Categoria: Infância

The Wet Brush #2 – The Shine Brush

wetbrush

Já vos tinha mostrado aqui, há muito tempo, que tinha encontrado a escova de cabelos dos meus sonhos. Se, tal como eu, têm o cabelo muito espesso e em quantidade abundante, preferencialmente comprido, saberão que a hora de pentear é uma odisseia. Então, se têm caracóis, o cenário ainda se complica: esta tarefa tem mesmo de ser feita no banho, porque não se penteiam cabelos encaracolados quando já estão secos (a menos que queiram assemelhar-se a vassouras. Nesse caso, pode ser!).

Fiquei tão contente com a descoberta, que para além da escova amarela ainda tenho uma roxa e uma azul, e assim as vou deixando um pouco por todo o lado. Se têm sarilhos a pentear o cabelo, ou se têm crianças, confiem: experimentem isto que não se arrependem. Quando passei no stand da Pluricosmética na última edição da In Beauty, vi que tinham uma edição limitada da Wet Brush, colorida em degradé, e que havia uma versão que nunca tinha visto: a Shine Brush. Teve de vir comigo! Percebem porquê, não percebem? Degradé roxo e rosa, maneirinha, estava em promoção, cerdas especiais de javali mongol para cumprir devidamente as suas funções… Quero. Preciso. Tenho!

O que é que há assim de tão diferente para as outras versões da Wet Brush? Na verdade, devo dizer que o que me saltou logo à vista foi o tamanho da escova. Não é minúscula como as de viagem (creio que continua a faltar uma escova com protecção para andar na mala!), mas também não é do tamanho das escovas normais. Ao que parece, as cerdas de javali nos interstícios entre os “dentes” normais da escova, ajudam a distribuir melhor os óleos naturais do cabelo e a deixá-lo mais brilhante.

Diz a marca que, para além do uso típico, também se adequa muito bem a quem usa champô seco. Tendo em conta que, assim que se fina a época balnear, prefiro alisar (ou quase) o cabelo, não necessito de o lavar com tanta frequência. Uma vez por semana chega, e se necessito de mais opto mesmo pelo champô seco. Assim sendo, também já experimentei a Wet Brush com o cabelo seco e da forma sugerida e posso dizer que se mantém com o estatuto de melhor escova de sempre, sem puxões de cabelo nem gritos.

A Ovelha Choné – O Filme

aovelhachoneofilme

Não sei se já sabiam, mas sou fã assumidíssima d’A Ovelha Choné. Comecei a ver os bonecos há uns anos, quando descobri que passavam na televisão à hora de almoço, e achei-os muito engraçados. São do criador d’A Fuga das Galinhas, pelo que só pelo aspecto valem a pena. Há como não achar piada a bonecos de plasticina que se mexem, com tudo feito ao detalhe? Considero, também, que os episódios são bastante interessantes. São super ternurentos, recheados de bom humor e de lições e valores importantes para ensinar aos pequeninos. Tudo isto sem que seja necessário utilizar uma única palavra e com o recurso a muita criatividade. A expressão não-verbal é mesmo muito importante, e a Choné é um belo exemplo prático.

A bela da ovelhinha dos estúdios Aardman teve direito a um filme e, recentemente, chegou às nossas salas de cinema. Fiquei reticente quanto ao visionamento no grande ecrã. Afinal, sou crescida e não tenho crianças para me acompanharem nestas andanças! O que vale é que o L. tem paciência infinita e atura as minhas pancadas e, quando falei do assunto, foi muito fofinho e disse que me acompanhava. Lá fomos nós, a destoar da massa de mães e filhos presente na sala e, meus amigos e minhas amigas, tenho a dizer-vos: foi a comédia do ano.

É um filme animado para miúdos e graúdos, garanto-vos que os adultos tiram melhor proveito de todas as peripécias do que as crianças e que é, sem dúvida, muito melhor que as comédias para gente grande que teimam concretizar e tentar vender. A história foge um pouco aos curtos episódios da televisão, mas sem retirar às personagens a sua essência: o humor continua lá, mas fora da quinta, já que o rebanho, o cão e o seu dono vão para a grande cidade e passam por uma série de aventuras insólitas ao longo do filme.

Numa escala de 1 a 10, daria um 7,5 a este filme. Recomendo que peguem nos vossos pequeninos (ou não!) e vão vê-lo ao cinema, que é um momento muito bem passado. Se nunca viram os episódios televisivos, por favor, procurem-nos porque são muito giros!

Aiai 2014

Agenda Aiaimatilde

Ainda não vos tinha mostrado, mas nem seria normal se:

  1. Não adoptasse a agenda aiaimatilde para 2014 depois de ter gostado tanto da do ano passado;
  2. Não vos mostrasse a bendita.

Fui conquistada pelas ilustrações fofinhas e pela originalidade, claro, e pelo facto de ser totalmente feita em Portugal. Mas não posso esquecer o resto: o formato A6, que cabe em qualquer bolsa e a organização com espaço de sobra para anotar os meus afazeres de cada dia. Ah, e há dois detalhes que muito boas agendas não trazem: a fitinha marcadora de páginas e o elástico para fechar a agenda, de forma a que toda a papelada que vamos guardando não se solte.

Acho que nos próximos anos não me apanham a comprar outras agendas!

E vocês, usam agendas? Que modelo adoptaram para 2014?

Também tenho um Pou!

app jogo games pou tamagochi

Das coisas boas que vieram com o Android, uma delas foi a nostalgia de alguns jogos da minha infância.

Há dois ou três dias, rendi-me ao Pou (que é gratuito no Android, mas também existe uma versão paga para o iOS), que é uma espécie de Tamagotchi dos tempos modernos.

Parece que voltei a ter 5 anos (a propósito, cá fica a deixa para quando os vossos pequenotes querem jogar no smartphone)

tamagochi game jogo vintage anos 90

Para quem não sabe o que é um Tamagotchi – porque é demasiado jovem, não era jovem na época e não se apercebeu do fenómeno, ou era jovem mas não teve uma infância feliz com jogatinas destas.

Trata-se de uma espécie de animal de estimação virtual cujas necessidades básicas (alimentação, higiene, carinho, saúde, …) temos de assegurar com alguma frequência.

O Pou é mais complexo e interactivo, mas igualmente inútil na prática.

É mais um joguinho que me agrada nos tempos mortos, e confesso que tanto o nome como o aspecto, que só lembram cocó, são peculiares. Já tratei de mudar a cor ao meu Pou. S

e quiserem dar uma espreitadela, o meu nickname é aguidaequesabe. Fico à espera das vossas visitas, e gostava muito que deixassem aqui nos comentários os nicknames dos vossos Pous para que eu também os possa visitar.

Ou serei a única com um Pou por estas bandas?

Natal MUJI

Com a chegada de Novembro, parece-me sempre que o tempo até ao Natal passa sempre a correr.

Para que tudo corra nos conformes, sem pressa e sem imprevistos, o melhor é planear os presentes atempadamente para que não nos escapem as oportunidades perfeitas.

Sinto-me no dever de partilhar convosco algumas das sugestões da MUJI porque para além de já as ter conhecido, bem sei que pode ser complicado nos dias que correm encontrar presentes didácticos para os nossos cachopos.

E, para piorar, com tantas coisas à solta no mercado e com tantas promoções, somos tentados a oferecer algo que mal estimula as crianças e sempre às cegas, porque nunca sabemos que brinquedos é que já têm.

Ah, na minha opinião muitas destas sugestões também agradam a graúdos, concordam? Há ideias para todas as carteiras, visto que os preços destas sugestões variam sensivelmente entre os 4€ e os 75€.

Eu adorava receber o relógio de cuco!

Sistema solar em madeira | Matraquilhos de madeira | Peluche de hipopótamo | Jogo de bowling de lutadores de sumo | Porta-lápis de pedra | Jogo do galo de scotties | Peluche de Teckel | Jogo Kamizumo de papel | Papel de origami | Peões de cogumelos | Puzzle do corpo humano em madeira | Árvore de Natal de feltro | Relógio de cuco | Moldes para biscoitos em forma de gato | Guaches corporais | Globos e árvores de ardósia

The Wet Brush

the wet brush escova cabelo review resenha pluricosmética

Há anos que não usava uma escova de cabelo para me pentear.

Quem tem cabelo forte, seco e encaracolado, especialmente se for comprido, saberá perfeitamente qual é a justificação para este facto: os puxões de cabelo são sempre tantos, que o melhor é mesmo encontrar rituais alternativos.

Pessoalmente, dava preferência a pentes de dentes largos durante ou logo após o duche, com o cabelo molhado.

Quem disser que pentear os cabelos molhados faz mal é porque não tem caracóis, de certeza, e porque não conhece…

… A Wet Brush!

Dentro da panóplia de escovas que têm aparecido no mercado ultimamente com promessas milagrosas de cabelos penteados sem sofrimento, estava curiosa com a Wet Brush desde que chegou a Portugal.

Não fui a correr comprá-la porque tive desilusões com outras escovinhas de dentes pequeninos que muita gente adora e o preço não era assim tão convidativo.

Trouxe-a comigo há menos de uma semana porque no stand da Pluricosmética, na In Beauty, custava 3,99€ e, assim, mesmo que não gostasse dela o prejuízo não seria grande. Mal sabia eu que esta é A Escova.

A única, ideal e perfeita para cabelos complicados como o meu.

Aparentemente, não tem nada de especial que a distinga das outras escovas. Mas, minhas amigas e meus amigos, desenganem-se, que esta não é uma escova normal. Segundo os criadores da escova, as cerdas têm uma formulação exclusiva e patenteada denominada IntelliFlex.

Basicamente, são cerdas finas, muito flexíveis mas também muito fortes, que têm a capacidade de ser muito flexíveis numa primeira passagem e, na seguinte, serem firmes. Na prática, o cabelo fica desembaraçado muito facilmente e sem puxões.

O melhor é que o uso ideal desta escova é feito no cabelo ainda molhado (e assim não há caracóis desfeitos!), embora para mim também seja perfeita quando utilizada no cabelo seco (quando o aliso, ou ao natural quando quero fazer algum tipo de apanhado).

Esqueçam os receios: esta escova é muito resistente, e consta que as cerdas não ficam deformadas.

Ao invés de outras escovas semelhantes, a Wet Brush não nos deixa com ar de quem meteu os dedos numa tomada eléctrica, de cabelos em pé com a electricidade estática.

Creio que existe outro grupo de pessoas que iria beneficiar imenso se conhecesse a Wet Brush: as crianças! Eu lembro-me bem das torturas que sofria cada vez que a minha mãe me penteava.

Fiquei mesmo maravilhada com a descoberta desta escova e só me arrependo de não ter comprado mais para ter em diversos locais e para oferecer a algumas pessoas.

BIC – Hello Kitty

hello kitty bic papelaria stationery material de escritório edição limitada esferográfica caneta

A BIC tem uma colecção da Hello Kitty.

É juntar o melhor de dois mundos: o dos artigos de papelaria e o das bonecadas.

Se eu não nascesse, tinha de ser inventada. Não me posso queixar, que na minha infância tive direito a lápis e canetas bem catita.

No entanto, e apesar de coleccionar material deste tipo desde cedo (e de até ter herdado a colecção do meu avô), foi já na maioridade que encontrei a maior parte dos elementos mais cuchi cuchi de todos os que possuo.

Quem gosta destas coisas, como eu, deve saber perfeitamente como era complicado encontrar material de escrita mais extravagante nas superfícies do costume.

Desta feita é fácil encontrar material bonito para as fãs da Hello Kitty.

Aposto que é uma colecção que agrada a miúdas e graúdas! Há artigos para todos os gostos. Vejam bem que até há canetas de aparo!

Os preços variam entre os 0,55€ e os 5,90€, e para quem prefere comprar à dúzia, há packs bastante interessantes. Basta procurarem nos supers e hipers do costume, e nas papelarias.

Eu já fiquei abastecida e com algumas peças de reserva.

hello kitty bic papelaria stationery material de escritório edição limitada esferográfica caneta

Havaianas Slim Garden

chinelos havaianas elefantes slim garden

Tenho um bom stock de chinelos e sandálias de praia que duram de outros tempos, inclusivamente no ano passado abasteci-me para esta vida e para a próxima.

Ainda assim, tinha umas quantas Havaianas a precisar de reforma e dar baixa de chinelos bonitos, coloridos e com bonecada não pode ser.

Ou bem que há substitutos à altura, ou então está o caldo entornado.

Já estão tod@s fartinh@s de saber que gosto pouco do que quer que seja banal e sem piada. Não tenho vergonha nenhuma em ir cuscar o que há na secção infantil, e foi mesmo isso que fiz já que tenho a vantagem de ter os pés pequenos.

Gosto muito de ser pequenina por coisas boas como esta.

É claro que, para equilibrar tudo, tenho uma certa paixão por elefantes e entrei em delírio quando vi as Slim Garden da imagem. Tive de mandar vir um par para mim, foi o que foi. Assim, já se justifica dar baixa de um par antigo porque tenho umas Havaianas novas bem giras.

Depois, já que na secção de adulto é muito frequente não encontrar os modelos de que gosto disponíveis no meu número, pelo menos que os da secção infantil compensem com detalhes destes que não existem para gente grande.

E vocês, já têm Havaianas para este Verão?

Terminar o fim-de-semana que nem um bebé.

higiene bebé baby boti boticário hidratante

Já se sabe que não tenho o menor problema em utilizar produtos de bebé.

Pelo contrário! Por norma, são estes os produtos que são mais confortáveis de utilizar pela sua leveza e eficácia. Para além disso, adoro o cheiro a bebé. Quem não gosta?

Especialmente, o cheiro a Baby Boti, que é um cheiro que me é familiar desde que me lembro.

Aliás, já vos tinha dito aqui que a colónia desta linha d’O Boticário é uma das minhas preferidas e que nunca falta cá em casa, para além dos produtos de banho.

Até há pouco tempo, a linha Baby Boti estava incompleta. Não havia um hidratante! Até surgiu um protector solar pelo caminho, mas não havia hidratante.

Finalmente, há pouco tempo, a linha ganhou uma Loção Hidratante Suave e, bónus dos bónus, um Óleo para massagem! Não podia pedir mais do que isto.

Agora, quando quero ficar relaxada e bem cheirosa e dormir que nem um anjinho, a rotina do banho e cuidados exige sempre o uso da linha completa. E é assim que vou dormir hoje, que nem um bebé, depois do meu ritual Baby Boti.

Qual é o mal?

canetas esferográficas hello kitty plumas purpurinas glitter cintilantes divertidas

Estava a arrumar algum material de escrita e, entre tantos outros objectos maricas – que de mariquices sou eu fã a 100%, encontrei estas esferográficas.

Plumas, Hello Kitty e afins.

Ó Guida, mas tu tens quase vinte e três anos!

E depois? Há idade para deixar de gostar destas coisas?

Não vou sacar de uma esferográfica destas em público (ou talvez vá, descaramento para isso tenho eu), mas sou a maluca do material de escritório e gosto de ter coisas deste género.

Acho que se um dia eu tiver filhas, elas vão agradecer uma herança destas.

Um dia tenho de vos mostrar colecções de objectos destes que por cá tenho.