Categoria: Media

Netflix em Portugal

netflix

Para quem ainda não se apercebeu, ontem o serviço americano de televisão via Internet Netflix chegou a Portugal! Para quem não sabe do que se trata e, consequentemente, não percebe o por quê do mimimi em torno desta novidade, passo a explicar: o Netflix é um serviço que disponibiliza milhentas séries das boas (sou fã de Orange Is the New Black e Sense8 há muito tempo e agora já posso aceder a elas de forma fácil!) e filmes, para todos os gostos, em streaming.

É entretenimento à hora que quisermos, onde quisermos e por quanto tempo quisermos, já que as temporadas são logo disponibilizadas por inteiro ao invés de termos de esperar que saia um episódio a cada semana. E não é preciso ter medo de esgotar os conteúdos, já que há milhões de horas em vídeos para ver.

Para utilizar o serviço, é muito simples: podem fazê-lo através do smartphone, tablet, televisor (a Vodafone disponibiliza uma app e tudo!), consolas… Qualquer que seja a forma que vos dá mais jeito, haverá uma solução.

Antes de decidirem se faz sentido fazerem subscrições mensais do serviço (que oscilam entre os 7,99€ e os 11,99€ (consoante a modalidade que preferirem), podem sempre experimentar um mês gratuitamente. Eu já subscrevi, que nem dava para ser de outra forma. Podem argumentar que é muito fácil aceder às séries todas pela Internet fora. É um facto, senão nem eu conhecia as séries acima mencionadas, mas assim está tudo no mesmo sítio, dentro da legalidade e a suportar devidamente os responsáveis pelos trabalhos. Para além disso, os preços são, no meu entender, bastante acessíveis.

Já conheciam o Netflix? Aconselham alguma das séries que por lá existem?

Contra-notícias

liz taylor classroom
Elizabeth Taylor,18, numa sala de aula na Hollywood’s University High School, no dia da sua formatura. Foto por Peter Stackpole. Hollywood, 19 de Janeiro de 1950

Um dia destes, saltou-me à vista na timeline do Facebook um cabeçalho de um artigo etiquetado como sendo de “outdoor e alimentação saudável” num conhecido site português. O título era Como a musa da Intimissimi perdeu 12 quilos em dois meses. Bonito! Só por aqui, já dava para adivinhar que vinha dali asneira. E veio.

Lê-se uma espécie de entrevista a uma rapariga que mede 1.66m e actualmente pesa 50kg, mas já pesou 62kg e considerava-se gorda. Está no seu legítimo direito. Creio que cada pessoa deve fazer por ficar bem consigo própria. Quem não está bem, deve mudar. Mas há cuidados a ter, e a imprensa deveria ter um papel activo neste processo de consciencialização. A ideia que o texto transmite é que, efectivamente, esta rapariga que mede 1.66m era gorda quando pesava 62kg, o que estava longe de ser verdade.

Há noções elementares quando se realiza uma entrevista, e uma delas é a imparcialidade. Isto aprende-se na escola. Era o mínimo que se pedia, já que o texto não tem, de todo, ponta por onde se possa pegar. Nesta entrevista, há julgamentos por todo o lado. Desde a primeira à última questão: “ganhou 12 quilos, sem ter muita noção”, “quando e como é que caiu em si?”, “os seus amigos e pais não a chamavam à atenção?” (adoro a formulação desta última questão, a sério).

As respostas que surgem de seguida são típicas de uma pessoa desinformada e nem deveriam ser transmitidas em modo de incentivo a que outras pessoas sigam o mesmo exemplo. No final da entrevista, lá surge um parênteses a desencorajar outras pessoas de seguirem o mesmo caminho, por parte da entrevistada. Mas no geral, é isto que temos: maus hábitos alimentares, dietas drásticas e nada aconselháveis, muitas falácias. A entrevistadora ainda pergunta à modelo se “tem orgulho e gosta de ser saudável”. Perder 12 quilos em 2 meses (recorrendo a uma alimentação que não se aconselha a ninguém) é ser saudável?

Ser saudável é aceitar-se sem cair em extremos, é comer de forma variada e dar ao nosso organismo toda a nutrição de que necessita (sim, isso inclui a ingestão de hidratos de carbono!), é praticar exercício físico, é conviver, é ser feliz, é não ter de ouvir, sequer, insinuações alheias e muito menos ter de dar satisfações por sermos assim ou assado.

Muito sinceramente, preocupa-me que o maldito artigo tenha potencial para chegar a tanta gente e que, infelizmente, possa causar transtornos a quem não vai, sequer, questionar o que leu. Não sei como esperam que se mudem mentalidades e que se acabe com problemas graves como os distúrbios alimentares e toda uma panóplia de doenças mentais associadas quando nos espetam com pérolas literárias destas no ecrã.

Muito se fala da autoestima e da autoimagem, muito se promove a aceitação da diferença, mas estamos em 2015 e ainda se permite que haja conteúdos perigosos em destaque sem que haja uma chamada de atenção. Por favor, tenham muito cuidado com a informação que vos é oferecida e não se deixem influenciar por tolices!

Podiam ser irmãos Nº3

raquelyulia

Como o que custa é começar, passou pouco tempo e já cá temos outro post da mesma rubrica. As irmãs, desta vez, são a actriz Raquel Henriques e a cantora Yulia Volkova (quem é que se lembra das t.A.T.u.?).

Poderia não ser uma comparação óbvia, no passado. Isto não abona a favor da Yulia, na minha opinião (que acho muito mais piada à mocinha simples que ela foi em tempos), mas actualmente estão muito parecidas.

Eu era fã das t.A.T.u., e custa-me perceber as voltas que houve aqui pelo meio com o marketing. Juro que não compreendo o trabalho da Yulia a solo, nem as plásticas, nem o solário.

Voltando ao tema da conversa, acho que tanto a Raquel como a Yulia são mulheres muito bonitas e que se tornariam muito mais belas se fossem mais naturais. Podiam ser irmãs! Em caso de dúvida, confiram no Google. Ou no Youtube.

E vocês, o que pensam do assunto?

Podiam ser irmãos Nº2

mariajoaobastoslarapulver

Ou, neste caso, podiam ser irmãs! Ando a acumular uma lista de pessoas e personagens que, na minha opinião, são semelhantes. Desde o post da Sofia Aparício e do Santo António, sim.

Já houve quem discordasse de mim, mas eu acho a Maria João Bastos e a Lara Pulver, ambas actrizes, muito parecidas. Sim, escolhi a fotografia da Irene Adler (conhecem a série Sherlock?) de propósito depois de ter encontrado a fotografia da Maria João Bastos na sua versão mais pinup.

Aliás, desconfio que se os senhores ingleses soubessem da nossa Maria João, seria ela a Irene Adler da BBC. É tão bonita, a nossa Maria João!

São parecidas, não são? Eu cá, acho que sim! Podiam ser irmãs.

Transparência

marilyn monroe transparência publicidade identificada blogs

Apetece-me falar da transparência, mas não tenho muito para dizer.

Sou transparente, e quem não deve, não teme.

Não é da transparência das roupas que me apetece falar neste post, que cada um sabe de si, embora dê para opinar sobre esse assunto um dia destes.

Ultimamente, tenho lido muitas opiniões, tanto de bloggers como de leitores, sobre algo a que chamam “transparência dos conteúdos” relativamente à sua origem.

Fala-se maioritariamente de produtos, das mais diversas ordens, e questiona-se a honestidade dos autores dos blogs quanto à forma de obtenção dos mesmos. Chamam à baila exemplos de outros países, onde inclusivamente já existem leis sobre a publicidade em blogs, e muita gente defende que os posts publicitários devem estar identificados de forma clara.

Não vou dissertar muito sobre esta polémica, até porque desta questão da publicidade e dos lucros com blogs já falei aqui, mas gostava de deixar no ar a minha opinião sobre a clarificação da proveniência dos conteúdos e, quem sabe, gerar um debate.

Tenho a certeza que os meus leitores não são tolos nenhuns.

Se estão a ler este texto, neste blog, se cá voltam recorrentemente, espero que saibam que uma das premissas de tudo o que aqui publico é a honestidade. Não quero, de forma alguma, que as pessoas saiam daqui enganadas.

Se acho que a publicidade deve estar devidamente identificada?

O que é a publicidade? Enquanto leitora, não me interessa minimamente se os blogs que leio publicam opiniões sobre produtos que receberam ou compraram. O que me interessa, é que essas opiniões sejam honestas, isto é, que resultem da experiência pessoal.

Assim sendo, enquanto blogger, parto do mesmo pressuposto. A partir do momento em que menciono o nome de uma marca, seja aqui ou numa conversa informal com amigos, seja o produto dado ou comprado, estou a fazer publicidade. O que eu digo, independentemente da proveniência, não deixa de ser verdade.

Se há lojas e marcas que pagam para que eu escreva algo sobre o que vendem? Há, mas está bem explícito na nossa relação que eu sou livre de dar a minha opinião, seja ela qual for. E foi o que sempre fiz, de forma honesta.

Se há blogs que não o fazem?

Eventualmente, mas bem vos disse que vocês não são tontos, e eu também não sou. Sabem identificar essas situações, não sabem? Se não sabem, aqui têm umas luzes, e tenho a certeza que irão reconhecer algumas situações típicas. Então, o remédio é simples: ignoram-se esses casos isolados e… Blogs para ler há muitos.

Mais, se não estão satisfeitos com o que tem sido feito actualmente no domínio dos blogs, sugiro-vos que criem os vossos à maneira daquilo que gostariam de ler e não encontram.

Para mim, este problema das “transparências” é só mais uma tempestade num copo de água.

Hoje no DN – Alergia ao Sol

E tudo por conta da alergia ao sol! Não sou só eu, mas recomendo a leitura de todo o artigo.

alergia ao sol

Alergias – Cada vez mais portugueses têm intolerância…
Buraco do ozono faz disparar casos de alergia ao sol

por CATARINA CRISTÃO

Chega o Verão e o problema regressa. Nesta altura do ano, Margarida Canas, de 20 anos, já sabe que tem de se proteger ou então as borbulhas na pele e a comichão voltam a atacá-la, sobretudo nos dias em que for à praia. “Nas férias do ano passado fiquei com o peito, as costas, os cotovelos e as pernas cheios de urticária. Hoje em dia, o protector solar é o meu grande aliado”, garante a estudante de Enfermagem. Como ela, também Andreia de Jesus, de 28 anos, Hugo Miguel, de 6, e Ana Rita, de 21, são alérgicos ao sol. Cada vez mais portugueses sofrem deste problema, embora não existam números oficiais.

“A minha sensibilidade e experiência dizem-me que, de ano para ano, aparecem cada vez mais pessoas com esta insensibilidade ao sol”, sublinha o dermatologista Miguel Trincheiras, que garante receber, no Verão, dois a três casos por dia no seu consultório. “São reacções inflamatórias cutâneas cada vez mais frequentes à exposição ao sol e aos raios ultravioletas. Se o buraco na camada de ozono continuar a crescer, o número de casos também vai aumentar”, alerta o especialista.

A alergologista Paula Leiria Pinto assina por baixo: “As alergias são reacções de defesa do nosso sistema imunológico às agressões solares”, explica a médica. O aparecimento de vermelhidão na pele, com babas ou bolhas (vesículas) e comichão ou sensação de queimadura são os sinais de alerta e poderão indicar um episódio de alergia ao sol.

“Este problema surge mais com mais frequência nas mulheres jovens e de pele mais clara”, por passarem mais tempo ao ar livre, explica Paula Leiria Pinto. Mas o aparecimento de reacções alérgicas ao sol pode estar associado a outros factores: “Produtos químicos, como perfumes, cosméticos, cremes, alguns medicamentos e os próprios protectores solares podem potenciar a alergia, com reacções muito exuberantes.”

Foi o que aconteceu a Andreia de Jesus. No início de Junho deste ano, quando regressaram os dias de maior calor, aplicou, depois do banho, um óleo corporal em vez do creme hidratante habitual. “Fiquei com muitas borbulhinhas debaixo das axilas e na zona do peito, com uma comichão terrível”, conta a assistente social. “Provoca um desconforto enorme, mesmo durante a noite. Quando isto me acontece, costumo aplicar uma pomada à base de corticóides para aliviar o ardor até passar.” Para evitar estas situações, Hugo Miguel usa sempre T-shirt na praia, está quase sempre debaixo do chapéu-de-sol e nunca fica depois do meio-dia, garante a mãe, Carla Martins. Ana Rita, por outro lado, usa protector solar factor 50 e um gel com aloé vera, para refrescar a pele durante o Verão. Os médicos garantem que a prevenção é o melhor remédio: manter a pele hidratada e protegida com protector solar e fazer uma exposição progressiva e moderada ao sol são essenciais.

A Guida na Fórum Estudante

forum estudante

Estava eu aqui muito melindrada por não saber de onde andava a vir tanta visita desde a semana passada, até que hoje fizeram o favor de me dizer que o blogue vem na Fórum Estudante deste mês.

Ó minhas gentes, pois que eu já não tenho acesso à bela da revista, se não me contam eu não adivinho…

Vá, para @s interessad@s, podem espreitar a revista aqui. A Guida aparece na página 36!

Hoje a Fórum, amanhã as grandes revistas (estou a brincar!).