Categoria: Cabelos

The Wet Brush #2 – The Shine Brush

wetbrush

Já vos tinha mostrado aqui, há muito tempo, que tinha encontrado a escova de cabelos dos meus sonhos. Se, tal como eu, têm o cabelo muito espesso e em quantidade abundante, preferencialmente comprido, saberão que a hora de pentear é uma odisseia. Então, se têm caracóis, o cenário ainda se complica: esta tarefa tem mesmo de ser feita no banho, porque não se penteiam cabelos encaracolados quando já estão secos (a menos que queiram assemelhar-se a vassouras. Nesse caso, pode ser!).

Fiquei tão contente com a descoberta, que para além da escova amarela ainda tenho uma roxa e uma azul, e assim as vou deixando um pouco por todo o lado. Se têm sarilhos a pentear o cabelo, ou se têm crianças, confiem: experimentem isto que não se arrependem. Quando passei no stand da Pluricosmética na última edição da In Beauty, vi que tinham uma edição limitada da Wet Brush, colorida em degradé, e que havia uma versão que nunca tinha visto: a Shine Brush. Teve de vir comigo! Percebem porquê, não percebem? Degradé roxo e rosa, maneirinha, estava em promoção, cerdas especiais de javali mongol para cumprir devidamente as suas funções… Quero. Preciso. Tenho!

O que é que há assim de tão diferente para as outras versões da Wet Brush? Na verdade, devo dizer que o que me saltou logo à vista foi o tamanho da escova. Não é minúscula como as de viagem (creio que continua a faltar uma escova com protecção para andar na mala!), mas também não é do tamanho das escovas normais. Ao que parece, as cerdas de javali nos interstícios entre os “dentes” normais da escova, ajudam a distribuir melhor os óleos naturais do cabelo e a deixá-lo mais brilhante.

Diz a marca que, para além do uso típico, também se adequa muito bem a quem usa champô seco. Tendo em conta que, assim que se fina a época balnear, prefiro alisar (ou quase) o cabelo, não necessito de o lavar com tanta frequência. Uma vez por semana chega, e se necessito de mais opto mesmo pelo champô seco. Assim sendo, também já experimentei a Wet Brush com o cabelo seco e da forma sugerida e posso dizer que se mantém com o estatuto de melhor escova de sempre, sem puxões de cabelo nem gritos.

In Beauty 2015 – O Rescaldo

Chegou ao fim mais uma edição da In Beauty, uma das feiras de beleza de grande relevo que temos no nosso país. Foram 3 dias (3 a 5 de Outubro) em que, na Meo Arena, houve muitas promoções e demonstrações de novidades no campo da estética e beleza. Na minha opinião, tem havido melhorias de ano para ano e é maior a oferta, a credibilidade deste tipo de eventos e também as boas oportunidades têm aumentado. Ainda assim, continua a ser algo muito voltado para os profissionais e com um grande foco nas unhas e no cabelo, ficando o domínio da maquilhagem na penumbra.

Já começo a ter uma ideia dos stands presentes nestas iniciativas e dos produtos que quero comprar, porque têm preços muito apelativos e compensam bastante. Quando falo (eu e outras bloggers!) em produtos que não se encontram com tanta facilidade nas grandes superfícies e perfumarias, aqui têm: na maior parte dos casos, são de lojas especializadas e estão muitas vezes presentes nas feiras (Expocosmética/InBeauty) que acontecem uma ou duas vezes por ano.

inbeauty

Posto isto, fiz a minha lista para não me perder, e a verdade é que, desta feita, acabei por nem sequer ver a feira toda. Visitei o que me interessava, cumprimentei parceiros do blog, comprei só o que queria (e o que não planeava comprar a curto prazo, mas valia a pena!) e por aí fiquei.

Queria repor o meu stock de vernizes especiais da Kinetics, mas a marca não esteve presente nesta edição. Comprei tintas de cabelo – uso as da Farmavitta, à venda na Pluricosmética, que estão sempre baratíssimas nestas feiras por aproximação do fim da validade; duas escovas de cabelo, também na Pluri; e o Tratamento Selante Pré-Escova Blindagem Capilar da Novex na banca de um dos seus clientes (ainda não usei, mas tenho ouvido maravilhas sobre ele!).

No stand da Hair & Body, havia promoções fantásticas no champô e máscara que utilizo habitualmente da Real Natura (tudo abaixo dos 5€). Contudo, não me pareceu muito sensato carregar com garrafões de 5l de champô e máscaras de 1kg, sendo que o regresso a casa ainda iria tardar e, de qualquer forma, a loja costuma ter promoções que, não sendo tão boas, também são muito jeitosas.

Vim de lá mimada com mais umas poucas coisas: à entrada, foi-me oferecido um pequeno kit com gomas (que já marcharam!), um hidratante corporal (que já ofereci) e três vernizes Inocos. A Andreia oferecia um kit com 2 vernizes da sua colecção Grey’s Attraction e três vernizes 14Ever (já os tinha, pelo que estes últimos são para vocês). A Nativa do Brasil encheu-me de mimos: um gel-duche de litro, um sabonete esfoliante, um creme para os pés e um hidratante corporal. Da Pluricosmética, ainda trouxe um montão de amostras.

No total, gastei cerca de 20€. No fim das contas, o saldo foi bastante positivo! Com calma, vou falar de tudo o que vos mostrei.

Testei – Avon Advance Techniques Absolute Perfection BB

Há cerca de um mês, recém chegada das férias, recebi para experimentar a linha capilar Absolute Perfection BB da Avon. O conjunto, composto por champô, condicionador, máscara e bálsamo leave in, vinha mesmo a calhar e no melhor timing possível. Creio que toda a gente sabe que, por mais cuidado que tenhamos, o tempo de praia faz maldades grandes ao cabelo. O meu ficou mais seco que o habitual, e com as pontas a gritarem por ajuda (é de salientar que a última vez que dei uma tesourada foi por volta da Páscoa).

Vocês sabem, que eu costumo dizer, que não experimento estes produtos de cabelo só em mim. Habitualmente, tenho ao meu cuidado os cabelos de algumas mulheres que me são próximas. Para além do meu cabelo, que é espesso e seco, tenho ao meu dispor para estas experiências (eu sei que parece que estou a falar de cobaias de laboratório, ignorem esse detalhe) cabelo ainda mais espesso e mais seco que o meu, e cabelo liso normalíssimo.

avonbb

Segundo a Avon, esta linha de cuidados tem filtros UV e uma tecnologia nova chamada Advanced Shield, propondo-se a hidratar, proteger e nutrir o cabelo, deixando-o maleável, suave e sedoso, resistente à humidade e recuperando-o de agressões externas, como são o sol e o mar. Diria que em cabelos normais e/ou oleosos, esta linha tem potencial. Vi resultados no “cabelo normal” que se mostrou disponível para experimentar, que ficou visivelmente mais brilhante e domado. Se for este o vosso caso, invistam à vontade (já sabem que a aquisição de produtos da marca é feita junto de revendedoras, e caso não conheçam nenhuma, falem comigo!).

Tenho a destacar o efeito curioso da máscara, que forma uma película evidente nos fios de cabelo, mas está longe de ser tão boa (para os meus cabelos) quanto outras que a Avon comercializa. O champô, que é o produto da linha que mais me agrada, limpa bem o cabelo, sem o deixar ressequido. O condicionador é demasiado fluido, embora evidentemente mais espesso que o champô. Não fiquei fã do bálsamo, e considero que é o item mais fraco da linha. Aparentemente, não deixa resíduos. Contudo, também não é hidratante, pelo contrário.

Para cabelos secos, não considero que esta seja a melhor opção. Encontram alternativas bem melhores na Avon – já fui revendedora  e experimentei muitas coisas, como as linhas Moroccan Argan Oil e Lotus Shield (fui procurar referências no blog e não as encontrei, e nem sei bem como nunca falei nos produtos! Vou resolver a falha, prometo).

Testado – Kérastase Résistance Thérapiste

resistancetherapiste

Através do Youzz, tive a oportunidade de experimentar a nova linha de cuidados capilares da Kérastase, a linha Résistance Thérapiste. Tenho muitas coisas para vos contar sobre cabelos e nem estava bem nos meus planos experimentar novos produtos para já, que estava muito satisfeita com a rotina que mantinha. Só que convites destes não se recusam e, assim sendo, estou há um mês a experimentar esta novidade, em conjunto com a minha mãe.

Esta linha destina-se a cabelos muito danificados e submetidos a processos químicos. Tanto eu como a minha mãe (ela mais que eu), temos cabelos super ruins. Espessos, muito secos, rebeldes, sujeitos a colorações frequentes, muito calor e, no meu caso, um alisamento (melhor tomada de decisão de sempre!). Recebi três produtos para testar: o Bain Thérapiste, que é o “champô”; a Masque Thérapiste; o Sérum Thérapiste. Recebi, também, um montão de amostras de cada produto para distribuir.

O champô tem uma textura inovadora para o que estava habituada: assemelha-se mais a um condicionador consistente e quase não produz espuma (ainda menos que os champôs sem sulfatos habituais, sim!). Não deixa o cabelo ressequido. A máscara é super consistente e hidratante, mas não tanto como a que utilizava anteriormente. O sérum é eficaz, ajuda a texturizar o cabelo deixando-o solto mas domado, sem pesar, mas não considero que traga algo de novo. Toda a linha tem uma fragrância intensa e característica, que fica no cabelo por dias. Agrada-me ter o cabelo super bem cheiroso, mas não sei até que ponto a fragrância não poderá ser responsável por eventuais irritações do couro cabeludo.

Posso dizer que esperava mais desta linha. Não é má, de todo, mas face à rotina que já tinha adoptado antes de conhecer a Résistance Thérapiste, ficou abaixo das minhas expectativas. Sinto que, a nível de hidratação, não cumpre todas as necessidades do meu cabelo, e ainda menos as do cabelo da minha mãe. Sou eu que penteio o cabelo dela e bem noto a diferença! O cabelo não está tão maleável como antes, parece mais áspero. Das pessoas a quem distribuí as amostras, obtive dois tipos de opiniões (ah, é de salientar que os pacotinhos tinham tamanhos generosos e cada amostra deu para duas utilizações, no geral): as semelhantes à nossa cá de casa; as das amigas com cabelos mais “normais” mas ainda assim secos, que adoraram os produtos e que os apresentavam visivelmente mais brilhantes, macios e domados. 

Neste momento, só sobra o champô para contar a história. Este é um dos dramas de quem tem cabelos complicados e que as marcas ainda não entenderam: gastamos máscaras e produtos complementares à velocidade da luz. Adorava que pensassem nisto e concebessem embalagens maiores.

Resumindo e concluindo, é uma linha boa mas não creio que justifique o valor que lhe está associado. Ainda assim, caso estejam interessadas em experimentar (recomendo o champô, o champô!), podem encontrar tudo em salões de cabeleireiro. Em breve, sim, contem com um post com a rotina que deixa o meu cabelo super feliz!

10 do Momento

Há muito tempo que não publico um post destes. A bem da verdade, pouco publico ultimamente, não é? Não pode ser e tenho de ver se encarrilo de uma vez por todas. Já sei que é difícil acreditar, mas um dos motivos que levou a que não publicasse nenhum destes tops que antes eram algo frequentes aqui no blog foi mesmo o facto de não ter experimentado muitas coisas. Elas chegam às minhas mãos, é verdade, mas nem sempre é fácil dar conta do recado em tempo útil.

Poderia falar aqui dos produtos que se tornam constantes na minha vida (em equipa que ganha, não se mexe!) ad infinitum, mas se já sabemos que os produtos são bons, para quê passar a vida a bater no ceguinho? Então, ou há coisas novas para acrescentar ou não vale a pena. Nesse sentido, gosto de testar tudo como deve ser. Preciso de tempo para tal, e tem sido complicado gerir tudo o que tem acontecido na minha vida. Às vezes, temos de redefinir prioridades.

10junho15

Agora, cá estou eu com duas mãos cheias de coisas boas para vos dizer. Porque ultimamente tenho descoberto autênticos milagres e recuperado outros tantos, e não se pode deixar passar um evento destes! Não há muito para dizer sobre maquilhagem, que não tenho utilizado muita. Assim, e com jeitinho, cá vamos nós:

  1. Creme Reparador de Calosidades com aroma a coco, Nativa do Brasil (lojas especializadas)- Trouxe este creme da Expocosmética e já sabia que seríamos bons amigos. Tem muita vaselina, mas não tem só vaselina e noto grandes diferenças na hidratação dos meus pés. Aplico antes de dormir e calço meias (que o creme é mesmo muito rico e consistente e torna-se pegajoso). De manhã, acordo com pés de bebé. O cheirinho a coco é um bónus!
  2. Máscara de Elasticidade Afro, Real Natura (lojas especializadas)- Comprei por sugestão da Ana Rita, que comprou por recomendação da Thaisa. Esta é, sem sombra de dúvidas, a melhor máscara de cabelo que já experimentei (no meu cabelo e no da minha mãe) e o melhor é que é barata (1kg custa 7€ e picos, quando não há promoções nas lojas!). Merece um post só para ela, mas só posso gabá-la e aconselhá-la a toda a gente que tem cabelos encaracolados ou muito frisados, espessos e secos/danificados. Experimentem! Agora, até fico desgostosa de pensar que tenho umas poucas máscaras para gastar antes de se justificar repor esta.
  3. Leite Corporal Multiconforto Cold Cream, Mixa (super e hipermercados) – A marca francesa Mixa chegou a Portugal há pouco tempo e eu tenho para testar um saco cheio de produtos. Só pelo cheiro a bebé, vale a pena espreitar a oferta da marca no mercado. Não me vou alongar muito por agora, mas tenho de partilhar convosco que sou fã de cold cream e foi muito fácil decidir que queria começar por testar este hidratante. Normalmente, é um martírio utilizar o mesmo creme até ao fim da embalagem sem intercalar com outros, mas desta feita está a ser um prazer. Tudo é perfeito: o cheiro, a textura do cold cream sem ser pesada, a sensação de hidratação, a ausência de desconforto…
  4. Quenching Serum SOS, Caudalíe  (farmácias e parafarmácias, está com desconto na Skin)- Já falei dele aqui, aqui e aqui, e dificilmente volto a dispensá-lo. Fi-lo para dar lugar a outros séruns temporariamente e a minha pele queixou-se logo. A sério, se não o conhecem, dêem-lhe uma oportunidade e vão ver que será um casamento feliz!
  5. Champô Crina, Real Natura (lojas especializadas)- Está visto que ando apaixonada pelos produtos de cabelo da Real Natura. Comprei este por ter feito milagres pelo cabelo de um amigo meu, deixando-o forte e muito crescido em tempo record, e decidi dar-lhe uma oportunidade. Cumpre as promessas propostas e eu não poderia pedir mais! Ok, se calhar tenho de fazer mesmo um post com a minha rotina capilar de ultimamente, porque ando mesmo satisfeita.
  6. Nano Shark Nail Treatment, Kinetics (lojas especializadas) – Já era fã do secante rápido e de alguns vernizes mais extravagantes, pelo que decidi experimentar esta base endurecedora (que também pode ser utilizada como top coat). Faz milagres! Promove uma boa aderência do verniz à unha e impede que esta quebre tão facilmente. Custou-me 5€ na Expocosmética e deixa-me mais feliz que produtos semelhantes de marcas mais caras.
  7. Spray Leave-in Protecção da Cor Vinoterapia, O Boticário (lojas e revendedoras O Boticário) – Escolhi este produto por ter FPS e, sendo líquido e em spray, dá um jeitaço no Verão. Posso dizer-vos que não é pegajoso, deixa o cabelo mais hidratado e tem um cheiro delicioso. É uma espécie de protector solar para o cabelo e isso faz com que não o dispense da minha bolsa de praia/piscina. Merece uma Medalha de Bronze, lá chegaremos!
  8. Champô Seco Cool & Crisp Fresh, Batiste (loja online Maquillalia) – Desde que fiz um alisamento progressivo em Setembro, tornou-se muito fácil manter o cabelo liso ou pouco ondulado (sim, os efeitos perduram!). Como tal, não necessito de o lavar com tanta frequência e quando preciso e estou com pressa, posso recorrer ao champô seco. Estou fã, super fã. Já falei deste meu amor aqui. E, sim, ainda é o mesmo spray.
  9. Óleo de Massagem Exótico Baobá + Tamanu, O Boticário (lojas e revendedoras O Boticário) – Bom, não tenho muita experiência no que toca à parte de receber massagens mas na perspectiva de as fazer tenho de dar o mérito a este óleo. Fluido sem ser demasiado líquido (não escorre!), não seca logo mas não fica super pegajoso, é super bem cheiroso e provoca uma sensação de calor bastante agradável. Adoro!
  10. Infallible Lips 2 Step na cor 506 Red Infallible, L’Oréal Paris (perfumarias, super e hipermercados) – Vocês sabem que sou apaixonada por batom vermelho. Se for de longa duração, melhor ainda! É o que se passa com este: primeiro, aplica-se o batom líquido. Depois, o bálsamo hidratante. Não é o meu primeiro batom desta linha, nem o primeiro vermelho, mas é a cor do momento. É super confortável, não deixa a pele dos lábios a repuxar e garanto que é à prova de noitadas e tudo!

Já sabem que, em momentos oportunos, dedicarei posts aos produtos que aparecem nesta lista e ainda não foram falados no blog. Para as carteiras apertadas, fear not! Não adicionei os preços dos produtos porque não sei, já que muitos deles foram comprados em promoção e nem tenho informação das marcas para complementar. Contudo, asseguro-vos que à excepção do sérum da Caudalíe (cujo preço ronda os 28€), todos os produtos custam menos de 10€.

Espero que gostem tanto desta selecção quanto eu!

Cabelos Limpos no Instante

Após ter feito um alisamento progressivo há mais de dois meses (notícias em breve!), uma das maiores mudanças que tive de fazer foi na rotina de cuidados com o cabelo.

O cabelo que antes era super encaracolado e frisado, seco, que necessitava de lavagens diárias só para se manter apresentável, passou a estar imaculado por muito tempo, com uma ressalva: necessito de utilizar o secador depois da lavagem (se o cabelo seca ao natural, já fica bastante ondulado, ainda que sem o volume e frisado de antes). Não custa nada, porque o cabelo seca muito rapidamente e não preciso de grandes manhas.

Sucede que o couro cabeludo que antes era seco, agora tende a ficar oleoso ao fim de 4 ou 5 dias. Não é grave, nada grave, sei que há muita gente que deve estar a rogar-me pragas neste momento, que tantos dias é uma fartura e deveria dar-me por feliz e ir a correr lavar o cabelo ao fim desse tempo. Mas, senhoras, vejamos bem a cena: antes do alisamento, se esticasse o cabelo, passava mais de uma semana sem necessitar de lavar o cabelo. Sem problemas! E nem sempre há paciência para lavar e secar o cabelo agora. Nem tempo. E é aqui que o champô seco entra na minha vida.

batiste

Estava tentada a experimentar há algum tempo, fui lendo opiniões e procurando informação sobre marcas, até que se proporcionou partilhar uma encomenda na Maquillalia com a Ana Rita e lá mandei vir dois Batiste para experimentar. O melhor é que, nessa altura, cada um estava a 3€ e picos!

Encomendei as variedades Cherry e Cool & Crisp Fresh. A diferença é só o aroma, ambos são agradáveis e nada intensos. Uma lata destas é sensivelmente do tamanho de uma lata de laca (200ml), dura imenso. Não tem nada que saber: agita-se a embalagem, aplica-se o produto em direcção à raiz do cabelo, a cerca de 30cm de distância. Espalha-se bem o produto (é uma espécie de pó branco) no couro cabeludo com as pontas dos dedos, escova-se bem e está feito. Numa questão de segundos, temos o cabelo como novo, como se tivesse sido lavado pouco antes.

É claro que o champô seco não substitui a lavagem a sério, mas é um bom aliado entre lavagens. Não sei falar de outras marcas, comecei pela que dizem ser a melhor e não me arrependo. Sei que há quem se queixe de, com champôs secos de outras marcas, ficarem resíduos de produto no cabelo. A Batiste tem variedades com cor para os diferentes cabelos, mas nunca as experimentei nem sinto necessidade. Como sabem, tenho o cabelo preto e nunca tive quaisquer problemas desta ordem.

E vocês, já conheciam os champôs secos? Já experimentaram algum? Fica a dica!

Adeus, caracóis! #2

Já passaram mais de duas semanas desde que fiz o alisamento progressivo G-Hair da Inoar e está mais do que na altura de fazer um ponto da situação. Já consigo informar-vos muito melhor sobre os resultados do que se o tivesse feito praticamente de imediato.

Como sabem, que eu já disse, fiz o alisamento com a Íris (podem entrar em contacto com ela via Facebook ou através do contacto telefónico 965 090 970), que atende no seu domicílio, perto do Estoril, e num salão na Póvoa do Varzim, mediante marcação. Os preços variam consoante o comprimento dos cabelos. Para terem uma ideia, tenho o cabelo acima do peito e o preço ronda os 70€. Pensem que os resultados compensam e que se poupa muito tempo (e muitos resfriados e respectivos tratamentos, no caso de terem cabelos rebeldes e serem preguiçosas para secar o cabelo, como eu).

alisamento

As fotografias foram tiradas há coisa de uma semana atrás, já com algumas chuvadas e lavagens pelo caminho. Como podem verificar, o cabelo ficou mesmo liso. Bom, podia ficar ainda mais liso, tal e qual como no dia do alisamento, se eu utilizasse uma placa quente nas pontas. Sinceramente, acho desnecessário e acho que o efeito fica mais natural assim. Tenho o cabelo bonito, super brilhante e macio. Estou satisfeitíssima.

Mas, Guida, como é que funciona mesmo essa história do alisamento progressivo e que cuidados é preciso ter? Em primeiro lugar, há que salientar que este é um procedimento que pode ser efectuado em todos os tipos de cabelo, mesmo quando são expostos a procedimentos químicos, como as colorações. Contudo, não se aventurem a fazer alisamentos em casa! Convém evitar quaisquer procedimentos uma semana antes e depois da realização da escova progressiva. No caso específico das colorações, o alisamento pode aclarar ligeiramente a cor, pelo que se recomenda que seja feita posteriormente (ainda assim, posso dizer-vos que pintei o cabelo no início de Setembro e continua super preto e brilhante). O efeito do alisamento dura até três meses com os devidos cuidados.

O alisamento em si é um procedimento cómodo e indolor. Há quem se queixe do odor de alguns tipos de alisamento e de eventuais incómodos respiratórios e oftalmológicos, mas no que toca à escova alemã G-Hair não tenho inconvenientes a relatar. Achei o cheiro agradável e não senti qualquer desconforto durante a aplicação.

Por alto, o procedimento consiste em três passos. Primeiro, o cabelo é lavado com um champô anti-resíduos que limpa em profundidade e ajuda a tornar os fios mais “penetráveis”. Posteriormente, é aplicado o produto alisador. O cabelo é seco com uma placa quente et voilá! Sejam bem-vindas ao mundo dos cabelos sempre lindos e apresentáveis sem esforço.

inoar

Até poder lavar o cabelo novamente, é preciso deixar passar, no mínimo, 48h. Esta primeira lavagem é feita só com máscara hidratante. Sim, sem champô nem nada. Daí para a frente, as lavagens são feitas normalmente (convém não lavar o cabelo diariamente), com a ressalva de só poderem ser utilizados champôs sem sal/sem sulfatos, e de serem de evitar os condicionadores, máscaras e quaisquer outros produtos capilares com álcool ou com silicones. Há quem não goste de utilizar champôs sem sal, referindo que não fazem espuma nem lavam devidamente. Nunca tive tais queixas e, por norma, já utilizava champôs com estes requisitos (excepto na época balnear, não me perguntem por quê).

Para experimentar, tenho utilizado o champô, o condicionador e o leave in da linha Pós Progress da Inoar e estou satisfeita. O cheiro e as texturas são agradáveis. O condicionador é super consistente e hidratante. O leave in hidrata e deixa o cabelo super brilhante mas sem pesar. Creio que o champô não é dos mais desagradáveis para quem gosta da espuma habitual. Semanalmente, continuo a utilizar máscaras hidratantes. Também gosto de aplicar produtos protectores do calor e óleos/séruns nas pontas do cabelo. Estão bonitas e saudáveis, e é assim que as quero manter. Há que ter cuidado!

Após o alisamento, é normal que o couro cabeludo fique oleoso mais rapidamente. Por aqui, notei a diferença, mas não é nada que me aborreça. Antes, poderia passar mais de uma semana sem lavar o cabelo. Contudo, acabava por ter de o fazer quase diariamente para conseguir escová-lo e mantê-lo apresentável. Agora, na pior das hipóteses, deixo passar quatro dias entre lavagens.

Por ser um tratamento termoactivado, convém utilizar sempre um secador após cada lavagem. Pode parecer um sacrifício, mas a verdade é que para além de o cabelo secar muito mais rápido após o alisamento, não é preciso utilizar o secador logo depois do banho. Dá perfeitamente para deixar o cabelo secar ao natural quase na totalidade e só depois recorrer ao calor (não se preocupem, que não precisam de fazer malabarismos com a escova, só têm de se preocupar em secar o cabelo em direcção ao chão). Se já fiz a experiência de deixar o cabelo secar completamente ao natural? Já, e posso dizer-vos que fica ligeiramente ondulado, lindo, sem volume nem frisado. Logo a seguir, porém, utilizei a placa quente e em menos de nada (2, 3 minutos?) consegui ter o cabelo super liso, com temperaturas baixas (antes, se queria utilizar a placa alisadora, precisava de temperaturas superiores a 200ºC. Agora, os 120ºC mínimos que a minha placa atinge são suficientes).

Estou encantada! Por ora é isto, creio que ficam com um bom lamiré de todo o procedimento e com a minha opinião pessoal. Assim que houver mais novidades relevantes, venho a correr contar-vos tudo.

Adeus, caracóis!

alisamento

Depois de todas as asneiradas que já fiz e de ter aprendido da pior maneira que temos de respeitar e abraçar o cabelo que nos calhou em sorte, houve um procedimento que sempre me deixou curiosa: o alisamento progressivo.

Eu adoro os meus caracóis, mas a verdade é que exigem tempo e paciência que nem sempre tenho. Não exigem um esforço infinito, mas para os manter apresentáveis tenho de lavar o cabelo quase diariamente, quando noutras condições passaria bem uma semana sem necessitar de grandes cuidados (porque tenho o couro cabeludo seco). E, já se sabe, uma juba de caracóis demora muito tempo a secar e eu nem sequer gosto de secadores. Como devem calcular, os transtornos que tudo isto traz para a minha saúde, especialmente no Inverno, são mais que muitos.

Por outro lado, sempre tive os meus receios quanto aos procedimentos de alisamento. Será que estragam o cabelo? Será que são permanentes e exigem um compromisso de manutenção infinito? Decidi informar-me e ontem rendi-me à escova alemã Inoar e às mãos de ouro da Íris. Estou encantada com o resultado! Tenho o cabelo brilhante, sedoso e liso como nunca o tive. A humidade do ar está elevadíssima e continuo com o cabelo impecável. Antes do alisamento, mesmo que utilizasse a placa de alisar em casa, com este tempo, já teria o cabelo super volumoso e frisado.

escovaalema

Assim que lavar o cabelo (convém esperar, pelo menos, 48h após o alisamento), partilharei convosco a essência do procedimento, as minhas impressões, os cuidados a adoptar e as dúvidas que me surgiram e as respectivas respostas. E fotos, várias fotos, que estas são as que a Íris tirou com o telemóvel mas já deixam uma boa ideia da drástica mudança.

Se tiverem dúvidas, comentem, que também as coloco à Íris. Ou, então, perguntem-lhe directamente na página do Facebook ou através do contacto 965 090 970. Creio que confiei o meu cabelo à melhor profissional e à melhor técnica de alisamento! Se estiverem curiosas e a ponderar fazerem algo semelhante, mantenham-se atentas ao blog, que manter-vos-ei actualizadas sobre esta aventura que mais parece um milagre.

Rotina de Verão #2

Tal como prometido e em jeito de conclusão, falta falar um bocadinho dos produtos de rosto e protecção solar que ajudaram a manter a pele em bom estado durante as últimas férias de Verão.

veraorosto

Na categoria dos produtos de rosto, não quis abrir grandes cerimónias. Quis manter a minha pele, que tem estado bastante oleosa na zona T, hidratada. Acima de tudo. Não é fácil atinar com um conjunto de produtos quando mudamos a nossa rotina do dia-a-dia, de sítio e de água. Negligenciei as limpezas profundas e esfoliações, que preferi deixá-las para o regresso a casa do que agredir a pele desnecessariamente.

1. O Rose Hydrate Miracle Makeover Facial Oil da Superfacialist, que já teve o merecido destaque neste posté um essencial. Antes de lavar a cara “a sério”, utilizei-o sempre para tentar atenuar os efeitos da desidratação. Um mimo!

2. Como produto de lavagem, optei pela Foaming Cleansing Fluid da linha Pureness da Shiseido. Gosto muito da linha, no geral, mas optei por levar apenas a espuma. É consistente e limpa a pele na perfeição sem a deixar a repuxar. Isto é, a parte do meu rosto que é oleosa fica limpinha, e a parte seca e desidratada não resseca. Fica tudo bonito e suave!

3. Esqueci-me de levar o tónico do costume e não quis meter-me em aventuras nem investimentos, e decidi optar pelo que não falha: água de rosas. Não agride, não faz mal, é quase dada e é polivalente (que serviu para ser pulverizada nos dias de maior calor e há sempre mil e uma utilidades). Também é um clássico cá do blog.

4. Um dos produtos que maior importância tem nesta rotina, com vista a garantir a hidratação da pele do rosto, foi (é sempre!) o Quenching Sérum SOS da Caudalíe, já apresentado aqui e um dos meus produtos indispensáveis. Não me alongo, que no post já existente está tudo dito.

5. Também da família Caudalíe e porque o contorno dos olhos começa a exigir cuidados específicos, recorri ao Creme de Olhos Polyphenol C15. Tenho de dedicar um post a toda a linha (em conjunto com a minha mãe), mas interessa dizer que consegui manter a região periocular até mais hidratada e com a pele visivelmente mais uniforme do que antes. E sem vestígios de mília!

6. O hidratante escolhido para esta temporada, sem FPS (que utilizo o protector solar separadamente), foi o Cuidado Hidratante Anti-imperfeições da Vichy. Conheço que não goste dele alegando que é pesado e pegajoso. É verdade que não é dos hidratantes mais leves do mercado para as peles oleosas, e que nem sequer é matificante, mas deixa pouco brilho e a situação não se agrava ao longo do dia. E é dos poucos hidratantes para peles oleosas que experimentei até hoje que assegura as necessidades de hidratação da minha pele. Apesar de ter alguns “activos peeling“, ácidos, não irrita a minha pele.

veraosolares

Pela primeira vez em muitos anos, consegui atravessar a época das férias de praia sem uma grande alergia ao sol. Tive algum receio com o protector solar que escolhi para me acompanhar, por ser uma novidade e por não ser de uma das marcas nas quais confio desde sempre (e bem se sabe que com o sol não se pode brincar e mais vale jogar pelo seguro!), mas correu tudo bem. Creio que o próprio estado do tempo ajudou, que parece que este ano mal tivemos Verão. Tive apenas o cuidado de evitar o óleo protector solar da Clarins do qual fiquei fã por só ter FPS 30 e não saber se seria a melhor opção para mim na praia durante muitos dias seguidos.

1. Do ano passado, transitou o Gel Fotoprotector Cream Dry Touch Color FPS 50+ da ISDIN. Já vos tinha dito que o adorava e até ganhou uma Medalha de Bronze. Ide ler o post para avivar a memória, que está lá tudo dito.

2. Para o corpo, confiei no Leite Sublimador FPS 50 da L’Oréal Paris. Se receios tinha, desvaneceram rapidamente. Bem se sabe que nos últimos anos a indústria da protecção solar evoluiu muito e já é possível encontrar boas opções nos supermercados, mas precisei de ver (e sentir) para crer. Para além da protecção eficaz, o bendito do protector tem brilhinhos que ajudam a dar aquele glow que não temos naturalmente no início da temporada de praia. Ah, é fluido o suficiente para ser fácil de espalhar e não é pegajoso nem deixa a pele branca tipo fantasma. Tem uma ligeira coloração, nada que se note. O cheiro também não é o habitual para um protector solar, é super suave e creio que agrada facilmente à maior parte das mulheres. Sim, que não me parece que os homens queiram parecer os vampiros do Twilight.

3. Por fim, os cabelos não podem ser esquecidos e resolvi estender os cuidados para além dos praticados em casa. Fiquei traumatizada com as asneiras de há dois anos atrás e não quero, por nada deste mundo, estragar o cabelo novamente. Para aplicar várias vezes durante a exposição ao sol, contei com o Óleo Protector Solar Elvive. Cheirinho agradável, super fluido e leve e protecção solar. Não há muito mais para dizer, é prático (vem em formato de pulverizador) e gostei muito de o utilizar.

Espero que esta partilha possa ser útil para alguém e que tenham tão bons resultados com as minhas sugestões, tal como eu também os tive. Posso dizer que não me importava de ter férias e levar tudo na mala novamente?

Rotina de Verão #1

Tal como prometido, partilho convosco a rotina de utilização de cosméticos que funcionou comigo em tempo de férias. Vai ter de ser em duas partes, que tenho muito para dizer. Na primeira parte, vou falar um pouco dos produtos que utilizei para o cabelo e para o corpo. No próximo post, falarei dos produtos de rosto e da protecção solar.

Há que salientar que saí de Lisboa carregada de tralha e que nem tudo o que utilizei se revelou eficaz, houve estratégias que tiveram de ser repensadas muito rapidamente e o conteúdo deste post foi o que, efectivamente, utilizei e que me encheu as medidas.

Não acho descabido publicar esta espécie de review extensa em Setembro. Não só porque o Verão ainda decorre e há muita gente que está ou há-de ir de férias, mas também porque muitos destes produtos podem ser (ou serão mesmo) utilizados durante o resto do ano.

veraocabelo

A rotina dos cabelos foi aquela onde mais arrisquei. Sol, praia e água da rede super calcária são grandes inimigos da saúde capilar. Tenham em conta que o meu cabelo é super espesso, denso, seco e frisado, para além de o pintar com alguma frequência.

1. O champô escolhido para a temporada de praia foi o Ultra Suave Solar com Óleo de Monoi e Neroli, que é uma novidade no mercado e que não me desiludiu. Era o único produto que desconhecia totalmente deste grupo. Foi utilizado e aprovado por toda a família. Limpa o couro cabeludo sem ser agressivo e os cabelos ficam super macios, leves e bem cheirosos, sem ressecar. Não é muito consistente, embora produza muita espuma. É fácil de espalhar e enxaguar.

2. Esqueci-me de levar comigo quaisquer máscaras ou condicionadores e dentro da oferta disponível nos supermercados locais, optei pela máscara Adeus Danos da Fructis. Já sabem que tenho aversão aos champôs da marca, mas as máscaras, séruns e espumas têm sido uma agradável surpresa. Não tinha experimentado esta anteriormente, mas já conhecia outros produtos da mesma linha nos quais confio. É consistente e eficaz, super hidratante mas sem deixar o cabelo pegajoso. Um boião de 400ml custou cerca de 5€, utilizei o produto em todas as lavagens de cabelo, não recorri a condicionadores e ao final de mais de um mês ainda estou longe de ver o fundo da embalagem. É melhor, a milhas, que muitas máscaras de marcas profissionais.

3. Que disse eu de confiar na linha Adeus Danos da Fructis? Em equipa que ganha, não se mexe, e hei-de comprar e recomprar o sérum SOS Repair. É fluido, quase como um óleo, não pesa e a verdade é que deixa as pontas do cabelo bonitas, hidratadas e brilhantes. Com ar de cabelo novo, sabem? Do que há no supermercado, baratinho, este é dos melhores séruns, para mim.

4. Quem tem cabelo espesso, seco e encaracolado sabe que hidratar nunca é de mais, mesmo, mas que é preciso ter cuidado com os produtos que utilizamos depois da lavagem sob pena de o resultado ser uma mixórdia pesada e pegajosa. Privei-me de espumas e outros produtos muito elaborados, mas o leave-in é sempre essencial para uma caracoleta bonita e de aspecto saudável. Apostei no Nativa Spa Frutoterapia Ultra Hidratante Monoi e Argão, após o duche à noite, que é dos melhores produtos do género que já conheci para deixar os caracóis bem definidos mas soltos e leves (já para não falar no cheirinho delicioso). Durante o dia, por causa do sol (e por considerar que não seria de mais reforçar a hidratação), optei sempre por aplicar o Golden Plus Termoactivado, que já era um favorito da época balnear anterior e que mesmo sendo consistente e hidratante não pesa no cabelo depois de seco e ainda protege do sol e de outros agentes nocivos. Ambos os produtos são d’O Boticário.

veraocorpo

A questão dos produtos de duche é um pouco irrelevante e a escolha dos géis e sabonetes foi quase aleatória dentro de tudo o que consigo utilizar sem reacções alérgicas. Interessa a hidratação, e nesse aspecto tive uma super equipa comigo.

1. Ainda no duche, antes de sair, contei com o óleo Nativa Spa Monoi e Argão d’O Boticário. Tem truque, é para aplicar na pele molhada (e há quem passe por água, mesmo assim) porque é muito denso e hidratante. Só por si, já é um grande passo na hidratação corporal e… Confesso, nos dias de preguiça foi suficiente para que não ficasse a parecer um deserto em forma de gente. Não se atrevam a aplicá-lo na pele seca, que não será absorvido e ficam eternamente pegajosas.

2. Para não haver oportunidade de a pele das pernas começar a descamar (habitual por estas bandas), precisei mesmo de um produto que me garantisse toda a hidratação de que a minha pele necessita. Sou alérgica ao sol, como sabem, pelo que nesta época evito produtos com fragrâncias e outros aditivos irritantes que possam ajudar a criar situações desagradáveis. Contei com o Lipikar Lait da La Roche-Posay que é super consistente e hidratante, mas ainda assim fácil e agradável de utilizar. Rende imenso, para compensar o facto de não ser dos hidratantes mais baratos.

3. Apesar de o Lipikar Lait ser mais do que suficiente, eu ainda quero mais consistência nos primeiros dias de praia. Sou muito cautelosa, utilizo protector solar, mas quero mesmo assegurar-me que estou bem hidratada. O Bálsamo Intensivo Pós-solar da Oriflame é daqueles que se assemelha mesmo a uma manteiga, há quem considere um martírio utilizá-lo por ser mesmo muito, muito rico, mas garanto-vos que não há melhor para as áreas do nosso corpo que têm tendência a ficar mais secas e desidratadas. Acabei por utilizá-lo muito, também, nas maçãs do rosto, que sofrem sempre nesta temporada de sol e calor.

4. A loção Sesame Suntan da Lush é um bónus que recebi a tempo de testar nas férias e que adorei. É um capricho. A marca considera que é um protector solar, mas… Tem FPS 10! Big no no, mas como loção corporal naqueles dias em que saía do duche e ainda vinha para a rua com algum sol ao fim da tarde, foi um prazer utilizá-la. É muito fluida mas bastante hidratante e cheira a… Bom, cheira-me a manteiga de amendoim (óleo de sésamo, diz a Lush) e dá vontade de a comer. Sim, tive os meus receios que pudesse haver alguma alergia demoníaca, mas consta que a fragrância era mesmo a natural do óleo de sésamo e, à data, nunca tive problemas com este nem com nenhum dos restantes ingredientes (que podem conferir aqui) que compõem o produto.

Não se esqueçam, a seguir sairá um post com o resto desta rotina maravilhosa que não me deixou ficar mal, mesmo fora da minha zona de conforto.