Categoria: Cozinha

Lição #5

Se querem que uma pessoa coma aquilo que (aparentemente) não gosta, não subestimem o poder do aspecto dos alimentos.

A sério! E graças ao bom aspecto de algumas comidas cá de casa, aos programas, sites e livros de culinária, consegui comer montanhas de coisas que jurava a pés juntos que nunca iria comer, coisas horreeendas tipo queijo derretido, por exemplo, e que afinal sabem bem. No prato certo, porém!

Há uns dias, descobri que afinal gosto de alho francês. Há testemunhas! Estava tão lindo, às rodelinhas,  verdinho, na vitrine da casa das massas. Mesmo a pedir para cair no prato. Pedi-o, sem hesitar. Não me arrependi.

Circular É Viver

Circular é viver – já se tem ouvido dizer e é bem verdade com tudo nesta vida. Até com a nossa barriga!

Sim, hoje a Guida vai falar de trânsito intestinal e obstipação (prisão de ventre!), porque esta malvada é um problema que afecta muito boa gente no dia-a-dia. Estima-se que 70% da população dos países desenvolvidos sofra de obstipação, e atribui-se a culpa desta triste estatística ao estilo de vida que muitos de nós levamos.

Sedentarismo, má alimentação (rica em alimentos refinados e pobres em fibra), desidratação, e adiamento da evacuação são alguns dos factores culpados da obstipação, e apesar de as pessoas não darem importância ao assunto porque “são presas e já é de família” e não procurarem reverter a situação, a longo prazo este drama pode ter repercussões graves. Oh yeaaah, sabiam que fecalomas (vulgo “cag@lhã0” seco – desculpem, há outro termo mais conciso para isto?) podem levar-vos à sala de operações? Pois, nem falo mais nisso. O melhor é mesmo investir para que a obstipação não aterrorize mais o pessoal.

Mas, Guida, que se pode fazer?

  • Em primeiro lugar, reeducar. A base para um bom funcionamento intestinal depende de nós, mas quem nos educou? E quem irá educar as crianças para que tenham, desde cedo, hábitos que não fomentem a obstipação.
  • Começa tudo no nosso prato. A ingestão de vegetais e alimentos ricos em fibras estimula o bom funcionamento intestinal. Há frutas que são verdadeiras amigas da barriga! Gosta de kiwis e ameixas? São doces e super ricos em fibra, um por dia (a bem dizer deveriam ser entre 3 e 5 peças de fruta por dia!)…  Não sabem o bem que vos fazia! Para @s mais niquent@s, agora até há dois “suminhos” espectaculares da Compal que a Guida aprova: Compal Essencial, em kiwi ou em ameixa. São práticos, não têm peles nem caroços, não sujam e vão na mala sem grandes festivais. Vão ver a diferença que faz! É que sem fibras, não há intestino que aguente e intestino parado significa barriga inchada. Ninguém quer nem ninguém merece, não é?
  • Ainda nos nossos pratos, os cereais são dos nossos melhores amigos. Para a barriga, para a pele, para tudo. Ouviram falar dos benefícios de flocos de aveia, trigo, ou mesmo farelo? Nada como experimentar, nem que seja misturado num bom iogurte! Por aqui é petisco.
  • Mudar a comida que temos no prato não chega! De que vale ter toda a fibra e alimentos benéficos do mundo se estamos desidratad@s? A falta de água faz com que as fezes sejam mais rijas e compactas, o que significa que a sua passagem pelos intestinos é mais difícil. Assim, nunca é de mais lembrar que o ideal é beber cerca de 2l de água por dia. Também neste ponto, já devem ter ouvido falar de águas milagrosas com fibra e que estimulam o bom funcionamento intestinal. Destas, destaco a Serra da Estrela Spa – Regula +. Confesso que nunca dei grande trela a estas águas inovadoras, e saiu-me do bolso a experiência. Comparando com outras duas do género, esta foi a que mais gostei, é agradável de beber e notei realmente alguma diferença com o pack. Dizem eles que é tudo graças ao poder do freixo e da flor de sabugueiro!
  • Mesmo com todos os esforços no que concerne à alimentação, não devemos desprezar o movimento! Exercício físico é muito importante, e no mínimo meia hora de caminhada por dia deveria fazer parte das rotinas das pessoas. Movimentarmo-nos estimula o funcionamento do intestino!
  • Por fim, algo que pode parecer absurdo: estabeleçam rotinas. Sim, a Guida está a falar da ida à casa-de-banho. É muito importante para o nosso organismo que algumas coisas sejam sempre feitas à mesma hora, uma delas é evacuar. Todavia, se chegar a vontadinha, não se reprimam! É ir a correr, antes que a vontade fuja.

Com estas alteraçõezinhas simples, vão ver que não há obstipação que resista!

Bolo de Maçã, Noz e Canela

DSCN2541
A Guida sabe que vocês têm muitas saudades de receitas boas, e ainda por cima ouviram uns zunzuns sobre um bolo no sábado. Não podia ser nada muito complexo, porque o tempo escasseava. Ainda por cima, tinha de ser algo facilmente transportável na mochila, num dia chuvoso. A Guida-mãe sabe sempre o que fazer e tem sempre as receitas ideais. Aliás, leu-me o pensamento: um bolo de maçã, noz e canela era a melhor opção possível. É um dos meus bolos preferidos, toda a gente gosta, é leve, fácil de fazer (compatível com esta Guida, a Guida-filha!) e não precisa de grandes artifícios. Então cá vai:
Ingredientes
  • 2 Maçãs Granny Smith
  • 2 Canecas de farinha
  • 2 Canecas de açúcar
  • 1 Caneca de óleo
  • 5 Ovos
  • 2 Colheres de sobremesa de canela
  • 1 Colher de sobremesa de fermento
  • Nozes a gosto

Como Fazer

  1. Descasque as maçãs e corte-as em fatias suuuper fininhas (para não irem ao fundo na cozedura!).
  2. Num recipiente, misture os ovos, a farinha, o açúcar, o óleo, o fermento e a canela. No final, misture também as maçãs fatiadas e as nozes partidinhas em pedacinhos.
  3. Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha. Deite a massa do bolo na forma e leve ao forno. Vá verificando a cozedura com um palito. Retire o bolo do forno quando já não saírem resíduos agarrados ao palito.
  4. Desenforme e desfrute!
  5. Sugestão: na hora de servir, polvilhe com açúcar em pó e enfeite com uma nozinha de chantilly e uma folhinha de hortelã (esta pessoa chata só se apercebeu que não havia chantilly nem hortelã depois de ter polvilhado a fatia do bolo, não tenham complexos com a foto…).

Este bolo é super amigo de quem não tem grande jeito na cozinha, nem paciência. Mesmo que a foto não seja apelativa, creio que o meu bolo ficou bom! É perguntar às meninas do encontrinho de sábado.

Espero que gostem da receita!

Beijinhos

A Guida sabe que vocês já estavam com saudades de comida fácil e podre de calórica. Por isso, hoje há beijinhos para toda a gente, que é doce e fresco a condizer com o Verão. Alguém me ensina uma receita mais fácil? Martinha, hoje o post é para ti porque bem sei que ficaste a chorar por mais depois do evento VIP d’O Boticário!
beijinho
Ingredientes
  • 1 Lata pequena (400ml) de leite condensado
  • 300g de Coco Ralado

Como Fazer

Olha que complicado! Deitem tudo numa saladeira ou algo do género, mexam bem com a colher de pau e depois façam bolinhas com as mãos (previamente untadas com manteiga, que assim é mais fácil!) e disponham-nas num prato, separadas umas das outras. Levem ao frigorífico por uma hora ou duas e aí têm delírio certo para algum tempo e algumas pessoas.

Por hoje é isto. Sabem aqueles jantares de última hora que aparecem? Levam menos de meia hora a preparar tudo e o tempo que os beijinhos ficam no frigorífico não é mais do que o tempo que vão levar a jantar. Tenho toda a certeza que toda a gente vai ficar satisfeita com a sobremesa, até os menos gulosos.

A Guida Escolhe #5

DSC_0057-b
1. Mylanqolia’s Make Up Massacre. Se há blogue que me motiva em relação à maquilhagem, é o da Massu. Usa sempre recursos acessíveis a toda a gente (sim, é tudo de marcas super baratas!), mostra que a criatividade não tem limites. Looks para o dia-a-dia, temáticas para festas… Vá, vão espreitar que ficam deliciadas!

2. Compal Goiaba. Vão por mim, costumo detestar suminhos de pacote porque são super doces e essas coisas todas, este é bastante suportável e é delicioso. É goiaba e basta!

3. Pois, Café. Pois, nunca falei dele, devia ter vergonha. Fica por trás da Sé em Alfama, e para além de outras coisas bastante gostosas, faz um bolo de chocolate austríaco que é um miminho! Para além disso, o espaço é super acolhedor, dá vontade de passar lá a tarde toda. A conta? Pois, essa já não é tão bonita, mas é suportável.

4. Urban Decay Primer Potion. Para eu estar a falar de um produto relativamente caro e que nem sequer existe à venda em Portugal, é porque é mesmo bom. Confesso que levei algum tempo a render-me aos seus encantos, mas face à falta de algo prático e eficaz, com boa textura, resolvi dar uma oportunidade à poção de que todas falam – isto porque a carteira, o Ebay e o €uro (milagre!) o permitiram. Sabem que mais? Saiu melhor do que a encomenda. Cena do espaço, loucura num frasquinho! Isto faz render as sombras dos olhos que é uma maravilha, melhor ainda do que o mixing medium caseiro. Se puderem, experimentem.

5. Apocalyptica. Hell yeah! Outro motivo de vergonha, nunca ter falado da minha banda preferida. Por quê hoje? Porque eles vêm cá à Aula Magna no dia 13 de Outubro! E eu vou lá estar, de certezinha. Se não os conhecem, façam o favor de ouvir qualquer coisinha e ver vídeos no Youtube. São aquilo a que se chama uma banda versátil, porque vão do Metal à Clássica com violoncelos, e por vezes até contam com algumas colaborações bastante interessantes. Eles são lindos!

A Semana Começa Bem com… #2

… A Burda Style em português. Muitas de vós provavelmente já sabiam, mas eu só descobri este fim-de-semana. Parece-me que terminam aqui as sessões de leitura com o dicionário de francês ao lado. Mesmo que não entendam patavina de costura (ah, eu juro que gostava de entender mas também não  percebo grande coisa!), leiam porque tem óptimas ideias, super simples, e muito mais de tendências do que muitas revistas de moda que por aí andam, recheadas de publicidade e quase sem conteúdo. São fãs? Mostrem-no no Facebook. Alguém me oferece uma assinatura anual? Vá lá!
… A abertura da IKEA Loures na próxima terça-feira, dia 25 de Maio. Gostava de dar lá um saltinho. Para quem não sabe como ir lá ter, A8 saída Frielas, Loures, por aí. Vai ser a loucura às prestações!
… O regresso do Calipo de Coca-cola e  Fizz de Limão. Não que me agradem, mas havia muita gente a queixar-se porque o Rol regressou e o Fizz ficou para trás. Edição limitada? Hum, não me cheira.

… A promoção da semana da MakeupPt. Body Splash (óptimos, tenho de falar do meu!), Gel-duche e Loção Corporal por 30€ o conjunto.

… Ainda na MakeupPt, e para terminar, a partir de agora é possível encontrar produtos da marca Mary Kay. Juro que morro de curiosidade, e sei que não sou a única. Vamos todas experimentar?

Síndrome do Restaurante Chinês

Sim, isto existe. Infelizmente existe, para mal dos pecados de muita gente que gosta de comida oriental, pré-cozinhada, caldinhos e afins. Ouvi falar disto hoje e é claro que fiquei curiosa e, chegando a casa, tive de pesquisar.

Que síndrome é esta?

Bem, está associada ao mal-estar após a ingestão de determinados alimentos, nomeadamente em restaurantes chineses, e é frequentemente confundida com intoxicações alimentares. A culpa é do glutamato monossódico, ao qual muitas pessoas são hipersensíveis e perante o consumo de alimentos onde este está presente manifestam sintomas como dor de cabeça, rubor facial, formigueiro, rigidez na parte posterior do pescoço, dores no peito, náuseas e vómitos. É claro que tudo isto varia de pessoa para pessoa, bem como a quantidade desta substância necessária para provocar todo este incómodo.

Dor de cabeça, dizem eles. Náuseas, vómitos, e por aí. Dor de cabeça. Soa-me familiar…

E onde anda o tal glutamato monossódico?

No molho de soja, nos caldos que usamos para dar sabor aos nossos cozinhados, nalgumas refeições pré-cozinhadas

Isto explica muita coisa. E explica que muitas crises de enxaqueca aqui da menina poderiam ter sido evitadas. Ela é bifinhos com molho de natas e shoyu, ela é Wok e afins (olá, massas com pós estranhos, olá ramen!), ela é… É parva! Mas depois a culpa das dores de cabeça era atribuída ao cansaço. Faz sentido.
Pelos vistos, não é assim tão incomum e aposto que se o pessoal andasse informado, havia mais gente a levantar a mãozinha para além da S.

E vocês? Já deram por anomalias do género?

S., estou de olhos em bico contigo neste problema!

Ei, Nada de Exageros!

Ontem falei da comida que não gosto, e hoje vejo-me obrigada a listar aquilo de que gosto. Porque nem tudo o que parece é, porque nem sempre comemos o que gostamos, e porque às vezes até gostamos de comer aquilo de que não gostamos.

Gosto de batata, brócolos, beterraba, beringela, banana, bife e tudo o que seja à bolonhesa.  E à carbonara também. Gosto de alface, feijão verde, espinafres e agrião. Rábanos, cenoura e pepino (ei, suas mentes porcas!) também dão uma boa salada, e por que não gostar de couve? Flor, coração, frisada, roxa. E de abóbora, chuchu e curgete?

Gosto de bacalhau, salmão e atum, mas é só porque não me sabem a peixe. Vá, também gosto de jaquinzinhos, pescada e dourada, gosto de tudo o que tiver poucas espinhas. Também como algas e outras coisas estranhas, arroz e muita massa. Cogumelos franceses, shitake, porcini e trufa. E que tal uma bela sopa? Desde que não tenha tomate ou peixe, marcha. Juro que vivia a sopa!

Natas, iogurte, leite, a sério ou a fingir, porque também gosto de soja. Gosto de lentilhas, feijão, grão, sementes. Gosto de flocos. Gosto de chá, café e laranjada – sem açúcar, que até faz bem! Fruta quero-a bem madura e farinhenta, docinha. Já os doces, bem, desde que sejam pouco doces. Excepção aberta às natas, ao chocolate e aos ovos moles, que bem podem ser altos promotores de diabetes, mas eu quero lá saber. Também não os como com frequência. Gosto de pudins.

Gosto de cozido, feijoada e favas. Rancho também marcha. Gosto de chouriço, presunto, gosto de pipis, gosto de torresmos – mas só dos soltos!

Adoro pão. Adoro empadas. Adoro panados. De peru, frango e porco. Adoro papas e compotas. E manteiga de amendoim. Aliás, adoro amendoins, e se for paçoca ou paracuca, faço a festa. Avelãs, nozes e pinhões, vejam só que bom! E amêndoas também.

E agora, quem é esquisito?

Isto Até Podia Dar um Bom Petisco

Podia, se eu não fosse niquenta. “Por que é que não varias nos menus e nas receitas?”, pergunta o povo, e aqui têm a resposta:

Não gosto de coisas do mar. Não gosto de peixe, nem de marisco, nem de lulinhas, polvos e afins. Nem que sejam douradinhos ou calamares! Ainda na água, não gosto de angulas, nem de enguias, nem de moreias. Nem de lampreias. Nem sequer das de ovos. Isto porque não gosto de ovos aos fios, nem às folhinhas, não gosto de certos doces de ovos. Como poderia ser, se nem sequer gosto de ovo estrelado, cozido, ou escalfado? Gemada? Tirem-ma da frente, porque é ver-me abrir a boca e deitar tudo cá para fora, como dizia o boneco da operadora telefónica.

Também não sou grande fã de galináceos, porque não me sabem a grande coisa e tirar-lhes os ossos não é tarefa que me agrade. Descansem, porque nunca darei prejuízo a ninguém com faisão, pintada, codornizes, perdizes e outros condizes, nem sequer alheiras e morcelas, e muito menos maranhos, tripas e mioleiras. Por falar nisso, gostam de uma boa açorda? Eu não.

Não sou ovelha para pastar, nem de todo ruminante, por isso não sou fã de grandes saladas nem de purés de legumes. Esparregado? Que nojo! Detesto tomate, detesto pimento, e se já estão a pensar em piza, esqueçam porque gosto ainda menos de queijo. Também não gosto de pickles, por isso não como em casas de hambúrgueres porque tudo tem molhos nauseabundos e outras substâncias estranhas entre o dito bocado de carne picada e o pão de plástico insuflável.

Doces? Ui, olha outros. Não ponho açúcar em nada, detesto baunilha, caramelo e outras coisas da mesma família. Passemos à fruta, senão nunca mais terminamos isto. Podem ficar com os dióspiros, os frutos secos, as maçãs verdes, o ananás e o abacaxi, a romã e mais uma cambada de frutas estranhas ao meu paladar.

Já estive bem pior, mas a velha música do come-a-papa-Joana-come-a-papa continua a ser válida por aqui.