Categoria: Higiene

Tens Mortalhas?

Há uns dias, li algures que as folhinhas que absorvem a oleosidade da pele da Clean & Clear (eu digo Clean & Clear porque são as únicas que vi à venda por estas bandas!) podiam ser substituídas por papel seda branco. Fiquei céptica, até porque sei lá que raio de químicos e nhanhas é que eles metem no dito papel. E lá fui eu pesquisar, até que certa alminha genial referiu as belas das mortalhas. Sim, mortalhas! Aqueles papelinhos do tabaco de enrolar. E aí já vi mais credibilidade na coisa e não hesitei em testar: há dois ou três dias fui à tabacaria mais próxima e por 0,55€ comprei um bloquinho de 100 mortalhas (refira-se que as folhinhas das marcas XPTO do combate ao acne e à oleosidade custariam, sem qualquer dúvida, mais do que uma nota!) que me vai durar montanhas de tempo e que cumpre perfeitamente a função: os papelinhos mandam a oleosidade para o galheiro e não dão cabo da maquilhagem! Testem vocês mesm@s e vão ver como eu tenho razão!

Ah, e para que não sintam vergonha de andar com as ditas cujas na bolsa e serem mal interpretad@s se alguém vos vir com as belas das mortalhas na mão, por que não fazerem os vossos próprios envelopezinhos com cartolina e alguma imaginação? Não é preciso ser um grande artista para realizar esta tarefa, mas se mesmo assim não quiserem ter muito trabalho… É questão de procurar a marca de mortalhas que mais vos agrada, garanto-vos que há designs de embalagens bem bonitos por aí!

Woot, no?

Luta na Lama[:en]Green Clay Mask


Ou máscara de argila verde! Ou máscara de outra argila qualquer (qualquer, salvo seja!). Eu venho falar da argila verde porque é aquela que eu uso, pois apesar de não ter a pele muito oleosa, a verdade é que volta e meia aparece uma ou outra borbulha e os pontos negros vão aparecendo às resmas se não der conta deles. E, posto isto, conclui-se que a argila verde é adequada a peles normais a oleosas, com tendência acnéica. Se este não é o seu tipo de pele, pesquise sobre argilas branca, rosa e amarela (se fizerem questão, posso falar sobre elas mais tarde!).

Eu falo por mim: os resultados desta maravilhosa máscara caseira são mais que visíveis: menos imperfeições, vê-se (e sente-se!) que a pele fica mais macia e as borbulhas e os pontos negros tendem a aparecer com muito menos frequência. Aplica-se a máscara uma ou duas vezes por semana.

Não é novidade para ninguém que eu sou apologista do que é bom, básico e barato. Neste caso, não mudei de lema: a argila verde pode ser encontrada em ervanárias e supermercados ao preço da chuva mijona (não chega aos 2€ por kg). Existem máscaras já preparadas à venda, mas são muito mais caras e nunca as experimentei. No caso desta argila em pó, tem que se ter cuidado: deve ser guardada num local seco e fresco e, depois de cada uso, convém fechar bem o pacote.

Como preparar

1. Existem milhentas maneiras de preparar a argila: com infusões, com água destilada, por aí fora. Façam vocês a experiência! Eu uso chá verde bem concentrado a ferver – deito uma pinguinha num recipiente pequenino (tipo as tigelinhas dos patés) de vidro.
2. Vai-se adicionando argila, cautelosamente, e mexendo com uma colher ou vareta de vidro, madeira, ou plástico. Diz-se que quando a argila entra em contacto com metais altera a sua radioactividade, o que não sei se é verdade ou mentira. Por precaução, prefiro ter esta indicação em conta.
3. Quando a máscara tiver a textura ideal, nem líquida nem em pedra, aplica-se por todo o rosto, à excepção dos lábios e contorno dos olhos, com um pincel bem macio.
4. Deixar repousar. Nesta altura, convém não falar nem mexer muito o rosto, sob o risco de deixar rachas na máscara e esta não fazer efeito em alguns sítios.
5. Quando a máscara estiver seca (e por esta altura vai ser como se tivessem a cara engessada!), retirar com água morninha.
6. Aplique o seu creme hidratante de eleição e seja feliz!

Espero ter sido útil!

[:en]

Or any other clay mask (any other, heh). I am here to talk about green clay because i tis the one I use, because though I do not have extremely oily skin, the truth is that sometimes there is an annoying spot and blackheads keep on appearing everyday if I do not take care of them. So, green clay is good for normal to oily skins, specially if they tend to have acne. If this is not your skin, take a look at white, pink or yellow clays (if you wish, I can talk about them later).

I speak for myself: the results of this wonderful mask are more than visible: less flaws/blemishes, you can see (and feel) that the skin turns to be softer and the spots and blackheads tend to appear less frequently. You can use this mask once or twice a week.

It is not new that I am apologist of what is good, basic and cheap. In this case, I did not change: you can find green clay in nature stores and supermarkets for less than 2€/kg. There are also ready to use green clay masks, but they are so much more expensive and I never tried them. Powder clay needs to be kept in a fresh and dry place and after each use you must make sure you keep the bag well closed.

How to prepare

  1. There are lots of ways to prepare clay: with infusions, distilled water, so on. Try it yourself! I use hot and concentrated green tea – I only need something like a spoon in a small cup.
  2. Add the clay, carefully, and mix with a glass/wood/plastic spoon. It seems that clay can become radioactive if it gets in touch with metals, which I do not know if it is true, but I prefer to play safe.
  3. When the mask has a good texture, nor liquid or too solid, apply it over your face, avoiding lips and eyes, with a soft and clean brush.
  4. Let it settle for something like 20 minutes. You will not want to talk or move your face too much in risk of crackling the mask.
  5. When it has dried out, rinse your face with warm water.
  6. Apply your mosturiser and be happy!

A Guida é que Entende de Caracóis!

Enquanto pessoa que tem um amontoado de lã rebelde em cima da cabeça, devo dizer que nem sempre foi (e nem sempre é!) fácil tratar do cabelo por causa dos caracóis. No entanto, e porque a prática leva à perfeição e a minha mamã nunca me explicou o que é que havia de fazer para sair à rua sem parecer que trazia um ninho em cima e porque o que funciona para os outros nem sempre funciona connosco, venho aqui partilhar a minha experiência e espero conseguir ajudar alguém.

1. Menos é mais. Comecemos por falar do banho. Sou o tipo de pessoa que tem a pele bastante sensível e que não pode usar qualquer champô nem ao desbarato. Assim, tento usar o mínimo possível de “detergentes” na cabeça. Prefiro os champôs de bebé, Lactacyd (sim, so what?), ou produtos de cabeleireiro (mas as marcas como a Skala convêm mais ao meu bolso e são igualmente boas!). Pessoas sensíveis, cuidado com os rótulos e essas coisas! Publicidades enganosas? Longe da gente. Pantene e Fructis, em especial, deixam o meu couro cabeludo a arder e a descamar!
Posto isto, e na hora de fazer o cabelo espumar, basta uma quantidade minúscula de champô e um pouco de água para lavar bem o cabelo. Acreditem, o meu cabelo já dá pela cintura quando está esticado e uso apenas o equivalente a uma colher de sobremesa de champô no duche. Ah, resta referir que também é para aplicar amaciador e que este ritual de lavagem só deve ser feito uma ou duas vezes por semana.

2. De 15 em 15 dias, mais coisa menos coisa, convém aplicar uma máscara específica para hidratar o cabelo e reparar as agressões diárias! Novamente, Skala é amiga do bolso e é muito boa! Podem sempre optar pelas máscaras caseiras (se quiserem, posto receitas!).

3. Pentear, pentear. Diz-se por aí que não se deve pentear o cabelo molhado porque o parte todo. Ora, quem diz isto é porque não tem caracóis! Para mim, é impossível passar uma escova quando o cabelo está seco, até porque ficaria semelhante a uma vassoura! Pentear é sempre depois do duche, com a ajuda de um creme de pentear, se for necessário! À falta de creme de pentear, um pouquinho minusculuzinho de óleo de bebé ou de creme hidratante espalhado nas mãos e aplicado pelas pontas fora (cuidado para não chegar às raízes! Há-de ficar parecido com uma salada cheia de azeite.). Dêem preferência aos pentes de madeira com dentes largos ou às escovas sem bolinhas nas pontas, se me faço entender!

4. Há que dizer não aos secadores e difusores!

5. Aplicar um pouco de espuma, ou gel. Eu prefiro espuma! E não venham com as tretas do costume que a espuma faz mal, temos é que saber tratar do cabelo!

6. Ora bem, por uma semana dá para molhar o cabelo no duche (eu faço-o todos os dias!) sem usar champôs e nhanhas dessas, e o cabelo vai ficar com um aspecto bem melhor!

Espero ter sido útil!

Chamem o 112![:en]Call 911!

Nurse por Murat Süyür

Ou não. As emergências calham a toda a gente, e algumas delas têm soluções fáceis, como as que que aqui vos mostro.

1. Acabou o amaciador? Faça o favor de esmagar um abacate e aplique no cabelo após enxaguar o cabelo. Em alternativa, pode utilizar maionese. Deixe no cabelo por 15 minutos e enxague.

2. O rímel deu o berro? Aplique um pouco de vaselina nas pestanas, com ajuda dos dedos.

3. Acabou a base? Nada que pó solto ou corrector de imperfeições e creme hidratante não resolvam. Misture um pouco de pó solto ou corrector com um pouco de creme hidratante e aplique na cara.

4. Não há creme de barbear para fazer a depilação? Use amaciador do cabelo. Aliás, é o que faço sempre.

5. Tem cabelos rebeldes e o desfrizante acabou? Creme hidratante ou bálsamo labial resolvem o seu problema. Espalhe um pouco nas mãos, para não correr o risco de ficar com o cabelo como se o tivesse mergulhado no tempero da salada, e aplique um pouco por todo o cabelo. Esta é, também, uma boa forma de definir caracóis, eu aprovo!

6. Não tem batom? Use blush. Sim! Aplique blush em pó ou em creme nos lábios, com o dedo. Para ajudar, pode usar bálsamo labial, que dá uma textura mais suave. Ao que parece, pode também fazer o processo inverso e usar batôn como blush. Só tem que ter em conta que os batôns têm muito mais pigmentos que o blush, e portanto tem que ser usado com cuidado. Use uma quantidade mínima e ajude a esbater com creme hidratante.

7. Não tem sombra? Use pó bronze. Os tons de pó bronze assentam bem em qualquer tonalidade de pele. Aplique com a ajuda de um cotonete.

8. Acabou a laca? Use gel. Espalhe um pouco de gel nas mãos, aplique no cabelo e, para manter o cabelo no lugar, use o secador.

9. Não tem óleo para as cutículas? Use óleo de bebé. Ou azeite.

10. Acabou o corrector? Use os resíduos de base que ficaram depositados nas bordas ou na tampa do frasco ou da bisnaga. Como foram perdendo o hidratante que o resto da base tem, ficam mais concentrados, assemelhando-se ao corrector.

11. Não tem eyeliner? Use sombra. Molhe um pincel fino e use a sombra, da mesma forma que faria com o eyeliner. Esta dica já foi referida aqui.

12. Acabou o creme dos pés? Use vaselina.

Espero que as dicas façam jeito!

[:en]

Nurse por Murat Süyür

Or maybe not. Emergencies happen to everyone, and some of them can easily be solved, like these ones I’m showing.

1. Out of conditioner? Mash an avocado and apply on your hair after shampooing and rinsing it. If there’s no avocado, use mayonnaise. Let it settle for 15 minutes and rinse with water.

2. Your mascara passed away? Try using vaseline.

3. Foundation is over? Try mixing loose pouder or concealer with moisturiser and apply.

4. No shaving cream? Try using conditioner. That’s what I always do.

5. You got rebel hair and there’s no defrizer? Body lotion or lip balm will help. Spread a bit on your hands, you don’t want to get greasy oily hair. Carefully apply on your hair, avoid touching the roots. This is a great way to define curls too.

6. Left your lipstick at home? Use blush. Yes! Apply it with your finger, on your lips. You can use lip balm to get a smoother surfase. You can do the inverse and use lipstick as blush too!

7. Ran out of eyeshadow? Use bronzer. Bronzer looks nice on every skin tone.

8. No hairspray? Use gel. Spread some on your hands and apply. To make it look like hairspray, use a hairdrier.

9. Got no cuticles oil? Use baby oil, or olive oil. Or vaseline!

10. Found out there’s no concealer? Use those foundation bits that piled around the container’s hole. They lost moisture, so they’re thicker than the foundation in the container.

11. There’s no eyeliner? Use eyeshadow. A wet thin brush will do the work.

12. There’s no cream for your feet? Use vaseline.

A Carlinha é que Sabe, e a Guida Aprova![:en]Carlinha Knows Best and Guida Approves!

Foto por Carlinha

A dica que vos trago hoje funciona mesmo e foi dada pela Carlinha do Retalho de Lua.
Ao invés de usarmos esponjas e géis de banho que, para além de muitas vezes serem um grande desperdício e acabarem por ir parar ao lixo as esponjas ou puffs velhos, muitas vezes feitos de derivados do petróleo, bem como as embalagens gastas de gel de banho, o que nos é proposto é que metamos um sabonete num saquinho de tule. Simples, não é? O efeito vai ser exactamente o mesmo que o dos puffs e, se o tule for grossinho, até dá um bom esfoliante. Perfeito, não é? Para mim, ainda há outra grande vantagem. É que sou alérgica à maior parte dos géis de banho e, por esse motivo, sou forçada a usar sabonete grande parte das vezes. Com esta ideia do saquinho do tule, ainda ganho outras vantagens!

As pessoas cá de casa andam cépticas, mas eu creio que vão mudar de ideias rapidamente!

Obrigada, Carlinha!

 

TRANSLATION

Carlinha Knows Best and Guida Approves!

Today’s trick really works and was given by Carlinha from Retalho de Lua.
Instead of using sponges and shower gels, which are huge wastes (even old sponges and puffs usually go to trash!) and almost always derivate from petroleum, Carlinha tells us to store a soap in a bag made from rough fabrics like the one in the picture. Easy, isn’t it? It will be as good as a puff and if the fabric is thick you’ll even get a good scrub. Perfect, no? There’s even another advantage for me. I’m allergic to lots of shower gels and for that reason I almost always use soap. This way, it’s easier to grab my soaps.

People at home aren’t convinced yet, but I think they’ll change ideas soon!

Thank you, Carlinha!

[:en]

Foto por Carlinha

Today’s trick really works and was given by Carlinha from Retalho de Lua.
Instead of using sponges and shower gels, which are huge wastes (even old sponges and puffs usually go to trash!) and almost always derivate from petroleum, Carlinha tells us to store a soap in a bag made from rough fabrics like the one in the picture. Easy, isn’t it? It will be as good as a puff and if the fabric is thick you’ll even get a good scrub. Perfect, no? There’s even another advantage for me. I’m allergic to lots of shower gels and for that reason I almost always use soap. This way, it’s easier to grab my soaps.

People at home aren’t convinced yet, but I think they’ll change ideas soon!

Thank you, Carlinha!

Três Simples Passos II

Falemos de uma rotina que deve ser criada desde cedo. Este artigo é destinado, no mínimo, às pessoas que, como eu, têm pele sensível e com tendência para o aparecimento de acne, se bem que @s restantes leitor@s também podem experimentar este ritual.

Esta é uma das situações onde menos é mais, em todos os sentidos: com menos de 5€, obtemos produtos super simples e de óptima qualidade, como confirmam as pessoas de há umas gerações atrás. Não gosto nem posso gastar muito dinheiro com produtos cosméticos, e portanto tento sempre ter em conta a relação qualidade/preço. Falemos da minha escolha:

1. Está mais que provado que o sabão azul e branco é um dos melhores desinfectantes que podemos encontrar no mundo dos produtos de higiene, prevenindo a proliferação de bactérias que provocam o aparecimento do acne. Por outro lado, acaba por sair ao preço da chuva mijona, visto que uma barra de 400g não chega nem a 1€ e dura eternidades (e não, não é por isso que o sabão azul e branco é frequentemente encontrado em lavabos públicos! Insistindo, este sabão não só não é rasca como é melhor que muitos sabonetes desinfectantes, incluindo aqueles que estão à venda nas farmácias!). Podem existir pessoas que não gostam do aspecto nem do cheiro deste espécime, eu não me queixo! O sabão azul e branco tem um aspecto agradável e o cheiro recorda-me os tempos que passava em casa da minha avó;

2. Não há melhor tónico que a água de rosas! Desde pequena que incutiram em mim o hábito de limpar os olhinhos com água de rosas, e a verdade é que continuo a fazê-lo (para quem tem cães, principalmente raças como os caniches, a água de rosas não é agressiva para a limpeza dos olhos!) todos os dias e estendi o seu uso a toda a cara. Cá está, este é outro produto baratíssimo e que dura muito tempo. Ah, e para as pessoas que não acharam piada ao item anterior (sim, o sabão azul e branco!) por causa do cheiro, deixem-me referir que depois da água de rosas não fica vestígio algum do cheiro do sabão;

3. Não é por acaso que a Nally continua a fabricar o creme Benamôr: se este creme não fosse bom e se tantas pessoas ao longo de várias gerações não tivessem boas críticas a fazer, ele já não existiria. É bastante importante hidratar a pele, até porque nos dias que correm a poluição é mais que muita e quanto mais pudermos proteger a nossa pele do contacto com as substâncias nocivas que pairam no ar, melhor! Este creme é um dos poucos que não deixa a minha pele empastada, e ainda tem a vantagem de cobrir ligeiramente imperfeições como pequenos vermelhões e pontos negros e dá uma ajudinha na fixação da maquilhagem, para que aguente impecável por mais tempo. Juntem-lhe o cheirinho único e a embalagem perfeita com o requinte dos tempos antigos, e garanto-vos que nunca mais pensam em usar outro creme!


Vamos pensar em fazer uma (grande) poupança? Têm outros hábitos como este, à base de produtos do tempo dos avós? Partilhem-nos!