mealheiro

Penso que tod@s vocês sabem que estamos em época de crise e que a situação está a ficar cada vez mais feia e que, sim, é possível reverter este problema mas até que isso aconteça vai levar algum tempo.

Portanto, é preciso conter os gastos e ir poupando onde podemos.

É isto que nos ensinam quando somos pequeninos, que não podemos gastar ao desbarato e não acredito que haja alguém por estas bandas que nunca tenha tido um mealheiro!

É possível poupar se cortarem no tabaco, nos pequenos-almoços e outras refeições pouco saudáveis fora de casa (pode parecer ridículo, mas não custa nada levar um saquinho com a comida quando formos para a escola ou para o trabalho! Há tantas opções diferentes e sai tudo muito mais barato e menos danoso para a saúde, acreditem).

Nas revistas que compramos e deitamos fora passada uma semana (hoje em dia não há desculpas para andarmos desactualizad@s: temos toda a informação que quisermos e mais alguma na Internet), nos transportes (dou-vos como exemplo este mês. Não comprei passe porque durante quase metade do mês estive de férias e, portanto, não compensava gastar quase 30€ no passe, que compro durante os meses em que tenho aulas.

Um bilhete daqui a loures custa 0,80€, o que na minha opinião é um exagero. Assim, tento apanhar o autocarro só de manhã, que é quando tenho pressa para chegar à escola. À vinda, ou se tiver que voltar à escola, venho a pé o máximo de vezes possível e desta forma até faço exercício físico) e desta outra maneira que vos vou sugerir.

De há uns tempos para cá, recriei o hábito de ter um mealheiro. Aliás, dois. Num deles, guardo as moedas pretas que o namorado me dá porque não gosta de as ter na carteira (a lata quase já não fecha! Tenho que começar a trocar as moedinhas de 1, 2 e 5 cêntimos por moedas maiores e notas…). No outro, coloco, no mínimo, 0,20€ por dia. Parece ridículo? 20 cêntimos não chegam para nada, não é? Façamos as contas.

Ao fim de 5 dias a colocar 0,20€ no mealheiro, temos 1€.

Não é grande espingarda, pois não? Ao fim de um mês de 30 dias a amealhar 0,20€, temos 6€. Já faz a diferença? Ok, ainda não vos convenci. Ao fim de um ano de 365 dias, amealhámos 73€, o que já tem algum peso, principalmente se forem jovens como eu e dependerem dos vossos pais. Querem mais? Experimentem ir fazendo este jogo com quantias maiores, amealhem todo o dinheiro que não gastaram ao final do dia.

Durante este mês em que não tenho passe, tenho guardado cerca de 1,20€ por dia, que é o que me sobra dos 2€ que a minha mãe me dá para os transportes diariamente. Tendo em conta que recebi esta quantia por 6 dias, já amealhei 7,20€ desde a semana passada só com os trocos dos transportes! Jeitoso, não?

Tentem vocês também ir amealhando e contem-me quanto é que conseguem poupar com aquelas moedas que, aparentemente, não fazem grande festim dentro dos vossos porta-moedas.

18 comments on “Vamos brincar à poupança”

  1. E ainda tens o ad-sense, que é outra forma de receita.

    Como retribuição pelas tuas ideias que partilhas sempre com generosidade, vou clicar-te agora em alguns anúncios. Sempre é mais uns trocos a entrar.

    Beijinhos!

    P.S. – Por esta não esperavas, pois não? 😉

  2. São muito boas sugestões, tirando a tabaco. Ninguém (ou ninguém que eu conheça) deixa de fumar só para poupar uns trocos. Senão era fácil em vez de dificil 😛

  3. Adorei este post:) Amei mesmo!!!!!
    Eu sou o cúmulo do consumismo e muitas vezes chego ao final da semana sem dinheiro. Preciso de aprender a ser poupada e nada melhor que começar com essa dica dos 20 cêntimos e ir aumentando progressivamente.

    Dás-nos tantas boas ideias

    Beijinhos

  4. Concordo plenamente, Guida! Especialmente com a questão de andar a pé. Faço quase tudo o que preciso ao meu redor e isso não é só bom para mim mas para meus vizinhos. Se pego o carro e vou até o Wal-Mart, deixo de prestigiar o mercadinho da esquina que vende só um pouquinho mais caro mas, se puser todas as contas na ponta do lápis, vai sair quase na mesma, já que tenho que gastar tempo, pneu e gasolina pra dirigir até o hipermercado. Ajudar a economia local é bom pra todo mundo: pra mim, que vou andar e fortalecer meus braços carregando sacolas; pros lojistas, que vão investir nos seus espaços e tornar a vizinhança mais bonita e agradável e pro planeta, porque é menos combustível queimando e ar mais limpo.
    Beijinhos mil!

  5. Olá. Acredita que o Bilhete de Autocarro é super barato. Eu, na ScottUrb, para ir de Cascais para Alcabideche pago 1,80€. Ás vezes fico quase uma hora à espera para apanhar um autocarro especial que vai até ao Cascaishopping por 0,80€ e depois vou a penantes para casa. Beijinhos MG

  6. Cat: Cortar não tem de significar abdicar 😛 Por que não reduzir a quantidade? Ou por que não preferir o tabaco de enrolar? Por preguiça? Eu não fumo, mas se fumasse era tabaco de enrolar, só pela piada (talvez quem esteja em desespero por tabaco não ache o mesmo eheh) de ser eu a fazer o cigarro LOL

    Beijinho

  7. Guida, antes de mais deixa-me dizer que gosto muito do teu blog 🙂 Estas dicas são fantásticas e muitas delas ponho em prática também. Quanto às revistas e jornais, quem não conseguir abdicar do tradicional papel como eu, pode sempre dar-lhes um fim mais digno do que o papelão. Eu envio os meus jornais e revistas para a Cooperação Portuguesa na Guiné, onde eles têm muita falta de material básico para o ensino/promoção da língua portuguesa. Se quiseres mais detalhes, manda mail 😉

    Bjs e continua 😀

  8. Concordo em absoluto! Eu sou uma grande forreta por natureza, mas há sempre qualquer coisa a melhorar nos nossos gastos – comprar melhor e não só mais barato..
    Este post fez-me lembrar os meses em que levei comida para a faculdade para poupar dinheiro p'a viagem de finalistas a Londres com o meu namorado- enquanto o microondas da cantina estava avariado, portanto as refeições foram feitas com muita imaginação!
    Adoro o blog, Guida! Comentei há tempos num post em que te lamentavas da falta de tempo para o blog quando entraste para a faculdade (sou a Joana). Vou começar a comentar mais vezes 😀

  9. Eu costumo fazer o mesmo, vou pondo dinheiro no mealheiro uma moeda por dia, no mínimo 50 centimos. Deu para comprar um telemóvel quando o meu antigo teve um AVC, sem ter que pedir à minha mãe.
    Quand estou em estágios, em vez de comprar passe de comboio e autocarro vou a pé da estação do comboio, e levo comida para a escola. E olha que assim, o dinheiro que me dão, diariamente, para a escola rende muito mais!

    Bjs*

    Quarta-feira, Abril 22, 2009 5:46:00 PM

  10. São optimas dicas. Nunca achei ridiculo levar comidinha na mala. Costumo andar sempre com um iogurte ou uma peça de fruta, para evitar os lanches desnecessários.

    Das coisas de que falaste, a que ainda não me desabituei, foi a de comprar revistas. Não muitas. Compro a Happy todos os meses, a Visão ou a Sábado esporadicamente. Para saber fofocas, basta passar em frente a um quiosque e ver as capas 😛

    Os meus pais fizeram isso o ano passado, num mealheiro iam pondo dinheiro (não eram 20 centimos por dia, era mais, claro. notas, geralmente) e fomos passar umas belas férias no Verao, com esse dinheiro 🙂

    Quinta-feira, Abril 23, 2009 4:04:00 PM

Deixar uma resposta