Das misérias que me acontecem

wedges

Contando a história, ninguém acredita. Sou a campeã das solas de sapatos perdidas. Juro! Já perdi a conta às vezes em que os meus sapatos (que, por sinal, são sempre bem estimados) se desintegram em plena rua. Poder-se-ia dar a desculpa de que a qualidade tem-se em directa proporção para com o que pagamos, mas já me aconteceram catástrofes destas com sapatos bem caros de lojas e marcas conhecidas.

Adiante, que desta feita até nem foi o caso. Tinha uns sapatos bonitos, como os da imagem, que foram um achado. Pensava eu. Baratos, muito bonitos e super confortáveis. Deixavam-me com altura de gente e com uma pernoca jeitosa. Então não é que ontem, quando dei por ela, tinha as malditas das plataformas a descolarem-se? Não me estatelei no chão porque não calhou e salvou-me o papá, que teve de me resgatar da bela Lisboa e da sua calçada maravilhosa.

Agora estou triste, muito triste, que não quero dar reforma aos sapatos mas também não sei se há remédio que lhes valha. Há cola, pois há, mas até que ponto é que é eficaz? Já fiz a experiência com outros pares de sapatos de plataforma, como estes, e nunca serviu de muito, nem com intervenções do sapateiro. Alguém sabe de uma solução milagrosa ou devo mesmo dizer-lhes adeus e pensar em comprar uns substitutos como deve ser?

Guida Simhólica

TS4_203_AbbeyRoadSims

Faço parte de uma geração que joga The Sims desde os primórdios. Aliás, se bem me recordo, ainda o bendito jogo não existia e já o primo das simulações Sim rodava cá por casa. Tinha 11 anos quando o maravilhoso mundo dos Sims nasceu e hoje, quase aos 25, ainda fico em êxtase com as novidades.

Não tenho tempo para muitas jogatinas, mas o simlish é um idioma que domino. Há cerca de um mês, o mundo conheceu o The Sims 4. Aqui, conto com pouco mais de duas semanas de vício e já quero as expansões que hão-de vir. Para quem está dentro do assunto e entusiasmado como eu, deverão ter reparado que já temos Fantasmas, mesmo a tempo do Halloween!

the_sims_4_october-3

Mais do que nunca, os bonecos são únicos e altamente personalizáveis. Já quase têm alma, que as melhorias não podiam ser só gráficas. Se deixaram de lado o The Sims pelos primeiros jogos que saíram, aconselho que experimentem as últimas novidades. É claro que é necessário ter em conta que continua a tratar-se de um simulador, mas substancialmente melhor.

SIMS4DDpc2DPFTen

O único aborrecimento para mim foi o facto de o jogo não ser, de todo, compatível com o OS X (as versões anteriores corriam, mesmo que mal). É claro que há o Boot Camp, e é por lá que consigo jogar o The Sims 3 e todas as suas expansões. Contudo, já não consegui instalar o TS4 no meu MacBook, pelo que deixo o alerta para quem tem iCoisas anteriores a 2008: não vai funcionar. Como boa Simhólica que sou, afiambrei-me ao computador alheio e ficou o problema resolvido.

E vocês, já experimentaram o jogo?

ts4

Vixenizada

vixenfoto

Parece que foi desta que o Outono veio para ficar, e se o calor e a peganhice vão embora, significa que está na hora de dar uso a todos os batons mega coloridos, cremosos e hidratantes que fomos acumulando à espera do regresso dos dias frios.

Sou muito democrática na escolha das cores e nos acabamentos. Agrada-me que actualmente estejam na ribalta os tons mais escuros e imponentes embora nunca tenha tido preconceitos com vinhos, ameixas e beringelas.

vixen2

Uma das novidades da Avon para este Inverno – em Portugal, que no ano passado já eu estava com ela fisgada depois de a ter visto em blogs estrangeiros, foi o batom Ultra Color na cor Vixen (quando é que trazem o Vamp?). Tenho sido uma menina bonita e ando muito contida nas compras, pelo que achei que até merecia o miminho. Já não sou revendedora da marca, mas a Patrícia mantém-me sempre a par das novidades e foi a ela que o comprei.

A cor é lindíssima, não é bem bordeaux mas também não é, de todo, roxo. É uma cor algo incomum e super intensa. O batom em si é mesmo muito pigmentado e cremoso. Não aconselho que o utilizem sem um lápis de contorno, sob pena de durar pouco e de esborratar.

vixen1

Adeus, caracóis! #2

Já passaram mais de duas semanas desde que fiz o alisamento progressivo G-Hair da Inoar e está mais do que na altura de fazer um ponto da situação. Já consigo informar-vos muito melhor sobre os resultados do que se o tivesse feito praticamente de imediato.

Como sabem, que eu já disse, fiz o alisamento com a Íris (podem entrar em contacto com ela via Facebook ou através do contacto telefónico 965 090 970), que atende no seu domicílio, perto do Estoril, e num salão na Póvoa do Varzim, mediante marcação. Os preços variam consoante o comprimento dos cabelos. Para terem uma ideia, tenho o cabelo acima do peito e o preço ronda os 70€. Pensem que os resultados compensam e que se poupa muito tempo (e muitos resfriados e respectivos tratamentos, no caso de terem cabelos rebeldes e serem preguiçosas para secar o cabelo, como eu).

alisamento

As fotografias foram tiradas há coisa de uma semana atrás, já com algumas chuvadas e lavagens pelo caminho. Como podem verificar, o cabelo ficou mesmo liso. Bom, podia ficar ainda mais liso, tal e qual como no dia do alisamento, se eu utilizasse uma placa quente nas pontas. Sinceramente, acho desnecessário e acho que o efeito fica mais natural assim. Tenho o cabelo bonito, super brilhante e macio. Estou satisfeitíssima.

Mas, Guida, como é que funciona mesmo essa história do alisamento progressivo e que cuidados é preciso ter? Em primeiro lugar, há que salientar que este é um procedimento que pode ser efectuado em todos os tipos de cabelo, mesmo quando são expostos a procedimentos químicos, como as colorações. Contudo, não se aventurem a fazer alisamentos em casa! Convém evitar quaisquer procedimentos uma semana antes e depois da realização da escova progressiva. No caso específico das colorações, o alisamento pode aclarar ligeiramente a cor, pelo que se recomenda que seja feita posteriormente (ainda assim, posso dizer-vos que pintei o cabelo no início de Setembro e continua super preto e brilhante). O efeito do alisamento dura até três meses com os devidos cuidados.

O alisamento em si é um procedimento cómodo e indolor. Há quem se queixe do odor de alguns tipos de alisamento e de eventuais incómodos respiratórios e oftalmológicos, mas no que toca à escova alemã G-Hair não tenho inconvenientes a relatar. Achei o cheiro agradável e não senti qualquer desconforto durante a aplicação.

Por alto, o procedimento consiste em três passos. Primeiro, o cabelo é lavado com um champô anti-resíduos que limpa em profundidade e ajuda a tornar os fios mais “penetráveis”. Posteriormente, é aplicado o produto alisador. O cabelo é seco com uma placa quente et voilá! Sejam bem-vindas ao mundo dos cabelos sempre lindos e apresentáveis sem esforço.

inoar

Até poder lavar o cabelo novamente, é preciso deixar passar, no mínimo, 48h. Esta primeira lavagem é feita só com máscara hidratante. Sim, sem champô nem nada. Daí para a frente, as lavagens são feitas normalmente (convém não lavar o cabelo diariamente), com a ressalva de só poderem ser utilizados champôs sem sal/sem sulfatos, e de serem de evitar os condicionadores, máscaras e quaisquer outros produtos capilares com álcool ou com silicones. Há quem não goste de utilizar champôs sem sal, referindo que não fazem espuma nem lavam devidamente. Nunca tive tais queixas e, por norma, já utilizava champôs com estes requisitos (excepto na época balnear, não me perguntem por quê).

Para experimentar, tenho utilizado o champô, o condicionador e o leave in da linha Pós Progress da Inoar e estou satisfeita. O cheiro e as texturas são agradáveis. O condicionador é super consistente e hidratante. O leave in hidrata e deixa o cabelo super brilhante mas sem pesar. Creio que o champô não é dos mais desagradáveis para quem gosta da espuma habitual. Semanalmente, continuo a utilizar máscaras hidratantes. Também gosto de aplicar produtos protectores do calor e óleos/séruns nas pontas do cabelo. Estão bonitas e saudáveis, e é assim que as quero manter. Há que ter cuidado!

Após o alisamento, é normal que o couro cabeludo fique oleoso mais rapidamente. Por aqui, notei a diferença, mas não é nada que me aborreça. Antes, poderia passar mais de uma semana sem lavar o cabelo. Contudo, acabava por ter de o fazer quase diariamente para conseguir escová-lo e mantê-lo apresentável. Agora, na pior das hipóteses, deixo passar quatro dias entre lavagens.

Por ser um tratamento termoactivado, convém utilizar sempre um secador após cada lavagem. Pode parecer um sacrifício, mas a verdade é que para além de o cabelo secar muito mais rápido após o alisamento, não é preciso utilizar o secador logo depois do banho. Dá perfeitamente para deixar o cabelo secar ao natural quase na totalidade e só depois recorrer ao calor (não se preocupem, que não precisam de fazer malabarismos com a escova, só têm de se preocupar em secar o cabelo em direcção ao chão). Se já fiz a experiência de deixar o cabelo secar completamente ao natural? Já, e posso dizer-vos que fica ligeiramente ondulado, lindo, sem volume nem frisado. Logo a seguir, porém, utilizei a placa quente e em menos de nada (2, 3 minutos?) consegui ter o cabelo super liso, com temperaturas baixas (antes, se queria utilizar a placa alisadora, precisava de temperaturas superiores a 200ºC. Agora, os 120ºC mínimos que a minha placa atinge são suficientes).

Estou encantada! Por ora é isto, creio que ficam com um bom lamiré de todo o procedimento e com a minha opinião pessoal. Assim que houver mais novidades relevantes, venho a correr contar-vos tudo.

Limpeza de Pele Eficaz

limpezapele2

Terminada a época balnear e, por conseguinte, a exposição excessiva a uma série de factores agressivos para a pele, já se sabe que é de valor apostar numa boa e profunda limpeza de pele. É um ritual que se deve manter todo o ano mas que toma especial importância na rentrée.

limpezapele1

Confiei na Célia Godoy (o gabinete fica pertíssimo da estação de metro de Odivelas) para cuidar devidamente do meu rosto, não através de uma limpeza de pele convencional mas com uma série de tecnologias que desconhecia até então: a extracção foi feita a vácuo e também foi utilizado equipamento de alta frequência. De forma sintética, as vantagens consistem numa maior eficácia na extracção das impurezas através do vácuo, e a alta frequência tem acção bactericida e ajuda a fechar os poros.

O procedimento durou cerca de uma hora e achei-o menos doloroso que uma limpeza de pele convencional. Em primeiro lugar, faz-se uma consulta breve para saber quais são as nossas necessidades, as características da nossa pele e eventuais problemas de saúde que possam interferir no tratamento (por exemplo, a alta frequência não pode ser utilizada por hipertensos ou grávidas). De seguida, higieniza-se a pele do rosto e é feita a exposição a vapores de ozono, para abrir os poros. Garanto-vos que em ambiente de gabinete a exposição aos vapores é muito mais cómoda que os típicos vapores que se fazem em casa.

Eis que chega a parte mais desconfortável, a extracção. Contudo, temi que fosse muito mais dolorosa. São utilizadas pequenas ventosas de diferentes dimensões que fazem o trabalho mais complicado. Posteriormente, há o recurso à extracção manual caso existam impurezas mais profundas. Sofri qualquer coisa, mas o meu nariz e o meu queixo já precisavam de uma intervenção drástica e urgente (e vocês bem sabem que utilizo bandas de remoção de pontos negros com alguma frequência. Se não as usasse, seria bem pior).

A fase do sofrimento termina depressa e quase nos esquecemos dela, porque o tónico e a máscara calmante que são aplicados de seguida aliviam imenso o desconforto. Passa-se à fase da utilização da alta frequência (caso não haja contra-indicações). Pode ser desconfortável para algumas pessoas, porque o equipamento dá pequenos choques na pele. Pessoalmente, não senti qualquer incómodo.

Para terminar, é feita uma massagem facial e aplicado um hidratante e protector solar. Durante umas horas, a pele fica com algumas vermelhidões mas, mesmo assim, visivelmente limpa. Não tirei nenhuma fotografia antes do procedimento, mas podem ver como ficou a região mais crítica do meu rosto nesse mesmo dia.

Fiquei muito impressionada com tanta limpeza. Já não me lembrava do que era ter a pele do rosto tão lisa, sem pontos negros horríveis e nojentinhos. E sabem o que é melhor? É que já passou mais de uma semana e o meu organismo não entrou em revolta. Continuo com a zona T limpinha, limpinha.

Lipton Lemon Macaroon?

LiptonGreenTeaLemonMacaroon

Ontem, quando estava a tratar das compras do costume, deparei-me com uma novidade na prateleira dos chás. A Lipton tem um novo chá verde com sabor a macarons de limão. Nem eu era gente se não trouxesse uma embalagem para provar, que já sou fã da maior parte das infusões improváveis que a Lipton tem apresentado ultimamente. É claro que fui a correr provar a novidade e… Ei! Qual macarons, qual carapuça. O bendito do chá cheira e sabe a leite creme. Parece-vos estranho? Eu, que adoro leite creme, fiquei rendida.

Já conheciam esta variedade de chá? Já alguém o provou?

Barroco Tropical

barrocotropical3

Agora que já estamos em modo outonal e que se espera que os dias refresquem (que, apesar de o Verão não ter sido assim tão simpático, a verdade é que já começamos a ter uma amplitude térmica maior), faz todo o sentido começar a pensar nas modas para o tempo frio. Quem fala em moda, fala em cosméticos. Afinal, tendemos a escolher produtos diferentes consoante o clima, e o calor que pede leveza já está a ir embora.

barrocotropical2

De há uns anos para cá, possivelmente em consequência da crise, a inspiração no barroco tem sido uma aposta muito forte na indústria da moda. Os detalhes de cores ricas, o dourado, as texturas aveludadas e acetinadas, as rendas e todos outros exageros que transparecem uma certa prosperidade ajudam a distrair-nos do que de menos bom se passa. Teorias à parte, eu que adoro a riqueza de detalhes ando encantada.

barrocotropical1

Recentemente, O Boticário apresentou uma das suas propostas de maquilhagem de Inverno na edição limitada Make B Barroco Tropical, em parceria com o estilista Ronaldo Fraga. Predominam as cores fortes e profundas e, como não poderia deixar de ser, muitos brilhos, dourado e muitos detalhes em relevo. Há, até, uma fragrância chipre frutal deliciosa e três pincéis de maquilhagem para complementarem a linha de maquilhagem, que é constituída por quatro vernizes, um blush, duas sombras em creme cintilantes, um lápis de olhos, três trios de sombras, dois duos de batom/gloss e um duo de máscara/eyeliner.

barrocotropical

Originalmente, no Brasil, saíram também uns quantos batons que não sobreviveram a tempo de chegar a Portugal. Ficamos muito tristes, por cá, mas já é bom ter o resto da linha. Tenho comigo o trio de sombras Bordô Renascença e o Duo Labial Laranja Imperial e o que posso dizer-vos é que, como podem ver nas fotografias, não precisam de ter medo das cores (se for esse o caso), porque são pigmentadas qb, para que seja fácil utilizá-las mesmo quando não temos muita experiência com a maquilhagem e/ou não queremos nada carregado. Há sempre a opção de utilizar as sombras com um pincel húmido e obter uma maior intensidade de cor. Estou a namorar as sombras em creme e os pincéis. E vocês, de que artigos gostaram mais?

Adeus, caracóis!

alisamento

Depois de todas as asneiradas que já fiz e de ter aprendido da pior maneira que temos de respeitar e abraçar o cabelo que nos calhou em sorte, houve um procedimento que sempre me deixou curiosa: o alisamento progressivo.

Eu adoro os meus caracóis, mas a verdade é que exigem tempo e paciência que nem sempre tenho. Não exigem um esforço infinito, mas para os manter apresentáveis tenho de lavar o cabelo quase diariamente, quando noutras condições passaria bem uma semana sem necessitar de grandes cuidados (porque tenho o couro cabeludo seco). E, já se sabe, uma juba de caracóis demora muito tempo a secar e eu nem sequer gosto de secadores. Como devem calcular, os transtornos que tudo isto traz para a minha saúde, especialmente no Inverno, são mais que muitos.

Por outro lado, sempre tive os meus receios quanto aos procedimentos de alisamento. Será que estragam o cabelo? Será que são permanentes e exigem um compromisso de manutenção infinito? Decidi informar-me e ontem rendi-me à escova alemã Inoar e às mãos de ouro da Íris. Estou encantada com o resultado! Tenho o cabelo brilhante, sedoso e liso como nunca o tive. A humidade do ar está elevadíssima e continuo com o cabelo impecável. Antes do alisamento, mesmo que utilizasse a placa de alisar em casa, com este tempo, já teria o cabelo super volumoso e frisado.

escovaalema

Assim que lavar o cabelo (convém esperar, pelo menos, 48h após o alisamento), partilharei convosco a essência do procedimento, as minhas impressões, os cuidados a adoptar e as dúvidas que me surgiram e as respectivas respostas. E fotos, várias fotos, que estas são as que a Íris tirou com o telemóvel mas já deixam uma boa ideia da drástica mudança.

Se tiverem dúvidas, comentem, que também as coloco à Íris. Ou, então, perguntem-lhe directamente na página do Facebook ou através do contacto 965 090 970. Creio que confiei o meu cabelo à melhor profissional e à melhor técnica de alisamento! Se estiverem curiosas e a ponderar fazerem algo semelhante, mantenham-se atentas ao blog, que manter-vos-ei actualizadas sobre esta aventura que mais parece um milagre.

Viagem Olfactiva

voyager

Para quem reside em Portugal Continental, creio que é unânime a opinião de que estamos a ter um ano terrível no que toca às condições climatéricas. Não posso queixar-me muito, que andei ao contrário do mau tempo, mas a verdade é que passámos do Inverno para um Verão muito tímido e agora, que estamos quase no Outono, parece que chegou a Primavera.

Na minha opinião, há perfumes que condizem com as estações do ano e o eau de toilette Voyager Woman da Oriflame é um deles. Chegou às minhas mãos no auge de Agosto, mas agora é que é tempo de o usar. É uma fragrância floral frutada, fresca, mas sem picar o nariz. É delicada, mas com aquele cheirinho a conforto quente e doce no meio das suas notas: no topo, temos frutas como a goiaba, a carambola e a lima; o corpo tem flores de laranjeira, jasmim e rosa; na base, encontramos âmbar, musk e notas amadeiradas. Sabem do que falo?

Creio que é uma fragrância fácil de agradar à maior parte das mulheres, tanto às mais novas como às mais crescidas. É, nitidamente, um perfume de dia, fácil de usar e com fixação bastante razoável. Conhecê-lo foi uma surpresa agradável, especialmente tendo em conta que é um perfume acessível (50ml/29€ sem promoções), e estou a adorar usá-lo.

Coincidências?

Por falar em pop… E já que nos entra tanta coisa pelos ouvidos dentro quando ligamos o rádio por qualquer motivo…

M.I.A. – Paper Planes, 2007

Lily Allen – Air Balloon, 2014

Nicki Minaj – Super Bass, 2010

Meghan Trainor – All About That Bass, 2014

Quaisquer semelhanças, são pura coincidência. Ou, quem sabe… Façam os vossos julgamentos.