Categoria: Faça Você Mesmo

É Carnaval, ninguém leva a mal!

bebé carnaval

Tinha mesmo de mostrar a minha Minnie. Porque eu nem era eu se não mostrasse à minha filha, logo de pequenina, o que é o Carnaval. Porque ela pode ser 7 meses de gente, mas já alinha nas minhas macacadas. É uma vaidosa, é a minha princesa!

Para quem diz ah e tal, que é difícil encontrar disfarces de Carnaval para bebés: ilustres, do pouco se faz muito! Encontrámos um vestido com saia de tule a 3.99€ na H&M (há-de servir para outras trapalhadas), as orelhinhas com laçarote comprámos no chinês – vinham numa bandolete, mas a minha mãe retirou-as e coseu numa fita de cabelo. O casaco (feito pela minha mãe para mim, já tem quase 30 anos!) e os collants (e os sapatos, aqui estava descalça mas usa sempre sapatos tal e qual gente crescida) são da roupa que veste normalmente.

Ficou ou não ficou a Minnie mais amorosa de todas?

E agora, vá, vamos tod@s limpar a baba e seguir com as nossas vidas.

Cola em Caneta

Caneta Cola Tombow Glue Pen

Querem uma espécie de off topic que não é off topic, que aqui fala-se de tudo e mais alguma coisa? Sei que não sou a única fanática por tudo o que é mariquice de papelaria por estas bandas, por isso tenho de partilhar convosco algo que aposto que é uma novidade para muit@s de vós: já conheciam o conceito de cola em caneta?

Bom, para mim esta bugiganga não é nova. Há coisa de 10 anos, a UHU tinha uma caneta de cola na sua gama de produtos disponíveis. Devem existir mais produtos semelhantes de outras marcas, mas esta era tão boa ou tão má que desapareceu. Há uns dias, algures num blog português (não consegui encontrar o artigo que vi, mas se a pessoa que o escreveu estiver a ler, que se acuse), li que havia uma caneta semelhante na Fnac. Tive de comprar, claro!

Caneta Cola Tombow Glue Pen

É da Tombow, uma marca japonesa que tem uma série de outros artigos de papelaria bastante interessantes (adoro as esferográficas muito esguias e as borrachas de ponta finíssima) e é tal e qual uma caneta de gel, só que em vez de estar carregada com tinta, tem cola líquida.

Antes que duvidem da funcionalidade da coisa, deixem-me que vos diga que dá um jeitaço e é coisa que passou a ser essencial no meu estojo (que é pequeno, não pensem que carrego a papelaria às costas). Cola mesmo, é fácil de usar e não fica entupida. Portanto, aficionad@s da tralha de escritório, aqui fica mais uma ferramenta para adicionarem às vossas colecções.

Workshop de Iniciação à Costura

Costura Companhia das Agulhas

Há coisa de duas semanas, recebi um convite da Companhia das Agulhas para ir a um workshop de iniciação à costura. Calhou que nem ginjas: agora que estou em mudanças, estava à procura de algo semelhante porque, já que tenho máquina de costura, convém saber utilizá-la.

É claro que a mamã sabe e ajuda. Ela tem todos os conhecimentos e, por isso mesmo, pensa que há coisas que são tão básicas que toda a gente as sabe empiricamente. Consequentemente, não tem a paciência necessária e a simples tarefa de montar a máquina é uma odisseia neste domicílio.

Costura Companhia das Agulhas
Bloggers a aprender a costurar. Fotografia retirada do Facebook da Companhia das Agulhas.

Quero poder ser eu a arranjar as roupas na minha casa e, quem sabe, fazer projectos lindos completamente de raiz. Assim sendo, adorei a proposta e não podia dizer que não. Rumei à Companhia para, numa tarde, aprender os básicos da costura à máquina. Há coisas básicas (não sei como é que, hoje em dia, há quem não as saiba fazer!) das quais sei tratar à mão, como coser botões e bainhas, mas no demais não sei fazer nada. No total, éramos 5 bloggers sem grande experiência no assunto, e posso garantir que nos portámos todas muito bem.

Com a ajuda da Ju e da Sofia, conseguimos preparar e confeccionar um individual com espacinhos para os talheres bem giro e que, falo por mim, tem feito muito sucesso! Mas nem só de costura para nabiças é feita a Companhia: há cursos e workshops para todos os fins e dificuldades, aulas livres, cursos de malha…

Costura Companhia das Agulhas

Em jeito de conclusão: adorei a tarde e saí do workshop bastante motivada para aprender a trabalhar com a minha máquina. Há esperança. E posso dizer-vos que se eu consigo, vocês também conseguem! Com mais ou menos persistência, é preciso é ter vontade de aprender. Para saberem mais sobre a Companhia das Agulhas, é só consultarem o site que está lá tudo (modalidades, preços, morada e tudo o que possam imaginar).

Presente de Aniversário – Agenda para Blogs

pink planner

Antes de mais nada, peço desculpa pela ausência em pleno mês de aniversário! Se estão a ler este post, tenho a certeza que já repararam num dos motivos que levaram a este súbito desaparecimento: lavámos a cara. Pelo meio, houve umas quantas chatices com o servidor. Gostam do novo look? Quero que me contem tudo. Continuamos com os mesmos cabeçalhos, que carregam aleatoriamente de cada vez que abrem o blog.

agenda1

Numa tentativa de me organizar e não falhar mais connosco, acabei por produzir algo que sei que vai dar jeito a quem tem blogs. E eu sei que tenho muit@s leitor@s que também têm blogs! Depois de ler sobre o assunto pela Internet fora, decidi compor uma agenda perpétua à minha medida, com tudo aquilo de que necessito para manter o blog em ordem (espero eu, mas se surgirem actualizações, logo partilho convosco). Inclui calendários, folhas de estatísticas, planeamento de posts, tudo e mais alguma coisa.

agenda2

O melhor é que quando mostrei o documento à Ana Rita, ela disponibilizou-se para alindar a coisa. E puff: sai uma agenda catita para tod@s vós poderem descarregar neste link. Não é um bom presente? Para o montarem é muito simples, e sugiro que imprimam 4 páginas por folha (que ficam com páginas em tamanho A5), que assim poupa-se papel e há espaço para tudo. Imprimam as páginas de planificação e preenchimento quantas vezes necessitarem. Reorganizem como vos apetecer. Creio que a forma mais prática de utilizar a agenda é colocá-la num dossier, que assim também não precisam de imprimir logo as folhas todas para um ano e conseguem perceber se se adaptam a este sistema ou não. Por que não imprimir páginas para um mês e experimentar?

Para vos facilitar a vida, aqui fica um guia das páginas:

  • Página 1 – Folha de Identificação
  • Páginas 2 a 13 – Calendário Perpétuo (cada mês tem um padrão diferente)
  • Página 14 – Estatísticas
  • Páginas 15 e 16 – Tops (Posts mais vistos, palavras chave, backlinks, pesquisas, posts mais comentados)
  • Páginas 17 e 18 – Objectivos do blog (a curto e longo prazo)
  • Página 19 – Registo de Passwords
  • Página 20 – Contactos
  • Página 21 – Anúncios e Patrocínios
  • Página 22 – Lucros e Despesas
  • Página 23 – Organização de posts (sugiro a utilização de postits, de forma mudar os conteúdos de sítio à medida que forem concretizados)
  • Páginas 24 a 30 – Planificação semanal de posts
  • Página 31 – Brainstorming
  • Página 32 – Passatempos
  • Página 33 – Checklist Semanal
  • Página 34 – Notas e Ideias

Se alguma coisa não vos fizer sentido, é só perguntar, que eu explico. Acredito que, para muita gente, haja aqui pelo meio uma série de dicas nas quais nunca pensaram, sequer. Não têm de quê!

No demais, só vos pedimos que sejam fofinh@s e se ainda não seguem A Guida É que Sabe e a Let’s Talk About Beauty, por favor, mostrem o vosso carinho pelos blogs e sigam-nos nas diferentes redes sociais. Ah, e sintam-se à vontade para comentar e mandar emails com dúvidas ou sugestões. Está claro que este foi um trabalho feito com muito amor e carinho e não é para desatarem a ser copiões ou tirarem lucro com isto, sim? Esperamos que gostem!

agenda3

Cachecol em 30 Minutos

gola1

À prova de aselhas! Gostava de ter partilhado umas poucas ideias destas convosco antes do Natal e não vim a tempo, mas há preciosidades que são bem vindas a qualquer altura.

Logo após o Verão, comecei a ver imensas referências nas redes sociais sobre um suposto cachecol infinito em tricô que seria feito com os braços, em coisa de meia hora. Fiquei intrigada, está claro, e deixei o assunto em stand by porque aguardava encontrar uma lã gorducha e bonita para utilizar neste feito.

Pela altura do Natal, ao passear por um shopping da minha zona, encontrei a lã de que necessitava (se quiserem a referência e a marca, avisem, que logo procuro os papelitos dos novelos) e meti mãos e braços à obra. Olhem, não podia ser mais simples! É tal e qual como explicam no vídeo do Handimania. Não é preciso fugirem se não souberem tricotar, porque está mesmo tudo muito bem explicado e é muito simples, tão simples que até as crianças podem fazer.

gola2

Aqui fica uma ideia para presentes rápidos que agradam a toda a gente, para terem o cachecol/gola mais giro de todos, ou quiçá para aplicar a ideia a outras peças de vestuário. Já conheciam esta ideia? Já alguém experimentou?

reversefrench

Após os estágios desde ano, fiquei com vontade de fazer uma série de experiências nas minhas unhas. A de hoje, foi o que podem ver na fotografia: manicure francesa ao contrário. Penso que é este o nome!

Já há algum tempo que queria tentar fazer algo do género, mas faltavam-me os recursos (leia-se umas quantas “bolinhas” autocolantes de remendar folhas de dossier). Ontem, quando fui às compras, lembrei-me de passar pela secção de papelaria e trouxe o que precisava. As tais “bolinhas” permitem-nos deixar as meias-luas das unhas por pintar com muita facilidade.

Como quero que as minhas unhas permaneçam com a pintura intacta por uns dias, utilizei os produtos de qualidade do costume: o primer Primetime, a base Bonder e o topcoat Sec’nDry (ainda não falei dele com detalhe, mas não tardo a publicar a minha opinião!) da Orly. O verniz vermelho é o Colorstay da Revlon na cor Delicious.

As pessoas com quem lido no dia-a-dia têm-me perguntado o que é que fiz às unhas para estarem tão crescidas (costumo tê-las rentes), especialmente depois de ter utilizado verniz gel. É muito simples: em primeiro lugar, não é suposto o verniz gel danificar as unhas. Depois, não fiz nada de especial. Não apliquei nenhum produto (não tive paciência para tal) e só tenho o cuidado de limar as unhas semanalmente e manter as mãos e cutículas hidratadas.

Ainda não sei qual vai ser a próxima fase: se me mantenho com unhas naturais ou se experimento acrílico; que cores/efeitos utilizo.

Aceitam-se sugestões!

Pela altura da Páscoa, adquiri umas galochas Hunter glossy pretas, lindas. São caras, eu sei, mas mesmo assim decidi que precisava de ter umas dado que as galochas pretas que tinha estavam a meter água. Galochas inúteis! Pensei que era preferível ponderar um investimento superior mas ter umas galochas que durassem para todo o sempre, visto que as Hunter tem óptima reputação neste aspecto.

Mal sonhava eu que, por serem mesmo de borracha, daí a pouco tempo iriam ficar todas esbranquiçadas. Foi uma grande desilusão, mas como não precisei de as calçar mais porque entretanto chegou o Verão, não voltei a ligar ao assunto até à semana passada, quando chegou a chuva.

Não podia ser a única pessoa a passar por isto! Fui em busca de soluções, mas só me apresentavam produtos caros para tratar das galochas. E soluções caseiras?

Descobri que a melhor opção era passar um algodão embebido em azeite pelas botas. Sim, azeite! Limpei as galochas com um pano húmido (não adiantou grande coisa) e depois tratei da parte do azeite. O problema não ficou totalmente resolvido na primeira passagem, mas da vez seguinte já fiquei satisfeita e desde então as botas estão quase como novas. Quase, porque onde há reentrâncias ainda há pequenas partes esbranquiçadas. Já averiguei como é que posso resolver o problema de vez e dizem que vinagre diluido em água resolve o problema. Não tenham medo de deixar as botas todas oleosas. Isso não acontece, garanto!

Temperar as botas? pelos vistos, neste caso, é mesmo a melhor solução.

P.S. – Melhor ainda que o azeite, são os sprays Cockpit. Experimentei por sugestão vossa nos comentários e fiquei fascinada: galochas brilhantes e sem vestígios de esbranquiçado por muito tempo! Não sejam esquisitos com as marcas, procurem na secção dos automóveis no supermercado e vão ver que há muitas opções. Até os sprays Cockpit de marca branca servem.

Por falar em militarices,

alguma vez vos tinha mostrado esta mala? Não?

No meu tempo de estudante do Ensino Secundário, era esta a minha mala preferida para levar os livros e cadernos.

Vejam a diferença que simples detalhes fazem, embora de momento não saiba bem se a devo manter assim, retirar os pompons e substituir por outra coisa qualquer… Logo se vê.

Eu sei que é cedo de mais para pensar em luvas

Mas nunca é cedo de mais para pensar em pôr mãos à obra e investir num projecto de personalização.

Não gosto de ter coisas simples de mais. Gosto de pormenores, de detalhes que marquem a diferença. Quando se trata de acessórios que se podem perder algures, é sempre bom termos as nossas peças únicas. Aposto que toda a gente já ouviu a pergunta de quem é isto? (sendo isto um qualquer objecto que possa estar desarrumado, por exemplo, numa sala de convívio). Quando temos algo que mais ninguém tem, que se destaca, é mais fácil encontrar os nossos pertences porque as pessoas que nos rodeiam também os identificam como sendo nossos.

Numa das minhas frequentes visitas virtuais ao Spartoo, encontrei as luvas da Moschino e à semelhança do que tem acontecido com os artigos que vou encontrando da mesma casa, fiquei deliciada. Mas, e os preços?

O faça-você-mesmo é muito terapêutico. Acho que vou ali pegar numas correntes, miçangas, botões, agulha e linha e já cá volto.

E vocês? Já pensam no Inverno e nas novas colecções? Que pensam dos trabalhos manuais?

Penso que um dos sonhos de qualquer fanática por batons é ter uma paleta de cores infinita à mão de semear, independentemente da estação do ano, das tendências de cor ou dos gostos. Afinal, ter um batom de cor bizarra pode fazer jeito, sabe-se lá!

Pois bem, não tarda este sonho vai tornar-se realidade, quando os Pout Paints da Sleek chegarem à Sephora, no começo de Abril. Já vos tinha mostrado a minha primeira criação, feita durante o focus group da marca, a cor de batom que baptizei de OrGuídea.

No total, chegarão às lojas onze cores de Pout Paint, já no começo de 2012.

Por ora, tive acesso a cinco cores. Da esquerda para a direita: Port, Peekablo, Pinkini, Pin Up e Milkshake. Mas quero as restantes e por isso vou a correr à Sephora assim que descobrir que lá estão todas!

Logicamente, as cores podem ser usadas sozinhas (bom, alguém arrisca o azul?). No entanto, o que tem piada é misturá-las e criar os nossos batons exclusivos. O produto tem boa durabilidade se o deixarmos em frasquinhos fechados, pelo que podem arriscar fazer uma série de cores ao mesmo tempo para usar no espaço de alguns meses (cuidado, muito cuidado com as alterações de textura, cheiro e cor. Já sabem que caso se verifique alguma destas características alteradas é sinónimo de ter de mandar tudo para o lixo, certo?). Sinto-me que nem uma criança a seguir ao Natal! Lembro-me que quando andava na escola primária havia um brinquedo (da Barbie?) que nos permitia justamente fabricar glosses de diversas cores.

Encontrar frasquinhos para estas experiências foi o mais complicado. Podia ter usado frascos vazios de amostras, mas queria algo transparente que desse para ver bem a mistura contida no interior. Procurei, procurei, até que há uns dias encontrei uma loja chinesa que vendia packs de doze frasquinhos por 1.10€. Pareceu-me muito bem!

Não é genial?