar nesta missão? Penso mais à frente e compro algo mais folgado, há peças que se adaptem? Onde compensa comprar? Marias mais experientes cá do blog, que já sabem melhor que eu como se processa a história da gravidez, por favor, ajudem-me!

[Vale-me o facto de o último trimestre já se dar em tempo de calor e poder viver à base de vestidinhos!]

Pim, pam, pum

É declarado o meu amor por calçado emborrachado de boa qualidade. Não gosto de sapatos com mau aspecto, reles, com poucos detalhes e acabamentos toscos, com materiais de tão fraca qualidade que magoam os pés.

Por isso, quando vejo que há marcas como deve ser que fabricam modelitos dos quais muita gente diz bem e que, em boa verdade, são lindos, fico curiosa. Adoro Melissas e afins, e mais recente (embora já com algum tempo!) e portuguesa, há a Lemon Jelly. Desengane-se quem pensa que o plástico fica guardado para o Verão, que as galochas são um bem necessário e tenho matutado numas tipo botins.

Os modelos das fotos acima são os que mais me agradaram da colecção de Inverno. Se carregarem em cima das imagens, dá para ver todos os detalhes.

Já tenho ouvido que é calçado que dura, que é confortável, e já tive oportunidade de cheirar alguns pares novinhos e o cheiro é delicioso (sinto-me estranha a dizer isto sobre uma marca de calçado).

Então, se já sabem, contem-me: o tamanho a pedir é o habitual? Há inconvenientes? Compensam mesmo os preços? Há sítios mais baratinhos/com promoções?