Categoria: Higiene

La Depilación Natural – Fujam!

la depilación natural depilacion depilação epilação lixa

Ora, se isto de ter um blog é bom para falar de coisas boas, também tem de servir para as coisas menos boas. E vocês sabem que eu vos conto tudo.

Este post é uma espécie de aviso, que eu não quero a gente cá do burgo a gastar dinheiro no que não deve. O tempo é de crise e não se pode deitar dinheiro ao lixo.

No meu passeio pela Expocosmética, deparei-me com um stand chamado “La Depilación Natural”.

Aproximei-me para espreitar o que era, e em menos de nada tinha uma senhora a passar-me uma lixa no braço. Pois claro que não achei muita piada, e manifestei-me.

Mantive-me calma, nunca se sabe o que pode acontecer, quis ouvir o que a senhora tinha para dizer.

Para mim, aquilo era nada mais, nada menos que uma daquelas lixas depilatórias do antigamente (era uma geringonça parecida com a da imagem), mas mais fina.

Andei eu a descolorar os braços para nada! Agora estes pêlos vão nascer terríveis, como se os tivesse cortado com uma lâmina, disse eu. A senhora respondeu-me que não, que a dita lixa arrancava os pêlos pela raiz.

Já que ali estava, quis saber mais da cantiga deles.

  • Então, vendiam umas lixas que dariam para dois anos de utilizações por 20€.
  • Tinham de ser compradas ali no stand.
  • As recargas poderiam ser adquiridas na Internet, mas o “aplicador” com as primeiras lixas tinha de ser comprado na hora.
  • Perguntei se tinham contactos, disseram-me que não.
  • Insistiram muito que aquela era uma oportunidade única e que deveria comprar aquele aparelho milagroso.

A conversa não me agradou, calculo que muita gente tenha caído na conversa porque as promessas eram boas. Uma lixa indolor que arranca os pêlos pela raiz? Maravilhoso!

Bem dito, bem certo. Quem ficou com uma peladela no braço fui eu. E os pêlos começaram a despontar no dia seguinte, tal como tinha previsto.

Isto tudo para quê? Isso mesmo que vocês já sabem: se virem algo do género numa destas feiras, fujam porque não é coisa boa.

Rotina Liz Earle

liz earle três passos limpeza rosto desmaquilhar

Liz Earle.

Não faria muito sentido experimentar o Cleanse & Polish (o produto desmaquilhante/de limpeza de pele) de que falei aqui sem pensar em experimentar o resto da linha de cuidados de rosto.

Assim, e depois de ter tido todo o tempo do mundo para testar os produtos convenientemente, hoje venho mostrar-vos o tónico e o hidratante.

Face à tal preguiça que me fez gostar tanto do Cleanse & Polish, acaba por ser um pouco contraditório concluir que se devem juntar mais dois passos ao ritual.

Ainda assim, faz todo o sentido, porque apesar de a limpeza não ser agressiva para a pele, a verdade é que necessitamos de uma nutrição que só pode existir com outros produtos.

Adiante com a minha opinião:

liz earle tónico brumaGostei bastante do tónico Instant Boost.

  • Não é um adstringente, não é agressivo como muitos outros tónicos existentes no mercado.
  • Este tónico contém ingredientes nutritivos e calmantes para que o resultado da sua utilização seja uma pele luminosa e saudável.
  • O melhor de tudo é que está disponível sob a forma de frasco e spray (como o que vos mostro), e neste último formato é bastante prático para transportar e muito mais versátil.
  • Posso utilizá-lo ao longo do dia para refrescar a pele e posso utilizá-lo como fixador de maquilhagem (gosto muito desta vertente).

hidratante liz earle rostoQuanto ao hidratante Skin Repair

  • Não deu. Comigo não resultou.
  • Vem num frasco com bomba, muito prático. Apesar de ser referido como um gel, tem textura de creme.
  • Gostei muito da textura, ainda assim.
  • O problema é que este produto consegue ser pesado, oleoso e ainda assim pouco hidratante em simultâneo.
  • Isto é, ao mesmo tempo tenho a pele a repuxar mas a pingar óleo.

Tenho estes produtos há meses e levei todo este tempo até dizer de minha justiça por causa do hidratante malvado.

Em resumo:

Sem dúvida, o desmaquilhante e o tónico são dois produtos óptimos e que aconselho e que eventualmente enchem as medidas a quase qualquer pessoa, independentemente do tipo de pele.

Podem ser adquiridos no site da Liz Earle e os preços não excedem os 20€. O hidratante é algo que, a meu ver, não foi bem conseguido.

Tiras caseiras para remover pontos negros

pontos negros

Tempo para uma dica rápida e fácil, caseira, daquelas que a minha gente gosta.

Já ando aqui com isto enrolado há algum tempo, mas depois de ver a coisa posta em prática pela Michelle Phan, lá decidi fazer eu também e tirar as minhas próprias conclusões.
Ninguém gosta de ter pontos negros, só de pensar no assunto vemos uma imagem feia, nojentinha, asquerosa dessas coisas malvadas que nos dão cabo do juízo.
Nós investimos em montes de produtos, fazemos saunas, fazemos trinta por uma linha. Até há daquelas tirinhas especiais de corrida que trazem tudo atrás, mas são caras, não é verdade?

Pois bem: existe uma solução equivalente mas muito mais barata – gelatina.

Leram bem!
  • Num copinho, misturem uma colher de gelatina neutra em pó e outra de leite. Mexam e levem ao microondas por 10 segundos.
  • Depois, é esperar um nadinha, certificarmo-nos de que a mistura não queima e… Aplicar nas zonas afectadas pelos pontos negros!
  • O resto é conversa, basta esperar que fique tudo bem seco para depois arrancar, tal como as tais tirinhas que encontramos no supermercado.
A Guida garante, o resultado é o mesmíssimo mas a experiência sai bem mais em conta.

Love Spell – Victoria’s Secret

victoria's secret

Por falar em colónias, hoje venho falar-vos da minha mais recente aquisição.

Paixão recente. Body splash da Victoria’s Secret, o meu é o Love Spell e é suposto cheirar a flor de cerejeira, pêssego e jasmim branco. Por mim, cheira a algo próximo de manga com um toque de uva. A sério!

Mas é divino, juro.

Nem preciso de repetir o que disse sobre colónias, não é?
Como seria de esperar, o meu splash já não sai da mala. Ok, sai, logo a seguir ao duche! O cheiro? Esse dura o dia todo na pele, embora desvaneça e nem sequer seja intenso quando é aplicado.
É o que se pede numa colónia! Até porque gosto de reaplicar várias vezes ao dia.
Para aumentar o meu entusiasmo, constam na lista de ingredientes alguns componentes hidratantes e calmantes como a camomila e o Aloe vera, o que à partida garante uma pele mais hidratada.
Este é um aspecto que não confirmo, pois a minha pele do corpo é seca que nem o deserto do Sahara e em época de calçãozinho e mini-saia nem vale a pena arriscar.
No entanto, reparei que não arde na pele após a depilação ou exposição ao sol, contrariamente a outras colónias que já utilizei!
Adoro, e tenho cá uma certa desconfiança de que o frasco não vai durar até ao fim do Verão com o uso que estou a dar…

Águas de Colónia

água de colónia

Ou splashes, é à escolha do freguês.

São uma das apostas da Guida para o Verão. “Por quê?”, perguntam vocês!

Pois bem, para começar, as águas de colónia são boas para o Verão pois na sua constituição constam apenas 3% a 5% de fragrância. Soa a pouco, mas se há coisa que me perturba são os pivetes do Verão: ele é pessoas impregnadas em perfumes pesados que dão dores de cabeça, gente que não toma banho e dissimula com algumas borrifadelas… ‘Ná.
Não gosto de nada disso, porque por mais fresco que seja o perfume, entranha-se-me sempre no nariz e depois é o cabo dos trabalhos. Colónia é fresca, deixa-nos com aquela sensação super agradável de leveza lavada que temos quando acabamos de sair do banho.

Por outro lado, é impensável perfumarmo-nos várias vezes ao dia com um eau de parfum ou eau de toillette, sob o risco de (voltando a bater no ceguinho…) ficar a tresandar.

Já com as colónias, podemos fazê-lo praticamente à vontade, e agora no Verão a sensação de frescura que isto nos proporciona é uma maravilha.
Para terminar, gosto de colónias porque gosto de ter a roupa da casa perfumada. Será que sou a única a gostar de ter lençóis com cheirinho de alfazema? É possível fazer o aroma durar com duas ou três borrifadelas, sem que nos deitemos numa banheira de perfume. Eu adoro!

Serei a única a usar colónias? Qual a vossa favorita?

Ontem…

encontro de bloggers

… Eu, a Rita, a Marisa, a Lúcia, a Sofia, a Geisa e a Marta fomos passar uma “tarde de gaja”, acompanhadas pelo nosso fotógrafo de serviço, o David, que é irmão da Sofia ao Colombo e divertimo-nos à grande.

Quem costuma ler os blogues das meninas que mencionei, de certeza que já esbarrou com alguns relatos e já viu fotos do que se passou e dos mimos todos que recebemos. Foi como ir às compras tendo deixado a carteira em casa, e eu senti-me em casa pois parecia que já conhecia toda a gente, embora nunca nos tivéssemos visto a sério. Só a Lúcia é que foi uma surpresa, pois o blogue dela é recente e não sabia de fotos dela.

Tudo começou com o almoço, que foi maravilhoso (desconhecia os cogumelos panados e as belas massas da Pizza Hut – sem dúvida, hei-de repetir!), com a Francisca e a Letícia d’O Boticário.

Conversámos bastante, ficámos a conhecer-nos melhor e trocámos bastantes ideias. A Marta não estava connosco por esta altura, o que foi uma pena, mas mesmo assim realizámos o Amigo Secreto que já tínhamos combinado previamente. A Marisa recebeu os meus mimos (e espero que tenha gostado!) e eu recebi a prendinha da Sofia.

Adorei tudo! O lápis preto é espectacular, precisava mesmo de um lápis decentezinho e não sabia por qual deveria optar, o que me poupou imenso trabalho. Aliás, parece que estava tudo pensado, pois tudo o que recebi vai ser útil! Por esta altura, cada uma de nós tinha nas mãos também um saco d’O Boticário com informações bastante úteis, vales de desconto, uma amostra do perfume Lily Essence e um creme de mãos de Altéia + Minerais, bem como um mimo da Doce & Bela que a Geisa nos trouxe: um verniz Dote e uma lima fantásticos.

Do almoço, seguimos para O Boticário, onde fomos simpaticamente recebidas pelas meninas que lá trabalham e soubemos de todas as novidades da marca, contadas pela Daiane.

A Daiane é uma querida, ao longo da tarde ainda nos foi fazendo limpezas de pele e esteve sempre disponível para as nossas dúvidas. Destaco ainda a generosidade da equipa da loja do Colombo, pois cada uma de nós saiu da loja com produtos capilares novinhos em folha adequados às suas necessidades para experimentar! O nosso fotógrafo não ficou de mãos a abanar, pois também ganhou um perfume bastante cheiroso.

Entre conversas e limpezas de pele, o tempo lá passava e tivemos de ir a correr para a L’Occitane. Confesso que nunca tinha entrado na loja, apesar de adorar um creme de mãos que certa vez me ofereceram, mas vou passar a visitá-la com mais frequência. A loja é linda, acolhedora, tem um ar vintage que a torna muito especial e cheira bastante bem.

Adorei todas as histórias que ouvi sobre as diferentes linhas de produtos e todas as embalagens e, por esta altura, estava toda babada porque tanto O Boticário como a L’Occitane têm bastantes preocupações com o ambiente e com as pessoas. Aqui, recebemos montanhas de amostras e coisinhas bonitas para experimentar, tudo dentro de um saco reversível lindo, cinza, com florzinhas cor-de-rosa. Vai servir de mala assim que o tempo o permitir, ó se vai!

Seguimos para a Sephora, e apesar de termos recebidos pela Susana, foi uma outra menina bastante simpática (peço desculpa, ontem ouvi tantos nomes novos que a minha cabeça não conseguiu dar conta de todos!) e acessível que nos fez a visita guiada à loja.

Conhecemos as novidades e experimentámos produtos. Fiquei surpreendida com o exfoliante de caramelo, pois é tão semelhante ao doce que dá vontade de comer e nem sei se seria capaz de o aplicar no corpo de tão alta que seria a probabilidade de o levar à boca, e com um removedor de verniz estranho, pois o sistema consiste em metermos os nossos dedos dentro do frasco e ir rodando até que a esponja lá dentro limpe as nossas unhas por completo.

Cheguei à conclusão que não conhecia quase nada da loja, pois raramente lá entro.

Mea culpa, ou não, facto verídico é que é bastante fácil ficar com uma grande dor de cabeça graças aos perfumes que pairam no ar. Lá me aguentei, e adorei conhecer montanhas de coisas que nem sabia que existiam e testar, sem vergonha, outras tantas que tinha debaixo de olho. Nem imaginam a quantidade de algodõezinhos com desmaquilhante que fui usando e descartando, tal era o entusiasmo.

Também a Sephora foi simpática connosco, e não nos deixaram vir embora de mãos vazias, pelo que cada uma de nós recebeu um saco recheado de maquilhagens lindas e uma máscara facial para experimentar.

Pelo caminho, algumas de nós tiveram de começar a dispersar, e no fim só restávamos eu, a Marisa e a Marta. Voltámos a’O Boticário, agora com tempo, para terminar as limpezas de pele (com esta correria, só a Geisa é que tinha experimentado!) e eu ainda fiquei para uma maquilhagem espectacular.

É do vosso conhecimento que sou mais do que fã da marca, e tenho sempre vontade de trazer a loja atrás. Desta vez, se pudesse, tinha trazido o belo do hidratante de pêssego e aveia, o talco líquido e os produtos todos que a Daiane utilizou na limpeza de pele.

Vim embora carregadíssima com todos os mimos angariados durante o dia, mas bastante feliz e ansiosa pelo próximo encontro e por novidades dos sítios por onde passámos. Adorei conhecer toda a gente.

Quero mostrar-vos tudo o que recebi, e hei-de o fazer, mas com calma! Que tal uma coisinha de cada vez? Tenho a certeza que tod@s vão adorar.

Andam a beber o que não devem?

garrafasRefaço a pergunta: por onde andam vocês a beber?

É certo e sabido que faz bem à saúde ingerir uma quantidade considerável de líquidos durante o dia, e fico feliz por constatar que cada vez mais as pessoas prestam atenção a isso e é cada vez mais comum ver a malta de garrafa de água em punho. Euzinha incluída, mas deixei de o fazer há algum tempo.

E o porquê?

Parece que já os meus avós adivinhavam quando nos impediam de beber água das garrafas de plástico que ficavam guardadas no carro, durante as viagens.

Segundo se sabe hoje, as garrafas PET, que são as vulgares garrafas de plástico, libertam substâncias nocivas para a saúde ao fim de algumas utilizações e principalmente se forem expostas a mudanças de temperatura.

Eu não quis acreditar e fui vasculhar na Internet. E a conclusão a que cheguei é que a maioria das fontes (e algumas delas bastante fiáveis) fala, realmente, da toxicidade de alguns dos químicos constituintes das garrafas.

Então, o que se pode fazer?

Eu andava sempre com a mesma garrafinha para poupar dinheiro e problemas ambientais, se bem que as garrafas de plástico são recicláveis (ena, até servem para fazer t-shirts…). O melhor é mesmo desfazermo-nos (ou pelo menos arranjar outro fim) das belas das PET e arranjarmos alternativas.

Hoje em dia, o mercado oferece-nos montes de opções neste sentido e por isso há que saber escolher bem antes de comprar. É verdade que a curto prazo as garrafas de plástico são muito mais baratas, mas passado uns tempos, se fizermos as contas, chegamos à conclusão que já gastámos dinheiro a mais em garrafas destas.

Para além disso, a longo prazo, podemos vir a desenvolver doenças e cancros graças a estas meninas.

É de evitar todo o tipo de garrafas de plástico, sejam elas estas tais PET ou do género das que o pessoal costuma ter quando vai ao ginásio. Não há desculpas, mesmo que seja para guardar água, chá ou seja lá o que for, o melhor é optar por garrafas de vidro.

Já para transportar, a melhor opção são as garrafas de alumínio e da mesma família, tipo Sigg e afins, que são as que acarretam menos riscos para a saúde. Agora até as há bem bonitas, com desenhos e tudo, para ir de encontro aos gostos e preferências de cada um.

São mais caras, é verdade, mas vejam as vantagens: não se estragam facilmente, não têm que as deitar fora ao fim de algumas utilizações e ainda conservam temporariamente a temperatura da bebida que lá meterem dentro. É uma amiga para a vida!

Nas lojas de desporto encontram opções bem acessíveis, sem ligar a marcas nem à bonecada. Creio que comprei a minha garrafa de alumínio de meio litro, azulinha, na Sportzone e custou-me cerca de 3€.

Refaçam as vossas escolhas, cá está algo que é bom para nós e bom para o ambiente.

Para Quem Não Encontra o Benamôr

Ora, esta é uma pergunta que já me fizeram várias vezes. Mas, afinal, onde é que podemos encontrar o tão maravilhoso creme Benamôr da Nally?

– Eu compro o meu na mercearia aqui ao pé, e a bisnaga maior fica bem em conta, custando 5,69€;
– No entanto, a minha primeira bisnaga foi uma das médias, como na imagem, e custou 8€ numa drogaria (ai, se eu soubesse…). Já vi a média à venda por cerca de 3€;
– Por isso, vasculhem bem nas mercearias e drogarias ao pé de vós. Eventualmente, encontram até nas farmácias;
– Para a malta do Alentejo, se andarem perto de Santo André, experimentem a Petrocoop;
– Para quem mora perto, ou num dia de passeio, a Baixa de Lisboa pode ser uma boa opção e encontram o Benamôr na Drogaria Oriental (entre outras coisas lindas, lindas! Tema para outra altura) e n’A Vida Portuguesa (aqui, sim, encontram tudo muito inflaccionado, mas em último caso…), pelo menos.
– A Vida Portuguesa tem também uma loja online, se preferem fazer compras pela Internet ou se estão longe dos sítios que referi;
– Ou então, bem mais em conta, há a Go Saúde. Reparem na diferença de preços;
– Se, no fim disto tudo, ainda não estão contentes, podem sempre visitar a fábrica da Nally, que fica ao Campo Grande, no nº 189 (pertinho do Horto do Campo Grande).

Assim, deixam de haver desculpas para experimentar este mimo em forma de creme!

TRANSLATION

For those who can’t find Benamôr

Lots of people have been asking me where I buy the wonderful Benamôr cream from Nally, so I decided to show my readers a list of where they can buy it in Portugal. If you got interested and want to try it too, here’s where you can buy Benamôr:

– In Go Saúde (in fact it’s the cheapest place);
– In A Vida Portuguesa. Ah, if you visit Lisbon, you must visit their store, next to Bertrand in Chiado.

Give Benamôr a try and I bet you’ll love it forever!

10 Vaidosices Sem as Quais Já Não Vivo[:en]10 Beauty Must Haves

Beleza Top 10 Beauty

Já lá dizia o velho que só sentimos falta daquilo que temos, e olhem que é bem verdade. E é por isso que acredito que vive mais feliz quem tem pouca coisa do que quem tem muito ao seu dispor, porque com o poder de escolha vêm as indecisões, a vontade de ter mais, a desilusão com o que comprámos e não gostámos e, em casos extremos, perdemos a completa noção daquilo que podemos ou não gastar e deixamos de distinguir o que é necessário do que é supérfluo.

No entanto, não sejamos pessimistas, porque tudo é bom quando andamos equilibrados e já que temos a sorte de viver num local do mundo onde nos podemos dar a certos luxos e mimos, por que não? Quem não gosta de uma mariquice ou outra que sirvam para elevar o nosso potencial enquanto pessoas bonitas que levante o dedo.

Hoje mostro-vos as pequeninas coisas da bolsa das mariquices que fazem parte do meu dia-a-dia e que quando falham é o caos instalado:

1. Touche Éclat da Yves Saint Laurent – Iluminador, corrector, seja. Não é barato, mas é do melhor que já se fez para combater a típica cara de morta que muitas mulheres mundo fora têm pela manhã, e a embalagem sempre foi e sempre será um mimo: douradinha que é para brilhar!

2. Toalhitas Johnson’s Baby – São suaves, cheirosinhas e não ardem nos olhos. Óptimas para uma limpeza “à gato” quando estamos longe da civilização e para quando a preguiça de lavar a cara como deve ser é mais que muita antes de ir dormir.

3. Rímel Big Eyes da Eyeko – Confesso que só tenho pena de que não haja uma versão castanha. Fora esse pormenor, é o melhor rímel que já me chegou às mãos: é económico, cumpre com o que promete e ainda por cima é à prova de água! Inverno ou Verão, este é o meu rímel de eleição.

4. Bálsamo Tigre Branco – O completo multitask. É útil no combate à dor de cabeça, à constipação, entre outras coisas (consta até no panfleto que ajuda a dar conta da flatulência…). Não conseguia encontrar em lado nenhum, e tinha o vermelho porque a Ana foi uma querida e enviou-me um boiãozinho quando encontrou à venda. Descobri no fim-de-semana que há nas duas versões e em diversos tamanhos aqui perto, e já comprovei a eficácia do branquinho que já ocupa o lugar do bálsamo vermelho na bolsa.

5. Nívea Creme – E não me alongo mais. É outro multitask dos grandes, e vocês sabem como eu o adoro!

6. Creme Benamôr da Nally – Se não fosse bom, já não estaria à venda. É barato e é o melhor creme que já meti na cara! E a mãe também já usa, e parece que tem feito bem aos problemas de psoríase dela. É universal, dá para a avó e para a neta. Hidrata tudo sem que se sinta oleosidade e tem-me ajudado imenso no combate ao acne. Para além do mais, este creme tem um cheirinho óptimo e a embalagem é das coisas mais mimosas que já vi.

7. Fond de teint Norma Teint da Vichy – Socorro! O meu acabou. No que toca a este tipo de produto, creio que a Norma Teint é a melhor porque alia qualidade e bom preço. É leve mas cobre as imperfeições todas e é quase impossível ficarmos com cara de batata frita. Até podem existir outras bases/fond de teint que façam o mesmo, mas algo me diz que são mais caras. Para quê?

8. Lápis de olhos Black Mania da Essence – Há melhores mas eu não preciso de melhor. Cumpre perfeitamente o propósito dele e pelo preço que tem, não se pode pedir mais. Desde o traço direitinho até ao esfumado rápido e básico, este belo lápis consegue fazer proezas. E não derrete assim com tanta facilidade, já tive piorzinhos da Sephora.

9. Perfume Romance do Ralph Lauren – Perfume. Ando bastante feliz com este e com o Pure White Linen da Estée Lauder, mas o Romance é O Eleito. É delicado, digno de princesa.

10. Hydra-Stick da Mustela – Também já sabem da minha paixão por ele. É do melhor que há na prevenção e simplesmente o único que resolve os meus problemas com o cieiro. E na correria, consigo perfeitamente espalhá-lo sem parecer que me atiraram um ovo estrelado à cara.

[:en]

Beleza Top 10 Beauty

I’ve always heard we only miss what we already have, and I believe it’s true. And it’s why I think people who almost don’t have anything may be happier than those who own the world, because with the power of choice comes a huge basket of indecision, cravings for more, the dellusion with what we got but didn’t like at all and, in some extreme situations, we completelly loose the notion of what we can or can’t spend and are unable to see what we need and just get what we want.

But let’s not be quite so pessimist, because everything’s wonderful while we can moderate things and since we’re lucky enough to live in a place somewhere in the world where we can spoil ourselves a bit, why not? Who doesn’t like some futile things to make our beautiful bodies and faces look even better?

Today I’m showing you the little things from my necessaire I can’t live without anymore:

1. Touche Éclat from Yves Saint Laurent – Highlighter, concealer, who cares. It’s not cheap, but it’s the best thing ever to fix the corpse faces we all see in the mirror when we wake up, and the package is just sooo cute: golden, to shine as a star!

2. Johnson’s Baby Wipes – They’re soft, have a nice scent and don’t burn my eyes. They’re great for a quick clean when we’re far from the civilization or when we’re too lazy to wash our faces before we go to bed.

3. Big Eyes Mascara from Eyeko – It’s just a pity it’s not available in brown. After that, it’s the best mascara I ever had: it’s cheap, lasts for ages, does what it promises and it’s still waterproof! This is my favorite mascara ever, for the entire year.

4. White Tiger Balm – The perfect multitask. It’s useful for fighting headaches, caughs, among other things (on the leaflet I could read it’s even good to fight flatulence…). I couldn’t fing it anywhere, and I got the red version because Ana was just cute and sent me a jar when she saw it in a store. Last weekend I found out the two versions are available in a store close to me, in two or three different sizes, and I’ve already tested the white balm and love it so much that it’s now in my purse instead of the red balm.

5. Nívea Creme – And theres’s nothing left to say. It’s another big multitask, and you know how I love it!

6. Benamôr Cream from Nally – If it wasn’t good, it would already be dead. It’s cheap and it’s the best thing I’ve ever put on my face! And my mother uses it too now, and it seems it’s good for her psoriasis. It’s universal, it’s good for the grandma and for the granddaughter. It hydrates everything without feeling oily or greasy and it’s been helping me a lot solving my acne problem. Plus, this precious cream has a great scent and the package is one of the most beautiful things I’ve ever seen.

7. Norma Teint fond de teint from Vichy – Help! Mine just got empty. I think this is the best product of its kind because it has a great quality and a good price. It’s not heavy but it covers everything and it’s almost impossible to look like a french frie during the day. Maybe there are other products doing the same, but something inside me says they’re more expensive. For what?

8. Black Mania eye pencil from Essence – I know there are better pencils out there, but I just don’t need them. This one is ok for its purpose and I couldn’t ask for more for around 2€ (I can’t remember how much it was). It’s good as a liner and perfect for a quick smokey look, it can do miracles for us. And it doesn’t melt so much as I’d think, I already got worse stuff from Sephora.

9. Romance perfume from Ralph Lauren – Perfume. I’m really enjoying this one, as well as Pure White Linen from Estée Lauder, but Romance is still The One. It’s soft, delicate, good for a princess.

10. Hydra-Stick from Mustela – You know I love it too. It’s the best at preventing and the only one that cures my dry lips. And, in a hurry, I can perfectly spread it on my face without looking like someone has thrown me a fried egg.

Maquilhagem para pele oleosa: é mais que possível!

pele oleosa

Longe vão os tempos em que as maquilhagens eram pesadonas e não serviam para qualquer pele.

Longe vão também os tempos em que a maquilhagem não estava ao acesso de toda a gente!

Hoje podemos usar maquilhagem quer tenhamos a pele extremamente seca ou muito oleosa, com ou sem marcas e manchas e até as peles mais sensíveis já têm direito a linhas específicas e não agressivas de maquilhagem.

Tenho por aqui livros com dicas de beleza com mais de dez anos (alguns já caminham mesmo para os cinquenta ou sessenta anos!) e, segundo constatei, as possibilidades que temos agora ao nosso dispor são bastante recentes.

Não é preciso retroceder muito no tempo para encontrarmos em livros e revistas escritos do género “se tem pele oleosa, evite a todo o custo a maquilhagem, pois esta estraga ainda mais a pele e confere-lhe um ar artificial”. E este é um exemplo, entre muitos outros, e um dos mais comuns.

Recebi um email da Cláudia:

Depois de me teres aconselhado com os produtos a usar com acne e manchas, gostava que me ajudasses a escolher os produtos para corrigir e disfarçar o acne.

Que tipo de corrector devo usar (textura e cor), base (liquida, creme, pó) e o pó solto ou compacto?

E algumas marcas destes produtos! E mais algum produto que saibas.

É que eu gostava de ter uma cara com melhor aparência, mas sem parecer artificial.

Antes de mais, e antes que me caiam o Carmo e a Trindade em cima, por estas bandas eu dou a minha opinião e cada pessoa é livre de experimentar ou não, e agradeço até que dêem também os vossos palpites.

Não sou dermatologista nem nada que se pareça, pelo que o que conto aqui é fruto da minha própria experiência. Pode funcionar com algumas pessoas e com outras não, pois somos todos diferentes!

Indo agora ao propósito do post, creio que, tal como a Cláudia, tod@s nós gostamos de exibir uma pele limpinha e bonita, nem que para isso tenhamos que recorrer aos “disfarces”.

Nesta hora, o mais importante é saber escolher o que se adequa à nossa situação, pois de contrário podemos destacar ainda mais as nossas imperfeições.

Já referi n vezes que os meus hidratantes preferidos para a cara são o creme Benamôr da Nally e o Nívea creme (o da lata azul, sim!). Desde que com os devidos cuidados, e ao contrário do que a maior parte das pessoas pensam, eles não deixam a pele oleosa!

No entanto, com o Verão, o calor e o suor torna-se complicado sair à rua sem cara de fritadeira, e acabo por reservar estes meus cremes de eleição para o Inverno e para a noite.

Quando sei que estou mais exposta a factores que libertam a batata frita que há em mim, prefiro utilizar cremes hidratantes que controlem a oleosidade e o brilho da pele. Quem tem o mesmo problema, como a Cláudia, deveria pensar em aplicar um destes cremes antes da maquilhagem.

Este tipo de cremes, para além de manter a pele mais seca e sem brilhos, permite uma fixação mais eficaz da maquilhagem.

Poderia referir marcas caras das quais gosto, mas prefiro falar de opções mais em conta (lema cá do blogue, vocês sabem!) e igualmente boas, tanto que me levaram a desistir dos “Ferraris”.

Neste ponto temos o creme 1. Cuidado anti-brilho da linha Sebospecific da Yves Rocher (sei que a imagem não corresponde, é um creme “irmão” cuja foto anda desaparecida). Existe em bisnaga de 40ml e boião de 50ml e ambos andam abaixo dos 10€. É o que estou a usar e gosto bastante.

Em alternativa, temos em 2. o creme Nívea Visage Young Control Shine, que se encontra à venda no supermercado e também é acessível. Deixei de o usar simplesmente porque me sai mais barato o do ponto 1. e o efeito é o mesmo.

Feita a hidratação, pode ser uma boa ideia aplicar também um primer.

Não é obrigatório, mas faz a diferença. Tal e qual como o primeiro que usamos para pintar portas, paredes e por aí fora, o primer tem como finalidade conferir à pele alguma uniformidade quando aplicarmos a base (vão ver que até os poros gigantes ficam escondidos!).

Para além disso, impede o contacto directo entre a maquilhagem (que pode ser agressiva, mesmo quando no rótulo diz que não) e a pele. Dos que já experimentei, aconselho o do ponto 3. da Sephora. É mesmo da marca deles, é possível encontrar mais baratos de outras marcas, mas eu prefiro este.

Se não quiserem comprar antes de saber se funciona, tentem pedir amostras directamente na loja. Foi assim que o descobri, quando abri uma amostra por engano ao pensar que era base.

E passamos agora à base (dúvidas, dúvidas: ler aqui).

Há quem prefira aplicar o corrector primeiro. Eu não o faço por um motivo simples: não sou a pessoa mais habilidosa do mundo e acabaria por misturar a base com o corrector, o que resultaria em ter que aplicar corrector novamente. Adiante.

Hoje em dia temos no mercado montanhas de bases próprias para peles oleosas, com acne, com mais ou menos cobertura, com as mais diferentes texturas, com acabamento mate e para todas as carteiras. Para o dia-a-dia, eu aconselho o mais suave possível. Por isso, são de evitar as bases oleosas e muito espessas.

A baixo preço, a tão falada Essence oferece boas bases que vão de encontro a todos os gostos. O melhor? Nenhuma passa dos 4€. Em 4. temos a base em mousse. Esta é uma opção bastante económica, pois para cada utilização basta uma quantidade reduzidíssima e têm logo a pele significativamente mais bonita e uniforme, com efeito mate e sem que sintam sequer que têm maquilhagem.

Só tem um senão: eu gosto de aplicar a base com pincel e com esta não me dou lá muito bem, fica bastante pesada! Isto acaba por ser uma vantagem, pois significa que é óptima para trazerem na bolsa e aplicarem com os dedos.

Em 5. temos a base líquida com efeito mate, e esta já é amiga do pincel. Por fim, em 6. temos uma base mineral em pó. É possível obter vários níveis de cobertura com ela sem que fique com um aspecto artificial. A forma mais simples de a aplicar é seca, com um pincel kabuki. No entanto, é possível aplicá-la molhada ou com creme hidratante, como a Kah mostra.

Dizem que a maquilhagem mineral é a melhor para a pele.

No entanto, devo dizer que há por aí queixas de que certas marcas agravam os problemas de acne porque o pó entope os poros. Não dei por isso nem com a base da Essence nem com a da Yves Rocher (sim, a YR lançou agora em Setembro uma linha de maquilhagem mineral! Ainda não espreitaram? Façam-no aqui, nas páginas 10-11).

Se o creme anti-brilho e a base específica não foram suficientes e se já testaram e ao fim de pouco tempo a pele manifesta brilho, é caso para aplicar pó. Convém não exagerar! As panquecas estão ultrapassadas e, por isso, só se aplica pó (pode ser solto ou compacto, eu acho o pó compacto mais prático!) nas zonas críticas (zona T, em princípio).

Sugiro o pó compacto 7. da Essence. Para que não haja ideias pré-concebidas, este pó não traz esponja nem pincel. É à escolha do freguês! Pessoalmente, prefiro aplicar o pó com um pincel muuuito macio, pois dá um ar mais leve e é mais fácil não cometer abusos. O pó pode também dar uma ajuda no que toca à fixação da maquilhagem.

No tempo de Verão, tenho optado por um pó bronze.

Por fim, e para que tenhamos preparado a nossa pele, há que corrigir pequenos defeitos que ainda existam como manchas de borbulhas, olheiras e essas coisas.

Para quem tem pele oleosa, eu aconselho os correctores em stick. Por um lado, são mais práticos para toda a gente. Por outro, geralmente oferecem maior cobertura e não são tão brilhantes.

Têm o 8. que é o Coverstick da Essence e o 9. que é a caneta correctora da Vichy. Esta serve para manchinhas pequenas e não tanto para as olheiras. Ronda os 8€, e gosto dela porque para além de cobrir as imperfeições ajuda a eliminá-las.

Acerca da Essence: apesar de ter referido produtos da linha normal, há uma linha específica para peles com acne, a linha Pure Skin. Sinceramente, ainda não consegui encontrar uma diferença entre as duas linhas, pelo que me parece que tanto faz escolherem produtos de uma linha ou de outra.

Agora, têm uma pele preparada com o básico e podem sair de casa (um blush, gloss e rímel completam!) ou continuar as vossas aventuras no mundo da maquilhagem. Se querem ler mais sobre marcas acessíveis e produtos, tenho este post.

Mãos à obra e divirtam-se entre pincéis e cosméticos!