Categoria: Faça Você Mesmo

Madeixas temporárias com giz/pastel seco

Quando se pensa que não vão surgir mais ideias de jerico estranhas, tufas. Eis que alguém nos surpreende com madeixas no cabelo feitas com giz e pastel seco. Humedece-se uma madeixa de cabelo, aplica-se o giz esfregando, deixa-se secar e fixa-se o produto com um ferro quente. Na lavagem seguinte sai tudo. E é este o procedimento.

Com certeza que a oportunidade de ter cabelo de qualquer cor possível e imaginária é muito apelativa. Contudo, não me parece que esta prática seja boa para o cabelo e é decerto um atentado às vias respiratórias. Pode ser um grande risco. E é, acima de tudo, um grande desperdício de material de pintura.

Sou pessoa para experimentar, eventualmente, mas vocês não o vão fazer, certo?

E fica registada esta prática, para vosso conhecimento.

Sim ou Sopas? #2

Ainda não consegui decidir se adoro a ideia de aproveitamento ou se acho esta peça (e todas as outras que existem aqui) bizarra. Sim, são dentes. Não, não vale a pena pensar muito sobre a obtenção dos ditos. Ninguém foi mutilado e desdentado para fazer colares! São dentes de porcelana.

Divagações à parte, tenho ali quatro dentes do ciso e outros três dentes que eram capazes de ficar bem numas peças assim.

Os dentes de leite não tenho, quando me assaltaram a casa há muito, muito tempo, os ladrões fizeram questão de levar todas as caixinhas de ourivesaria sem sequer olhar para o conteúdo. Claro está que algumas continham nada mais, nada menos que… Dentes de leite. Sim, sem qualquer tipo de ouro em volta.

Sim ou sopas?

Fim da novela das galochas.

Galochas Iron Fist Spartoo Rain Boots

Lembram-se da conversa das galochas? Pois bem, já há algum tempo que me decidi, ganhei coragem e escolhi as Society Suicide Cropped Rainbow da Iron Fist. Mais uma vez, esperei tanto que quando fui encomendar as minhas tão desejadas galochas, não havia nenhumas das que vos tinha mostrado aqui para o meu número.

Tal como disse, já tenho as galochas comigo há algum tempo. Só não as mostrei porque parece que as formigas se enganaram e o Inverno não está a ser tão chuvoso (cala-te boca, que ainda vem chuva!) como seria de prever e porque o laço de atacador não me agrada e ainda vou mudá-lo. Vou trocar os atacadores por fitas de cetim e… Txarã! Até estou a pensar em arranjar fitas de várias cores para ir alternando.

Novamente, não me rendi. Procurei em todas as botas de borracha do Spartoo e dei logo de caras com estas. São lindas, floridas, não eram muito caras (ainda andei a matutar nas de 80€, mas… Por umas galochas? Sem nada de especial? Sim, sou forreta). Claro, só podiam ser de uma das marcas de sapatos que mais adoro pelo design original. Havia o 36, que para galochas está mais que perfeito. Tinham de ser minhas.

Na altura, estavam a 40€. Como já estamos nos saldos, agora estão a 33€. E ainda há montes de tamanhos disponíveis! Por falar em saldos, se inserirem o código SALESPT11 obtêm um desconto de 5% nas compras superiores a 60€, até ao dia 31 de Janeiro.

Não são giras as minhas galochas?

Missangas HamaHama Beads

Sei que a Hama é a marca que criou este tipo de missanga, e não tenho mesmo outro nome para lhes chamar. As missangas Hama lembram-me os tempos de infância, quando brincava com uns tabuleiros onde podia encaixar uns pinos coloridos e construir figuras. Quem não se lembra disso? Neste caso, é o tabuleiro que tem umas saliências onde podemos encaixar as missangas para construir figuras. Depois, passa-se tudo a ferro, as missangas derretem e podemos retirar as nossas figuras, inteiras, do tabuleiro e usá-las. No quê? Bom, depois mostro no que vão resultar as figuras da foto.

É importante referir que procuro estas missangas há anos. Sei que, supostamente, existe um representante da Hama em Portugal e que até fica perto de mim, mas nunca o encontrei.

Hoje, ao passear pelo IKEA, encontrei destes frascos gigantes por 4,99€ e os tabuleiros por 1,99€. Pulei de contente e é claro que tive de trazer para experimentar.

Em tempo de crise e com o Natal a aproximar-se, até pode ser uma boa ideia para oferecer. Ou oferecer coisas bonitas produzidas por nós com este material!

I know Hama was the creator of this kind of beads and I do not even have another name to call them. Hama beads remind me of when I was little, when I used to play with some trays where I could build some figures with colorful pins. Do you know what I am talking about? In this case, you can plug the beads to the pins in the tray. Then, you iron everything and the beads will melt. You can now remove your entire figure and use it. To do what? Well, later I will show you what I did to mine.

I have been seeking for these beads for ages. I know that there is a Hama distributor in Portugal, somewhat close to where I live, but I never found it.

Today, when I was walking through IKEA, I found these giant bottles for 4,99€ and the trays for 1,99€. I got really happy and of course I had to bring them home.

I think this is a good idea for Christmas. We could offer this set of offer some things made by us with these beads.

E o Papel?

Qual papel? – Ah, Gato Fedorento, que nostalgia. Igualmente nostálgicos são os álbuns fotográficos impressos, que com a chegada das câmaras digitais acabaram por ficar meio esquecidos porque com a possibilidade de visualizar as fotos assim que as tiramos deixou de haver correrias ao fotógrafo para revelar o rolo.

Eu, com infinitas pastas minadas de fotografias tiradas desde 2004, dei por mim armada em filha ciumenta a queixar-me à minha mamã que, sim senhora, mostrava muitas fotos e gaba-se muito do filho às colegas/amigas mas da Joana Margarida, que é boa e bonita, está quieto, Belchior. E eis que a mãe Guida responde “eu mostrava fotos, se as tivesse”.

Que lamentável! Nesta casa não havia fotos minhas desde 2004? Como é possível? É claro que tive de remediar. E eis que surgiu a oportunidade de fazer um Livro Foto Prestígio Quadrado no Photobox.

De si, o formato do álbum fazia-me lembrar os livros infantis, sabem? Pequeninos, bonitos, coloridos. Agradou-me de todo, e por que não começar ao jeito das histórias se ao fim ao cabo este era um livro “meu”, com bocadinhos de mim? As opções de personalização, essas, são intermináveis. Têm 30 páginas mais a capa de cartão rijo para avariarem com as imensas opções de cores e padrões, combinações de fotos, etc. É a perdição, acreditem que escolher as fotos para o álbum acaba por nem ser a maior aventura.

Para que reclamações não pudessem haver, pimbas. Levas com fotos das mais antigas às mais recentes.

Parece que não, mas 30 páginas dão meeesmo para muitas fotos. Até dão para as pessoas que tornam os meus dias mais coloridos. Para mais tarde recordar, sim!

Fiquei super satisfeita por ter direito a um álbum só para mim e agora ando a pensar em imprimir tudo o que anda pelo arquivo cá de casa, para ter os momentos bonitos sempre à mão. E assim fica-se com uma colecção de álbuns lindos! A qualidade de impressão é muito boa, vem tudo com acabamento perfeito.

O Photobox disponibiliza muitas outras opções de álbuns, posters e objectos para terem registos “palpáveis” memoráveis das vossas fotos, o que acaba por ser muito bom também quando chega a altura de oferecer um presente a alguém próximo mas não se sabe bem o quê. Quem não gosta de recordar bons momentos?

Se não souberem bem se as vossas fotos têm qualidade suficiente para ficarem bonitas na impressão, não se preocupem. A aplicação do site encarrega-se de assinalar em cada foto se está apta ou não a sair com boa qualidade, para que possam substituir aquelas que não estão assim tão bem.

Quanto ao envio, é rápido, mesmo a pensar nos presentes de (quase) última hora. Em coisa de cinco dias têm a encomenda em casa, super bem embalada. No caso dos álbuns, vêm dentro de uma caixa de cartão à medida, envoltos em papel bolha, dentro de um envelope-bolha. Super bem acondicionado, hã?

Assim, com tudo composto e bonito, até dá gosto mandar imprimir fotos. E vocês? A que era pertencem? À das fotos “palpáveis” ou à das molduras digitais?

Arte nos Olhos? Ah, a Minha Amiga Faz!

E enquanto a blogosfera se inunda de pálpebras lindas com desenhos da Disney, não posso deixar de lembrar que há uma blogger alemã super querida e que sigo há cerca de dois anos, a Massu, que também tem ideias geniais e um jeitinho maravilhoso. A tela? As suas pálpebras. Não é Disney, o estilo é diferente, mas é super adorável e é claro que vale a pena apreciar!

Cliquem em cima das imagens para irem ter direitinh@s aos tutoriais no Mylanqolia’s Makeup Massacre. O melhor de tudo é que a Massu faz estas coisas giras com produtos super baratos, nada de marcas de maquilhagem XPTO inacessíveis que custam os olhos da cara.

Não conheciam? Vão a correr espreitar!

O Cabelo da Guida #4 – Cortar!

Esta foi a última vez que meti os pezinhos num cabeleireiro. Já lá vão quase dois anos e não sinto falta nenhuminha de deixar o meu cabelo em mãos alheias. Não foi o caso, como podem verificar pelo que escrevi nessa altura, mas sair insatisfeita com o corte e, ainda por cima, ter de pagar não é algo que me deixe conformada.

Eis que decidi ser eu a cortar (e pintar, logo iremos lá!) o meu cabelo. Peguei numa tesoura e em lâminas e fui experimentando. Se deu asneira? Não, não deu! Já tinha aprendido beeem antes, no início do blogue, com uma franja medonha, super direita, à Meo que cortei a mim mesma. Se arrependimento matasse…

A ideia era ir mantendo o corte escadeado, em camadas. O comprimento, esse, foi variando conforme o humor. Já cortei o cabelo acima do queixo (mantendo o corte mais direito), agora quero deixá-lo crescer até mais não.

Como é que tudo bate certo? Com paciência e… Com boas ideias! Costumo dar um jeito ao cabelo de 2 em 2 meses e de há algum tempo para cá faço justamente como neste vídeo que conheci através do blogue da Verdinha.

Então, continuam a achar que é complicado? Desta maneira, não falha!

Folha d’ouro?


Sim, nas unhas! Esqueçam os defeitos e vernizes a transbordar, acabei de fazer isto. Ficam imperfeitas, mas gosto. É só passar verniz transparente e decalcar folha d’ouro (encontram em lojas de artes decorativas) de imediato. O resto é topcoat (podem também optar por utilizar vários vernizes de forma aleatória, eu gosto de ver!). Não são Minx, mas são mais giras e personalizadas.

Alguém se atreve?

Artimanhas e Projectos dos Blogues, com Cheiro a Primavera!

Ultimamente, não tenho tido muito tempo nem para o meu blogue nem para os dos outros. A bem ou a mal, ando com outros projectos em mãos e nem sempre consigo reservar um minutinho para por aqui passar a dar sinais de vida. Muito francamente, confesso que (e espero ninguém leve a mal!) acabei também por me aborrecer um pouco com tantos blogues que em pouco ou nada diferem uns dos outros, sempre sobre os mesmos temas, sempre com as mesmas coisas, as mesmas revistas, os mesmos produtos, as mesmas críticas, as mesmas cores, so on

Assim, sempre que posso, tenho passado pelos cantinhos do costume (embora nem sempre dê um alô) e no raro tempo em que não ando de volta do resto das coisas que são prioritárias para mim, ando com atenção aos trabalhos alheios. Àqueles de quem realmente mete as mãos na massa

Hoje achei por bem mostrar aqui uma mão cheia de coisas bonitas para se inspirarem. A meu ver, todas elas são relativamente simples de pôr em prática.

Em primeiro lugar, o cabide/chaveiro que me anda a encantar. Ando com a pulga atrás da orelha e a fazer todos os esforços para me lembrar que apanhar um tronquinho um dia destes. Cada um decora à sua maneira. No fim, enverniza-se (ou não, porque… Cada um faz à sua maneira!), colocam-se os camarões e parede com o belo do cabide. Creio que só alterava uma coisa: em vez de aparafusar o meu à parede, vou querer que fique preso por ganchos.

Ainda no Semi, estas coisas bonitas a que chamam ear wraps ou ear cuffs. Até há um tutorial aqui, mas fica a dica para as mais preguiçosas: existem para venda aqui, feitas de outra forma. Assim, agrada-se a toda a gente.

E para as rendinhas perdidas lá por casa, qual é o fim? Colares lindos e golas, pois claro! Aqui no Ruffles and Stuff, mais simples que isto não há.

Já a pensar no tempo mais quente, fica aqui a dica para uns vestidos jeitosos e sem grande engenho. Lenços grandes é o que não falta nas casas das pessoas por esse mundo fora (e por que não adaptar pedaços de tecido da mesma forma? Na Feira dos Tecidos até costumam haver caixas com peças pequenas, muitas delas servem para este projecto) e assim sempre temos vestidos únicos e lenços reaproveitados.

Por último, outro colar para arrasar. Tem flores de metal fingido, é tudo fácil de fazer e está tudo explicado neste tutorial. Se espreitarem lá para o meio, também explica como fazer as flores. No caso de não encontrarem aquela história do adesivo metalizado, dá para usar pacotes de leite. Já alguém tinha pensado nisto?

Não sei que dizem vocês, eu adoro estas coisas giras e adoro o facto de não serem muito complexas de fazer. Só tenho mesmo pena, muita pena, de não poder dedicar tanto tempo quanto gostaria a projectos catita como estes que acabei de vos mostrar.