Categoria: Cozinha

Passatempo – Mimosa Bem Essencial Sabores

leite mimosa bem essencial passatempo sorteio

Ontem falei-vos do leite e da sua importância na constituição dos lanches da manhã e da tarde, hoje tenho uma ajudinha para vos dar em parceria com a Mimosa.

Para começar o ano escolar em beleza, temos um passatempo saboroso.

Temos para oferecer um kit Mimosa Bem Essencial Sabores, composto por:

  • 8 Embalagens de Mimosa Bem Essencial sabor a chocolate
  • 8 Embalagens de Mimosa Bem Essencial sabor a morango
  • 1 Lancheira (como a da imagem do post de ontem)
  • 1 Estojo

Vale a pena relembrar que estes pacotinhos de leite, cuja embalagem acaba de ser renovada, têm menos 40% de açúcar adicionado que o habitual. Os de morango têm, também, mais polpa de fruta, e os de chocolate têm menos cacau. Assim, não há mesmo desculpas para não beber leite ao lanche!

É muito simples participar:

  • Têm de fazer like na página do blog no Facebook e na conta do Instagram;
  • Têm de gostar da página da Mimosa no Facebook e Instagram;
  • Podem ganhar entradas opcionais, vejam quais são no formulário 🙂 ;
  • O passatempo é válido em Portugal, até ao dia 18 de Setembro de 2017;
  • @ vencedor@ será escolhid@ aleatoriamente;
  • Concordam com tudo? Preencham o formulário abaixo!
Resta-me desejar-vos boa sorte e não se esqueçam: leite é bom e faz bem! Espero que gostem dos vossos #LanchinhosMimosa 🙂

Leitinhos ao lanche

leite mimosa vaca crianças

Tenho a certeza que todos queremos dar o melhor aos nossos filhos.

Queremos que desenvolvam estilos de vida saudáveis, que tenham boa vitalidade e que cresçam bem de forma a serem adultos saudáveis no futuro.

Um dos pontos cruciais na formação e desenvolvimento do nosso organismo é a alimentação.

Um regime alimentar saudável é composto por alimentos diversificados e equilibrados. Para além disso, as refeições principais são importantes, mas o pequeno-almoço e os lanches não devem ser negligenciados.

O tempo é precioso nos dias que correm mas nem por isso há que comprometer a qualidade dos lanchinhos que providenciamos aos nossos filhos. Em menos de cinco minutos, acredito que todos conseguimos preparar lanches saudáveis para que possam levar nas suas lancheiras no dia-a-dia.

Devem ser compostos por leite, fruta e sandes de queijo e/ou fiambre.

O leite é uma fonte rica em cálcio e vitamina D, que ajudam a formar ossos, dentes e músculos fortes. Contém, também, boa parte das proteínas, hidratos de carbono  e outros nutrientes necessários para o correcto e normal desenvolvimento dos nossos filhos pequenos.

Nem sempre é fácil fazer com que os petizes bebam leite simples, e hoje em dia já existem opções muito boas de leitinhos com sabores.

A Mimosa tem os leites Bem Essencial Sabores – de chocolate, morango e cereais, com menos 40% de açúcar adicionado que o habitual, com menos cacau e mais polpa de fruta (no caso do de morango). Assim, agrada-se aos pequenos sem comprometer a sua alimentação.

Precisam de ideias? É só espreitar as sugestões de lanches da Mimosa.

Less by Miguel Castro e Silva

less-restaurante

Tenho de vos falar do primeiro Zomato Gold meetup em Lisboa.

Se houve surpresas boas ultimamente, esta foi uma delas. Enquanto a bebé era muito pequenina e os tempos eram de grande contenção, praticamente deixámos de fazer algo que adoramos: jantar fora.

Ainda não estamos à vontadinha, mas estamos a retomar a normalidade e já nos podemos dar ao luxo de comer fora de vez em quando. Assim que ouvi falar do Zomato Gold, subscrevi logo – assim, sempre poupamos nas nossas saídas. Esta parte vocês já sabiam.

restaurante lisboa

Relembro, se colocarem o código “AGUIDA” no checkout, têm 25% de desconto na subscrição.

O plano de 3 meses está a 10€, menos de metade do que quando subscrevi!

Não esperava receber nada em troca, pelo que fiquei feliz por ser convidada para o primeiro jantar entre subscritores Gold. Infelizmente, coincidiu com um turno do maridão. Foi da maneira que aproveitei para pôr a conversa em dia com o meu primo preferido, que não via há séculos.

less restaurante
A minha companhia: o meu primo Diogo, que vale por irmão!

O jantar decorreu no restaurante Less by Miguel Castro e Silva (Príncipe Real), um espaço lindo dentro do edifício da Embaixada. Apesar de a sala ser aberta, o espaço onde decorrem as refeições está bem delimitado e o ambiente é muito acolhedor e romântico – fica a dica para os casalinhos!

Habitualmente, há uma carta. Nesta noite, fomos presenteados com um menu especial, onde constavam alguns pratos que nunca haviam sido servidos ao público. O grupo escolhido para esta aventura não poderia ser melhor!

restaurante lisboa
Começámos por descontrair com um gin lover sour e uma couvert de pão, tostas e manteiguinhas especiais.

zomato meetup

Fiquei agradavelmente impressionada quando vi o que nos seria servido. Hoje em dia, é muito habitual encontrarmos menus impossíveis de decifrar, tanto na carta como no prato. Aqui, e de acordo com o lema less is more, apesar de haver um certo factor surpresa, dava para ter uma boa ideia do que se avizinhava. Gosto muito pouco de surpresas com a comida, pelo que gostei muito do conceito. O que nos foi servido:

 atum

  • Tártaro de atum com cebolete – Não sou a maior fã de peixe, nem de tártaros, nem sequer de cebolete! Ainda assim, consegui comer este prato e… Gostei! É incrível a capacidade que o atum tem de absorver bons molhos e ficar delicioso.

zomato gold

  • Brandade de bacalhau com compota de tomate seco – Estava muito bom! Mais uma vez, não sou fã de peixe e ainda menos de comida tipo empadão, mas este prato estava delicioso. Crosta crocante, contraste de sabor, humidade certa… Gostei. Gostei muito!

zomato gold

  • Ravioli de abóbora assada com amêndoa – A foto não faz, de todo, justiça ao prato. Consta da carta habitual e percebe-se porquê. Porque é o quê, é o quê? Delicioso. Por mim, funcionaria muito bem como sobremesa tal é o doce da abóbora. Adorei o contraste entre doce e salgado e os mooontes de parmesão às lascas por cima.

foodie

  •  Risotto de trompetas com vitela crocante – Este foi o meu prato favorito do jantar. Este risotto foi dos melhores que já comi, estava divino! A carne, por outro lado, estava um pouco seca, cozinhada de mais. O risotto compensa e creio que futuramente a carne será apresentada de outra forma, já que este prato foi uma nova experiência do chef Miguel.

zomato

  • Crumble de pêra com zabaglione de Disaronno – Houve uma pequena alteração ao que constava da nossa ementa e parece-me que saímos beneficiados. Também estava delicioso e foi o remate perfeito para este jantar.

Todos os pratos foram acompanhados por vinhos de produção do chef Miguel, que esteve presente e comunicou com o grupo. O atendimento é rápido e muito simpático, no geral. Há uma grande atenção aos detalhes.

Este é um espaço onde quero regressar e que recomendo muito. Só há que ter atenção a um pormenor: convém fazer reserva previamente, já que o restaurante costuma estar cheio.

Less by Miguel Castro e Silva Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Zomato Gold

zomato gold

Depois de ter falado da minha visita ao Dote para comer umas belas francesinhas e de ter mencionado o Zomato Gold, foram várias as pessoas que me perguntaram no que é que consistia e se valia a pena subscrever o serviço.

Fui tentando responder a todos, mas ter estas informações aqui condensadas pode ser útil para mais gente e o melhor é que tenho um código de 25% de desconto na subscrição, para quem quiser/precisar!

Ora, o serviço Gold do Zomato consiste numa funcionalidade especial que vos concede coma 2 pague 1 (em dois menus, um é-vos oferecido) numa rede de mais de 300 restaurantes e bares em Lisboa e arredores. Obviamente, não são tooodos os restaurantes de Lisboa mas é um bom leque e garanto que há espaços daqueles que visitamos, voltamos a visitar e vamos querer sempre regressar.

Com base nisto, assim que apareceu, eu própria aproveitei um desconto de lançamento e fiz uma subscrição de 3 meses para experimentar e posso dizer-vos que em duas visitas já compensa o investimento. Consoante o plano que subscrevem, têm direito a mais ou menos visitas a cada estabelecimento (eu, por exemplo, no plano base de 3 meses, tenho direito a 2 visitas/restaurante).

Código: AGUIDA – 25% de desconto

Se têm o hábito de comer fora pelo menos 1 ou 2 vezes por mês (em Lisboa), eu diria que é algo que vale muito a pena. Se quiserem fazê-lo e utilizarem o código AGUIDA no checkout, têm direito a 25% na vossa subscrição. É um miminho que eu não tive, por isso toca a aproveitar!

Francesinhas no Dote

Era o aniversário do Luís e decidimos que iríamos almoçar fora.

Tinha de ser algo especial, algo de que gostasse mesmo muito, mas não nos apetecia ir muito longe. Não é só no meio de Lisboa que existem bons restaurantes e mesmo dentro do leque dos que detêm várias casas com o mesmo nome, a expansão para as nossas bandas tem acontecido e sempre dá para visitar os sítios badalados de que falam todos os nossos amigos sem nos metermos no meio do trânsito.

francesinha
Claro que a minha é sem ovo!

Ficou decidido, após pesquisa no Zomato, que o almoço seria no Dote (Colinas do Cruzeiro, Odivelas). Inicialmente, não tínhamos a certeza se iríamos ao Dote ou ao Marco, mas optámos pelo primeiro tendo em conta a opinião da Telma e do Pedro. Uma das primeiras coisas que descobrimos assim que chegámos foi que a nossa indecisão era desnecessária, já que ambas as casas pertencem à mesma entidade e servem os mesmíssimos pratos. Assim, faz sentido que se situem frente a frente!

Devo dizer que, apesar de não ser perita em francesinhas, tenho um paladar exigente e sei analisar quando o prato é bom ou não. Parti para esta experiência com outras duas ou três para servir de comparação. Bom, não é o mesmo que a francesinha em forno de lenha, tradicional, mesmo no Porto. Mas olhem que não é nada, nada má!

Pedimos ambos a opção mais simples, tradicional, sem inovações, que dá pelo nome de Top. A minha tem a particularidade da ausência de ovo estrelado, já que é algo de que não gosto. Estava deliciosa, com boa batatinha frita caseira e temi não conseguir comer tudo, mas lá fiz o enorme sacrifício de não deixar restos no prato (há sempre espaço para boa comida!). O molho estava presente em abundância e deixaram-nos à vontade para pedir mais, caso desejássemos. E a comilança ficou por aqui? Não!

cheesecake

Quando ouvimos falar em sobremesa, o empregado que nos atendeu teve o desplante de mencionar um cheesecake de frutos vermelhos. Que golpe baixo! Escusado será dizer que eu, que dizia estar para lá de cheia e que não iria conseguir comer mais nada, pedi uma fatia para mim. Já ouviram falar naquele estômago extra para guloseimas? Pois.

Claro que nem só de comida se faz um restaurante, pelo que tenho de destacar também a simpatia extrema e a amabilidade dos funcionários. Deixaram-nos à vontade e foram muito queridos com a Teresa – aliás, nada temam se quiserem levar as vossas crianças, porque as instalações estão preparadas para elas. Os preços são acessíveis e o melhor é que este é um dos parceiros do Zomato Gold (é um serviço que podemos subscrever e que nos concede 2 por 1 em 300 restaurantes de Lisboa).

Só falta dizer que talvez seja aconselhável fazerem reserva, porque consta que o espaço enche muito rapidamente. No nosso caso, apanhámos um momento de calmaria, já que fomos quase fora de horas num dia de semana.

Se gostam de francesinhas, recomendo muito o Dote!

Dote Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

O meu bolo de aniversário

bolo de aniversário

Fiz 27 anos no dia 16 de Fevereiro.

Não fiz um grande alarido porque já começam a ser muitos anos e, tendo em conta o que aconteceu na minha vida ao longo do último ano e picos, decidi que iria querer alguma paz nesta data. Não que fosse de grandes festejos antigamente, mas aproveitava o aniversário para convocar um jantar entre amigos e chegávamos a ser perto de 40 pessoas à mesa. Actualmente, gosto de ter por perto a família mais próxima e mesmo assim já somos muitos.

Não é por ter decidido manter os festejos mais simples que iria abdicar de um bolo à altura, e este ano decidi que seria eu a fazê-lo. Sabia o que queria comer e, salvo algumas excepções, tenho descoberto que se queremos algo bem feito, à nossa maneira, temos de ser nós a fazê-lo.

bolo de aniversário
O meu bolo, acabadinho de fazer. Já com os coraçõezinhos (Vahiné, comprei no supermercado), ainda sem as framboesas e restantes enfeites.

Não me meti a inventar: peguei na receita do bolo que eu e a Catarina fizemos na Academia Vaqueiro em Maio de 2014, que é muito simples, e adaptei-a ao meu gosto. Eis o que vão necessitar:

  • Para o bolo:
    • 30g de chocolate em pó (diluídos num pouquinho de água quente)
    • 6 ovos (claras em castelo + gemas)
    • 250g de açúcar amarelo
    • 125g de margarina derretida
    • 200g de farinha para bolos
    • 70g de farinha Maizena
    • 70g de fermento em pó
    • 50g de açúcar baunilhado
    • 200g de mix de frutos vermelhos
  • Para a cobertura/recheio
    • 200g de cream cheese
    • 4 colheres de sopa de açúcar amarelo
    • 200ml de natas frescas (para bater)
    • 1 limão (raspas + sumo)

E faz-se assim:

Pre-aqueçam o forno a 180ºC. Bater as claras em castelo, juntar o açúcar baunilhado e reservar no frigorífico. Bater as gemas com o açúcar, juntar a margarina. Numa tigela à parte, juntar a farinha, a Maizena e o fermento. Juntar as farinhas à mistura e adicionar as claras. Untar e enfarinhar 3 formas redondas. Dividir a massa em três partes: 1 simples; 1 com mix de frutos vermelhos; 1 com o chocolate dissolvido. Levar ao forno, desenformar e deixar arrefecer totalmente.

Bater o queijo creme e o açúcar. Noutra taça, bater as natas bem firmes, juntar a raspa e o sumo de limão. Envolver tudo e levar ao frigorífico.

Montar o bolo juntando o recheio entre camadas e, no fim, a cobertura. Decorar com framboesas.


Há que dizer que dupliquei o recheio/cobertura, porque sou gulosa por este tipo de ingredientes e quis certificar-me que o bolo não ficava apenas com um gostinho da “molhanga” mas sim bem atestado e a transbordar! Saiu muito bem e os meus convidados (e eu, claro, que a opinião mais importante é sempre a do aniversariante) adoraram.

Estou ou não uma menina muito prendada?

bolo de aniversário

Bolachas para toda a família

Do bebé de 6 meses até ao velhote da família. A sério.

Sou mãe de uma menina muito boa de boca. Amamentei em livre demanda e de forma exclusiva até aos 4 meses da Teresa. Depois disso, tive pena da piquena, que tinha os seus ataques quando nos via comer e não lhe dávamos nada. Introduzi, então, sem grandes regras quanto a horários e quantidades, a sopa e a fruta. Foi um sucesso! Comeu muitos vegetais diferentes e só não achou grande piada às nabiças. A esta altura do campeonato já fez a introdução de alguns cereais e da carne.

Estou a transitar das sopinhas e purés (a Teresa ainda mama quando lhe apetece e não me parece que vá mudar em breve) para uma espécie de baby led weaning (BLW). Mais tarde, falarei melhor disto, mas o BLW consiste, por alto, em dar autonomia ao bebé para que coma o que lhe apetecer, com as suas mãos.

bolachas saudáveis
Feito por mim: bolachas de banana, aveia e coco.

Por um lado, a Teresa adora a sopa e nem faria sentido tirá-la da sua dieta dado que até nós devoramos sopa nesta casa. Neste momento, a sopa até me ajuda a quantificar o que a Teresa come. Noutra medida, a bebé adora ter os seus bocadinhos de alimentos no tabuleiro para explorar. Como decidimos que, pelo menos até a Teresa fazer 1 ano, ficarei em casa com ela, temos todo o tempo do mundo para que possa descobrir a comida à vontade.

Não tenho quaisquer intenções que a Teresa coma bolachas maria, ou outras semelhantes carregadas de açúcar. Mas a bela da bolacha sempre ajuda a coçar o dente! Ora, no outro dia a Carla partilhou algo que veio mesmo a calhar: bolachas de banana, aveia e coco compatíveis com toda a família. São tão simples de fazer e foram um sucesso para a filha e para o pai. Duvidam? Precisam de:

  • 3 bananas maduras
  • 150g de flocos de aveia
  • 50g de coco ralado
biscoitos
As minhas bolachas antes de irem ao forno.

Esmaguem a banana com um garfo (ou, se forem impacientes, triturem). Envolvam-na muito bem com os flocos de aveia e com o coco ralado. moldem bolas e achatem (para ficar em forma de bolacha), disponham num tabuleiro forrado com papel vegetal e levem ao forno por coisa de 15 a 20 minutos (quando as bolachas estiverem tostadas por fora, já está).

E agora, contem-me: são ou não são saborosas? O que dizem os vossos miúdos?

Guida na Cozinha

doces
Feito por mim: pudim prestígio, biscoitos de manteiga e ovos moles.

Habituei-me, de pequenina, a comer bem.

Sou muito niquenta (já fui mais, mas neste post velhinho dá para se recordarem) e creio que se deve ao facto de a minha mãe cozinhar muito, muito bem. Atrevo-me a dizer que quando as pessoas, habitualmente, não gostam de determinado prato, é porque ainda não o provaram cozinhado como deve ser. Pela senhora minha mãe. Outra casa onde estou habituada a comer muito bem é a da minha sogra.

Posto isto, como devem calcular, antes de vir morar com o Luís, não estava muito habituada às lides da culinária. Desenrascava-me nas raras vezes em que precisava de cozinhar e lá me aventurava com algumas receitas, que lá iam saindo bem, mas ficava por aí. Pois bem:

Sinto o maior orgulho em dizer-vos que, apesar de não ser nenhuma chef xpto, adoro cozinhar.

E em 7 meses de vivência comum, não houve experiência culinária que saísse mal. Ninguém passou fome. Nenhum jantar ficou esturricado. Pelo contrário! Posso dizer que até inovei numas poucas coisas. O mais giro é perceber que há coisas que funcionam por instinto. Isso e que até consigo confeccionar com sucesso os pratos que mais me agradam e saem tal e qual os das pessoas que melhor os fazem.

comida
Feito por mim: quiche, massa de coisas, perca no forno.

E apurar o menu ao nosso gosto, não estando dependente da opinião de terceiros na nossa cozinha? Esta parte trouxe muitos mais vegetais e alimentos diferentes, no geral, para a minha dieta. E reduziu drasticamente os fritos. Imaginem que até fiz da cloche uma das minhas melhores amigas: os meus pais tinham uma nova, que lhes foi oferecida quando casaram e nunca a utilizaram. Já lhe conheço as manhas todas e os petiscos, e serve perfeitamente para cozinhar para duas ou três pessoas.

Devo dizer que esperava uns quantos fracassos culinários, como bolos crus ou sabores intragáveis. Calha a todos, mas aqui ainda não aconteceu. Sendo sincera, até atino com os melhores temperos e consistências. Há um ano, não previa que fosse lidar tão bem com o facto de ter de gerir a minha cozinha.

E há que dizer, a saber cozinhar bem até me sinto melhor mãe (vá, estou a brincar, mas que mãe que se preze é que não se orienta na cozinha?).

cozinha portuguesa
Feito por mim: bolo prata, caldo verde, bolo de pêra rocha com vinho do Porto.

Açúcar na Papa

Estou longe de ser a pessoa mais fundamentalista com a alimentação da minha filha. Tal como tudo na vida, o equilíbrio é um bom princípio. Ainda assim, preocupo-me muito com a saúde dela e sei que é importante ter cuidado com o que lhe ponho no prato.

Mantivemos o aleitamento materno exclusivo até aos 4 meses. Depois disso, apesar de não ter sido muito rígida, fui introduzindo a sopa e a fruta no regime alimentar da Teresa. Poderia (e deveria, talvez) ter mantido a amamentação exclusiva até aos 6 meses, mas angustiava-me ver a pequenina toda interessada em ver-nos comer e ficar triste por não poder comer nada. Parecia que queria saltar da cadeira e fazia (e faz, ainda faz…) caretas quando via talheres ou copos a passar à frente dela.

Sem stress nenhum, decidimos avançar com a introdução dos alimentos e foi um sucesso. Adora tudo o que lhe damos. Como sempre teve uma óptima progressão de peso, ainda não lhe dei a conhecer as papas. Achei que não faria sentido algum introduzir farinhas tão cedo. Porém, com o aproximar dos 6 meses, planeio dar-lhe mais alimentos novos e, finalmente, experimentar as papas. Preferencialmente feitas em casa!

Repito, não sou fundamentalista com a alimentação da Teresa. Sei bem que, fora de casa, pode ser necessário recorrer a um desses malfadados produtos de compra, pré feitos. Não estou assustada com essa parte e eu própria faço questão que ela coma de tudo. O problema para mim é que, segundo a indústria alimentar, o que deveria ser uma excepção transformou-se na regra.

papa bebé
Constituição de uma papa à venda no mercado, para bebés a partir dos 4 meses.

Na consulta dos 4 meses, quando discuti a introdução dos alimentos com a enfermeira que nos acompanha, foi-me dito que poderia apostar em papas de compra adequadas à idade da bebé. Infelizmente, pasmem-se, também se fala assim nas escolas. Ora bolas, poder até posso! Mas quem é que, no seu perfeito juízo e preocupação, sabendo ler um rótulo e interpretar a informação que tem à sua frente vai encharcar um bebé com açúcar e óleos da treta sem que haja um bom motivo (não vejo motivos, mas…)? Eu não!

É mesmo uma questão de desinformação, porque nem o argumento da disponibilidade económica é válido – sai muito mais barato comprar os ingredientes e fazer as papas em casa, como deve ser. Ainda não sei bem para onde me virar, mas o que não falta actualmente (porque é um assunto cada vez mais debatido, felizmente) são manuais e sítios com receitas para bebés.

Fica no ar a questão: como se admite às marcas que, em pleno século XXI e após décadas de lutas neste domínio, continuem a lucrar com a disseminação de informações erróneas e produtos que não fazem, de todo, bem à saúde dos nossos bebés? Eles adoram-nas, sem dúvida, são tão doces! Raríssimas são as marcas no mercado que disponibilizam papas com uma constituição minimamente decente.

E olhem que vos escreve uma pessoa que adora toda a espécie de papas doces…

Mixórdia de Brigadeiros

Aviso à navegação: este post é non friendly para quem anda metido em dietas.

Nada melhor que matar saudades com escritos bem docinhos aqui no estaminé! Assim, até Dezembro começa melhor e o meu regresso da licença de maternidade (pois, sim, acabou a minha, mas recomeçou a do Luís e optámos por dedicar toda a nossa atenção à nossa pequenina e a uma série de assuntos pendentes) torna-se menos penoso.

pudim prestigio

Adiante, que o que vocês querem é a sobremesa. O que se passou foi isto: um dia destes, apareceu na minha timeline uma fotografia de uma sobremesa com um aspecto bastante apetitoso. Estava numa página de culinária e tinha a receita. Como tinha disponíveis outros ingredientes e teimei que não iria fazer as coisas à maneira deles, parece-me que não deve ser o tal pudim prestígio de que falavam. É, sim, uma mixórdia de brigadeiros. Devo dizer que é das melhores coisas do mundo! E é simples de fazer. Se eu consigo, vocês também conseguem.

Ingredientes

Para o creme branco:

  • 1 Lata de leite condensado (esta lata é usada como medida)
  • 1 Lata de leite
  • 2 Colheres de sopa de farinha Maizena
  • 200ml de natas
  • 100g de coco ralado

Para o creme de chocolate:

  • 1 Lata de leite condensado (esta lata é usada como medida)
  • 1 Lata de leite
  • 2 Colheres de sopa de farinha Maizena
  • 200ml de natas
  • 1 Colher de sopa de chocolate em pó
  • 100g de chocolate de culinária
  • 50g de Nutella

pudim prestigio

Preparação

Agora vem a parte gira da coisa. É que é simples, simples. Pegam nos ingredientes do creme branco, batem tudo e levam ao fogão em lume brando, sempre a mexer, até começar a engrossar. Reservam. Pegam nos ingredientes do creme de chocolate e fazem a mesmíssima coisa: bater, levar ao lume sempre a mexer e retirar quando engrossar. Há mais simples?

Podem dispor como preferirem. Eu optei por usar taças individuais. Colocam metade da taça com o creme branco e metade com o creme de chocolate. Polvilhem como vos apetecer. Podem usar coco, pepitas de chocolate, amêndoas picadas… Eu escolhi raspas de chocolate de leite.

Devo dizer que ficou divinal e que entrou (desta forma que fiz) para o meu caderninho das receitas que funcionam. Espero que também seja do vosso agrado!