compras maquilhagemSou sovina e pechincheira e não escondo isso de ninguém.

Procuro sempre os produtos com melhor relação qualidade/preço quando vou às compras e normalmente modero-me e penso muito antes de comprar o que quer que seja.

Acreditem que não me contento facilmente e que sou capaz de virar Lisboa e o resto do mundo de pernas para o ar e ainda assim voltar para casa de mãos a abanar se não encontrar o que procuro.

Normalmente, não admito que existam alternativas se procuro um produto específico. É aquele produto, daquele modelo, daquela cor, daquela marca, com aquele preço.

Este não é um post sobre a nossa economia, que dessa falarei mais tarde.

O que é nacional é bom, mas eu só vou ser amiga do país quando o país for meu amigo.

A beleza é uma das temáticas que mais peso tem neste blogue, por isso proporciona-se entrar no domínio dos cosméticos.

É claro que muitas vezes há diferenças óbvias entre ele, mas por que havemos nós de gastar muito num produto se existir outro muito semelhante a preços mais apelativos? Aliás, bem sabem que este é o propósito da rubrica Impossível x Acessível.

maquilhagem low costHá produtos caros que compensam imenso pela qualidade e que não têm irmãos mais em conta.

Compensam, mas como é que chegamos a esta conclusão? Eu falo por mim. Se não encontrar um produto que sirva os meus interesses a 100%, vou continuar a minha procura e consequentemente gastar mais.

Aí, o barato torna-se caro.

Vejamos, por exemplo, os pós faciais. Como podem conferir por aqui, nem tenho assim tantos mas estão todos praticamente sem uso. É que, (in)felizmente, encontrei a perfeição num pó que custa cerca de 30€/10g.

Se é caro? Bom, os que tenho na gaveta todos juntos passam nitidamente esse preço e estão encostados. Já o pó que considero a nata da nata é utilizado todos os dias e está aqui para durar. Hei-de falar dele e das características que o tornam, para mim, quase sagrado.

Sendo assim, parece-me claro que é um bom investimento a fazer.

Dividam sempre o preço do produto que têm em vista pelo número de vezes que estimam utilizá-lo e aí descobrem se ele é realmente caro ou se vai ser proveitoso a longo prazo.

Mas, atenção, façam tudo calmamente! Se possível, obtenham amostras, pesquisem opiniões e experimentem vocês mesm@s. Usem, abusem, comparem.

Se virmos bem, as perfumarias costumam ter mostruários com testers justamente para nós podermos experimentar tudo, não é verdade? Pensem bem se o produto realmente vos faz falta ou se é só uma tendência.

Tenham em conta que, de qualquer forma, o produto pode ser muito bom para algumas pessoas mas como tod@s somos diferentes, em nós pode não resultar assim tão bem.

Por isso, de nada serve ler e ouvir se não tivermos acesso aos testes.

Por vezes, até podemos ter a intenção de usar exaustivamente um produto mas afinal verificamos que não é tudo aquilo que pensávamos e acabamos por deixá-lo de lado.

No fim de uma boa pesquisa, vão concluir que por vezes os produtos mais caros podem sair mais baratos do que aqueles que aparentemente são pechinchas.

Um dia destes partilho convosco as minhas descobertas caras que se revelaram baratas e também o contrário.

Costumam ter em conta estes aspectos quando vão às compras? Quais são os vossos produtos de eleição caros que se revelaram baratos depois de os usarem exaustivamente, com muito amor e carinho?

2 comments on “Quando o caro sai barato”

Deixar uma resposta