Categoria: Cultura

Facebook Kids

Ontem descobri que as minhas primas de dez anos têm perfis no Facebook. Os pais têm conhecimento, é certo, mas mesmo assim não deixa de ser medonho. Ambas têm fotografias. Uma delas nem sequer deixa adicionar amigos, o que me deixa um nadinha mais aliviada. A outra, tem o mural à mercê de quem passa, pois nem sequer controla a visibilidade do que escreve.

Bem sei que as coisas mudam e que quando eu tinha a idade delas mal havia Internet. Tive o meu primeiro blogue aos doze anos. Nessa altura, ninguém pensava em redes sociais. Havia os chats, o mIRC ainda tinha algum peso e era por lá que se conversava. Mas numa época em que quase ninguém tinha câmaras digitais e os telemóveis só serviam para telefonar e mandar mensagens, não havia essa preocupação. Até porque o mais provável era utilizar um nickname hoje, outro amanhã e por aí fora.

Sou sincera, criança minha não teria autorização para criar um perfil na Internet tão cedo.

Em primeiro lugar, os miúdos são novos de mais para andarem agarrados a computadores. Nem sequer falando na saúde deles, acho que é desde cedo que se aprendem os valores importantes da vida. Como é possível esperar que tenham força de vontade e que sejam seres amigáveis se têm a liberdade de alapar em frente ao monitor? Acho que aos dez anos socializar significa algo mais do que passear pelo Facebook. No meu tempo, saltava-se à corda, andava-se de bicicleta, brincava-se. Também se jogava no Gameboy e na Playstation, mas enjoávamos de tudo isso muito depressa. Hoje em dia, joga-se no Farmville, Cityville e outros villes. Na minha escolinha, teríamos gosto por ter uma horta num canteiro algures. Já estes miúdos, ficam contentes por ter uma horta virtual. Pergunto-me se sabem que o leite vem da vaca e que os morangos não vêm das árvores.

Depois, há a questão da segurança. Não me venham dizer que os pais controlam, porque não acredito que algum pai tenha controlo total sobre os seus filhos durante todos os minutos do dia. Não me enganem, todos passámos por lá, todos sabemos o que a casa gasta. E os azares acontecem, muitas vezes porque damos abébias.

Se há coisas em que acredito que quanto mais cedo lidarmos com elas, melhor, esta não é uma delas. Sabem, vejo muitos adultos que deviam ser proibidos de estar em redes sociais pelas atitudes que têm. Não se apercebem de que qualquer pessoa pode ver o que escrevem e por vezes dizem as maiores barbaridades. Sim, temos liberdade de expressão. Mas também é verdade que a nossa liberdade termina onde começa a dos outros, e muita gente não se apercebe dos limites. Se é este o exemplo que as pessoas grandes dão, como esperam que os mais novos tenham bom senso? Nem falo dos falsos perfis de adultos mal intencionados. Falo de pessoas relativamente influentes, que sabem que há malta miúda a vê-las e que ainda assim jogam muitos palavrões para o ar, a par de afirmações grotescas (como pessoa tal que há tempos afirmava que quando as jovens se vestem de forma “provocatória” merecem o assédio de que sofrem por vezes). É que, a meu ver, grande parte da nossa formação humana vem dos exemplos que tivemos. Por vezes, não conseguimos distinguir o exemplo bom do exemplo mau.

Chamem-me forreta, mas a isto eu faço “não gosto”.

Chatroulette[:en]Chatroulette

cr
Hipoteticamente, isto até poderia ser bem real (ou não!) 
Há algum tempo que ando para falar do Chatroulette, hoje é o dia. Para quem não conhece, o Cr é um chat fora do convencional: entramos no site e estamos automaticamente habilitados a conversar com quem nos aparece, literalmente, à frente. Isto porque o Cr requer que cada pessoa use uma webcam e, se possível for, um microfone. As pessoas que nos calham na rifa aparecem aleatoriamente, por isso… Estejam preparados para tudo e mais alguma coisa.
O Chatroulette é ideal para quem não tem mais nada que fazer (lógico), mas tenham cautela. A menos que vão em grupo, para a palhaçada, podem deparar-se com a árdua tarefa de encontrar alguém decente. Estou a ser sincera! Já esperava que aparecessem coisas… Estranhas. Por isso, nas raras vezes em que entro neste antro de palhaçada, prefiro ir descabelada e bem tapadinha. Isto por quê? Experimentem e verão. Em cinco minutos, vão ver mais pirilaus do que os peregrinos que vão afluir a Fátima nos próximos dias! E é next para cá, report para lá, mas a dada altura, com sorte, encontram alguém porreiro para conversar.

Eu falo por mim, já assisti a episódios engraçados! E a primeira pessoa com quem falei no Cr, um americano com ascendência coreana, até cantou para mim e tudo. Quanto mais pessoas houver para este tipo de brincadeiras, melhor!
Por isso, consigo responder. Se o Chatroulette é decadente? É, porque as pessoas o tornam assim. Por vezes, parece que entrámos num clube qualquer de coisas nasty, mas em modo virtual. O que não faz, de todo, o meu género.
Por outro lado, se tiverem um grupo de amigos sem nada para fazer, juntem-se e experimentem! Cantem, dancem, façam macacadas, toquem guitarradas, torna-se muito divertido e a pessoa do outro lado agradece.

[:en]

cr
Hipotetically, this could be real (not!)

I should have talked about Chatroulette before, but today is the day. If you haven’t heard of it before, Cr is an unusal chat: you get in the site and automatically log in and are able to talk to whoever appears on the screen. Literally, because Cr requires using a webcam and, eventually, a microphone. Each person appears randomly so… Be aware that everything can happen.

Chatroulette is great for those who don’t have anything better to do (duh!), but be careful. Unless you’re a group and are going for goofing, you may have a tough time searching for someone decent. I’m being honest! I was expecting strange things could happen. And that’s why everytime I log in this circus, I prefer to make my hair look messy and wear the ugliest wool sweaters ever. Why? Try it and you will see what I’m talking about. In five minutes, you’ll see more d*cks than catholics going to Fátima in the next few days! So, it’s next here, report there, but sometime, fortunately, you’ll find someone nice for a chat.
This is what I think, but I’ve also had some fun! The first person I talked to on Cr was an american guy who even sang for me! These kind of things is fun and there should be more people open for this!
So, I can answer. Is Chatroulette the decadence? Yes, but that’s only because people make it  be decadent. Sometimes, it feels like you just got in some nasty club, on virtual mode. Which is not cool for me, at all.

On the other hand, if you have a bored group of friends, join everybody and try it! Sing, dance, goof, play some music, you’ll have real fun and people on the other side will thank you.

Afinal, o Pássaro do Rabo Arco-íris Não Tem Rabo Arco-íris

Pasmem-se! Não só o bicho não tinha rabo de arco-íris como ainda por cima nem era um boneco animado. Chama-se Curro e foi a mascote da Expo 92, em Sevilha.

No fundo, no fundo, eu sabia que o passarinho não era fruto da minha imaginação. Eu lembro-me de o ter visto em montes de sítios!

Obrigada, Marta, não imaginas como foi importante esclareceres a dúvida! Sem ti, o Curro teria ficado eternamente com os aliens.

As Pequenas Palavras

De todas as palavras escolhi água
porque lágrima, chuva, porque mar
porque saliva, bátega, nascente
porque rio, porque sede, porque fonte.
De todas as palavras escolhi dar.

De todas as palavras escolhi flor
porque terra, papoila, cor, semente
porque rosa, recado, porque pele
porque pétala, pólen, porque vento.
De todas as palavras escolhi mel.

De todas as palavras escolhi voz
porque cantiga, riso, porque amor
porque partilha, boca, porque nós
porque segredo, água, mel e flor.

E porque poesia e porque adeus
de todas as palavras escohi dor.

Rosa Lobato de Faria

Até mais!

Rosa Lobato de Faria was a great portuguese writer and actress. She died today and I just had to do something honorable. For me, “As Pequenas Palavras” is her best poem, and that’s what I decided to post.

O que Fica de 2009

Parece que está no fim mais um ano, ano este que passou a correr, mais do que os anteriores. Tenho cá a impressão de que esta efemeridade é algo que se ganha com a idade: quanto mais velhos ficamos, mais depressa passa o tempo.

No entanto, acho que 2009 foi um ano cheio de coisas importantes, daqueles que não vou esquecer facilmente. E quando eu for “grande”, tiver filhotes e eles me perguntarem como foram as coisas no meu tempo, eu vou falar-lhes de 2009 porque…

It seems another year is over, and this one seemed to be so much shorter than the rest of the years I’ve lived. I think this feeling of time running faster is something we get through the aging process: time runs faster as we get older.

However, I think 2009 was a great year, full of important things I’ll never forget. And when I “grow up”, have children and they ask me how things were when I was younger, I’ll tell them about 2009 because…

 

Foto do Google

… Votei pela primeira vez, e descobri que afinal não é assim tão emocionante.

… I voted for the first time, and I figured out it’s not so fun as it seems.

… Entrei para a faculdade. Depois de muitas confusões, indecisões e desilusões, lá decidi o que queria para mim, com muita calma. E é com certeza que digo que quero ser enfermeira e que, apesar de todos os entraves e de todos os imprevistos com que nós estamos a apanhar na ESEL, gosto muito do meu curso.

… I went to the university. After lots of confusions, doubts and delusions, I finally decided what I want, with all the room I needed. And now I can say I want to be a nurse and, even with all the things we’re going through in my university, I like my course.

… Abri a minha conta no banco. E é tão bom saber que já não dependemos do porquinho (que no meu caso é uma galinha!) mealheiro… É mais um passo a caminho da liberdade!

… I opened my first bank account. Feeling that you no longer depend on your piggy (here it’s a hen!) bank is so good! Freedom seems to be closer!

… Apanhei o maior susto da minha vida, até agora, com o sismo do passado dia 17.

… I felt frightened for the rest of my life, or at least I hope I won’t feel anything worse, with the earthquake we had.

… Um dos meus blogues, este blogue, o blogue da Guida, ganhou terreno. Nunca esperei alcançar os 300 seguidores. Segundo as contas que fiz em Junho, até ao final do ano estimava cerca de 90000 visitas, se tanto. Já viram? Acabo com cerca de 95000 visitas. Obrigada a tod@s!

… One of my blogs, this blog, Guida’s blog, has got “famous”. I never thought I’d ever have 300 followers. I’ve been calculating how many visits I’d have until the end of 2009, in June, and I was hoping I could have 90000 visitors. See? I’m close to 95000 visits. Thank you all!

Foto encontrada através do Dainty Squid

… Aprendi a fazer tricô. É muito bom saber que se os senhores das lojas de roupa decidirem fechar, havemos de saber fazer as nossas roupinhas quentes.

… I learned to knit. It’s cool to know we’d survive making our own warm clothes if the clothing stores decided to close.

… O Obama ganhou o Nobel da Paz.

… Obama won The Nobel Peace Prize.

… Morreu o rei da Pop AKA Michael Jackson, e apesar de não ser o meu artista de eleição, não deixa de ser um dos preferidos. Para além disso, era das tais pessoas que imaginava vivas até aos 200 anos, nem que fosse tipo vegetal, ligado a uma máquina. Confesso que fiquei lelé por uns momentos.

… The king of Pop AKA Michael Jackson died. Though he wasn’t my favorite artist, he was still one of my favorites. He was one of those people I could imagine alive until 200, even it it was like a vegetable, depending on machines. I felt dumb, dizzy for a while.

Adicionar imagem
E tenho a certeza que eles vão ter muita, muita invejazinha por não ter vivido no mesmo tempo que eu.

Feliz 2010 para tod@s vós!

And I’m sure they’ll be so, but so jealous of me because they haven’t lived the same things as I.

Happy 2010 to you all!

* What Remains From 2009

Sugestão de Domingo: Estrela Pinta

Sei que já venho em cima da hora, e muit@s de vocês já devem conhecer e frequentar o evento.

Ao terceiro domingo de cada mês, o Jardim da Estrela enche-se de artistas de variadas áreas (pintura, escultura, desenho e por aí fora) que expõem os seus trabalhos a toda a gente que por lá passa, das 9h às 18h. Qualquer pessoa é convidada a visitar a exposição (a entrada é livre) ou a mostrar aos outros a sua arte (informem-se e inscrevam-se por este email).

Este domingo, dia vinte de Setembro, é especial. É que o meu primo Diogo vai lá estar a mostrar todas as coisas lindas que faz! Se não têm nada que fazer, passem por lá e digam-me se tenho ou não razão. Espreitem a galeria dele no Deviant Art aqui (é uma pequena amostra do que podem encontrar no Estrela Pinta!).

FIA 2009 e sandálias malditas

Tal como em anos anteriores, hoje fui à Feira Internacional do Artesanato.

A FIA está na FIL até dia 5 de Julho.

Este ano foi um bocado feio para a FIA, que já foi fantástica em anos anteriores. No ano passado já se notou um decréscimo na quantidade de stands e na presença dos verdadeiros artesãos, mas este ano foi drástico.

Fiquei triste, não vi alguns dos artesãos do costume nem a banca enorme da Acrilex. Pareceu-me que não há tantos workshops este ano e, surpresa!, este ano a banca gigante das missangas brasileira desapareceu.

Por outro lado, apostou-se numa coisa gira, quiosques maiores que representavam uma série de países diferentes. Só foi uma pena que não tivessem muita coisa. Ainda poisei no quiosque do Japão a perguntar se tinham papel de origami e acabei por lá ficar a conversar e a aprender a fazer coelhinhos!

Agora sou assessora da Oriflame (mesmo que seja para consumo próprio, compensa!).

Quanto a tasquinhas, não tivemos tempo de as apreciar *pena três mil vezes seguidas*.

No final da brincadeira vim de lá com dois pares de brincos novos e pouco mais do que isso, mas amanhã a gente conversa melhor, até porque tenho montes de coisas para vos mostrar, e agora tenho que ir tratar dos meus pezinhos amassados.

No melhor pano cai a nódoa, e eu que vos digo mil e uma coisas sobre sapatos e caminhadas e essas coisas, decidi ir para a FIL de sandálias novas, com quase 10cm de tacão. Right, é tacão, mas são novas! Não tenho bolhas nem feridas, mas tenho os pés tão cansaditos… Repitam comigo, muito alto: não se levam sapatos novos calçados quando temos que andar muito.

O que é que posso fazer agora? Meter os pés de molho em muita água, massajar muito, secar sem grande violência e aplicar um creme qualquer de alfazema ou mentol. Ah, e nada de grandes aventuras com sapatos amanhã: é o mais aberto e confortável possível (vai ser mesmo havaianas porque não vou a lado nenhum importante nem preciso de formalidades).

Não se esqueçam que faltam menos de duas horas para terminar o sorteio!